Instalação e manutenção elétrica

Instalação e manutenção elétrica

(Parte 1 de 2)

CURSO-ELETROMECÂNICA- 4º SEMESTRE

DISCIPLINA- ELETRÔNICA PARA AUTOMAÇÃO

DOCENTE- IVAN KING

INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO ELÉTRICA RESIDENCIAL E INDUSTRIAL

Eberton Cardoso

Geraldo Rocha

Henrique Hamilton

SIMÕES FILHO

2009

SUMÁRIO

  1. INTRODUÇÃO

  1. DESENVOLVIMENTO

  1. CONCLUSÃO

  1. REFERÊNCIA

INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem como objetivo ampliar o conhecimento não só de nós estudantes do curso de eletromecânica, mas como também de outras pessoas que estejam envolvidas na área de elétrica. O objetivo deste trabalho é apresentar conteúdos mais relevantes e de uso mais freqüente na área de instalação e manutenção elétrica residências e industriais.

A instalação elétrica é uma das etapas mais importantes da construção de sua casa. Uma instalação elétrica malfeita pode acabar gerando despesas futuras para você e até acidentes. A eletricidade quando mal empregada, traz alguns perigos como choques, e ás vezes fatais, e os circuitos, causadores de tantos incêndios. A melhor forma de convivermos em harmonia co a eletricidade é conhecê-la, tirando-lhe maior proveito, desfrutando de todo seu conforto com a máxima segurança.

As instalações elétricas indústrias, se denominam como um dos campos mais importante de uma indústria, pois a mesma desempenha um papel fundamental de fornecer energia para o seu funcionamento. A maioria das grandes indústrias, principalmente as de fabricação de produtos, necessita de grande quantidade de energia para realizar o seu trabalho. Para receber estas elevadas quantidades de energia, é necessário que se faça uma preparação e adequação do ambiente o qual receberá a mesma. Contudo, existem recomendações e normas técnicas (ABNT) e NR-10 que estabelecem padrões para a utilização e consumo de pequenas e grandes quantidades de energia, trazendo para os consumidores mais segurança e qualidade no serviço.

É claro que toda instalação elétrica seja ela residencial ou industrial necessita de manutenção para que esteja operando com qualidade e segurança. Estas manutenções podem ser periódicas ou não, isto depende do tipo da instalação e de suas particularidades.

DESENVOVIMENTO

INSTALAÇÃO

Circuito elétrico é um conjunto de corpos, componentes ou meios no qual é possível que haja corrente elétrica. Um sistema elétrico é um circuito ou conjunto de circuitos elétricos inter-relacionados, constituídos para uma determinada finalidade.

Uma instalação elétrica é o sistema elétrico físico, ou seja, é o conjunto de componentes elétricos associados e coordenados entre si, composto para um fim específico.

Um sistema elétrico é formado essencialmente por componentes elétricos que conduzem (ou podem conduzir) corrente, enquanto uma instalação elétrica inclui componentes elétricos que não conduzem corrente, mas que são essenciais ao seu funcionamento, tais como condutos, caixas e estrutura de suporte. Nessas condições, a cada instalação elétrica corresponderá um sistema elétrico. Em um projeto elétrico, as plantas e os detalhes (por exemplo, cortes, diagramas uni filares e tri filares) representam a instalação, enquanto que os circuitos elétricos envolventes representam o sistema. Os termos 'sistema elétrico' e 'instalações elétricas' são utilizados como sinônimos por muitos autores e projetistas.

A NBR 5410 - Instalações Elétricas de Baixa Tensão (última edição da norma, de 1997) - baseada na norma internacional IEC 60364 - Electric lnstallations of Buildings -, é a norma aplicada a todas as instalações elétricas cuja tensão nominal é igual ou inferior a 1.000 V em corrente alternada (CA), ou a 1.500 V em corrente contínua (CC). As instalações cuja tensão nominal é superior a 1.000 V em CA ou a 1.500 V em CC, são genericamente chamadas de instalações elétricas de alta tensão. Por sua vez, as instalações cuja tensão nominal é igual ou inferior a 50 V em CA ou a 120 V em CC são instalações elétricas de extra baixa tensão.

A NBR 5410 fixa as condições a que as instalações de baixa tensão devem atender, a fim de garantir seu funcionamento adequado, a segurança de pessoas e animais domésticos e a conservação de bens. Aplica-se a instalações novas e a reformas em instalações existentes, entendendo-se, em princípio, como 'reforma' qualquer ampliação de instalação existente (como criação de novos circuitos e alimentação de novos equipamentos), bem como qualquer substituição de componentes que implique alteração de circuito.

Aos circuitos internos de equipamentos que, embora alimentados por meio de instalação com tensão igual ou inferior a 1.000 V em CA, funcionam com tensão superior a 1.000 V, como é o caso de circuitos de lâmpadas de descarga, de precipitadores eletrostáticos etc.;

A qualquer linha elétrica (ou fiação) que não seja especificamente coberta pelas normas dos equipamentos de utilização.

