imobilização ortopedica

imobilização ortopedica

(Parte 5 de 10)

circulação.

Indicações; fratura dos metacarpos e das falanges da mão.

Tamanho da atadura gessada

indicada; 10 cm

Tala tipo tubo ( goteira inguinomaleolar )

Posição do paciente; sentado na beira da maca com o joelho

do membro lesionado fletido de 10 a 15 graus apoiado na

escada ou um ajudante segurando.

Modo de confeccionar; 1º colocar malha tubular da articula_

ção do tornozelo até a raiz da coxa, 2º colocar algodão em

toda extensão do membro em especial nas saliências ósseas,

3º aplicar tala gessada, 4º prender com crepom sempre

começando de distal para proximal.

Orientação do paciente; pedir para não fazer força pra

dobrar o joelho, não molhar o gesso e mexer bastante os

dedos dos pés pra ajudar na circulação.

Indicações; fratura ou luxação de

patela

Tamanho da atadura gessada

Indicada; 15 ou 20 cm

Ética do técnico em imobilizações ortopédicas

O técnico em Imobilizações Ortopédicas, no desempenho

de suas atividade, deve respeitar integralmente a dignidade

do paciente sem distinção de raça, nacionalidade, classe

social, religião, política, idade e sexo. Deve o Técnico em Imobilizações Ortopédicas, pautar

sua vida profissional observando os mais rígidos princípios

morais, para elevação de sua dignidade profissional e de

toda a classe. Deve o Técnico de Imobilizações, dedicar-se

permanentemente ao aperfeiçoamento de seus

conhecimentos técnico-científico.

A conduta do Técnico de Imobilizações, em relação aos

colegas deve ser pautada nos princípios de consideração,

apreço e solidariedade.

O espírito de solidariedade, não induz, nem justifica a

conivência com erros ou infrações de normas éticas, médicas,

técnicas ou legais que regem o exercício da profissão.

Todos os profissionais que executem as seguintes técnicas

descritas abaixo, será conceituado como Técnico em

imobilizações ortopédicas.

  1. Organizar a sala de Imobilizações

  2. Avaliar as condições de uso do material instrumental;

  3. Estimar a quantidade de material a ser utilizado;

  4. Controlar estoque;

  5. Preparar o paciente e o procedimento

  6. Posicionar o paciente;

  7. Confeccionar a Imobilização

  8. Confeccionar imobilização com materiais sintéticos;

  9. Confeccionar tala metálica;

  10. Confeccionar aparelhos gessados circulares;

  11. Confeccionar esparadrapagem;

  12. Confeccionar goteiras gessadas;

  13. Confeccionar enfaixamentos;

  1. Retirar a Imobilização

  2. Bivalvar o aparelho gessado;

  3. Retirar aparelhos gessados com serra elétrica vibratória;

  4. Remover aparelhos sintéticos;

  5. Auxiliar o ortopedista em alguns procedimentos;

  6. Fender o aparelho gessado;

  7. Abrir janela no aparelho gessado;

  8. Trabalhar em equipe;

  9. Demonstrar autoconfiança;

  10. Trabalhar com ética profissional;

  11. Atualizar-se profissionalmente;

  12. Cuidar da aparência pessoal;

  13. Usar de respeito na relação com o paciente;

  14. Zelar pela organização da sala.

  15. Orientar sobre o uso e conservação da imobilização;

  16. Explicar procedimento de retirada do gesso;

  17. Submeter-se a exames médicos periódicos;

Do gesso a atadura gessada

A Traumatologia foi dentre os diversos ramos da medicina

um dos que mais precocemente surgiu na evolução histórica.

A imobilização dos segmentos corpóreos comprometidos

passou por diversas fases ate que Antonius Mathijsen,

em 1852, introduziu a atadura gessada, método este que se

mostrou de tal maneira eficiente que ainda não encontrou

substituto ideal ate nossos dias. O gesso é constituído por sulfato de cálcio, retirado da

natureza, que por processo especial o gesso em pó é

distribuído entre as ataduras de malha que serve de suporte. A água aquecida é ainda o processo acelerador de melhor

resultado.

Indicações

As principais indicações dos aparelhos gessados podem ser

resumidas em: 1. Imobilizar provisoriamente uma fratura. 2. Imobilizar uma fratura reduzida. 3. Imobilizar membro com traumatismo mesmo sem fratura. 4. Imobilizar articulação com processo infeccioso. 5. Imobilizar mantendo correção de deformidades. 6. Imobilizar uma região operada.

Para a execução de um aparelho gessado temos necessidade

(Parte 5 de 10)

Comentários