Diagrama de Ishikawa - Espinha de Peixe

Diagrama de Ishikawa - Espinha de Peixe

FERRAMENTA: Espinha de Peixe ou

Diagrama de Causa e Efeito ou

Diagrama de Ishikawa.

  Qual é o Objetivo do Diagrama de Ishikawa

  Representação gráfica das causas de um fenômeno. É um instrumento muito importante para estudar:

-         Os fatores de determinam resultados que desejamos obter (processo, desempenho, oportunidade);

-         As causas de problemas que devem ser evitados (defeitos, falhas, viabilidade).

  Onde é feita a utilização do Diagrama de Ishikawa

Para planejamento das etapas de um projeto ou processo.

Histórico do Diagrama de Ishikawa

  Conhecido também como: Diagrama Espinha de Peixe (por seu formato) e Diagrama de Ishikawa (Kaoru Ishikawa – quem o criou) ou Diagrama Causa e Efeito. Foi desenvolvido para representar a relação entre o “efeito” e todas as possíveis “causas” que podem estar contribuindo para este efeito. O efeito ou problema é colocado no lado direito do gráfico e as causas são agrupadas segundo categorias lógicas e listadas à esquerda.

 

Explicação Detalhada

Como fazer o diagrama de causa e efeito

1.                  Defina o problema a ser estudado e o que se deseja obter (o que deve acontecer ou o que deve ser evitado).

2.                  Procure conhecer e entender o processo: observe, documente, fale com pessoas envolvidas, leia.

3.                  Reúna um grupo para discutir o problema, apresente os fatos conhecidos, incentive as pessoas a dar suas opiniões, faça um “brainstorming” (chuva de idéias).

4.                  Organize as informações obtidas, estabeleça as causas principais, secundárias, terciárias, etc. (hierarquia das causas), elimine informações irrelevantes, monte o diagrama, confira, discuta com os envolvidos.

5.                  Assinale os fatores mais importantes para obtenção do objetivo visado (fatores chave, fatores de desempenho, fatores críticos).

  Para organizar o diagrama de causa e efeito, você pode usar as seguintes classificações de causas:

Os Ms:

1.      Mão de obra

2.      Método

3.      Material

4.      Máquina

5.      Meio ambiente

6.      Medição

7.      “Management” (gestão)

4Ps:

1.      políticas

2.      Procedimentos

3.      Pessoal

4.      Planta

      Os diagramas de Causa e Efeito constituem uma base organizada para discussão das causas de um problema e ajudam a melhorar a comunicação entre os setores e entre os participantes num grupo de trabalho.

Para construir um diagrama de Causa e Efeito, recomendam-se os seguintes passos:

    1.  Identificar o EFEITO (caso) em relação ao qual se decidiu pesquisar as causas em termos claros e precisos. O “efeito” pode ser, por exemplo, o item de custo mais elevado.

    2. Estabelecer os objetivos e o tempo limite para as atividades de “brainstorming” (discussão conjunta dos intervenientes na análise de caso).

    3. Desenhar, em local por todos visível, o esqueleto do diagrama, referindo as fontes principais das causas a pesquisar

    4. Escrever as subcausas no topo das setas em branco e em tantas quantas forem as causas sugeridas pelos diversos membros do grupo que está a estudar o caso.

    5.Entre todas as causas sugeridas, selecionar uma para ser estudada em profundidade. Efetuar sucessivamente o mesmo tratamento a cada causa, eliminando aquelas que se revelarem não responsáveis pelo efeito em estudo.

    6.Para a causa, ou causas, detectadas como responsáveis, serão depois estudados os “remédios” que conduzam à correção do “efeito”.

Nos diagramas esquematizados a seguir, esclarece-se um pouco melhor a forma de os estabelecer e desenvolver.

 

 

 

 

 
 Figura 11 – Diagrama de Ishikawa

Diagrama de Causa e Efeito (Efeito principal que originou o programa de melhoria)

 

Figura 12

O diagrama de causa e efeito foi desenvolvido para representar a relação entre o “efeito” e todas as possibilidades de “causa” que podem contribuir para tal resultado. O efeito ou problema é colocado no lado direito do gráfico, e os grandes contribuidores ou “causas” são listados à esquerda. É importante notar que, para cada efeito, existem inúmeros conjuntos de causas.

