É a maneira de utilização de tecnologia de informação e processamento de dados, através da maneira de prestar um serviço e pelo seu papel desempenhado.

  • É a maneira de utilização de tecnologia de informação e processamento de dados, através da maneira de prestar um serviço e pelo seu papel desempenhado.

  • O controle da empresa é dado por redes internas denominadas intranets, que controlam as entradas e saídas de informações da organização, fazendo com que fornecedores e clientes que estão se utilizando de seus serviços se sintam satisfeitos; tal controle é conhecido como controle on-line.

Segundo Toffler a evolução da humanidade possui uma sucessão de ondas de civilizações:

  • Segundo Toffler a evolução da humanidade possui uma sucessão de ondas de civilizações:

  • 1ª onda: Civilização Agrícola e durou cerca de 10000 anos.

  • 2ª onda: Civilização Industrial e durou 300 anos, mas não estaria extinta

  • 3ª onda: Civilização Contemporânea, anos 70 aos 90

  • 4ª onda: Civilização da Informação a partir dos anos 90

poder de informação positivo, ou seja, em tempo real e com confiança nos relacionamentos;

  • poder de informação positivo, ou seja, em tempo real e com confiança nos relacionamentos;

  • maior participação e um grande espírito de equipe;

  • excelente interação com o mercado;

  • envolve todas as inovações de modelos de administração desenvolvidos ao longo dos anos;

  • rapidez e proximidade na produção e nos serviços;

  • Conforto para o cliente e a empresa.

e-commerce:

  • e-commerce:

  • é a compra e venda de bens e serviços através da Internet, em especial a World Wide Web.

  • e-business:

  • é a condução de negócios, via Internet, de uma forma mais ampla e abrangente, não somente para comprar ou vender, mas também para oferecer serviços aos clientese interagir com parceiros de negócios.

e-tailing (electronic retailing) - venda de bens através de lojas virtuais baseadas em Web sites com catálogos on-line, usado para vender mercadorias no varejo na Internet.

  • e-tailing (electronic retailing) - venda de bens através de lojas virtuais baseadas em Web sites com catálogos on-line, usado para vender mercadorias no varejo na Internet.

  • Market Research - Obtenção e uso de dados demográficos obtidos através de contatos via Web

  • e-banking / Internet Banking - venda de produtos e serviços bancários, tais como pagamentos de contas, transferências, consultas, etc.

  • EDI (Electronic Data Interchange) - Troca de dados entre empresas através de padrões estabelecidos

  • e-mail e Fax - meios de prospecção de novos clientes e comunicação com clientes já estabelecidos

  • Business-to-business - Compra e venda de bens entre empresas

  • É um sistema pelo qual organizações e empresas entregam seus produtos e serviços aos seus consumidores, numa rede de organizações interligadas. O grande objetivo da SCM é a redução de stocks, mas com a garantia de que não faltará nenhum produto quando este for solicitado.

Planejamento de demanda

  • Planejamento de demanda

  • Colaboração de demanda

  • Promessa de pedidos

  • Otimização de rede estratégica

  • Produção e planejamento de distribuição

  • Calendário de produção

  • Planejamento de redução de custos e gerência de desempenho - diagnóstico do potencial e de indicadores, estratégia e planificação da organização, resolução de problemas em real time, avaliação e relatórios contábeis, avaliação e relatórios de qualidade.

Reestruturação e consolidação do número de fornecedores e clientes;

  • Reestruturação e consolidação do número de fornecedores e clientes;

  • Divisão de informações e integração da infra-estrutura com clientes e fornecedores;

  • Desenvolvimento conjunto de produtos,

  • Considerações logísticas na fase de desenvolvimento dos produtos;

  • Integração das estratégias competitivas na cadeia produtiva.

Se há cerca de uma década seria extremamente oneroso para uma empresa multinacional interligar todos os seus departamentos e funcionários ao redor do mundo através de uma rede corporativa, hoje, com a massificação do uso da Internet, isto é relativamente simples e barato. A partir de uma rede local (Intranet), na qual se disponibilizam as mais variadas informações e meios de comunicação integrada escrita e falada, abrem-se os canais de interação com qualquer região do planeta (Stair, 2002).

  • Se há cerca de uma década seria extremamente oneroso para uma empresa multinacional interligar todos os seus departamentos e funcionários ao redor do mundo através de uma rede corporativa, hoje, com a massificação do uso da Internet, isto é relativamente simples e barato. A partir de uma rede local (Intranet), na qual se disponibilizam as mais variadas informações e meios de comunicação integrada escrita e falada, abrem-se os canais de interação com qualquer região do planeta (Stair, 2002).

