TCC Consultoria INOVAT - Plano de negócios

TCC Consultoria INOVAT - Plano de negócios

(Parte 5 de 5)

Em nossa opinião para aumentar as Receitas, deve-se trabalhar mais na divulgação da locação da quadra e do salão.

Despesas:

Ao analisarmos a DRE de 2006 e 2007, verificamos que houve aumentos em algumas despesas:

  • Energia elétrica – 15,40%;

  • Água -16,55%;

  • Conservação/ Manutenção – 90,08%;

  • Material de escritório – 38,23%;

  • Despesas com eventos – 126,59%;

  • Taxas/ Tarifas Bancárias/ Juros – 93,36%;

  • Vale refeição – 57,72%.

Ao constatarmos estas diferenças, verificamos junto a Associação Estrela Azul se realmente houve essa necessidade de aumento e se não poderiam ter sido evitadas ou reduzidas.

Pelas informações obtidas entendemos um aumento do número de atendimentos além de algumas obras de expansão que ocorreram no período analisado.

Em nossa opinião, pontuamos ainda algumas despesas que não constavam na DRE de 2006 e que poderiam ter sido evitadas ou reduzidas.

  • Despesas com descartáveis;

  • Despesas Postais.

A Associação Estrela Azul está tentando fazer uma redução de custos na água, com a isenção parcial junto a SAMA (Saneamento Básico Município de Mauá).

9.5 BALANÇO PATRIMONIAL DA INOVAT CONSULTORIA

INOVAT

CNPJ: 98.623.552.0001/08

BALANÇO PATRIMONIAL 2008 (em reais)

ATIVO

PASSIVO

 

ATIVO CIRCULANTE

1.357.000,00

CIRCULANTE

64.859,30

 

FORNECEDOR

4.500,00

DISPONIVEL

760.000,00

SALÁRIOS A PAGAR

43.214,70

CAIXA

10.000,00

INSS A RECOLHER

6.915,30

BANCOS C/MOVIMENTO

250.000,00

FGTS A RECOLHER

6.799,81

APLICAÇÕES FINANCEIRAS IMEDIATAS

500.000,00

SIMPLES NACIONAL A RECOLHER

1.279,49

 

CONTAS A PAGAR

2.150,00

 

CRÉDITOS

597.000,00

DUPLICATAS A RECEBER

80.000,00

ADIANTAMENTOS SALARIAIS

17.000,00

APLICAÇÕES FINANCEIRAS VINCULADAS

500.000,00

 

 

PERMANENTE

536.443,90

 

INVESTIMENTOS

128.000,00

AÇÕES DE PARTICIPAÇÕES EM OUTRAS CIAS

100.000,00

MARCAS E PATENTES

28.000,00

 

 

IMOBILIZADO

387.143,90

IMÓVEL

200.000,00

MOVÉIS E UTENSILIOS

47.076,50

EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

30.069,00

INSTALAÇÕES

41.598,40

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

1.828.584,60

VEICULOS

68.400,00

CAPITAL SOCIAL

1.500.000,00

 

RESULTADO DO EXERCÍCIO

328.584,60

 

DIFERIDO

21.300,00

PROJETOS EM ANDAMENTOS

21.300,00

 

 

TOTAL DO ATIVO

1.893.443,90

TOTAL DO PASSIVO

1.893.443,90

9.6 DEMONSTRATIVO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DA INOVAT CONSULTORIA

INOVAT

CNPJ: 98.623.552.0001/08

DEMONSTRATIVO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (em reais)

Receita Operacional Bruto

R$ 1.110.000,00

Receita c/ Prestação de Serviço

R$ 1.110.000,00

Deduções

R$ 94.350,00

Simples Nacional

R$ 94.350,00

Lucro Operacional Bruto

R$ 1.015.650,00

Despesas Operacionais

R$ 687.065,44

Despesas Administrativas

R$ 367.272,24

Salários (ADM)

R$ 98.472,60

Salários (FIN)

R$ 52.791,30

Salários (R.H)

R$ 49.069,20

Salários (JUR)

R$ 27.803,82

Encargos s/ Salários

R$ 78.565,02

Outras despesas

R$ 9.310,50

Água/ Luz/ Telefone

R$ 17.373,54

FGTS

R$ 33.886,26

Despesas Comerciais

R$ 284.230,20

Propaganda e Publicidade

R$ 180.000,00

Comissões a Representantes

R$ 23.031,00

Salários (COM)

R$ 55.765,32

Encargos s/ Salários

R$ 18.521,28

FGTS

R$ 6.912,60

Despesas Financeiras

R$ 1.345,00

Juros Passivos

R$ 635,00

Despesas Bancárias

R$ 710,00

Despesas Tributárias

R$ 22.428,00

IPTU

R$ 19.200,00

IPVA

R$ 3.228,00

Outras Receitas Operacionais

R$ 11.790,00

Juros Ativos

R$ 6.000,00

Descontos Obtidos

R$ 5.790,00

Result. Final do Exercício (Lucro)

R$ 328.584,60

9.7 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL - 3º ADM

O departamento financeiro detectou a necessidade de fazer um levantamento dos gastos através de pesquisas e orçamentos para a realização do trabalho de conclusão de curso, (TCC).

Para isso fizemos alguns cronogramas das atividades a serem realizadas, e relatórios que foram entregues à diretoria de todas as atividades desenvolvidas pelo departamento financeiro.

Estabelecemos também a importância de R$ 5,00 a ser arrecada pelos alunos mensalmente para a realização do trabalho, para se manter um controle da arrecadação de cada aluno, vimos necessário a entrega de recibos.

Observamos também que só essa importância não seria suficiente para cobrir nossos gastos do TCC, então decidimos fazer uma ação entre amigos e a venda de comestíveis com a finalidade de aumentar o fundo arrecadado e também vimos que seria interessante a colaboração de patrocinadores para a realização desse evento.

No mês de Março demos início a abertura do caixa e decidimos registrar essa movimentação em um livro, observamos que não poderíamos ficar com todo o dinheiro em mãos e por medida de segurança decidimos abrir uma conta poupança no nome de uma aluna no banco Caixa Econômica Federal onde foram depositadas as importâncias arrecadadas. Todos os comprovantes de depósitos e compras foram anexados em suas respectivas datas no livro caixa afim, de manter um controle diário de todas as movimentações.

Atividade(s)

Responsável

25/08

26/08

27/08

28/08

29/08

Pesquisar os valores

Pamella

X

Tabela de preços (doces)

Priscila

X

Compra dos doces

Dayane

X

Receber resposta da Ivonete

Elianai

X

Inicio da analise das informações recebidas E.A

Priscila C.

X

Montagem do novo cronograma

Dayane

X

9.8 CRONOGRAMAS SEMANAIS – DEPARTAMENTO FINANCEIRO

Referente ao mês de agosto.

Atividade(s)

Responsável

29/09

30/09

01/10

02/10

03/10

ELABORAÇÃO E ENTREGA DO RELATÓRIO MENSAL

PAMELLA

X

ÍNICIO DA ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES PARA A MONTAGEM DO BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

TODAS

X

DEPÓSITO DA ARRECADAÇÃO DO TCC E VENDAS

PAMELLA/ PRISCILA FERREIRA

X

COTAÇÃO DE CESTA PARA RIFAR - OUTUBRO

PAMELLA/ PRISCILA FERREIRA

X

ANÁLISE DA DRE DE 2006/2007 DA ASSOCIAÇÃO ESTRELA AZUL

PRISCILA CLÍMACO/ ELIANAI

X

Referente aos meses de setembro e outubro.

Atividade(s)

Responsável

06/10

07/10

08/10

09/10

10/10

DISPONIBILIZAÇÃO DO EXTRATO PARA CONFERÊNCIA DE TODOS - TCC

PAMELLA

X

MODIFICAR O ORGANOGRAMA DO FINANCEIRO

TODAS

X

LANÇAMENTO DE DIÁRIO

TODAS

X

REUNIÃO DO DEPARTAMENTO FINANCEIRO

TODAS

X

CRONOGRAMA E RELATÓRIO REFERENTE À 13/10 ATÉ 17/10

TODAS

X

Referente ao mês de Outubro.

Atividade(s)

Responsável

13/10

14/10

15/10

16/10

17/10

COMPRA DE MATERIAL DE ESCRITÓRIO

PAMELLA

X

REUNIÃO DO DEPARTAMENTO FINANCEIRO

TODAS

X

INÍCIO DO LEVANTAMENTO DAS ATIVIDADES DO DEPARTAMENTO

TODAS

X

ARRECADAÇÃO DO TCC

DAYANE/ PAMELLA

X

TÉRMINO DO LEVANTAMENTO DAS ATIVIDADES DO DEPARTAMENTO

TODAS

X

Referente ao mês de Outubro

Atividade(s)

Responsável

20/10

21/10

22/10

23/10

24/10

CRONOGRAMA REFERENTE À 27/10 ATÉ 31/10

TODAS

X

ORGANIZAÇÃO DOS BRINDES PARA FETEPS

TODAS

X

VISITA À FEIRA TECNOLÓGICA

PRISCILA FERREIRA

X

VISITA À FEIRA TECNOLÓGICA

ELIANAI/ PRISCILA CLIMACO/ TATIANE

X

ARRECADAÇÃO DO TCC

PAMELLA/ DAYANE

X

Referente ao mês de Outubro.

Atividade(s)

Responsável

27/10

28/10

29/10

30/10

31/10

REUNIÃO DO DEPARTAMENTO FINANCEIRO

TODAS

X

INÍCIO DO BALANÇO DA CONSULTORIA

TODAS

X

COMPRA DA CESTA DE CHOCOLATE PARA RIFAR

PAMELLA

X

CRONOGRAMA REFERENTE À 03/11 ATÉ 07/11

TATIANE

X

ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO MENSAL

TATIANE

X

Referente ao mês de Outubro.

Atividade(s)

Responsável

03/11

04/11

05/11

06/11

07/11

ENTREGA DO RELATÓRIO MENSAL

TATIANE

X

DEPÓSITO REFERENTE AO TCC E RECEITAS DIVERSAS

PAMELLA

X

CÁLCULO DA FOLHA DE PAGAMENTO

TODAS

X

DIGITAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

PRISCILA FERREIRA

X

FECHAMENTO DA CONTA POUPANÇA DO TCC

PAMELLA

X

Referente ao mês de Novembro.

Atividade(s)

Responsável

10/11

11/11

12/11

13/11

14/11

INÍCIO E TÉRMINO DO BALANCETE REFERENTE AO 3º DE ADM

PRISCILA FERREIRA/ ELIANAI

X

TÉRMINO DO BALANÇO DA CONSULTORIA

TATIANE/ DAYANE

X

TÉRMINO DA DRE DA CONSULTORIA

TODAS

X

DEVOLUÇÃO DA SOBRA DAS ARRECADAÇÕES PARA O TCC

TODAS

X

FECHAMENTO E ENTREGA DA MONOGRAFIA DO DEPARTAMENTO FINANCEIRO

DAYANE

X

Referente ao mês de Novembro.