Às linhas elétricas fixas de sinal, relacionadas exclusivamente à segurança (contra choques elétricos e efeitos térmicos em geral) e à compatibilidade eletromagnética.

A NBR 5410 é complementada atualmente por outras duas normas, a NBR 13570 - Instalações Elétricas em Locais de Afluência de Público: Requisitos Específicos - e a NBR 13534 - Instalações Elétricas em Estabelecimentos Assistências de Saúde: Requisitos para Segurança. Ambas complementam, Quando necessário, prescrições de caráter geral contidas na NBR 5410, relativas aos seus respectivos campos de aplicação.

A NBR 13570 aplica-se às instalações elétricas de locais como cinemas, teatros, danceterias, escolas, lojas, restaurantes, estádios, ginásios, circos e outros locais indicados com capacidades mínimas de ocupação (n0de pessoas) especificadas.

A NBR 13534, por sua vez, aplica-se a determinados locais como hospitais, ambulatórios, unidades sanitárias, clínicas médicas, veterinárias e odontológicas etc., tendo em vista a segurança dos pacientes.

O objetivo de um projeto de instalações elétricas é garantir a transferência de energia, desde uma fonte, em geral a rede de distribuição da concessionária ou geradores particulares, até os pontos de utilização (pontos de luz, tomadas, motores e etc.). Para que isto se faça de maneira segura e eficaz é necessário que o projeto seja elaborado, observando as prescrições das diversas normas técnicas aplicáveis.

Para a elaboração de um projeto de instalação elétrica, é necessário que se esteja atento pelo menos para três critérios que são; Acessibilidade, que corresponde a todos os pontos de utilização projetados, bem com os dispositivos de manobras e proteção, deverá estar em locais perfeitamente acessíveis, que permitam manobras adequadas e eventuais manutenções; Flexibilidade e reserva de carga, a instalação de ser projetada de forma a permitir certa reserva para acréscimos de cargas futuras e algumas flexibilidade para alterações futuras; Confiabilidade as instalações devem ser em estreito atendimento às normas técnicas, visando garantir o perfeito funcionamento dos componentes do sistema e a integridade física dos seus usuários.

MANUTENÇÃO

O nível da organização da manutenção reflete as particularidades do estágio de desenvolvimento industrial de um país. A partir do momento em que começa a ocorrer o envelhecimento dos equipamentos e instalações, surge a necessidade de uma racionalização das técnicas e dos procedimentos de manutenção. Foi nos países europeus e norte-americanos onde a idéia da organização da manutenção iniciou, devido à maior antiguidade do seu parque industrial.

De uma forma geral, a manutenção constitui-se na conservação de todos os equipamentos, de forma que todos estejam em condições ótimas de operação quando solicitados ou, em caso de defeitos, estes possam ser reparados no menor tempo possível e da maneira tecnicamente mais correta.

A partir de então, todas as grandes e médias empresas na Europa e América do Norte dedicaram grande esforço ao treinamento do pessoal nas técnicas de organização e gerenciamento da manutenção.

No Brasil, no início do seu desenvolvimento industrial, a baixa produtividade industrial, baixa taxa de utilização anual e os altos custos de operação e de produção, refletiam justamente um baixo nível ou até inexistência quase total de organização na manutenção.

No entanto, com o passar dos anos e o amadurecimento industrial, fez-se sentir a pesada necessidade de reestruturação no nível e na filosofia da organização da manutenção, de modo que hoje, já temos um esforço maior nesse sentido, e podemos até dizer, que a manutenção ganha o seu destaque no processo produtivo, como não poderia deixar de ocorrer, em benefício próprio das empresas e indústrias.

Nos últimos 20 anos a atividade de manutenção tem passado por mais mudanças do que qualquer outra. Dentre as principais causas, podemos citar:

  • Aumento, bastante rápido, do número e diversidades dos itens físicos

(instalações, equipamentos e edificações) que têm que ser mantidos;

  • Projetos muito mais complexos;

  • Novas técnicas de manutenção;

  • Novos enfoques sobre a organização da manutenção e suas responsabilidades.

A manutenção elétrica industrial possui um extenso campo de atuação dentro da indústria, com isso desempenha diversas funções tais como;

Gerenciar Equipamentos - Este processo é bem abrangente, e engloba desde o controle dos equipamentos industriais até máquinas e ferramentas utilizadas pela manutenção.

Tratar Solicitações de Serviços - Este processo trata das solicitações que chegam à manutenção. Estas solicitações incluem os pedidos da área operacional, as recomendações de inspeção, os pedidos da preventiva e da preditiva.

Planejar Serviços - Este processo é quase instantâneo para serviços simples, mas pode demandar até meses, no caso de planejamento de uma complexa parada de manutenção.

