Memoria descritivo

Memoria descritivo

(Parte 1 de 3)

Universidade Federal de Roraima

Centro de Ciências e Tecnologia

Departamento de Engenharia Civil

Hidráulica Aplicada

1ª Etapa: projetar um Sistema elevatório com dimensionamento de bombas para abastecer uma cidade fictícia.

Prof. ª: Dr. ª Ofélia de Lira Carneiro Silva

Componentes: Edson Farias

Izabella Forte Castelo Branco

Aimee Karoline Feitoza Bezerra

Boa Vista – RR

Maio de 2009

INTRODUÇÃO

Neste Projeto estaremos executando estudos para o dimensionamento de estrutura de abastecimento de uma cidade fictícia com uma população de aproximadamente 1500 habitantes.

Onde iremos aplicar teoria de hidráulica aprendida em sala de aula, bem como em estudos externos e em grupo com outros colegas da UFRR.

Passando desde estudos relacionados com o aumento da população para o prazo de 20 anos, estudo do melhor local para a instalação da estação de bombeamento para a cidade, cálculos para verificar os dimensionamentos de sucção e recalque.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 03

OBJETIVO04

CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO 05

MEMORIAL DESCRITIVO08

SISTEMA ELEVATÓRIO09

CONCLUSÃO19

BIBLIOGRAFIA20

ANEXOS(PLANTAS DA CIDADE, DETALHAMENTO)21

OBJETIVO: Dimensionar um sistema elevatório de bombas para o abastecimento de uma cidade fictícia de 1455 habitantes, considerando um período de atendimento mínimo de 20 anos.

CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

  1. Especificações Técnicas dos Serviços

DO OBJETO: Serviços para construção de estação elevatória em uma cidade fictícia;

DETALHAMENTO GERAIS DAS ESPECIFICAÇÕES:

PROJETOS

        1. CONSIDERAÇÕES GERAIS:

1.1 Normas a serem observadas:

  • NBR 12 211 – Estudos de Concepção de Sistemas Públicos de Abastecimento de Água, promulgada em 1992;

  • NBR 12 212 – Projeto de Poço para Captação de Água Subterrânea, promulgada em 1992;

  • NBR 12 213 – Projeto de Captação de Água de Superfície para Abastecimento Público, promulgada em 1992;

  • NBR 12 214 – Projeto de Sistema de Bombeamento de Água para Abastecimento Público, promulgada em 1992;

  • NBR 12 215 – Projeto de Adutora de Água para Abastecimento Público, promulgada em 1991;

  • NBR 12 216 – Projeto de Estação de Tratamento de Água para Abastecimento Público, promulgada em 1992;

  • NBR 12 217 – Projeto de Reservatório de Distribuição de Água para Abastecimento Público, promulgada em 1994;

  • NBR 12 218 – Projeto de Rede de Distribuição de Água para Abastecimento Público, promulgada em 1994.

Os serviços serão realizados em rígida observância aos desenhos do projeto e respectivos detalhes, bem como em estrita obediência às prescrições e exigências contidas nestas especificações que serão parte integrante do contrato a ser celebrado.

Durante a execução dos serviços, se houver a necessidade de modificar algum detalhe do projeto, a CONTRATADA deverá, antes de tomar qualquer decisão, consultar a FISCALIZAÇÃO expondo seu parecer técnico sobre o assunto.

É necessário que o projeto básico seja minuciosamente pela CONTRATADA em todas as suas partes.

Havendo discrepância entre as reais condições existentes no local e os elementos do projeto, a ocorrência será objeto de comunicação, por escrito, à FISCALIZAÇÃO, a quem competira deliberar a respeito.

O pedido de similaridade de material será possível, desde que solicitado por escrito pela empreiteira, em tempo hábil, acompanhador dos elementos técnicos necessários à análise dos mesmos, ou seja, amostras, catálogos com especificações técnicas dos materiais, seus componentes, seu sistema e sua tecnologia, relatórios ou pareceres técnicos de laboratórios especializados ou certificações, para que a Contratante se manifeste a respeito, emitindo autorização expressa.

As amostras dos materiais a serem utilizados serão submetidas previamente à aprovação da FISCALIZAÇÃO, antes de sua utilização.