    1. RELATÓRIOS DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

PERÍODO: MÊS DE JULHO / AGOSTO

  • Cotação do coffee break;

  • Cotação da cesta de café da manhã para rifar;

  • Cotação das camisetas;

  • Compra da rifa e dos itens para montagem da cesta;

  • Arrecadação de R$ 5,00 reais de quem faltava pagar (referente ao mês de março);

  • Recebimento do dinheiro de venda da rifa da cesta;

  • Recebimento da arrecadação do TCC;

  • Entrega da aquisição de compra para cada departamento;

  • Visita à Associação ESTRELA AZUL;

  • Planejamento do setor (montar balanço da consultoria, cuidar da parte financeira e auxiliar a Associação ESTRELA AZUL na redução dos custos);

  • Análise da requisição de compras.

PERÍODO: MÊS DE SETEMBRO

  • Cálculo da folha de pagamento;

  • Preenchimento do livro caixa;

  • Depósito de valores arrecadados com o TCC de agosto e venda de mercadorias;

  • Arrecadação para o TCC – mês de setembro;

  • Análise do Balanço da Associação ESTRELA AZUL;

  • Levantamento de dados referentes ao balanço patrimonial para o TCC;

  • Visita à Associação ESTRELA AZUL;

  • Cálculo do IR para balanço patrimonial;

  • Cotação para gastos totais com o TCC;

  • Análise vertical do balanço patrimonial da Associação ESTRELA AZUL.

PERÍODO: MÊS DE OUTUBRO

  • Análise das informações para a montagem do balancete de verificação;

  • Análise da DRE de 2006/2007 da Associação ESTRELA AZUL;

  • Modificação do organograma do departamento financeiro;

  • Lançamento de Diário;

  • Levantamento das atividades do departamento financeiro;

  • Início do balanço da consultoria;

  • Cronogramas semanais;

  • Relatórios semanais;

  • Cotação e compra da cesta de chocolate.

PERÍODO: MÊS DE NOVEMBRO

  • Cálculo da folha de pagamento;

  • Balancete de verificação referente ao 3º ADM;

  • Depósito do TCC;

  • Término do balanço da consultoria;

  • DRE da consultoria;

  • Devolução da sobra das arrecadações do TCC;

  • Fechamento da conta poupança do TCC;

  • Fechamento e entrega da monografia do departamento financeiro.

9.10 Pesquisa de cestas de café da manhã

Realizada no dia 31/07/2008.

Pesquisadores: Dayane e Tatiane.

Local: Loja Mi amor.

Quantidade

Itens

Valor

1

Cesta Média

R$ 2,99

1

Cesta Grande

R$ 3,99

1

Xícara com pires

R$ 3,40

1

Xícara grande sem pires

R$ 1,99

1

Sacos para cesta com 2 grande

R$ 2,50

1

Sacos para cesta com 2 médio

R$ 1,90

1

Ursinho

R$ 9,99

1

Laço para cesta grande

R$ 1,50

1

Folha de seda

R$ 0,10

1

Fita decorativa

R$ 1,50

1

Palha natural

R$ 1,20

1

Trança decorativa

R$ 1,50

1

Babado para cesta

R$ 1,00

1

Sacos para pirulito médio com 100

R$ 1,70

Local: Casa de doces de Mauá.

Quantidade

Itens

Valor

1

Cesta Média pronta

R$ 7,75

1

Cesta Grande pronta

R$ 9,50

1

Geléia

R$ 0,95

1

Salgadinho Luck

R$ 0,40

1

Margarina com 2

R$ 0,50

1

Açúcar com 6

R$ 0,50

1

Chá com 2

R$ 0,50

1

Café

R$ 0,60

1

Biskwi com 2

R$ 0,80

1

Torrada

R$ 0,65

1

Club social

R$ 0,50

1

Bolacha com 2

R$ 0,95

1

Bolacha walfer com 2

R$ 0,70

1

Bolo turma da mônica

R$ 0,50

1

Suco de caixinha

R$ 1,00

1

Sucrilhos

R$ 1,30

1

Cookies com 2

R$ 1,20

1

Todinho

R$ 1,25

1

Gelatina com 2

R$ 0,65

1

Ioio mix

R$ 1,85

1

Pão de mel

R$ 0,70

Obs: orçamentos a parte feito na casa de doces.

Quantidade

Itens

Valor

1cx

Chocolate proov´s com 30

R$ 8,60

1cx

Halls com 21

R$ 8,20

1

Saco de bombons serenata de amor garoto

R$ 16,99

1

Sacos para cesta médio

R$ 0,70

1

Saco para cesta grande

R$ 1,40

1

Saco para fundo de cesta

R$ 0,35

1

Laço médio

R$ 0,95

1

Laço grande

R$ 1,10

1

Cesta média

R$ 2,60

1

Cesta grande

R$ 3,60

Orçamento de Móveis para a Consultoria Inovat

Quantidade

Item

Valor unitário

Total

1

Aparelho de fax

R$ 230,00

R$ 230,00

7

Aparelhos de telefone

R$ 25,00

R$ 175,00

1

Armário de escritório

R$ 299,00

R$ 299,00

1

Armário pequeno

R$ 390,00

R$ 390,00

14

Arquivos

R$ 385,00

R$ 5.390,00

30

Cadeiras estofadas

R$ 59,00

R$ 1.770,00

44

Cadeiras estofadas com rodinha

R$ 63,00

R$ 2.772,00

3

Cadeiras presidente

R$ 120,00

R$ 360,00

1

Cafeteira

R$ 299,99

R$ 299,99

24

Computadores

R$ 1.100,00

R$ 26.400,00

1

DVD

R$ 189,99

R$ 189,99

4

Espelhos de banheiro

R$ 33,10

R$ 132,40

24

Estabilizadores

R$ 40,00

R$ 960,00

9

Filtro de água

R$ 163,00

R$ 1.467,00

1

Gabinete de pia

R$ 230,00

R$ 230,00

1

Geladeira

R$ 1.400,00

R$ 1.400,00

6

Impressoras

R$ 250,00

R$ 1.500,00

1

Mesa com 6 cadeiras

R$ 750,00

R$ 750,00

1

Mesa de reunião

R$ 1.369,99

R$ 1.369,99

19

Mesas

R$ 120,00

R$ 2.280,00

2

Mesas de centro

R$ 120,00

R$ 240,00

8

Mesas em L p/ gerentes

R$ 250,00

R$ 2.000,00

2

Microfones

R$ 81,90

R$ 163,80

1

Microondas

R$ 265,00

R$ 265,00

1

Multifuncional

R$ 1.089,00

R$ 1.089,00

1

Pia

R$ 250,00

R$ 250,00

6

Pias de banheiro

R$ 38,00

R$ 228,00

4

Prateleiras

R$ 80,00

R$ 320,00

2

Projetor

R$ 1.299,00

R$ 2.598,00

1

Quadro branco

R$ 65,35

R$ 65,35

1

Rádio

R$ 400,00

R$ 400,00

1

Roteador

R$ 120,00

R$ 120,00

10

Sanitários

R$ 350,00

R$ 3.500,00

16

Sofá com 3 lugares cada

R$ 500,00

R$ 8.000,00

2

Telão

R$ 349,99

R$ 699,98

3

Televisão

R$ 2.211,00

R$ 6.633,00

13

Ventilador de teto

R$ 149,00

R$ 1.937,00

Total

 

R$ 15.135,31

R$ 76.874,50

9.11 Pesquisa das camisetas - Sem estampas

Realizada no dia 04/08/2008.

Pesquisadores: Pamella e Priscila Ferreira.

Local: La Providenci

Rua Oriente nº. 620 – Brás

Tel. (11) 2693-6551 – Vendedora Rosi.

  • Camiseta branca - R$ 6,00.

  • Camiseta colorida - R$ 6,50.

  • Baby Look de malha - R$ 6,00.

  • Baby Look de elastano - R$ 8,00.

  • Tamanhos P até GG.

Local: Fenomenal

Av. Celso Garcia nº 236 – Brás

Tel. (11) 2291-4644 – Vendedor Marcelo.

  • Camiseta Polo Feminino - R$ 10,90.

  • Camiseta Polo Masculina - R$ 14,90.

  • Todas as cores e tamanhos do P ao GG.

Obs.: todas as camisetas foram pesquisadas pelo valor de atacado no mínimo 20 peças.

9.12 Tabelas de Compras de Comestíveis

Compra para arrecadação de fundos - TCC de Administração - 20/08/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitário

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Torcida

20

R$ 5,70

R$ 0,50

R$ 4,30

R$ 10,00

Batata

20

R$ 7,90

R$ 0,60

R$ 4,10

R$ 12,00

Twix - Chocolate

30

R$ 8,50

R$ 0,50

R$ 6,50

R$ 15,00

TOTAL

70

R$ 22,10

---

R$ 14,90

R$ 37,00

Porcentagem de lucro total:

67%

Compra para arrecadação de fundos - TCC de Administração - 21/08/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitário

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Torcida

10

R$ 2,85

R$ 0,50

R$ 2,15

R$ 5,00

Batata

20

R$ 7,80

R$ 0,60

R$ 4,20

R$ 12,00

Twix - Chocolate

60

R$ 17,00

R$ 0,50

R$ 13,00

R$ 30,00

Maxxi Chocolate

20

R$ 5,70

R$ 0,50

R$ 4,30

R$ 10,00

TOTAL

110

R$ 33,35

---

R$ 23,65

R$ 57,00

Porcentagem de lucro total:

71%

Compra para arrecadação de fundos - TCC de Administração - 25/08/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitário

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Batata

20

R$ 7,80

R$ 0,60

R$ 4,20

R$ 12,00

Twix - Chocolate

60

R$ 17,00

R$ 0,50

R$ 13,00

R$ 30,00

Maxxi Chocolate

20

R$ 5,70

R$ 0,50

R$ 4,30

R$ 10,00

TOTAL

100

R$ 30,50

---

R$ 21,50

R$ 52,00

Porcentagem de lucro total:

70%

Compra para arrecadação de fundos - TCC de Administração - 26/08/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitário

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Batata

20

R$ 7,90

R$ 0,60

R$ 4,10

R$ 12,00

TOTAL

20

R$ 7,90

---

R$ 4,10

R$ 12,00

Porcentagem de lucro total:

52%

Compra para arrecadação de fundos - TCC de Administração - 27/08/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitário

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Chocolate Baton

60

R$ 22,80

R$ 0,50

R$ 7,20

R$ 30,00

TOTAL

60

R$ 22,80

---

R$ 7,20

R$ 30,00

Porcentagem de lucro total:

32%

Compra para arrecadação de fundos - TCC de Administração - 28/08/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitário

