A importância do planejamento

A importância do planejamento

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO

Jorge Soistak

O Planejamento não está ligado a uma série de regras que devem ser seguidas para que após alguns dias se obtenha um planejamento. Ele deve ser estruturado com base nas características da empresa que busca em última instância a excelência empresarial e a otimização do desempenho econômico da empresa.

O planejamento de uma empresa deve ser feito no âmbito global. Na realidade o planejamento é o processo de desenvolver a estratégia e a relação pretendida da organização com seu mercado consumidor. Assim ele deve envolver todos os membros da organização a fim de que assumam seu papel perante suas responsabilidades e suas atuações diante do que foi planejado e assim atingir o sucesso operacional.

De que adiantaria criar inúmeras possibilidades de acontecimentos se não existir comprometimento e o objetivo firme e decisivo de transformar o planejamento em realidade.

Segundo WELSCH: “planejar representa a forma como a empresa pretende atingir os objetivos e as metas propostas”.(1)

O planejamento é a tentativa de prever as ocorrências futuras e estar preparado para agir de forma a evitar surpresas desagradáveis no funcionamento e na gestão do empreendimento.

Embora qualquer empreendimento ofereça riscos, é possível prevenir-se contra eles através de algumas ferramentas operacionais que podem dirimir os riscos e auxiliar o administrador na tomada de decisões.

O planejamento sozinho não alcança os objetivos da empresa. Se o planejamento realizado não for executado, acompanhado, controlado e o mais importante, corrigido se necessário, de nada adiantará realizar o planejamento.

Segundo WELCH(2) o processo de planejamento deve ser dinâmico, flexível e oportuno, isto é, adaptável às mudanças, com estilo participativo, voltado para a eficácia empresarial.

Não se pode deixar de destacar a importância existente no tema “planejamento” que deve acompanhar os gestores em todos os momentos de construção do conhecimento empresarial.

Nas diversas atividades, os empreendedores devem planejar cuidadosamente suas ações implementando planos e avaliações sistemáticas do desempenho conforme os planos idealizados.

Cabe ao empreendedor coordenar e participar da escolha da melhor alternativa, observando os aspectos econômicos, de modo a garantir a eficácia da empresa.

A etapa de planejamento é o momento em que os possíveis acontecimentos futuros são antecipados e oportunidades e ameaças são identificadas.

Nesse aspecto, o processo de planejamento conduz a um conjunto de metas e planos que são adequados e viáveis dentro de um conjunto de circunstâncias previstas. Assim, o planejamento deve estar vinculado ao cenário onde a empresa atuará no futuro.

EXECUTANDO O PLANEJAMENTO

A próxima etapa é a execução que WELSCH define como sendo: “a melhor disposição dos recursos da empresa. Suas atividades, as dos seus funcionários e de todos os recursos dispostos de maneira a alcançar os objetivos e as metas propostas de forma mais eficaz”.(3)

A execução do planejamento envolve todos os processos e todos os envolvidos devem assumir a consciência da importância da execução, para que tudo o que foi planejado realmente torne-se realidade e o administrador deve orientar seus colaboradores para que tudo aconteça de acordo com o planejado.

A fase de execução é exatamente aquela em que as ações são implementadas e surgem as transações realizadas. É a fase de alcançar os objetivos e metas estabelecidas no planejamento, de forma a otimizar cada evento. Nesta etapa, todos os dados do desempenho da empresa devem ser armazenados para posterior confrontação e comparação com os planos e padrões na fase de controle.

Para MOSIMANN e FISCH: “Execução é a etapa do processo de gestão na qual as coisas acontecem, as ações emergem. Essas ações devem estar em conformidade com o que anteriormente foi planejado. É por meio das ações que surgem os resultados”.(4)

CONTROLANDO O PLANEJAMENTO

Após o processo de execução o gestor deve acompanhar e controlar os resultados alcançados comparando-os com o que foi planejado, identificando os possíveis desvios e suas respectivas causas para tomar a decisão quanto às ações para corrigi-los.

WELSCH diz que: “controlar, representa a segurança de que sua própria energia e ações, bem como as de seus funcionários, estejam coordenadas com a implementação dos objetivos da organização”.(5)

Assim como o planejamento, os controles devem ser baseados em planos. Quanto mais claros, completos e integrados forem os controles operacionais, mais eficazes serão as ações para corrigir as possíveis falhas do planejamento.

ANÁLISE E DECISÃO

As decisões evoluídas nessa área surgem de duas atividades maiores: primeiro, comparar o desempenho real, com o que foi planejado; segundo, determinar se o plano realmente precisa ser modificado, baseado nesta comparação.

O processo de controle dos dados empresariais representa um papel importante porque facilita o controle de rotinas produzindo informações em tempo hábil e destinam-se, principalmente a direcionar o empreendedor na tomada de decisão.

Esse planejamento, aqui denominado de “plano de controle”, deve ser escrito e, a cada passo, o administrador deve ter as informações relevantes para auxilia-lo na melhor decisão a ser tomada. Assim as decisões baseadas nas informações geradas pelos controles dão condições ao empresário da melhor escolha para garantir o sucesso de sua empresa.

Pode-se definir como controles importantes os controles de compra, venda, custo, despesa, receita e de estoques; formação do preço de venda, margem de contribuição, ponto de equilíbrio, fluxo de caixa.

Esses controles proporcionam ao administrador condições de medir a eficiência da empresa. São simples de elaborar e podem ser acompanhados pelo próprio gestor mesmo que ele não possua grandes domínios sobre a teoria administrativa, podendo ser adquiridos em cursos ou treinamento na área de gestão administrativa ou financeira.

Disponível em http://www.classecontabil.com.br/servlet_art.php?id=637

Comentários