As causas principais podem ser agrupadas em quatro categorias, conhecidas como os “4 M”; método, mão-de-obra, material e máquina. Nas áreas administrativas talvez seja mais apropriado utilizar os “4 P”: políticas, procedimentos, pessoal e planta (layout). No entanto, estas são apenas sugestões. Pode-se usar qualquer classificação que auxilie as pessoas a pensarem criativamente.

 

Figura 13 – Espinha de Peixe

  Um diagrama de causa e efeito bem detalhado terá a forma de uma espinha de peixe – daí o nome alternativo de “diagrama espinha-de-peixe”.

            A partir uma lista bem definida de possíveis causas, as mais prováveis são identificadas e selecionadas para uma melhor análise. Quando examinar cada causa, observe desvios da norma ou dos padrões. Lembre-se de eliminar a causa e não o sintoma do problema, investigando-a tão a fundo quanto possível.

Etapas para a Construção do Diagrama de Causa e Efeito

    1. Estabelecer de comum acordo uma definição que descreva o problema selecionado nos seguintes termos: o que é, onde ocorre, quando ocorre, e sua extensão.

    2   . Fazer a pesquisa das causas por um dos seguintes métodos:

        a) Um brainstorming (“tempestade de idéias” – ver Índice) sobre as possíveis causas, sem preparação prévia;

        b) Uso da folha de verificação (ver Índice) pelos membros do grupo, para detectar causas e examinar as etapas do processo mais de perto.

Construir o diagrama:

    3.1 colocar o problema já definido no quadro à direita;

    3.2 desenhar as categorias de causa – tradicionais (método, material, mão-de-obra e máquina) e/ou outras – que auxiliem na organização dos fatos mais importantes;

    3.3 apliquar o resultado do brainstorming às categorias principais apropriadas;

    3.4 para cada causa, questionar “por que isso acontece?”, considerando as respostas como contribuidores da causa principal.

4. Proceder à interpretação do gráfico, no sentido de pesquisar as causas básicas do problema:

    4.1 observar aquelas que aparecem repetidamente;

    4.2 obter o consenso do grupo;

    4.3 coletar os dados para determinar a freqüência relativa das diferentes causas.

Exemplo de Aplicação:

A

A

A

A

Elaboração do Projeto da Ferramenta de Estampagem de Arruela

1 3 5 7

A

A B C D E

A B C

2 4 6

 
Figura 14 – Diagrama de Ishikawa

 

Tabela 2 – Descrição do Diagrama de Ishikawa

TARAFA

DESCRIÇÃO DA TAREFA

SUB TAREFA

DESCRIÇÃO DA SUB TAREFA

1

Análise do Protótipo enviado pelo cliente

A

TIPO DE MATERAL

2

Retirar Dimensões do Protótipo

A

AUXÍLIO DO PAQUÍMETRO E MICRÓMETRO

3

Criar o primeiro desenho em esboço do projeto da ferramenta de estampo

A

UTILIZAÇÃO DA PRANCHETA PARA DESENHO EM ESBOÇO

4

Análise crítica do esboço

A

DESCRIÇÃO DOS MATERIAIS DA FERRAMENTA

4

Análise crítica do esboço

B

DIMENSÕES

4

Análise crítica do esboço

C

PONTOS DE LUBRIFICAÇÃO

4

Análise crítica do esboço

D

LOCAIS PARA ALÍVIO DE MASSA

4

Análise crítica do esboço

E

PARTES DA FERRAMENTA

5

Realizar o projeto final da ferramenta de estampo com o auxílio de um software de CAD

A

DESENHO FINAL EM CAD

6

Aprovação do Projeto

A

ANÁLISE DE CUSTO

6

Aprovação do Projeto

B

ANÁLISE DO TEMPO DE FABRICAÇÃO

6

Aprovação do Projeto

C

ANÁLISE NA VIABILIDADE DA CONSTRUÇÃO DA FERRAMENTA

7

Encaminhar o projeto final para PCP

A

ENCAMINHAR PROJETO PARA ÁREA DE PCP

Comentários