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Chocolate Baton

60

R$ 22,80

R$ 0,50

R$ 7,20

R$ 30,00

Chocolate Twist

24

R$ 10,30

R$ 0,50

R$ 1,70

R$ 12,00

TOTAL

84

R$ 33,10

---

R$ 8,90

R$ 42,00

Porcentagem de lucro total:

27%

Compra para venda de mercadorias - TCC de Administração - 03/09/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitária

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Maxxi Chocolate

40

R$ 11,20

R$ 0,50

R$ 8,80

R$ 20,00

Twix - Chocolate

60

R$ 17,00

R$ 0,50

R$ 13,00

R$ 30,00

Baton

30

R$ 11,40

R$ 0,50

R$ 3,60

R$ 15,00

TOTAL

130

R$ 39,60

---

R$ 25,40

R$ 65,00

Porcentagem de lucro total:

64%

Compra para venda de mercadorias - TCC de Administração - 08/09/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitária

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Paçoca

50

R$ 6,05

R$ 0,25

R$ 6,45

R$ 12,50

Twix - Chocolate

60

R$ 17,00

R$ 0,50

R$ 13,00

R$ 30,00

Disquet

36

R$ 6,80

R$ 0,30

R$ 4,00

R$ 10,80

Pirulito

50

R$ 1,55

R$ 0,10

R$ 3,45

R$ 5,00

TOTAL

196

R$ 31,40

---

R$ 26,90

R$ 58,30

Porcentagem de lucro total:

86%

Compra para venda de mercadorias - TCC de Administração - 16/09/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitária

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Chocolate Baton

60

R$ 21,98

R$ 0,50

R$ 8,02

R$ 30,00

Twix - Chocolate

30

R$ 8,50

R$ 0,50

R$ 6,50

R$ 15,00

Disquet

36

R$ 6,80

R$ 0,30

R$ 4,00

R$ 10,80

TOTAL

126

R$ 37,28

---

R$ 18,52

R$ 55,80

Porcentagem de lucro total:

50%

Compra para venda de mercadorias - TCC de Administração - 18/09/2008

Mercadoria

Qtde.

Preço de compra total

Preço de venda unitária

Lucro total por mercadoria

Total a arrecadar

Chocolate Baton

60

R$ 21,98

R$ 0,50

R$ 8,02

R$ 30,00

Twix - Chocolate

30

R$ 8,50

R$ 0,50

R$ 6,50

R$ 15,00

Disquet

36

R$ 6,80

R$ 0,30

R$ 4,00

R$ 10,80

TOTAL

126

R$ 37,28

---

R$ 18,52

R$ 55,80

Porcentagem de lucro total:

50%

Valor

Total investido:

R$ 359,39

Total arrecadado:

R$ 559,70

Lucro total:

R$ 200,31

9.13 LANÇAMENTOS DE DIÁRIO

LANÇAMENTO DE DIÁRIO – MARÇO/2008

04/03

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

D= Caixa R$6,50

C= Capital social

Valor referente a porte de R$ 1,50 para compra de cesta para rifar – mês de março.

05/03

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

D= Caixa R$16,50

C= Capital social

Valor referente a porte de R$ 1,50 para compra de cesta para rifar – mês de março.

06/03

D= Caixa R$35,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

D= Caixa R$12,00

C= Capital social

Valor referente a porte de R$ 1,50 para compra de cesta para rifar – mês de março.

07/03

D= Caixa R$15,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

D= Caixa R$7,50

C= Capital social

Valor referente a porte de R$ 1,50 para compra de cesta para rifar – mês de março.

10/03

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

D= Caixa R$1,50

C= Capital social

Valor referente a porte de R$ 1,50 para compra de cesta para rifar – mês de março.

11/03

D= Caixa R$7,50

C= Capital social

Valor referente a porte de R$ 1,50 para compra de cesta para rifar – mês de março.

12/03

D= Caixa R$3,00

C= Capital social

Valor referente a porte de R$ 1,50 para compra de cesta para rifar – mês de março.

13/03

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

19/03

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

D= Compra de cesta R$50,00

C= Capital social

Valor referente à compra de cesta de chocolate para rifar – mês de março.

20/03

D= Caixa R$15,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

24/03

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de março.

D= Caixa R$88,00

C= Venda de cesta

Valor referente à venda de números da rifa da cesta de chocolate – mês de março.

26/03

D= Banco conta poupança R$207,50

C= Caixa

Valor referente ao depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro do porte do TCC e da venda números da rifa da rifa da cesta de chocolate – mês de março.

LANÇAMENTO DE DIÁRIO – ABRIL/2008

08/04

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de abril.

LANÇAMENTO DE DIÁRIO – JULHO/2008

31/07

D= Caixa R$90,00

C= Banco conta poupança

Valor referente a saque no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal” no valor de R$ 90,00.

D= Material de escritório R$7,30

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório no valor de 7,30.

LANÇAMENTO DE DIÁRIO – AGOSTO/2008

05/08

D= Material de escritório R$0,30

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório no valor de R$0,30 centavos.

D= Compra de cesta R$29,35

C= Caixa

Valor referente à compra de artigos da cesta de café da manhã para rifar – mês de agosto.

06/08

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

11/08

D= Caixa R$40,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

D= Banco conta poupança R$53,05

C= Caixa

Valor referente ao depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, do restante do valor sacado do dia 31/07/08, R$53,05.

12/08

D= Caixa R$99,00

C= Venda de cesta

Valor referente á venda de números da rifa da cesta de café da manhã mês de agosto.

14/08

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

D= Banco conta poupança R$97,00

C= Caixa

Valor referente do depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro da venda de números da rifa da rifa de cesta de café da manhã – R$ 97,00.

15/08

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

18/08

D= Caixa R$25,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

19/08

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

20/08

D= Caixa R$35,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

D= Materiais R$100,00

C= Receita de doação de donativos

Valor referente à doação de materiais (PEN-DRIVE) no valor de R$ 100,00.

D= Compra de comestíveis R$22,10

C= banco conta poupança

Valor referente à compra de comestíveis para a venda – mês de agosto.

21/08

D= Material de escritório R$6,69

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório no valor de R$ 6,69 em dinheiro.

D= Caixa R$37,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis R$ 37,00.

D= Compra de comestíveis R$33,35

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra no valor de R$ 33,35 de comestíveis para venda.

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

22/08

D= Caixa R$25,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

D= Caixa R$38,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

25/08

D= Caixa R$15,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

D= Compra de comestíveis R$30,50

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra de comestíveis.

D= Caixa R$19,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

26/08

D= Compra de comestíveis R$7,90

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra de comestíveis.

D= Caixa R$32,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

27/08

D= Compra de comestíveis R$22,80

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra de comestíveis.

D= Caixa R$100,00

C= Materiais de recursos em doações.

Valor referente à venda de materiais (PEN-DRIVE) no valor de R$ 100,00.

D= Material de escritório R$5,70

C= Caixa

Valor referente à compra de materiais de escritório.

D= Caixa R$22,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis - mês de agosto.

28/08

D= Compra de comestíveis R$33,10

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra de comestíveis.

D= Caixa R$30,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis - mês de agosto.

LANÇAMENTO DE DIÁRIO – setembro/2008

01/09

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC mês de agosto.

D= Banco conta poupança R$100,00

C= Caixa

Valor referente ao depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro da venda de materiais (PEN-DRIVE) no valor de R$ 100,00.

D= Caixa R$146,45

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de agosto.

D= Banco conta poupança R$ 2,00

C= Caixa

Valor referente ao depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro do restante da arrecadação da venda dos números da rifa da cesta de café da manhã.

D= Banco conta poupança R$183,30

C= Caixa

Valor referente ao depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro do gasto e lucro das compras dos comestíveis dos dias 20, 21 e 25/08,

D= Caixa R$27,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis - mês de agosto.

02/09

D= Caixa R$15,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

03/09

D= Compra de comestíveis R$39,60

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra de comestíveis - mês de setembro.

04/09

D= Caixa R$35,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

05/09

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC mês de setembro.

D= Caixa R$30,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

08/09

D= Compra de comestíveis R$31,40

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra de comestíveis - mês de setembro

09/09

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$19,55

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

10/09

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$21,65

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

11/09

D= Caixa R$20,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$17,10

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

12/09

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

15/09

D= Caixa R$20,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

16/09

D= Compra de comestíveis R$37,28

C= Caixa

Valor referente à compra de comestíveis - mês de setembro.

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

17/09

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$28,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

18/09

D= Banco conta poupança R$159,00

C= Caixa

Valor referente ao depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro da venda de comestíveis.

D= Caixa R$100,00

C= Banco conta poupança

Valor referente ao saque de R$ 100,00 em dinheiro do banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, para transferência no caixa.

D= Compra de comestíveis R$37,28

C= Caixa

Valor referente à compra de comestíveis - mês de setembro.

D= Caixa R$27,80

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

19/09

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$23,20

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

22/09

D= Caixa R$15,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$17,50

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

23/09

D= Caixa R$15,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Compra de comestíveis R$41,23

C= Caixa

Valor referente à compra de comestíveis - mês de setembro.

24/09

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Compra de comestíveis R$22,84

C= Caixa

Valor referente à compra de comestíveis - mês de setembro.

D= Caixa R$33,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

25/09

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$39,00

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

26/09

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de setembro.

D= Caixa R$22,80

C= Venda de comestíveis

Valor referente à venda de comestíveis.

LANÇAMENTO DE DIÁRIO – OUTUBRO/2008

01/10

D= Banco conta poupança R$329,00

C= Caixa

Valor referente ao depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro do restante das compras dos comestíveis do porte do TCC mês de setembro.

D= Caixa R$27,30

C= Receita de doação de donativos

Valor referente à doação de numerário no valor de R$ 27,30

08/10

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de outubro.

10/10

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC - mês de outubro.

D= Caixa R$ 350,00

C= Banco conta poupança.

Valor referente ao saque de R$ 350,00 em dinheiro do banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, para transferência no caixa.

D= Material de escritório R$286,30

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório.

13/10

D= Caixa R$40,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

D= Material de escritório R$30,00

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório.

16/10

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

D= Material de escritório R$26,43

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório para realização de evento para o dia 21/10.

D= Caixa

C= Banco conta poupança R$65,00

Valor referente ao saque de R$ 65,00 em dinheiro do banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, para transferência no caixa.

17/10

D= Caixa R$25,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

D= Material de escritório R$22,00

C= Caixa

Valor referente à encadernação do TCC para a feira tecnológica.

D= Material de escritório R$10,00

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório para realização de evento para o dia 21/10.

D= Caixa R$50,00

C= Patrocínio

Valor referente à doação de R$ 50,00 para o TCC da IFEEC.

D= Caixa R$50,00

C= Publicidade

Valor referente à compra de material de divulgação “banner”.

D= Material de escritório R$20,00

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório para realização de evento para o dia 21/10.