Gerenciar Recursos - Este processo contempla o controle de disponibilidade de recursos humanos e sua distribuição pelas diversas plantas da fábrica. Por controle de disponibilidade significa saber quantas pessoas de cada função estão disponíveis a cada dia nas diversas plantas.

Programar Serviços - A programação de serviços significa definir diariamente que tarefas dos serviços serão executadas no dia seguinte, em função de recursos disponíveis e da facilidade de liberação dos equipamentos.

Gerenciar o Andamento dos Serviços - Neste item se analisa o processo de acompanhamento da execução de serviços ao longo do dia a dia. Ao longo do dia constata-se que determinados serviços não poderão ser executados. Estes serviços deverão ser considerados como "impedidos".

Registrar serviços e recursos - Neste processo estão compreendidas a "apropriação" de serviços e recursos e o registro de informações sobre o que foi feito e em que equipamento.

Controlar Padrões de Serviços - Este processo abrange o controle de serviços padrões (Ordens de Trabalho Padrão), cadastro de procedimentos e outros padrões pertinentes à manutenção.

Ainda hoje, numa grande maioria dos empreendimentos tecnológicos, os responsáveis pela manutenção se encontram ausentes dos grupos que concebem, projetam e montam as usinas e as instalações industriais e serviços.

Projetar e erigir uma instalação sem que ninguém, até no momento de partida, trate da organização e da sistematização prévias das atividades de manutenção, constitui uma grande falha.

A TEROTECNOLOGIA é uma concepção é uma concepção global e integrada do modo como deve ser estudada, escolhida e construída uma nova instalação tecnológica. Os conceitos básicos são os seguintes:

  1. Os pontos de vista sociais, econômico-financeiros, tecnológicos, de operação e produção e de manutenção de um novo empreendimento são igualmente importantes; especialistas destas várias disciplinas devem fazer parte da equipe de concepção e acompanhamento, desde as fases iniciais (plano diretor, projeto básico, anteprojeto, projeto detalhado) e durante a instalação de partida.

  2. Os pareceres da manutenção estarão sempre presentes em toda a fase de concepção, escolha de equipamentos e escolha de soluções de instalação.

  3. A manutenção deve ser previamente organizada e estruturada antes do dia da partida da instalação; nesse dia a manutenção deve ser uma "máquina" pronta a partir.

  4. O pessoal básico de manutenção, que ficará adstrito ao sistema, deve acompanhar todas as fases do projeto e instalação de modo a conhecer em detalhe todas as minúcias dos equipamentos e das instalações logo de início.

  5. A chefia da manutenção deverá ocupar um nível hierárquico no

organograma idêntico ao da chefia de operação.

MANUTENÇÃO EM MOTORES ELÉTRICOS

Os motores elétricos são responsáveis por grande parte da energia consumida nos segmentos onde seu uso é mais efetivo, como nas indústrias, onde representam em média mais de 50% do consumo de eletricidade dessas instalações. São, portanto, equipamentos sobre os quais é preciso buscar, prioritariamente, a economia de energia.

Nos motores auto-ventilados, o ar de resfriamento é fornecido por um ventilador interno ou externo acionado pelo eixo do motor. O fluxo de ar arrasta consigo poeira e materiais leves que obstruem aos poucos as aberturas ou canais e impede a passagem do ar e a dispersão normal de calor, o que aumenta fortemente o aquecimento do motor.

Portanto, para assegurar o bom funcionamento das instalações, devem ser tomadas as seguintes precauções:

  • Limpar cuidadosamente os orifícios de ventilação;

  • Limpar as aletas retirando a poeira e materiais fibrosos;

  • Cuidar para que o local de instalação do motor permita livre circulação de ar;

  • Verificar o funcionamento do sistema de ventilação auxiliar e a livre circulação do ar nos dutos de ventilação.

CONTROLE DA TEMPERATURA AMBIENTE

De forma geral, a temperatura limite suportada pelos isolantes do motor é calculada para o funcionamento num ambiente com temperatura de 40ºC. Portanto, é importante verificar e controlar a temperatura ambiente para não ultrapassar os valores para os quais o motor foi projetado.

CUIDADO COM AS VARIAÇÕES DE TENSÃO

O equilíbrio térmico de um motor é modificado quando a tensão de alimentação varia. Uma queda de tensão limita o fluxo do circuito magnético, reduzindo as perdas no ferro e a corrente em vazio. Porém, o conjugado motor deve superar o conjugado resistente, para impedir o aumento excessivo do escorregamento. Como o conjugado motor é função do produto entre o fluxo e a intensidade da corrente absorvida, se o fluxo diminui a intensidade da corrente aumenta. Com a corrente em carga aumentada pela queda de tensão, o motor se aquecerá, aumentando as perdas.

Um aumento de tensão de alimentação terá efeitos mais limitados, uma vez que a corrente em vazio aumenta enquanto a corrente em carga diminui.

MANUTENÇÃO DE TRANSFORMADORES

(Parte 1 de 2)

Comentários