Todos os elementos constantes nos desenhos, planilha orçamentária e especificações deverão ser executados. Os desenhos, planilha orçamentária e as especificações se completam e os seus conteúdos valem isoladamente podendo, portanto, um elemento constar apenas de uma destas partes. A CONTRATADA deverá executar os elementos e os serviços, ainda que conste somente de uma destas partes.

Todos os elementos constantes nos desenhos fazem parte da empreitada e serão considerados incluídos ainda que não constem no caderno da proposta da CONTRATADA por qualquer motivo que seja.

INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS

ESCRITÓRIO e BARRAÇÃO

A CONTRATADA deverá prever a instalação de canteiro para a execução dos serviços, até o seu final.

A CONTRATADA deverá prever escritórios, vestiários, depósitos, almoxarifado, áreas de estocagem e todas as demais dependências, no devido dimensionamento e conveniência em relação ao volume dos serviços.

INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS DE ÁGUA

A ligação provisória de água será tomada a partir do ponto mais próximo e que seja disponibilizado pela FISCALIZAÇÃO.

INSTALAÇÃO PROVISÓRIA DE ENERGIA ELÉTRICA

Caberá a CONTRATADA a ligação provisória de energia elétrica provenientes do canteiro, de acordo com as exigências da concessionária e da FISCALIZAÇÃO.

MATERIAIS, FERRAMENTAS E EQUIPAMENTOS

Serão obedecidas todas as recomendações, com relação à segurança do trabalho, contidas na Norma Regulamentadora NR – 18, aprovada pela portaria 3214, de 08/06/78, do Ministério do Trabalho, publicada no DOU (Diário Oficial da União) de 06/07/78.

As ferramentas e equipamentos de uso no canteiro serão dimensionados, especificados e fornecidos pela CONTRATADA de acordo com o seu plano de construção.

A CONTRATADA fornecerá os equipamentos, materiais, Mão-de-obra, transporte e tudo o mais que for necessário para a execução dos serviços.

Todos os materiais a serem empregados deverão ser novos comprovadamente de primeira qualidade e estarem de acordo com as especificações, devendo ser submetidos à aprovação da FISCALIZAÇÃO.

Os materiais que não atenderem às especificações não poderão ser estocados no canteiro.

Serão de uso obrigatório os seguintes equipamentos, obedecidos o disposto na Norma Regulamentadora NR – 18.

Capacete de segurança, óculos de segurança, protetores, luvas, botas de borracha ou PVC e outros que se fizerem necessários.

EQUIPE DE ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIÇOS

ENGENHEIRO

O canteiro será dirigido por engenheiro (não residente), devidamente inscrito no CREA – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

Será devidamente comprovada pela CONTRATADA a experiência profissional do seu engenheiro, adquirida na supervisão de serviços com características semelhantes a contratada.

A FISCALIZAÇÃO poderá vir a exigir da CONTRATADA a substituição do engenheiro, desde que verifique falhas que comprometam a estabilidade e a qualidade do empreendimento.

ENCARREGADO GERAL

O encarregado geral auxiliará o engenheiro na supervisão dos trabalhos.

O elemento para ocupar o cargo deverá possuir experiência comprovada mínima de cinco anos, adquirida no exercício de função idêntica, em serviços com características semelhante à contratada:

Hábitos sadios de conduta serão exigidos ao encarregado geral, assim como de todos os envolvidos nos serviços.

A FISCALIZAÇÃO poderá exigir da CONTRATADA a substituição de qualquer profissional do canteiro, desde verificada a sua competência para execução das tarefas, bem como apresentar hábitos de conduta nocivos à boa administração do canteiro.

LIMPEZA E MANUTENÇÃO DO CANTEIRO

A CONTRATADA cuidará para que todas as partes do canteiro permaneçam sempre limpas e arrumadas, com os materiais estocados e empilhados em local apropriado, por tipo e qualidade.

A remoção de todo entulho para fora do canteiro será feita diariamente pela CONTRATADA e a seu ônus, em horário previamente definido pela FISCALIZAÇÃO.

DOS SERVIÇOS

CASA DE BOMBA

A CONTRATADA executará todo e qualquer serviço, bem como o fornecimento de todo o material necessário para a construção da casa de bomba. Deverá ser fornecido e instalado duas bombas tipo centrífugas de 5HP, com as respectivas peças de instalação, constante no projeto.

(Parte 1 de 3)

Comentários