20/10

D= Caixa R$35,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

21/10

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

D= Despesas com transporte R$10,00

C= Caixa

Valor referente a transporte de integrantes da consultoria até o evento do dia 21/10

24/10

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

D= Despesas com transporte R$13,40

C= Caixa

Valor referente a transporte de integrantes da consultoria até o evento do dia 21/10

28/10

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

29/10

D= Compra de cesta R$31,14

C= Banco conta poupança

Valor referente à compra de artigos da cesta de café de chocolate para rifar – mês de outubro.

LANÇAMENTO DE DIÁRIO – NOVEMBRO/2008

04/11

D= Caixa R$100,00

C= Venda de cesta

Valor referente á venda de números da rifa da cesta de café da manhã mês de agosto.

D= Banco conta poupança R$280,00

C= Caixa

Valor referente a depósito no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, em dinheiro da venda de números da rifa e do TCC mês de outubro.

05/11

D= Caixa R$5,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

06/11

D= Material de escritório R$5,70

C= Caixa

Valor referente à compra do livro caixa.

D= Caixa R$10,00

C= Banco

Valor referente ao saque de R$ 10,00 em dinheiro do banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”, para transferência no caixa.

D= Lanches e refeições R$ 71,85

C= Duplicatas a pagar

Valor referente a compras de itens para o coffee break a ser realizado no dia 04/12 através de duplicata a pagar.

D= Banco R$14,64

C= Receitas com aplicações

Valor referente a juros acumulados nos meses de março até novembro de 2008 no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal”.

07/11

D= Caixa R$10,00

C= Capital social

Valor referente a porte mensal de R$ 5,00 para o TCC – mês de outubro.

D= Caixa R$705,05

C= Banco

Valor referente a transferência de todo o saldo no banco conta poupança “Caixa Econômica Federal” no valor de R$ 705,05, para o caixa.

D= Material de escritório R$29,60

C= Caixa

Valor referente à compra de material de escritório para realização do TCC para o dia 04/12/08.

D= Lanches e refeições R$194,40

C= Caixa

Valor referente a compras em dinheiro de itens para o coffee break a ser realizado no dia 04/12.

D= Lanches e refeições R$175,00

C= Duplicatas a pagar

Valor referente a compras de salgados para o coffee break a ser realizado no dia 04/12 através de duplicata a pagar.

10/11

D= Caixa R$ 71,85

C= Duplicatas a pagar

Valor referente a pagamento da duplicata do dia 06/11.

D= Caixa R$ 175,00

C= Duplicatas a pagar

Valor referente a pagamento da duplicata do dia 07/11,

D= Material de escritório R$44,00

C= Caixa

Valor referente à encadernação da monografia do TCC.

D= Material de escritório R$52,50

C= Caixa

Valor referente à compra de tecidos e flores para o dia 04/12.

11/11

D= Capital social R$517,50

C= Prejuízos acumulados

Valor referente a encerramento de atividades.

D= Capital social R$157,00

C= Caixa

Valor referente a encerramento de atividades.

D= Venda de cesta R$287,00

D= Receitas com aplicações R$ 14,64

D=Receita com doações / donativos R$127,30

D= Venda de comestíveis R$534,60

D= Patrocínio R$ 50,00

C= Prejuízos acumulados R$1013,4

Valores referentes a encerramento de atividades.

D= Prejuízos acumulados R$1531,4

C= Material de escritório R$546,52

C= Lanches e refeições R$441,25

C= Compra de cestas R$110,49

C= Compra de comestíveis R$359,38

C= Publicidade R$ 50,00

C= Despesas com transportes R$ 23,40

Valores referentes a encerramento de atividades.

9.14 RAZONETES E BALANCETES

Razonetes Março de 2008

CAIXA

CAPITAL SOCIAL

4/mar

10,00

50,00

19/mar

 

10,00

4/mar

4/mar

6,50

207,50

26/mar

 

6,50

4/mar

5/mar

10,00

257,50

 

10,00

5/mar

5/mar

16,50

 

16,50

5/mar

6/mar

35,00

 

35,00

6/mar

6/mar

12,00

 

12,00

6/mar

7/mar

15,00

 

15,00

7/mar

7/mar

7,50

 

7,50

7/mar

10/mar

5,00

 

5,00

10/mar

10/mar

1,50

 

1,50

10/mar

11/mar

7,50

 

7,50

11/mar

12/mar

3,00

 

3,00

12/mar

13/mar

5,00

 

5,00

13/mar

19/mar

10,00

 

10,00

19/mar

20/mar

15,00

 

15,00

20/mar

24/mar

10,00

 

10,00

24/mar

24/mar

88,00

 

169,50

257,50

 

 

 

0,00

COMPRA DE CESTA

VENDA DE CESTA

19/mar

50,00

 

 

 

88,00

24/mar

50,00

 

88,00

 

 

BANCO C/POUPANÇA

26/mar

207,50

 

 

207,50

 

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO MARÇO 2008

CONTA

DÉBITO

CRÉDITO

CAIXA

0,00

 

CAPITAL SOCIAL

 

169,50

COMPRA DE CESTA

50,00

 

VENDA DE CESTA

 

88,00

BANCO CONTA POUPANÇA

207,50

 

TOTAL

257,50

257,50

Razonetes Abril 2008

CAIXA

CAPITAL SOCIAL

8/abr

5,00

 

 

169,50

março

5,00

 

 

5,00

8/abr

 

 

174,50

 

COMPRA DE CESTA

VENDA DE CESTA

março

50,00

 

 

88,00

março

50,00

 

88,00

 

 

BANCO C/POUPANÇA

março

207,50

207,50

 

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO ABRIL 2008

CONTA

DÉBITO

CRÉDITO

CAIXA

5,00

 

CAPITAL SOCIAL

 

174,50

COMPRA DE CESTA

50,00

 

VENDA DE CESTA

 

88,00

BANCO CONTA POUPANÇA

207,50

 

TOTAL

262,50

262,50

Razonetes Julho 2008

CAIXA

CAPITAL SOCIAL

abril

5,00

7,30

31/jul

 

174,50

abril

31/jul

90,00

7,30

 

174,50

 

95,00

 

87,70

 

COMPRA DE CESTA

VENDA DE CESTA

abril

50,00

 

 

 

88,00

abril

50,00

 

88,00

 

 

BANCO C/POUPANÇA

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

abril

207,50

90,00

31/jul

31/jul

7,30

 

 

 

207,50

90,00

7,30

 

117,50

 

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO JULHO 2008

CONTA

DÉBITO

CRÉDITO

CAIXA

87,70

 

CAPITAL SOCIAL

 

174,50

COMPRA DE CESTA

50,00

 

VENDA DE CESTA

 

88,00

BANCO CONTA POUPANÇA

117,50

 

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

7,30

 

TOTAL

262,50

262,50

Razonetes Agosto de 2008

CAIXA

CAPITAL SOCIAL

julho

87,70

0,30

5/ago

 

174,50

julho

6/ago

5,00

29,35

5/ago

 

5,00

10/ago

11/ago

40,00

53,05

11/ago

 

40,00

11/ago

12/ago

99,00

97,00

14/ago

 

10,00

14/ago

14/ago

10,00

6,69

21/ago

 

10,00

15/ago

15/ago

10,00

5,70

27/ago

 

25,00

18/ago

18/ago

25,00

192,09

 

5,00

19/ago

19/ago

5,00

 

35,00

20/ago

20/ago

35,00

 

5,00

21/ago

21/ago

37,00

 

25,00

22/ago

21/ago

5,00

 

15,00

25/ago

22/ago

25,00

 

349,50

22/ago

38,00

 

25/ago

15,00

25/set

19,00

26/ago

32,00

27/ago

100,00

27/ago

22,00

28/ago

30,00

 

639,70

447,61

 

COMPRA DE CESTA

VENDA DE CESTA

julho

50,00

 

 

 

88,00

julho

15/ago

29,35

 

99,00

12/ago

79,35

 

187,00

 

 

BANCO C/POUPANÇA

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

julho

117,50

22,10

20/ago

julho

7,30

 

 

11/ago

53,05

33,35

21/ago

5/ago

0,30

 

14/ago

97,00

30,50

25/ago

21/ago

6,69

267,55

7,90

26/ago

27/ago

5,70

 

22,80

27/ago

19,99

 

33,10

28/ago

 

 

 

149,75

117,80

 

RECEITA COM DOAÇÃO E DONATIVOS

MATERIAIS DE REC DOAÇÕES

 

100,00

20/ago

20/ago

100,00

100,00

27/ago

 

100,00

 

0

 

 

 

 

 

COMPRA DE COMESTIVEIS

VENDA DE COMESTIVEIS

20/ago

22,10

 

 

 

 

37,00

21/ago

21/ago

33,35

 

 

38,00

22/ago

25/ago

30,50

 

19,00

25/ago

26/ago

7,90

 

32,00

26/ago

27/ago

22,80

 

22,00

27/ago

28/ago

33,10

 

30,00

28/ago

149,75

 

178,00

 

 

 

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

CONTA

DÉBITO

CRÉDITO

CAIXA

447,61

 

CAPITAL SOCIAL

 

349,50

COMPRA DE CESTA

79,35

 

VENDA DE CESTA

 

187,00

BANCO CONTA POUPANÇA

117,80

 

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

19,99

 

RECEITAS COM DOAÇÃO E DONATIVOS

 

100,00

MATERIAIS DE REC DONATIVOS

0,00

 

COMPRA DE COMESTIVEIS

149,75

 

VENDA DE COMESTIVEIS

 

178,00

TOTAL

814,50

814,50

Razonetes Setembro de 2008

CAIXA

CAPITAL SOCIAL

agosto

447,61

100,00

1/set

 

349,50

agosto

1/set

10,00

146,45

1/set

 

10,00

1/set

1/set

27,00

2,00

1/set

 

10,00

5/set

2/set

15,00

183,30

1/set

 

5,00

9/set

4/set

35,00

37,28

16/set

 

5,00

10/set

5/set

10,00

159,00

18/set

 

20,00

11/set

5/set

30,00

37,28

23/set

 

10,00

12/set

9/set

5,00

41,23

24/set

 

20,00

15/set

9/set

19,55

22,84

 

5,00

16/set

10/set

5,00

729,38

 

10,00

17/set

10/set

21,65

 

10,00

19/set

11/set

20,00

 

15,00

22/set

11/set

17,10

 

15,00

23/set

12/set

10,00

 

10,00

24/set

15/set

20,00

 

10,00

25/set

16/set

5,00

 

5,00

26/set

17/set

10,00

 

509,50

17/set

28,00

 

18/set

100,00

18/set

27,80

19/set

10,00

19/set

23,20

22/set

15,00

22/set

17,50

23/set

15,00

24/set

10,00

24/set

33,00

25/set

10,00

25/set

39,00

26/set

5,00

26/set

22,80

1064,21

 

 

334,83

 

COMPRA DE CESTA

VENDA DE CESTA

agosto

79,35

 

 

 

187,00

agosto

79,35

 

187,00

 

 

 

BANCO C/POUPANÇA

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

agosto

117,80

39,60

3/jan

agosto

19,99

 

