Idosos - doenças mais prevalentes e medicamentos mais prescritos

Idosos - doenças mais prevalentes e medicamentos mais prescritos

IDOSOS

  • DOENÇAS MAIS PREVALENTES E MEDICAMENTOS MAIS PRESCRITOS

Idoso: A Organização Mundial da Saúde (OMS) define envelhecimento como a

  • Idoso: A Organização Mundial da Saúde (OMS) define envelhecimento como a

  • proporção de pessoas com 60 anos e mais, na população geral, atinge 7%, com tendência a crescer.

Com a melhora nas condições de vida, avanços nas pesquisas e os progressos da medicina, as pessoas estão vivendo mais.

  • Com a melhora nas condições de vida, avanços nas pesquisas e os progressos da medicina, as pessoas estão vivendo mais.

  • Se por um lado isso é bom, porque significa aproveitar a vida por mais tempo, significa também que mais pessoas estão sujeitas às doenças associadas ao envelhecimento.

Um estudo epidemiológico realizado entre os anos de 2000 e 2001 com idosos residentes no município de São Paulo, revelou que proporção elevada de entrevistados declarava sofrer de três ou mais doenças.

  • Um estudo epidemiológico realizado entre os anos de 2000 e 2001 com idosos residentes no município de São Paulo, revelou que proporção elevada de entrevistados declarava sofrer de três ou mais doenças.

MAL DE ALZHEIMER

A Doença de Alzheimer é uma doença degenerativa que consiste na diminuição do peso e volume cerebrais.

  • A Doença de Alzheimer é uma doença degenerativa que consiste na diminuição do peso e volume cerebrais.

  • Caracteriza-se por alterações do funcionamento do SNC. Está mais presente em idosos devido à perda natural da massa encefálica.

  • MEDICAMENTOS:

  • HupA;

  • Hidrocloreto de tacrina

DOENÇAS CARDIOVASCULARES

  • Doenças que afetam o sistema circulatório.

  • As mais comuns são:

  • IAM;

  • Angina;

  • Aterosclerose;

  • AVC.

MEDICAMENTOS:

  • MEDICAMENTOS:

  • Específicos para cada caso e paciente:

  • Anti – hipertensivos, previnem o IAM e AVC;

  • AAS, aspirina – “afinam o sangue”;

  • Drogas para diminuir o colesterol (previnem Aterosclerose). Ex: Sinvastatina;

  • Verapamil.

DEPRESSÃO

  • São transtornos do humor, dos quais fazem parte todas as formas de depressão e o transtorno bipolar.

  • Em algum momento da vida 15% a 20% da população apresentará depressão.

  • Nos idosos principalmente, essa condição é pouco diagnosticada em serviços de atendimento primário e outros serviços médicos gerais.

MEDICAMENTOS:

  • MEDICAMENTOS:

  • Antidepressivos: Nortriptilina (Pamelor), Imipramina e Desipramina.

OSTEOPOROSE

  • É uma doença óssea metabólica caracterizada por uma diminuição da densidade mineral óssea (DMO), acompanhada de alterações da microarquitetura do osso, sendo a resultante deste processo um aumento do risco de fraturas.

Diminuição da massa óssea:

TRATAMENTO:

  • TRATAMENTO:

  • -Agentes anti-reabsortivos:

  • TRH (Terapia de reposição hormonal);

  • SERMS (Moduladores seletivos de receptores de estrógeno);

  • Bifosfonados; Calcitonina; Cálcio e Vitamina D.

  •  - Estimulantes de formação:

  • PTH (Paratormônio);

  •  - Outras medicações:

  • Ipiflavona;

  • Vitamina K;

REUMATISMO

  • É um problema que pode se manifestar em qualquer idade, mesmo na idade avançada. Muitos pacientes idosos entrarão na velhice com artrite que evolui, deixando articulações prejudicadas.

  • É uma doença inflamatória sistêmica de etiologia desconhecida, acredita-se que um mecanismo imunológico esteja envolvido na patogênese.

MEDICAMENTOS:

  • MEDICAMENTOS:

  • - Todo tratamento é sintomático, pois o curso da doença não se altera.

  • Aspirina em doses máximas (3-6g/dia) é a base da terapia. A eficácia das drogas antiinflamatórias não-esteróides, e melhor eficácia que a da aspirina em doses máximas (diclofenaco, aceclofenaco).

PNEUMONIA

  • É a maior causa de morbidade e mortalidade na população idosa. E também uma causa comum de internação, podendo levar a permanência prolongada no hospital e necessidade de cuidados intensivos.

  • Existem diversos fatores que tornam os idosos suscetíveis às infecções do Trato Respiratório.

MEDICAMENTOS:

  • MEDICAMENTOS:

  • - Amoxicilina (Betalactâmicos);

  • Penicilina (Betalactâmicos);

  • Cefuroxina, Cefpodoxina, Cefprozol (Cefalosporinas);

  • Sulfametaxazol + Trimetroprim, Clidamicina.

  •  

HIPERTENSÃO ARTERIAL

  • É uma doença mais prevalente em indivíduos idosos. Especialmente a elevação da pressão arterial sistólica isolada, ainda mal diagnosticada e tratada, e da pressão de pulso, representam importante fatores de risco cardiovascular para indivíduos idosos.

A hipertensão arterial está relacionada direta ou indiretamente, à ocorrência de muitas doenças, destacando-se especialmente o acidente vascular cerebral (AVC).

  • A hipertensão arterial está relacionada direta ou indiretamente, à ocorrência de muitas doenças, destacando-se especialmente o acidente vascular cerebral (AVC).

MEDICAMENTOS:

  • MEDICAMENTOS:

  • - Analgésico e antitérmicos;

  • anti-hipertensivos (propanolol e captopril);

  • diuréticos (Lazix).

DIABETES MELLITUS

  • O envelhecimento normal acompanha-se por aumento da resistência a insulina óbvia após 65 anos, determinada por uma diminuição da capacidade sedutora da insulina pelo pâncreas endócrino,fatores que contribuem para a prevalência cada vez mais de Diabettes Melittus tipo 2 nesta faixa etária.

MEDICAMENTOS:

  • MEDICAMENTOS:

  • Novas sulfonilúvias: estimula o pâncreas a produzir insulina.

  • Metformina: melhora a resposta natural do fígado.

  • Tiazolidinadionas: administrar hipoglicemiantes ou insulina.

INCONTINÊNCIA URINÁRIA

  • Uma das principais síndromes da medicina geriátrica é a incontinência. definida como a perda involuntária de urina. A perda da continência não é uma conseqüência natural do envelhecimento, embora tenha mudanças específicas relacionadas a idade.

MEDICAMENTOS:

  • MEDICAMENTOS:

  • Antiespasmódicos (Oxibutina),

  • Anticolinérgicos (Propantelina) e

  • Antidepressivos tricíclicos (Imiprapraminas).

Comentários