Manual de Prevenção de Acidentes Empilhadeiras

Manual de Prevenção de Acidentes Empilhadeiras

(Parte 1 de 7)

MANUAL

DE PREVENÇÃO

DE ACIDENTES

NO USO

DE

EMPILHADEIRAS

Sumário:

  1. Segurança com empilhadeiras

EMPILHADEIRAS

Conceito

A Empilhadeira é um veículo automotor utilizado para transporte e movimentação de materiais.

Características da Empilhadeira

Dotada de garfos e outros dispositivos de sustentação de carga, a empilhadeira foi projetada de forma a permitir a movimentação e o deslocamento de materiais tanto no sentido horizontal como na vertical, seus garfos podem ser inclinados para frente e para trás, com garras para rolos e garras para transporte de fardos, paletes, containeres, bobinas, e assim por diante.

É utilizada para transportar, empilhar e desempilhar cargas, possuindo a capacidade de se autocarregar e descarregar, de acordo com as especificações dos fabricantes.

Empilhadeiras são tracionadas pelas rodas dianteiras e direcionadas com as rodas traseiras.(As empilhadeiras do tipo alcance são tracionadas e direcionadas pelas rodas traseiras).

Empilhadeiras podem ser usadas em espaços pequenos, por isso seus componentes são compactos para aumentar o seu raio de giro.

Motor e outros componentes pesados estão na parte traseira para atuar como um contra-peso para as cargas colocadas na frente da empilhadeira.

Além disso, são instalados contra-peso na parte traseira das empilhadeiras.

Nas empilhadeiras elétricas as baterias de acionamento atuam como contra-peso.

É um veículo de grande utilidade, que substitui, com vantagens, talhas, pontes rolantes, monovias e também o próprio homem, pois realiza tarefas que ocupariam várias pessoas.

Seu custo e manutenção são elevados. O operador tem em mãos, diariamente, um patrimônio inestimável.

CLASSIFICAÇÃO DAS EMPILHADEIRAS

As empilhadeiras podem ser classificadas de duas maneiras: quanto ao abastecimento e quanto às características.

  1. Classificação quanto ao abastecimento

Neste caso temos os seguintes tipos

Gasolina – é a empilhadeira que mais polui o ambiente;

Diesel – apresenta menor poluição que a anterior;

Álcool - polui menos que as duas anteriores;

Gás – polui menos que as duas anteriores, por ser mais perfeita a queima do combustível;

Eletricidade – não apresenta poluição por não haver combustão. Por essa razão é mais usada nas empresas alimentícias, farmacêuticas e em espaços confinados. Neste tipo de empilhadeira existe maior possibilidade de incêndio que nas demais.

Tipos de Motor

Existem 3 tipos de motor utilizados em empilhadeiras:

  1. Motor de combustão interna, com ignição por centelha, com kits de ignição e carburação ou com injeção eletrônica. Ex: gasolina, gás e álcool;

  1. Motor de combustão interna com ignição por compressão. Neste caso não existem Kits, a ignição ocorre por compressão gerada pela bomba injetora e bicos de injeção. Ex: motor diesel;

  1. Motor elétrico: Neste caso o sistema de funcionamento é todo elétrico alimentado por bateria tracionária.

Obs.: Atualmente pode-se adaptar a qualquer dos três primeiros tipos acima um dispositivo denominado oxicatalizador que economiza combustível e elimina os odores e o monóxido de carbono, reduzindo o índice de poluição

Quanto à transmissão, as empilhadeiras com motor de combustão interna podem ser:

Mecânica Normal – possui câmbio com conversor de torque;

Mecânica Normal com acoplamento fluído – facilita as operações e diminui a quantidade de mudanças de marchas ao sair e ao parar;

Hidramática Normal – possui câmbio hidramático e os garfos da torre são basculantes.

Automática – a mudança de marcha e sentido de direção é feito automaticamente através de controle de alavanca e/ou pedal, cuja força e velocidade é desenvolvida de acordo com a necessidade

Cada um dos tipos citados acima é escolhido pela empresa de acordo com suas necessidades.

Identificação

Toda empilhadeira deve ter afixado em local visível, sua placa de identificação.

O EQUILIBRIO DA EMPILHADEIRA

A empilhadeira é construída de maneira tal que o seu princípio de operação é o mesmo de uma “ gangorra ”. Assim sendo, a carga colocada nos garfos deverá ser equilibrada por um contrapeso igual ao peso da carga colocada no outro extremo, desde que o Ponto de Equilíbrio ou Centro de Gravidade esteja bem no meio da gangorra. ( fig. 1 )

Entretanto, podemos, com um mesmo contrapeso, empilhar uma carga mais pesada, bastando para isso deslocar o Ponto de Equilíbrio ou Centro de Apoio para mais próximo da carga.

( fig. 2 )

Assim sendo, é muito importante saber qual à distância do centro das rodas até onde a carga é colocada.

Toda empilhadeira tem a sua capacidade de carga especificada a um determinado centro de carga, isto em virtude de transportar sua carga fora da base dos seus eixos, ao contrario do que acontece com uma carga transportada por caminhão. (figs. 3 e 4)

( fig. 3 )

O centro de carga (D) é a medida tomada a partir da face anterior dos garfos até o centro da carga ( fig. 5 ). Tem-se como norma especificar as empilhadeiras até 4.999 a 50 cm de centro de carga e, dessa capacidade em diante, 60 cm.

Caso o peso da carga exceda a capacidade nominal da empilhadeira ou o centro de carga esteja além do especificado para ela, poderá ocorrer um desequilíbrio e conseqüente tombamento, com sérios prejuízos tanto para o operador quanto para o equipamento ou para a carga. (figs. 6 e 7).

Os fatores que influem no equilíbrio de uma gangorra são os pesos utilizados em seus extremos e as distâncias desses pesos em relação ao centro de apoio ou ponto de equilíbrio.

Como não se pode variar o peso próprio de uma empilhadeira, nem a posição do seu centro de gravidade e em relação ao centro das rodas dianteiras, ficamos limitados a procurar o equilíbrio somente escolhendo adequadamente as dimensões e peso da carga e sua posição sobre os garfos. (figs. 8, 9 e 10)

As empilhadeiras têm uma tabela onde é especificado o centro de carga e a carga correspondente; é a Placa de identificação.

Se o operador tentar pegar a mercadoria, com centro de carga maior que o especificado, sem obedecer à diminuição de peso relativo, pode comprometer a estabilidade frontal da empilhadeira

(Parte 1 de 7)

Comentários