 

1/set

100,00

31,40

8/jan

19,99

 

1/set

146,45

100,00

18/set

 

1/set

2,00

171,00

1/set

183,30

18/set

159,00

 

 

708,55

 

537,55

RECEITAS COM DOAÇÃO E DONATIVOS

 

100,00

agosto

 

100,00

 

 

 

COMPRA DE COMESTIVEIS

VENDA DE COMESTIVEIS

agosto

149,75

 

 

 

 

178,00

agosto

3/set

39,60

 

 

27,00

1/set

8/set

31,40

 

15,00

2/set

16/set

37,28

 

35,00

4/set

18/set

37,28

 

30,00

5/set

23/set

41,23

 

19,55

9/set

24/set

22,84

 

21,65

10/set

359,38

 

17,10

11/set

 

28,00

17/set

27,80

18/set

23,20

19/set

17,50

22/set

33,00

24/set

39,00

25/set

22,80

26/set

534,60

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

CONTA

DÉBITO

CRÉDITO

CAIXA

334,83

 

CAPITAL SOCIAL

 

509,50

COMPRA DE CESTA

79,35

 

VENDA DE CESTA

 

187,00

BANCO CONTA POUPANÇA

537,55

 

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

19,99

 

RECEITAS COM DOAÇÃO E DONATIVOS

 

100,00

COMPRA DE COMESTIVEIS

359,38

 

VENDA DE COMESTIVEIS

 

534,60

TOTAL

1331,10

1331,10

Razonetes Outubro de 2008

CAIXA

CAPITAL SOCIAL

setembro

334,83

329,00

1/out

 

509,50

setembro

1/out

27,30

286,30

10/out

 

10,00

8/out

8/out

10,00

30,00

13/out

 

10,00

10/out

10/out

10,00

26,43

16/out

 

40,00

13/out

10/out

350,00

22,00

17/out

 

10,00

16/out

13/out

40,00

10,00

17/out

 

25,00

17/out

16/out

10,00

50,00

17/out

 

35,00

20/out

16/out

65,00

20,00

17/out

 

10,00

21/out

17/out

25,00

10,00

21/out

 

5,00

21/out

17/out

50,00

13,40

21/out

 

5,00

28/out

20/out

35,00

797,13

 

659,50

21/out

10,00

 

21/out

5,00

28/ago

5,00

977,13

 

 

180,00

 

COMPRA DE CESTA

VENDA DE CESTA

setembro

79,35

 

 

 

187,00

setembro

20/out

31,14

 

187,00

110,49

 

 

 

BANCO C/POUPANÇA

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

setembro

537,55

350,00

10/out

setembro

19,99

 

 

1/out

329,00

65,00

16/out

10/out

286,30

 

866,55

31,14

29/out

13/out

30,00

 

 

446,14

16/out

26,43

420,41

 

17/out

22,00

 

 

17/out

10,00

17/out

20,00

414,72

RECEITA COM DOAÇÃO E DONATIVOS

PATROCINIO

 

100,00

setembro

 

 

50,00

17/out

 

27,30

1/out

 

50,00

 

127,30

 

 

 

 

COMPRA DE COMESTIVEIS

VENDA DE COMESTIVEIS

setembro

359,38

 

 

 

 

534,60

setembro

359,38

 

 

534,60

 

 

 

DESPESAS COM TRANSPORTE

PUBLICIDADE

21/out

10,00

 

 

17/out

50,00

 

 

21/out

13,40

 

50,00

 

23,40

 

 

 

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

CONTA

DÉBITO

CRÉDITO

CAIXA

180,00

 

CAPITAL SOCIAL

 

659,50

COMPRA DE CESTA

110,49

 

VENDA DE CESTA

 

187,00

BANCO CONTA POUPANÇA

420,41

 

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

414,72

 

RECEITA COM DOAÇÃO DE DONATIVOS

 

127,30

COMPRA DE COMESTIVEIS

359,38

 

VENDA DE COMESTIVEIS

 

534,60

DESPESAS COM TRANSPORTE

23,40

 

PATROCINIO

 

50,00

PUBLICIDADE

50,00

 

TOTAL

1558,40

1558,40

Razonetes Novembro de 2008

CAIXA

CAPITAL SOCIAL

outubro

180,00

280,00

4/nov

11/nov

517,50

659,50

outubro

4/nov

100,00

5,70

6/nov

11/nov

157,00

5,00

5/nov

5/nov

5,00

29,60

7/nov

674,50

10,00

7/nov

6/nov

10,00

194,40

7/nov

 

674,50

7/nov

10,00

44,00

10/nov

 

7/nov

705,05

175,00

10/nov

 

0,00

1010,05

71,85

10/nov

 

52,50

10/nov

 

157,00

11/nov

 

1010,05

RECEITA COM APLICAÇÕES

 

 

11/nov

14,64

14,64

6/nov

0,00

 

 

 

 

 

0,00

COMPRA DE CESTA

VENDA DE CESTA

outubro

110,49

110,49

11/nov

11/nov

287,00

187,00

outubro

 

 

 

100,00

4/nov

0,00

 

 

287,00

 

0,00

BANCO C/POUPANÇA

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

outubro

420,41

10,00

6/nov

outubro

414,72

546,52

 

4/nov

280,00

705,05

7/nov

6/nov

5,70

 

6/nov

14,64

715,05

7/nov

29,60

715,05

 

10/nov

44,00

 

 

10/nov

52,50

0,00

 

546,52

 

0,00

 

RECEITA COM DOAÇÃO E DONATIVOS

PATROCINIO

11/nov

127,30

127,30

outubro

11/nov

50,00

50,00

outubro

 

 

 

 

 

0,00

 

0,00

COMPRA DE COMESTIVEIS

VENDA DE COMESTIVEIS

outubro

359,38

359,38

 

outubro

534,60

534,60

11/nov

 

 

 

 

0,00

 

0,00

DESPESAS COM TRANSPORTE

PUBLICIDADE

21/out

10,00

23,40

11/nov

outubro

50,00

50,00

11/nov

21/out

13,40

 

 

 

23,40

0,00

 

 

0,00

LANCHES E REFEIÇÕES

DUPLICATAS A PAGAR

6/nov

71,85

441,25

 

10/nov

71,85

71,85

6/nov

7/nov

194,40

 

10/nov

175,00

175,00

7/nov

7/nov

175,00

246,85

246,85

441,25

 

 

0,00

0,00

 

MATERIAIS DE REC DOAÇÕES

PREJUIZOS ACUMULADOS

20/ago

100,00

100,00

27/ago

11/nov

546,52

517,50

11/nov

 

 

11/nov

441,25

287,00

11/nov

0,00

 

11/nov

110,49

14,64

11/nov

11/nov

359,38

127,30

11/nov

11/nov

50,00

534,60

11/nov

11/nov

23,40

50,00

11/nov

1531,04

1531,04

 

 

 

0,00

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

CONTA

DÉBITO

CRÉDITO

CAIXA

0,00

 

CAPITAL SOCIAL

 

0,00

COMPRA DE CESTA

0,00

 

VENDA DE CESTA

 

0,00

BANCO CONTA POUPANÇA

0,00

 

MATERIAL DE ESCRITÓRIO

0,00

 

RECEITA DE DOAÇÃO DE DONATIVOS

 

0,00

MATERIAIS

0,00

 

COMPRA DE COMESTIVEIS

0,00

 

VENDA DE COMESTIVEIS

 

0,00

DESPESAS COM TRANSPORTE

0,00

 

PATROCINIO

 

0,00

PUBLICIDADE

0,00

 

RECEITA COM APLICAÇÕES

 

0,00

DUPLICATAS A PAGAR

0,00

 

PREJUIZOS ACUMULADOS

 

0,00

LANCHES E REFEIÇÕES

0,00

 

TOTAL

0,00

0,00

Comparação de Receitas e Despesas

Receitas

Despesas

Ações entre amigos

R$ 287,00

Materiais de escritório

R$ 546,52

Arrecadação

R$ 674,50

Lanches e refeições

R$ 441,25

Doações

R$ 127,30

Despesas com transporte

R$ 23,40

Patrocínio

R$ 50,00

Compra de cestas

R$ 110,49

Venda de comestíveis

R$ 534,60

Compra de comestíveis

R$ 359,38

Juros ativos

R$ 14,64

Publicidade

R$ 50,00

Total

R$ 1.688,04

Total

R$ 1.531,04

Gráfico 23: Receitas

Gráfico 24: Despesas

Gráfico 24: Despesas

Gráfico 25: Comparação entre Receitas e Despesas

Gráfico 25:Comparação entre Receitas e Despesas

Total de Receitas R$ 1.688,04

Total de Despesas R$ 1.531,04

10. ÁREA DE MARKETING - Definição

 

            Basicamente, todas as empresas fazem duas coisas: desenvolvem um produto ou um serviço e comercializam. Até a pouco tempo a palavra vendas poderia ter sido usada como sinônimo da palavra marketing. Todavia, a diferença entre as duas palavras é essencialmente a diferença entre uma economia moderna, em que seus cidadãos têm uma escolha de produtos e serviços que atendam a necessidades específicas, e uma economia em que as pessoas têm pouca ou nenhuma escolha. Hoje, as características e atributos dos bens e serviços são determinados pelos consumidores que participam do processo de decisão de compra. Os economistas dão o nome de utilidade a este conceito de satisfação de necessidades. Enquanto os produtos satisfazem economicamente os desejos do consumidor, pode-se dizer que têm utilidade e continuarão a ser produzidos. Os que deixam de satisfazer não serão comprados e, pôr fim, serão forçados a sair do mercado. Porém, se satisfizerem as necessidades econômicas e não as psicológicas exigidas pelo consumidor, também terão de ser retirados do mercado.

            Foi o conceito de utilidade econômica que levou empresas modernas ao desenvolvimento do marketing, cuja função é planejar, desenvolver, fixar preço, promover e distribuir bens e serviços. Foi o conceito de satisfação das necessidades humanas que deu origem à própria existência de marketing.

            Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros, pois o pensamento de marketing começa com as necessidades e os desejos humanos. As pessoas necessitam de alimento, ar, água vestuário e abrigo para sobreviver. Além disso, tem forte desejo por recreação, educação e outros serviços. Tem preferências marcantes por versões e marcas específicas e bens e serviços básicos.

            Necessidade humana é um estado de privação de alguma satisfação básica. As pessoas exigem alimento, vestuário, abrigo, segurança, sentimento de posse, auto estima e algumas outras coisas para sobrevivência. Estas necessidades não são criadas pela sociedade ou pelas empresas, existem na delicada textura biológica e são inerentes à condição humana.

10.1 PÚBLICO - ALVO: Identificar e Atingir

 

A análise do  público  alvo é de extrema importância, pois é para quem você vai vender o seu produto ou serviço.

