Fichamento

Fichamento

(Parte 3 de 7)

e) a quem se destina a obra: grande público,

especialistas, estudantes?

RESENHA CRITICA

(LAKATOS; MARCONI, 1991)

Nem sempre é possível ou necessário dar

resposta a todas as perguntas ou itens relacionados

anteriormente, o que muitas vezes depende da obra

resenhada, bem como da finalidade ou destino da

resenha.

Para fins de trabalhos acadêmicos, no entanto,

são indispensáveis os seguintes tópicos:

RESENHA CRITICA

a referência (dispensado item sobre preço da obra);

o resumo da obra;

as conclusões do autor;

seu quadro de referências;

a crítica do resenhista.

RESENHA CRITICA

O resenhista poderá (ou não) dar um

título a sua resenha; se optar por

intitular, o título deverá guardar estreita

relação com algum atributo ou idéia

mais destacada da obra, segundo a

percepção do resenhista.

RESENHA CRITICA

A elaboração de uma resenha crítica requer

a aquisição gradativa, pelo estudante, de

competências de leitura, análise e interpretação de

textos científicos.

As diretrizes metodológicas que seguem,

baseadas em Severino (2000, p. 51-57), têm o

propósito de organizar, sistematizar a abordagem

de textos teóricos, com vistas a obter o melhor

proveito de seu estudo, tanto como preparo para a

elaboração de resenhas, como de outros trabalhos

acadêmicos.

RESENHA CRITICA

A análise textual: etapa em que o estudante

faz uma leitura atenta, porém corrida, do texto

para identificar seu plano geral; buscar dados

sobre o autor, sobre o vocabulário (conceitos,

termos fundamentais à compreensão do texto), os

autores citados, marcar e esquematizar as idéias

relevantes.

Diretrizes Metodológicas

(SEVERINO, 2000)

A análise temática: procura interrogar e

identificar do que fala o texto e qual o tema de que

se trata: como o autor problematiza o tema? Que

posição assume? Como expõe passo a passo seu

pensamento, ou seja, como se processa seu

raciocínio e argumentação? Qual é a idéia

central? Quais as idéias secundárias?

Diretrizes Metodológicas

(SEVERINO, 2000)

A análise interpretativa: o estudante procura

tomar uma posição a respeito das idéias

enunciadas, explora sua fecundidade e mantém

um diálogo com o autor. Procura estabelecer uma

aproximação, associação e/ou comparação com

as idéias temáticas afins e com os autores que

tenham desenvolvido a mesma ou outra

abordagem do tema.

Diretrizes Metodológicas

(SEVERINO, 2000)

A análise crítica: o estudante formula um juízo

crítico, avaliando o texto pela sua coerência

interna, quer dizer, pela maneira como o autor

desenvolve e aprofunda o tema. Avalia também

sua originalidade, alcance, validade e contribuição

(Parte 3 de 7)

Comentários