Enfermagem em Ginecologia e obstetrícia

Enfermagem em Ginecologia e obstetrícia

(Parte 1 de 7)

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br1

Enfermagem

Enfermagem em Ginecologia e

Obstetrícia (Módulo I)

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br2

Enfermagem

Aula 01 – Revisão de Anatomia/ Fisiologia e alterações na gravidez

Funções do sistema genital feminino:

Produzir gametas - ovócito Secretar hormônios sexuais Receber os espermatozóides Fornecer locais para fertilização, implantação e desenvolvimento embrionário e fetal. Oferecer condições para o parto Prover nutrição do feto

O Peritônio e a cavidade pélvica

Os ovários, as tubas e o útero estão situados nesta cavidade, entre a bexiga que é anterior e o reto, que é posterior a eles.

Após recobrir a face superior da bexiga, o peritônio parte do assoalho e paredes laterais da cavidade pélvica sobre o útero, formando o ligamento largo do útero. Após recobrir quase todo o útero, o peritônio reflete-se sobre o reto. O ligamento largo divide a cavidade pélvica em dois compartimentos, um anterior e outro posterior. No compartimento anterior existe um espaço, revestido por peritônio, delimitado anteriormente pela bexiga urinária e posteriormente pelo útero, chamado de escavação vesicouterina. Já no compartimento posterior o espaço, também revestido pelo peritônio, localizado entre o útero e o reto é chamado de escavação retouterina.

O útero, pois, fica envolvido pelo ligamento largo, o mesmo acontecendo com as tubas uterinas, que ficam incluídas em sua borda superior. Já os ovários se prendem à face posterior do ligamento largo por uma prega denominada mesovário e desta forma se projetam na escavação retouterina.

Ovários:

São responsáveis pela produção dos gametas e hormônios femininos. Localizam-se lateralmente na cavidade pélvica, em depressões denominadas fossas ováricas.

Apresenta na porção medial um hilo e a porção lateral fica voltada para tuba uterina.

Estão fixados pelo mesovário à face posterior do ligamento largo do útero e pelo ligamento uterovarico ao útero propriamente dito, porém, não são revestidos pelo peritônio. Antes da primeira ovulação o ovário é liso e rosado no vivente, mas depois se torna brancoacinzentado e rugoso devido às cicatrizes deixadas pelas subseqüentes ovulações. Na velhice, diminuem de tamanho.

Tuba Uterina:

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br3

Enfermagem

Localizam-se na margem superior do ligamento largo do útero. Esta porção do ligamento envolve as tubas permitindo a passagem de vasos sanguíneos, linfáticos e nervos e é chamada de mesosalpinge. As tubas uterinas tem como função a condução dos ovócitos.

É um tubo de luz estreita que possui duas extremidades, uma medial e outra lateral.

A extremidade medial apresenta uma abertura chamada de óstio uterino da tuba, que a comunica com a cavidade uterina enquanto a extremidade lateral possui o óstio abdominal da tuba comunicando-a com a cavidade peritoneal. O óstio abdominal da tuba permite a comunicação da cavidade uterina com meio exterior (através da tuba, cavidade uterina, vagina e pudendo).

A tuba está subdividida em quatro partes, que indo do útero para o ovário, são: intramural ou uterina, istmo, ampola e infundíbulo. O infundíbulo tem forma de funil em cuja base se encontra o óstio abdominal da tuba e é dotado em suas margens de uma série de franjas irregulares – as fímbrias.

Útero:

É um órgão oco, cuja função é alojar o embrião/feto até que este complete seu desenvolvimento pré-natal. Está localizado na cavidade pélvica, póstero-superiormente à bexiga urinária e anterior ao reto. Sua posição é descrita como em anteversoflexão, formando um ângulo de aproximadamente 90º com a vagina.

Externamente, no útero, distinguem-se quatro regiões anatômicas: fundo, corpo, istmo e cérvix ou colo do útero. Internamente apresenta uma abertura mediana chamada de canal uterino que se abre para a vagina através do ostio uterino.