  • Fatos como esse levaram autores como Tapscott (1996), Hagel & Armstrong (1997) e Kelly (1997), a dizer que o conceito de Era da Informação já estaria sendo superado pelo poder de comunicação da rede.

Na medida em que cada vez mais companhias começam a usar a tecnologia baseada na Internet, a própria rede se neutraliza como fonte de vantagem competitiva. As verdadeiras vantagens competitivas encontram-se onde sempre estiveram: no oferecimento de produtos únicos e diferenciados, conteúdo próprio e valioso, melhor conhecimento do produto, processos de fabricação mais eficientes, melhor serviço ao cliente e melhores relações com esse público.

  • Na medida em que cada vez mais companhias começam a usar a tecnologia baseada na Internet, a própria rede se neutraliza como fonte de vantagem competitiva. As verdadeiras vantagens competitivas encontram-se onde sempre estiveram: no oferecimento de produtos únicos e diferenciados, conteúdo próprio e valioso, melhor conhecimento do produto, processos de fabricação mais eficientes, melhor serviço ao cliente e melhores relações com esse público.

  • As empresas estabelecidas que serão bem sucedidas no futuro serão aquelas que usarem a tecnologia da Internet para melhorar as atividades tradicionais e aquelas que encontrarem e implementarem novas combinações de atividades físicas e virtuais, que antes não se previa ser possível (Porter, op. cit.).

Existem quatro tipos de administradores virtuais, sendo:

  • Existem quatro tipos de administradores virtuais, sendo:

  • 1º: Os Pioneiros: desenvolvem novos produtos e criam mercados completamente novos.

  • 2º: Os Reformadores: desenvolvem Hardware e Software para dirigir de maneira inovadora mercados preexistentes.

  • 3º: Os Multiplicadores: caracterizam-se por usar as novas técnicas em relação a novos serviços.

  • 4º: Os Guerrilheiros do Mercado: através do uso da Internet fazem concorrência para outras empresas já estabelecidas no mercado, no mesmo ramo de atividade destas.

  • Lipnack (1993, p. 26 e 27) preconiza que existe uma quantidade razoável de argumentos que explicam a necessidade da existência de uma organização virtual, o que será visto à seguir.

Compartilhamento de recursos. Devido a agilidade que o mercado demanda, as empresas buscam o compartilhamento de recursos.

  • Compartilhamento de recursos. Devido a agilidade que o mercado demanda, as empresas buscam o compartilhamento de recursos.

  • Compartilhamento de conhecimento. Atualmente nenhuma empresa pode fazer tudo o tempo todo. É impossível para qualquer empresa manter todo o conhecimento necessário para fabricação e venda de produtos e serviços no mercado globalizado por si só.

Rateio de custo. É outro fator motivador para a formação das organizações virtuais.

  • Rateio de custo. É outro fator motivador para a formação das organizações virtuais.

  • Cadeia de suprimentos. A economia atual está baseada nos sistemas de informação e na economia de serviços. A estratégia de economia de serviços lidera potencialmente a rentabilidade. Porém, os serviços dependem da manufatura. A manufatura por sua vez, não é somente um consumidor principal de serviços, como também gera um uso individual saudável de compra de serviços.

Agilidade. As exigências cada vez mais específicas, personalizadas, imediatas e complexas do mercado consumidor, forçam as organizações a diminuírem o ciclo de vida do produto.

  • Agilidade. As exigências cada vez mais específicas, personalizadas, imediatas e complexas do mercado consumidor, forçam as organizações a diminuírem o ciclo de vida do produto.

  • Acesso a mercados globais. Com a formação das organizações virtuais, os participantes terão a capacidade de usufruir de um mercado muito mais abrangente.

Os sistemas de gerenciamento corporativos são antiquados e modelados nas organizações hierárquicas, antigas e ultrapassadas. Essas estruturas não são mais necessárias atualmente, uma vez que os computadores, equipamentos e recursos de telecomunicações podem fazer melhor uma série de trabalhos que antigamente precisavam de controle e gerenciamento de pessoas.

  • Os sistemas de gerenciamento corporativos são antiquados e modelados nas organizações hierárquicas, antigas e ultrapassadas. Essas estruturas não são mais necessárias atualmente, uma vez que os computadores, equipamentos e recursos de telecomunicações podem fazer melhor uma série de trabalhos que antigamente precisavam de controle e gerenciamento de pessoas.