A empresa deve observar as características do seu produto como valor, qualidade, acesso rápido para o cliente entre outros, pois é através disso que a mesmas conseguirão definir qual o perfil do cliente capaz de possuir o seu produto ou serviço.

Depois destas identificações fica mais fácil realizar um planejamento de marketing que consiga atingir de forma mais eficaz e rápida o consumidor ideal para o seu produto ou serviço.

Para termos um melhor entendimento, temos que analisar as características da campanha publicitária e  verificar que tipos de pessoas seriam mais influenciadas  pelas mesmas.

A Consultoria Inovat possui como público alvo as organizações do Terceiro Setor, como a Associação Estrela Azul. Tendo em vista que esse público possui uma maior seriedade, devido ao trabalho desenvolvido e ao aspecto social, o marketing da Consultoria Inovat busca atrai esse público demonstrando confiança e comprometimento.

   

10.2 IDENTIFICAÇÃO DAS NOVAS TENDÊNCIAS

 

O marketing tem que acompanhar  as tendências de mercado, fazendo análises estatísticas sobre a renda do cliente no futuro, suas necessidades, o custo do produto no futuro, adequações do produto para o futuro, qual o público mais interessante para o seu produto hoje, como atingir o público alvo em mercados nacionais e internacionais. 

Hoje, pode-se observar o crescimento do Terceiro Setor no mercado. A Consultoria Inovat trata-se de uma nova tendência e o seu marketing visa desenvolver, de acordo com a característica de tais organizações, uma política atrativa e saudável.

10.3 Organograma do Departamento

10.4 Logotipo

Logotipo refere-se à forma particular como o nome da marca é representado graficamente, pela escolha ou desenho de uma tipografia específica.

Sendo assim, o logotipo é uma assinatura institucional, a representação gráfica da marca. Por isso ela deverá aparecer em todas as peças gráficas feitas para a empresa. Como toda assinatura, o logotipo precisa seguir um padrão visual que a torna reconhecida onde quer que ela seja estampada.

10.4.1 Logotipo da Consultoria Inovat

Figura 3: Logotipo da Inovat Consultoria

10.4.1.1 O significado do logotipo Inovat

A forma circular é o símbolo da regularidade e sabedoria. É,ainda, a representação da perfeição e harmonia.

A variação da cor azul nos remete um efeito calmante. O azul é a cor da purificação, do bem estar e raciocínio lógico. O azul claro transmite jovialidade, enquanto o azul escuro traz uma imagem saudável, de seriedade e potencialidade.

A cor verde da palavra “Consultoria” transmite tranqüilidade e representa a natureza. Tranqüilidade, uma vez que a Consultoria Inovat pretende passar paz e segurança aos seus clientes, e a natureza é a representação da responsabilidade ecológica da empresa.

O preto é a cor do poder, induz a sensação de elegância e seriedade.

Por fim, o branco remete a paz, sinceridade, pureza, inocência e calma.

10.5 Slogan

O slogan é uma frase curta usada como uma identificação de fácil memorização agregado a um produto ou serviço.

Modernamente, a publicidade e a propaganda utilizam o ’slogan’ como forma de destacar os atributos, vantagens entre outras na complementação de uma mensagem comercial. Na propaganda o ’slogan’ tem a finalidade de manter-se na mente do consumidor ratificando certas características.

O slogan está associado à imagem, à linguagem escrita e estética transcendendo a materialidade o produto ou serviço, transformando-se no afirmativo indicador dos atributos enunciados no texto publicitário.

10.5.1 Slogan da Consultoria Inovat:

Inovando com você!”

O próprio nome da empresa, Inovat, transmite uma idéia de inovação. Para a criação do slogan, buscou-se aproximar a inovação proporcionada pela empresa ao seu cliente. “Inovando com você”, significa, portanto, o trabalho constante da Inovat na empresa que utiliza seus serviços.

10.6 Canais de Comunicação

A comunicação de uma organização deve ser planejada, tanto para facilitar sua gestão, melhorar a produtividade do ambiente organizacional e conseguir transmitir seus ideais, seu trabalho e valores de forma consistente, quanto para evitar que sua imagem seja construída de forma negativa ou distorcida.

O marketing da Consultoria Inovat procurou utilizar como canais de comunicação ferramentas simples e objetivas, que pudessem surtir grande efeito em seu público alvo. São elas:

  • Banner

Figura 4: Banner da Inovat Consultoria

O banner elaborado atrai o público devido o seu design sofisticado e ao conteúdo abordado de forma clara, uma vez que é descrito o papel da empresa e a sua importância em relação ao cliente. As cores utilizadas são as que predominam na Consultoria e as imagens caracterizam o aspecto de inovação.

  • Panfleto

A distribuição de panfletos é uma estratégia que nunca sai de moda.Um grande número de pessoas é atingido por essa comunicação e por isso foi elaborado um panfleto simples, entretanto com poder de efeito.

Figura 5: Folheto da Inovat Consultoria

  • Cartão de visita

Figura 6: Cartão de Visita da Inovat Consultoria

  • Site

O website passou a ser o grande canal de comunicação e posicionamento da marca. É nele que os consumidores e curiosos vão atrás da informação ou produto da sua empresa. E ser relevante não significa impor a todo o instante seu produto ou serviço ao consumidor. O consumidor o escolherá baseado também no que você oferece a mais.

Tendo em vista o grande número de adeptos ao mundo virtual, é imprescindível a existência de um site da empresa. Neste site, o cliente poderá conhecer por si só a empresa, assim como obter melhores informações sobre os serviços prestados e como estar aderindo aos mesmos.

Conteúdo do site:

  • A História da Consultoria Inovat;

  • Sua Missão, Visão e Valores;

  • A Responsabilidade Social e Ecológica da empresa;

  • Os serviços oferecidos;

  • Principais clientes (Associação Estrela Azul);

  • Contatos;

  • Localização.

10.7 Patrocínios

O patrocínio trata-se de um auxílio prestado por outra organização, o qual consiste em uma troca de interesses. A Consultoria Inovat contou com a colaboração de algumas organizações, sendo que foi oferecido a estas a oportunidade de divulgar suas marcas em banners e panfletos, em troca de recursos para o desenvolvimento do trabalho. São elas:

  • Instituto Henfil

Foi de suma importância a sua colaboração com as camisetas contendo o logotipo da Inovat.

Figura 7: Logomarca do Instituto Henfil.

  • Gráfica G.A

Prestou-nos auxílio com a impressão de 5000 panfletos, material importante para a divulgação

Figura 8: Logomarca da Gráfica G.A.

  • IFEEC

Colaborou com recurso financeiro, utilizado no pagamento do banner.

Figura 9: Logomarca do IFEEC.

  • Diby’ Car

Auxiliou com recursos financeiros, utilizados na preparação do Coffee Break.

Figura 10: Logomarca da Diby’ Car

  • Cantina do Colégio Barão de Mauá (Tenório)

Colaborou na elaboração do Coffe Break, proporcionando refrigerantes.

Figura 11: Logomarca do Colégio Barão de Mauá

10.8 Área de MARKETING e a Associação Estrela Azul

Objetivo: Divulgação da Associação Estrela Azul

O marketing da Associação Estrela azul é o setor menos eficiente da Associação. Visando melhorar essa situação, criamos alguns projetos:

  • Campanha de Arrecadação de Livros

A Estrela Azul possui um projeto para melhorar a biblioteca e torná-la mais atrativa aos alunos. A biblioteca possui alguns livros, mas o objetivo é que se consigam livros de leitura.

Observando essa necessidade, elaboramos o projeto para uma campanha de arrecadação de livros que, além de atingir o objetivo de renovar a biblioteca, seria também uma forma de divulgar a Associação Estrela Azul.

Esta campanha buscaria pontos de arrecadação como supermercados, shoppings, comércios em geral e principalmente escolas, particulares ou públicas.

A campanha terá cartazes explicativos sobre a Associação e, finalidade da arrecadação e as datas de recolhimento dos livros.

  • Criação de Novo Site

A Estrela Azul possui um site que está desatualizado e faltam muitas informações sobre a ONG e seus projetos, sendo também de difícil acesso na web. Sugerimos que seja criado um novo site, pois o atual não poderia ser modificado já que não foi elaborado pela Associação Estrela Azul.

O site deverá conter a história, a finalidade da ONG e seu funcionamento, detalhamento das atividades, novas metas e as que já foram atingidas, patrocinadores e associados, informações sobre endereço, telefone, etc.

  • Renovação da Logomarca

A logomarca da Associação poderia ser renovada para que ficasse mais atrativa e correspondesse com a ideologia e história da Estrela Azul. Poderia ser renovada com pequenas modificações ou alterada.

10.8.1 Projeto Campanha de Arrecadação de Livros infanto-juvenis

Observando o desejo da Associação Estrela Azul para a criação de uma biblioteca, contando com um acervo de livros para a literatura infanto-juvenil e gibis, decidiu-se, de acordo com a viabilidade e supostos resultados, elaborar uma campanha para arrecadação de livros. Tal campanha possui como objetivo principal a utilização de ferramentas do marketing, por meio da divulgação do nome da Associação Estrela Azul, item indispensável para o seu desenvolvimento. Em contrapartida, não seria apenas um processo de marketing, e sim de auxílio à ONG, uma vez que a proposta da campanha arrecadaria benefícios de extrema importância para os envolvidos.

Metas

1. Atingir o maior número de pessoas possível, para divulgar a existência da ONG, assim como esclarecer a sua funcionalidade.

2. Arrecadar livros infanto-juvenis e gibis, para auxiliar a Associação na construção de uma biblioteca.

Lugares de realização

  1. Escolas da rede pública e privada, destinadas ao ensino médio e principalmente, ensino fundamental.

  2. Editoras e livrarias do município de Mauá, assim como da região do ABC.

Nome da campanha:

“Conhecimento é tudo, passe adiante”

Execução do projeto

  1. Estipular quais e em quantos locais dar-se-á a Campanha, para a preparação correta e suficiente dos materiais de divulgação.

  2. Elaborar os materiais necessários: cartazes e caixas (ponto para depósito de livros).

  3. Buscar patrocínios, com a finalidade de obter recursos para o desenvolvimento do projeto, pois existem custos para a sua devida elaboração. O apoio de gráficas que possam contribuir com os cartazes é fundamental.