O ligamento largo do, juntamente com o ligamento redondo, são os principais meios de fixação do útero.

Vagina:

As suas funções são: servir como órgão de cópula, canal do parto e via de excreção do fluxo menstrual.

Está localizada entre a bexiga urinária, o reto e o canal anal. A cavidade da vagina possui um lúmen estreito, sendo que suas paredes ficam praticamente unidas. A vagina se comunica com o útero por meio do óstio uterino e com o meio externo por meio do óstio da vagina, que abre-se no vestíbulo da vagina.

No seu interior há o hímen, prega com finalidade de proteção, que oblitera parcialmente o óstio da vagina, apresentando forma e tamanho variáveis. Quando rompido, restam fragmentos chamados carúnculas himenais.

Os órgãos genitais externos em conjunto formam o pudendo feminino ou vulva. Vulva ou pudendo feminino:

Monte do púbis - É uma elevação mediana, anterior à sínfise púbica e constituída principalmente de tecido adiposo. Apresenta pêlos espessos chamados de pêlos pubianos, que aparecem na puberdade e com distribuição característica.

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br4

Enfermagem

Lábios maiores do pudendo - São duas pregas cutâneas, alongadas, que delimitam entre si uma fenda, a rima do pudendo. Após a puberdade apresentam-se hiperpigmentadas e cobertos de pêlos somente nas suas faces externas, sendo suas faces internas lisas e desprovidas de pêlos.

Lábios menores do pudendo - São duas pequenas pregas cutâneas, localizadas medialmente aos lábios maiores. É recoberto por pele lisa, úmida e vermelha. Ficam protegidos pelos lábios maiores, exceto nas crianças e na idade avançada, quando os lábios maiores apresentam menor quantidade de tecido adiposo diminuindo assim o seu volume. O espaço entre os lábios menores é o vestíbulo da vagina, onde estão localizados o óstio externo da uretra, o óstio da vagina e os orifícios dos ductos das glândulas vestibulares.

Glândulas vestibulares maiores e menores - As maiores são em número de duas e as menores em número variável. Estão situadas profundamente no vestíbulo e possuem ductos que se abrem ao redor do ostio vaginal onde liberam um muco lubrificador.

Estruturas eréteis:

Clitóris – É o homólogo do pênis, ou mais exatamente, dos corpos cavernosos do pênis. Possui duas extremidades fixadas ao ísquio e ao púbis chamadas de ramos do clitóris, que se juntam formando o corpo do clitóris, e este apresenta uma dilatação distal denominada glande do clitóris. Apenas a glande do clitóris é visível e esta ligada à excitabilidade sexual feminina.

Bulbo do vestíbulo: É formado por duas massas pares de tecido erétil, alongadas e dispostas ao redor do óstio da vagina. Não são visíveis na superfície porque estão profundamente situados e recobertos. São os homólogos do bulbo do pênis e porção adjacente do corpo esponjoso. Quando cheios de sangue, dilatam-se e desta forma proporcionam maior contato entre o pênis e o orifício da vagina.

Métodos Anticoncepcionais

Qualquer outra definição para explicar o que são métodos anticoncepcionais não abrangeria sua verdadeira utilidade: eles servem para evitar uma gravidez.

Não há como classificar o melhor método, pois o melhor é aquele que a mulher e seu parceiro confiam e também que não exista contra-indicações ao seu uso.

Por isso é sempre bom saber quais são os métodos existentes e procurar se adequar a algum deles - sempre acompanhado de uma orientação médica.

Existe cinco métodos:

Comportamentais ou de abstinência periódica: são aqueles que identificam o período fértil, para se ter relações nesse período.

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br5

Enfermagem

Tabelinha Método de Billings ou da ovulação

Barreira: são aqueles que não deixam os espermatozóides subirem através do colo do útero.

Camisinha Diafragma Espermicidas

Hormonais: são aqueles que possuem substâncias que produzem algumas alterações no aparelho genital da mulher. Sua atuação é principalmente a nível de ovário, trompas, endométrio e muco.

Pílulas Injetáveis

(Parte 1 de 7)

Comentários