  • Soluções globalizadas. A potencialidade de conseguir soluções parciais para a agregação ao produto final deixa de ser local, passando ter rapidez de funcionamento obtida através de parceiros estabelecidos em qualquer ponto.

  • Os sistemas de fabricação ou produção das empresas estão antiquados pois são baseados ainda nos conceitos de Ford e Taylor. Os japoneses já estão demonstrando que novas metodologias de produção devem ser implementadas, pois permitem um gerenciamento antecipado dos estoques e dos pedidos de clientes.

Produtividade com qualidade. A forma de conseguir um aumento substancial de produtividade com qualidade é concentrar o trabalho nas áreas em que a empresa domina a tecnologia.

  • Produtividade com qualidade. A forma de conseguir um aumento substancial de produtividade com qualidade é concentrar o trabalho nas áreas em que a empresa domina a tecnologia.

  • A informação sozinha não melhora a produtividade. As empresas tem muito a aprender sobre a utilização da informação.

  • Competitividade. A somatória dos esforços acima conduzem a uma posição de liderança competitiva. A competitividade é atualmente a preocupação predominante na estratégia de crescimento nas empresa modernas.

Tendo em vista as definições expostas acerca do que concerne-se organização virtual, pode-se enumerar características comuns às mesmas. Jägers et al. (1998, p. 71), apresentam a seguir algumas características:

  • Tendo em vista as definições expostas acerca do que concerne-se organização virtual, pode-se enumerar características comuns às mesmas. Jägers et al. (1998, p. 71), apresentam a seguir algumas características:

  • Cruzamento de fronteiras organizacionais

  • Em uma organização virtual é necessário

  • que haja a cooperação de múltiplos especialistas,

  • pertencentes a diferentes áreas.

  • Competências essenciais complementares

  • As empresas participantes se complementam,

  • onde cada empresa contribui com sua competência

  • essencial.

Dispersão geográfica. As empresas não precisam necessariamente estar próximas umas das outras.

  • Dispersão geográfica. As empresas não precisam necessariamente estar próximas umas das outras.

  • Participantes em mudança. A organização virtual pode ser composta por diferentes empresas a cada dia, de acordo com as necessidades e oportunidades de negócios que forem surgindo.

Comunicação eletrônica. A existência da organização virtual está vinculada às tecnologias de informação e comunicação.

  • Comunicação eletrônica. A existência da organização virtual está vinculada às tecnologias de informação e comunicação.

  • Além disso, Strausak (1998, p. 15), ainda ressalta o oportunismo como mais uma característica das organizações virtuais.

Um exemplo de produto físico, é um cd virgem; sua mídia estando vazia pode ser enxergado como uma pasta manufaturada, porém, sem conteúdo. No caso do software, um programa operacional, etc, o conceito é de um produto intelectual, não palpável, nem manipulável fisicamente, como uma engrenagem de uma máquina, comercializável, transportável por meios virtuais como se objeto físico fosse, portanto, pode ser guardado em locais físicos e virtuais (um CD, uma FITA-DAT, um disquete, no cérebro, etc), logo, existem muito tipos de produtos e serviços virtuais.

  • Um exemplo de produto físico, é um cd virgem; sua mídia estando vazia pode ser enxergado como uma pasta manufaturada, porém, sem conteúdo. No caso do software, um programa operacional, etc, o conceito é de um produto intelectual, não palpável, nem manipulável fisicamente, como uma engrenagem de uma máquina, comercializável, transportável por meios virtuais como se objeto físico fosse, portanto, pode ser guardado em locais físicos e virtuais (um CD, uma FITA-DAT, um disquete, no cérebro, etc), logo, existem muito tipos de produtos e serviços virtuais.

Ganha-se dinheiro na empresa virtual não necessariamente pela venda de determinado produto ou serviço mas pela sua disponibilidade de acesso dada a um maior número de consumidores.

  • Ganha-se dinheiro na empresa virtual não necessariamente pela venda de determinado produto ou serviço mas pela sua disponibilidade de acesso dada a um maior número de consumidores.

  • Ganha-se dinheiro, não vendendo ou comprando, mas se atraindo patrocinadores desejosos de visibilidade para serviços e produtos que oferecem.

  • Administrar uma empresa virtual é, pois, substituir a lentidão de planejamento e de organização pela velocidade e elasticidade da capacidade perceptiva;

  • é eliminar a autoritária concentração da coordenação e do controle com a implementação de uma abrangente e democrática gestão participativa;

  • é conectar-se com a realidade e a diversidade de atores e idéias definidores do destino do mundo contemporâneo ;

  • é saber lidar com o intangível.

Comentários