  4. Elaborar um ofício destinado às organizações a que serão pedidas o auxílio (escolas, editoras)

  5. Determinar um prazo para a arrecadação nos locais previstos.

  6. Contar com a possível ajuda de alunos e associados da Estrela Azul, para um melhor resultado nas arrecadações

Símbolo da Campanha

Para simbolizar a campanha foram sugeridas no departamento as seguintes ilustrações:

Figura 12: Menino com um livro Figura 13: Livros coloridos Figura 14: Garoto sentado com um livro

Figura 15: Menino e menina na escola Figura 16: Menina lendo um livro

Entretanto, visando uma melhor simbolização, onde a ilustração representasse crianças de ambos os sexos e as cores estivesse relacionadas a AEA, foi escolhido o seguinte desenho:

Figura 17: Menino e Menina com livro – Desenho escolhido

Material para a execução da Campanha

  • Cartazes

End. Rua Francisco Toledo, 112 - Jd. Zaíra - Mauá – SP

Fone: 11 4519-6615

e-mail: aea.estrelazul@terra.com.br

Figura 18: Cartaz da Campanha

  • Caixas que estarão localizadas em pontos estratégicos de arrecadação

End. Rua Francisco Toledo, 112 - Jd. Zaíra - Mauá – SP

Fone: 11 4519-6615

e-mail: aea.estrelazul@terra.com.br

Figura 19: Caixa da campanha

10.8.2 Projeto Novo do Site da AEA

            O novo site da Associação Estrela Azul tem por objetivo mostrar um pouco mais sobre a Associação de uma forma em que variados públicos possam ter acesso. Pelo fato de o site atual não ser responsabilidade da AEA, o projeto em questão foi resolvido da seguinte forma: fazer um novo site com o objetivo de atrair um público maior, visando a conscientização desse público, ou seja, para que as pessoas possam se sentir mais úteis e presentes no trabalho que esta ONG tem realizado, apesar de muitos não terem nenhum conhecimento sobre isto.

            Com esse objetivo, resolvemos fazer um site interativo e desenvolvido para todo e qualquer tipo de público.             O site irá conter:

  • História da Associação;

  • O que é a Associação Estrela Azul

  • Como ela funciona – O que exatamente essa ONG faz;

  • Quais são seus objetivos, missão, metas e valores;

  • Quais são suas atividades – detalhá-las

  • Explicar como fazer para participar sendo: aluno; estagiário; voluntário e Associado;

  • Relatar quais são seus associados, parceiros, patrocinadores e/ou alguma outra pessoa ou entidade que tenha ajudado de alguma forma;

  • Como entrar em contato com AEA, colocando informações de endereço, telefone e um mapa de como chegar até ela;

  • Objetivos e metas já alcançados, podendo dar oportunidade para todos, saber quais foram os resultados obtidos, até mesmo para quem investe e não sabe direito no que está investindo, também se tornando um convite para aqueles que gostariam de ajudar e não sabem se terão resultado.

            Sobretudo o site tem por objetivo divulgar o trabalho que a Associação Estrela Azul tem feito e irá fazer, para que todos possam ter conhecimento disto.

10.8. 3 Projeto Concurso do Logotipo da AEA

CONCURSO DO LOGOTIPO DA ASSOCIAÇÃO ESTRELA AZUL

Concurso “INOVAR É UMA ARTE!”

Participar também faz parte!

O Concurso “Inovar é uma arte” objetiva o desenvolvimento de uma sugestão para a renovação do logotipo da Associação Estrela Azul. Ele foi desenvolvido com os alunos da Etec de Mauá dos cursos técnicos de Administração (1º e 2º módulos) e Informática (1º, 2º e 3º módulos).

Regras:

  1. Concurso válido somente para os alunos da ETEC Mauá;

  2. Fica estritamente proibida a participação dos alunos da turma do 3° módulo do curso de Administração da ETEC Mauá;

  3. Só será aceito os desenhos de alunos inscritos até o dia 3 de outubro de 2008;

  4. A data pré-estabelecida para a entrega do logo será até o dia 31 de outubro de 2008;

  5. Deverá ser entregue junto ao logo uma explicação por escrito das formas, cores e desenhos utilizados na elaboração do mesmo;

  6. O tamanho mínimo para o logo será de 10x10 cm, não será aceito, portanto, desenhos de dimensões menores;

  7. O logo deverá ser entregue em folha de tamanho A4, na cor branca e o desenho sendo impresso;

  8. Cada candidato terá o direito de desenvolver e entregar até três desenhos;

  9. O não cumprimento destas regras acarretará na desclassificação do candidato;

  10. Para mais informações envie um e-mail para adm.etecmaua@hotmail.com ou comunique-se com a comissão organizadora do concurso do 3° ADM.

Logotipo atual da Associação da Estrela Azul:

Figura 20: Logotipo da Associação Estrela Azul

Logotipo sugerido:

Figura 21: Logotipo sugerido por aluno da Etec de Mauá

O Logotipo sugerido foi o vencedor no Concurso do Logotipo da Associação Estrela Azul, desenvolvido pela aluna da Etec de Mauá Priscila Rios do 1º módulo de Informática.

  1. ÁREA DE RECURSOS HUMANOS

Os Recursos Humanos cuidam do bem mais precioso da empresa: as pessoas. Ele é o responsável por gerar condições de trabalho prazerosas, que estimulem o funcionário a adquirir em seu trabalho um avanço em suas experiências nas relações humanas profissionais.

Os Recursos Humanos é o departamento responsável por:

  • Motivar os funcionários.

  • Identificar os problemas entre os colaboradores da organização.

  • Eliminar os causadores de desconforto humano na organização.

  • Treinar e desenvolver as pessoas para que possam desempenhar suas tarefas sem dificuldades.

  • Avaliar as pessoas e divulgar essa avaliação a fim de promover o autoconhecimento de seu desempenho e a busca pela perfeição.

  • Criar um laço não só profissional mais também de amizade entre seus colaboradores.

  • Manter a remuneração dos colaboradores dentro do padrão justo de mercado.

11.1 Organograma do Departamento

11.2 Ficha de Admissão

Nome: Sara Marques Oliva

Data de Nascimento: 11/04/1991

Nacionalidade: Brasileira

Naturalidade: São Paulo

RG: 43.434.434-1

CPF: 434.434.434-11

CRM: 004

Estado Civil: Solteira

Endereço: Rua Gregório Matos Nº222

Cidade: Mauá – SP

CEP: 09330-750

Telefone: 4576-5408/8931-1245

E-mail: saah_marques@hotmail.com

Área administrativa: Diretoria

Ocupação: Vice-Diretora

Quem admitiu: Gabriela

Data da Admissão: 29/07/2008

Formação: Pós graduação em Administração

Salário: 3.605,00

Benefícios: vale refeição, convênio médico, assistência odontológica, cesta básica, seguro de vida.

Filhos: --------

11.3 CARGOS E SALÁRIOS – INOVAT CONSULTORIA

11.4 Descrição de cargos – Inovat Consultoria

11.4.1 Competências

Cargo: Estagiário/Auxiliar

Trabalho não qualificado: Tarefas padronizadas que requerem a aplicação de técnicas elementares.

Supervisão: A supervisão é constante

Experiência: Não requer experiência anterior

Cargo: Auxiliar/Encarregado

Trabalho semi qualificado: Tarefas rotineiras, porém diversificadas, que envolvem a aplicação de procedimentos padronizados

Supervisão: Recebe supervisão direta e acompanhamento na execução de tarefas difíceis

Experiência: Requer experiência de 1-2 anos

Formação: nível técnico ou cursando superior

Cargo: Encarregado /Secretária

Trabalho qualificado: Tarefas qualificadas que envolvem seleção e aplicação de procedimentos diversificados

Supervisão: Recebe supervisão indireta

Experiência: requer experiência de 3-4anos

Formação: Cursando superior.

Cargo: Supervisor /Consultores

Trabalho especializado: Tarefas especializadas, desenvolvidas a partir de conhecimentos de natureza técnica. Orienta na execução dos trabalhos.

Supervisão: Recebe supervisão geral

Experiência: 5-7anos

Formação: Superior

Cargo: Gerente

Trabalho executivo: Tarefas especializadas que indicam responsabilidade de planejar, organizar e conduzir equipes.

Experiência: 8-10 anos

Supervisão: Diretoria

Formação: cursando pós-graduação

Cargo: Diretor/Vice

Trabalho de natureza política: Tarefa altamente especializada que envolvem a formulação das políticas da empresa.

Experiência: 10 anos

Formação: Pós - graduação e cursos de especialização.

11.4.2 Funções

Função da Diretora

  • Manter figura institucional

  • Representar a empresa

  • Coordenar o dia-a-dia da organização

  • Explicar claramente as questões que estão sendo discutidas e examinar constantemente até onde a discussão chegou

  • Ser capaz de inspirar e motivar os colaboradores durante as reuniões

  • Controlar qualquer debate e assegurar que as pessoas não saiam do assunto

  • Permitir que fossem tomadas decisões de comum acordo

  • Assegurar que as discórdias e discussões não interfiram com o progresso contínuo do grupo

  • Deixar de lado os sentimentos pessoais e ter um bom discernimento em nome do grupo

  • Compartilhar as responsabilidades e o trabalho

  • Ser acessível incentivar a abertura

Função da Vice-Diretora

  • Auxiliar a Diretoria

  • Administrar os departamentos

  • Na falta da diretora tomar posse de sua autoridade concedida

Função da Secretária

  • Atender as pessoas que querem falar com seus superiores e verificar se ele quer atender ou não. É um filtro das demandas para ele.

  • Cuidar da agenda do Diretor e Vice e lembrar eles do compromisso e só agendar novos com a concordância dos mesmos

  • Fazer as ligações telefônicas solicitadas e repassar somente as que ele autorizar

  • Redigir os documentos (ofícios, memorandos) conforme instruída , expedir e receber documentos

  • Distribuir as ordens, marcar reuniões, cuidar do pagamento de contas e outras tarefas para auxiliar o trabalho da diretoria

Função Gerente

  • Criar condições de trabalho para sua equipe

  • Visualizar os ganhos da empresa

  • Escutar com exaustão os diagnósticos, sugestões e demandas do pessoal

  • Flexibilidade, capacidade de criação e adaptação

  • Ter conhecimentos e experiências multidisciplinares

Função do Supervisor

  • Manter e garantir perfeita gestão das pessoas

  • Possibilitar condições de executar as operações garantindo o melhor aproveitamento

  • Monitorar e confirmar atividades que estejam sendo realizadas como planejamento e que o pessoal de atendimento esteja seguindo diretriz

  • Observar o mercado, missão de gerir o relacionamento entre a administração e a capacidade de lidar com equipes

  • Estimular cada um dos integrantes a trabalhar de acordo com a estratégia da empresa

Função de Consultor

  • Liderar projetos

  • Identificar deficiências

  • Criar soluções

  • Analisar as empresas contratantes

Função de Encarregado

  • Ter espírito de liderança

  • Ser firme

  • Fazer com que todo o processo do seu setor funcione sem problemas

  • Manter o ambiente de trabalho agradável

Função de Auxiliares e Estagiários

  • Executar tarefas específicas

11.5 Avaliação de desempenho – Inovat Consultoria

Avaliação de desempenho é um importante meio de se identificar problemas internos de relacionamento, atrasos, falta de treinamento e motivação, entre outros.Também podemos identificar distorções, pois a casos que a pessoa acha que está indo bem e após receber o resultado vê que não é bem assim, desta maneira a pessoa pode ter sua chance de tentar melhorar.

