(Parte 1 de 2)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – UFS

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA – CCET

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA – DQI

Aluno: Paulo Victor Cruz Santos

São Cristóvão novembro de 09

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – UFS

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA – CCET

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA – DQI

QUÍMICA EXPERIMENTAL II – TURMA T1

PROF. HAROLDO SILVEIRA DÓREA

São Cristóvão novembro de 09

Apresentação

Relatório apresentado pelo aluno Paulo Victor ao professor Haroldo Silveira Dórea, referente à aula “Preparação de Padronização da Solução NaOH + 0,1mol/L. Atividade requisito para a segunda avaliação, curso Química Industrial, disciplina Química Experimental II, turma T1.

Sumário

1. Objetivo.....................................................................................................05

2. Introdução..................................................................................................06

3. Padrão Primário...........................................................................................07

4. Volumetria de Neutralização.........................................................................08

5. NaOH........................................................................................................09

6. Fenolftaleína; Reação da Titulação.................................................................10

7. Procedimento Experimental...........................................................................11

8. Resultados..................................................................................................12

9. Cálculos.....................................................................................................13

10. Conclusão.................................................................................................14

11. Referências Bibliográficas...........................................................................15

Objetivo

Preparar e padronizar uma solução padrão de NaOH + 0,1 mol/L com o uso do padrão primário Biftalato de Potássio KHC8H4O4.

05

Introdução

Solução é uma mistura homogênea de um soluto (substância a ser dissolvida) distribuída através de um solvente (substância que efetua a dissolução). Existem soluções nos três estados físicos: gás, líquido ou sólido. Ar é uma solução gasosa de N2, O2 e quantidades muito menores de outros gases. As soluções mais familiares são aquelas no estado líquido, especialmente as que usam água como solvente. Soluções aquosas são as mais importantes para nossos propósitos em Química Analítica. Um dos aspectos mais importantes é a preparação e a expressãodaconcentraçãodesoluções.

Concentração significa quanto soluto está presente em um volume ou massa específica. Existem diversas maneiras como os químicos exprimem a concentração de uma solução, a seguir descrevemos as formas mais comuns de expressar concentração:

Concentração molar ou Molaridade:

A molaridadede uma solução da espécie A, é o númerodemoles dessa espécie contidos em 1 L de solução. Sua unidade é M, que tem dimensões de mol L-1.

Molalidade:

A molalidade, m, se define como o número de moles de soluto por quilograma de solvente. A maior vantagem desta unidade, muito utilizada na medição de grandezas físicas, é que ela é independente da temperatura, enquanto a molaridade dependente da temperatura.

06

  • Padrão Primário:

O padrão primário que utilizaremos nessa prática é o Biftalato de Potássio (KHC8H4O4). Um padrão primário é um composto com pureza suficiente para permitir a preparação de uma solução padrão mediante a pesagem direta da quantidade da substância, seguida pela diluição até um volume definido de solução. A solução que se obtém é uma solução padrão primária. Um padrão primário deve atender às seguintes condições:

1. Deve ser de fácil obtenção, purificação, secagem e preservação em estado puro;

2. Deve permanecer inalterada ao ar durante a pesagem. Durante a estocagem, a composição do padrão deve permanecer invariável;

3. A substância deve proporcionar testes de impurezas mediante ensaios qualitativos ou de outra natureza, com a sensibilidade conhecida (O total de impurezas não deverá exceder, em geral, 0,01 a 0,02%);

4. Deve ter uma massa molecular relativamente elevada, a fim de que os erros de pesagem possam ser desprezíveis;

5. A substância deve ser facilmente solúvel nas condições em que será empregada;

07

  • Volumetria de Neutralização:

A volumetria de neutralização baseia-se na reação de combinação dos íons hidrogênio e hidróxido com a formação de água. Com soluções padrões ácidas podem ser titulados substâncias de caráter alcalino, com soluções padrões alcalinas são tituladas substâncias de caráter ácido. O reagente titulante é sempre um ácido forte ou uma base forte.

  A volumetria de neutralização também inclui as chamadas titulações de deslocamento, em que o ânion de um ácido fraco é deslocado de seu sal mediante titulação com ácido forte ou, então, o cátion de uma base fraca é deslocado de seu sal mediante titulação com uma base forte. Comumente, o ponto final, na volumetria de neutralização é identificado com o auxílio de indicadores de pH. Esses indicadores são substâncias orgânicas fracamente ácidas ou básicas, que mudam gradualmente de coloração dentro de uma faixa de pH relativamente estreita, chamada zona de transição. Na análise titulométrica, chama-se curva de titulação uma representação gráfica que mostra como varia o logaritmo de uma concentração crítica com a quantidade de solução titulante adicionada.

08

  • NaOH:

hidróxido de sódio (NaOH), também conhecido como soda cáustica, é um hidróxido cáustico usado na indústria (principalmente como uma base química) na fabricação de papeltecidosdetergentesalimentos e biodiesel.

Apresenta ocasionalmente uso doméstico para a desobstrução de encanamentos e sumidouros, pois dissolve gorduras. É altamente corrosivo e pode produzir queimaduras, cicatrizes e cegueira devido à sua elevada reatividade.

Reage de forma exotérmica com a água e é produzido por eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de sódio (salmoura), sendo produzido juntamente com o cloro.

É uma base forte e por isso reage com ácidos (orgânicos e inorgânicos) gerando sais e água.

09

  • Fenolftaleína:

fenolftaleína é um indicador de pH com a fórmula C20H14O4. Apresenta-se normalmente como um sólido em pó branco. É insolúvel em água e solúvel em etanol. Utilizada freqüentemente em titulações, na forma de suas soluções alcoólicas, mantém-se incolor em soluções ácidas e torna-se cor-de-rosa em soluções básicas. A sua cor muda a valores de pH entre pH 8,2 e pH 9,8. Se a concentração do indicador for particularmente forte, pode tomar uma cor carmim ou fúcsia.

Por esta propriedade e sua destacada e intensa cor é também um componente em indicador, uma solução consistindo de uma mistura de indicadores de pH (normalmente fenolftaleína, vermelho de metilaazul de bromotimol e azul de timol, entre outros em variações.

  • Reação da Titulação:

KHC8H4O4 + NaOH → KNaC8H4O4 + H2O

10

Procedimento Experimental

Preparação da Solução NaOH + 0,1 mol/L

01- Pesar aproximadamente 2,1g de NaOH p.a. e dissolver em 400mL de água destilada fria, previamente fervida. Transferir para um cilindro de 1000ml.

02- Completar o volume de 500ml com água destilada fervida e fria. Homogeneizar a solução com um bastão de vidro.

03- Guardar a solução em um frasco plástico limpo e lavado com pequenas porções da solução preparada e rotular.

Padronização da Solução NaOH com Biftalato de Potássio KHC8H4O4

01- Pesar aproximadamente 0,5000g a 0,6000G de Biftalato de potássio, seco em estufa a 120 C durante 30 minutos e transferir para um erlenmeyer de 250ml.

02- Dissolver em 25ml de água destilada e adicionar 2 a 3 gotas do indicador fenolftaleína.

(Parte 1 de 2)

Comentários