A Inovat faz periodicamente avaliação de desempenho para:

  • Identificar o desempenho de cada funcionário

  • Promover o desenvolvimento continuo através do autoconhecimento

  • Identificar problemas de desempenho e suas causas

  • Ficar ciente de quem está apto para promoção e quem precisa melhorar para evitar demissão

  • Entre outros

O processo é feito com todos os funcionários da Inovat da seguinte forma:

  1. É explicado a todos que será feita a avaliação de desempenho, e que todos devem ser sinceros para podermos identificar o real desempenho de cada um. Os gerentes ficam responsáveis por essa explicação.

  1. Questionário

Os questionários contem perguntas abertas (dissertativas) e fechadas (alternativas). É através dele que vamos identificar como o funcionário avalia sua equipe e a si mesmo nos quesito competência, iniciativa, potencial, contribuição, etc.

Exemplo de questionário:

0

1

2

3

4

Tem um bom relacionamento com os colegas de trabalho

É pontual (na entrega de trabalhos)

É criativo

Cite 2 defeitos:___________________________________________________

Cite 2 Qualidades:________________________________________________

  1. Verificação

Nessa etapa o avaliador compara como o colaborador se avalia, com o que foi avaliado pelo aplicador(supervisor ou superior que tenha contato com aquela pessoa).E identifica distorções entre o que o colaborador pensa de si mesmo e o que os outros colaboradores acham.Gera um relatório a respeito.

  1. Reunião com o avaliador

Após feita a verificação, avaliador e avaliado se reúnem para discutir os pontos da avaliação, seus pontos fortes e fracos, as discórdias entre outros.

  1. Finalizado o processo.

11.6 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL - INOVAT CONSULTORIA.

11.6.1 Levantamento de necessidades de treinamento

Foi aplicado avaliação de desempenho em todos os departamentos da empresa.

Logo foi cadastrado que em alguns departamentos o nível de desenvolvimento esta abaixo do esperado, principalmente nos aspectos de motivação humana e relacionamentos interpessoais.

Será necessário a realização de treinamento.

11.6.2 Importância do treinamento para a Inovat

É importante para a empresa e para o funcionário a medida que proporciona a excelência do trabalho, a produtividade, a qualidade,o manuseio correto do material, capacitação profissional, melhoria no s relacionamentos interpessoais e integração.

11.6.3 Etapas do treinamento

Programação de treinamento para atender as necessidades dentro da empresa:

  1. O treinamento será realizado dentro da própria empresa e será organizado pelo departamento administrativo (responsável gerente Jaqueline)

  2. Todos os funcionários faro o treinamento

  3. Responsáveis pela aplicação do treinamento serão Débora e Deize do departamento de RH

  4. Responsável pela eficácia do treinamento é o gerente do RH Robson

  5. Tipos de treinamento que serão aplicados:

  1. Desenvolvimento de habilidades – objetivo: treinamento orientado diretamente para as tarefas a serem executadas no cargo. (responsável pela aplicação Deize)

  2. Desenvolvimento ou modificação de atitudes – objetivo: gerar mudanças de atitudes negativas para atitudes mais favoráveis entre os trabalhadores: aumento de motivação, desenvolvimento da sensibilidade do pessoal. (responsável pela aplicação Débora)

  3. Tempo de treinamento: serão realizados 5 Horas de treinamento, 30 minutos por dia após o serviço.

11.6.4 Estratégia de treinamento

A estratégia usada para a realização do treinamento foi a Exposição que tem por finalidade transmitir conhecimentos aos treinados através da linguagem verbal instrutores (responsáveis pela escolha da estratégia são os gerentes Robson e Jaqueline).

11.6.5 Recursos utilizados

Recursos áudio visuais: data show e transparências.

11.6.6 Resultados do treinamento.

Os resultados foram satisfatórios com aumento de produtividade em todos os departamentos, e uma maior motivação dos funcionários no desempenho de suas funções e melhor relação interpessoal. (responsável pela avaliação de resultados Alexandra RH)

A execução desse satisfatório treinamento foi do departamento Operacional e RH com a ajuda de todos os funcionários desses departamentos.

11.7 Processo de atração

1 – Na atração a Inovat utiliza o recurso de indicação de funcionário e divulgação em jornal de grande circulação aos fins de semana. ( Diário do Grande ABC)

2 – Os responsáveis envolvidos em cada ação: Alexandra entra em contato com o jornal para divulgação das vagas; Deize é a responsável pela seleção dos currículos e contato com os candidatos (e-mail, telefone); Débora entrevista os candidatos e aplica testes escritos, orais e práticos.

Os candidatos aprovados passam a seguir para a próxima etapa: dinâmicas em grupo (Débora e Deize).

Após dinâmica, o candidato aprovado apresentará documentação para admissão. Responsável: Alexandra.

11.7.1 Documentos

  • Carteira de Trabalho (CTPS)

  • Fotocópia do CPF, RG.

  • Certidão de casamento

  • Título de eleitor

  • 2 fotos 3X4

  • Comprovante de residência

  • Comprovante de escolaridade

  • Atestado de antecedente

  • Certidão de nascimento dos filhos menores de 14 anos

11.8 Processo de admissão

  1. Emissão do contrato de trabalho;

  2. Registro do contrato de trabalho na CTPS;

  3. Registro do empregado em fichas de registro, livro de registro eletrônico;

  4. Emissão dos documentos e declarações que amparam a admissão;

  5. Coleta da assinatura do empregado e do responsável menor de 18 anos

  6. Executar a integração do novo empregado;

  7. Cadastramento no PIS, quando se tratar do 1º

Documentos legais que amparam a contratação de empregados:

  1. Termo de responsabilidade para a concessão do Salário Família;

  2. Declaração de encargos de família para fins de Imposto de Renda;

  3. Acordo para a compensação de horas

  4. Acordo para a prorrogação de horas;

  5. Termo de compromissa para recepção de vale-transporte.

3 – Ao surgir a vaga, indagou-se dos funcionários se conheciam alguém no perfil para a vaga de auxiliar.

Como não houve indicação, foi decidido fazer uma contratação externa. Daí optou-se em anunciar no jornal Diário do Grande ABC.

11.8.1 Perfil do candidato

  • Preferencialmente cursando técnico em administração

  • Conhecimento em informática

  • Pessoa dinâmica

  • Experiência exigida – Sem necessidade de experiência anterior

  • Residir na região de Mauá ou proximidades

11.8.2 Dinâmica em grupo

Material: Bexigas

Descrição: Os candidatos recebem uma bexiga e são convidados a enchê-la. A seguir todos jogam a bexiga para cima sem deixá-la cair no chão.

Qual o comportamento do candidato que deixa a sua bexiga cair? Fica parado olhando os outros, ou vai ajudar seus colegas?

O candidato que se destacar em ajudar seus colegas a manter sua bexiga no ar, é o que será aprovado.

Objetivo da dinâmica: Avaliar a disposição dos candidatos em trabalhar em equipe.

11.8.3 Fluxograma do Processo de Admissão

11.9 Processo de Desligamento

Quando ocorre demissão de colaboradores, a Inovat promove:

11.9.1 Avaliação Psicológica

A psicologia da Inovat Débora, avalia o estado emocional do individuo,prestando toda a assistência necessária. Em caso de pedido de demissão do colaborador, é feito um estudo de caso pois,se o fato é devido a pressão no trabalho, problemas pessoais graves, ou qualquer outro motivo que se apresente mediante comprovação que o colaborador não está em condições psíquicas normais, Débora orienta que o mesmo descanse ou até mesmo um afastamento temporário se necessário, para que não ocorra tal demissão.Em casos de redução no quadro de colaboradores, é feita uma recomendação as empresas parceiras e também é registrada no arquivo de candidatos para uma possível recontratação futura.

11.9.2 Entrevista de saída

1. Faça uma avaliação da empresa em relação aos aspectos abaixo:

Relacionamento interpessoal

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

Estrutura física para trabalhar

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

Valores e normas da empresa

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

Planejamento, organização e metas estabelecidas

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

Seu superior imediato

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

A direção da empresa

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

Oportunidade de treinamento e crescimento

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

Seu salário e benefícios oferecidos

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

Sua atividade

( ) Excelente ( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( ) Ruim

  1. Você trabalharia na empresa novamente? Por quê?

  1. O que você deixaria como contribuição para o processo de melhoria da empresa?

Pede-se os documentos para o desligamento

Documentos necessários para o desligamento:

  • Carteira de trabalho

  • Cópia do pedido de demissão

  • Carta do aviso prévio ( quando trabalhado)

  • Exame médico demissional

  • Formulário de seguro desemprego

  • Extrato atualizado do FGTS

  • 12 últimos holerites

É preenchida a ficha de registro:

Nome: Função:

Data de admissão: Data de demissão:

Tempo na empresa/função:

Superior imediato:

Data da entrevista:

Parecer entrevistador:________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

11.10 Projeto de Avaliação de Desempenho

Após visitarmos a AEA constatamos que ela não possui Avaliação de Desempenho, por isso decidimos criar um projeto para que fosse implantado, pois é um importante meio de identificar problemas internos de relacionamento, atrasos, falta de treinamento e motivação, entre outros. Também podemos identificar distorções, pois a casos que a pessoa acha que está indo bem e após receber o resultado vê que não é bem assim, desta maneira a pessoa pode ter sua chance de tentar melhorar.

No projeto são desenvolvidos:

1. Perguntas abertas e fechadas para identificar as deficiências da ONG

  1. Vídeo explicativo (ao avaliador e aos avaliados)

  2. Verificação da avaliação de desempenho

  3. Reunião com o avaliado

    1. Questionário

O questionário possui perguntas abertas (dissertativas) e fechadas (alternativas). É através dele que vamos identificar como o funcionário avalia sua equipe e a si mesmo nos quesitos competência, iniciativa, potencial, contribuição, etc.

2. Vídeo

As ONGs de forma geral não têm uma mão-de-obra especializada para aplicar a Avaliação de Desempenho. Pensando nisso desenvolvemos um vídeo explicativo orientando aplicador de como deve ser aplicado, avaliado, o que deve ser passado para os avaliados, de que forma, etc. Assim como um vídeo para os avaliados, explicando brevemente que, para fins de avaliação de desempenho, não se deve levar fatores pessoais em conta, não se deve mentir, etc.

3. Verificação

Nessa etapa o avaliador compara como o funcionário se avalia com o que foi avaliado pelo aplicador (supervisor ou superior que tenha contato com aquela pessoa). E identifica distorções entre o que o funcionário pensa de si mesmo e o que seus supervisores acham. Gera um relatório a respeito. No vídeo se aborda como deve ser feito.

4. Reunião com os avaliadores

Depois de feita a verificação, avaliador e avaliado se reúnem para discutir os pontos da avaliação, no vídeo explicativo estão às informações necessárias para desenvolver com sucesso esta etapa.

11.11 Projeto de Descrição de Cargos

A AEA não possui Descrição de Cargos, apresentamos então uma descrição para os cargos da organização, importante para que cada um colaborador saiba suas responsabilidades e seus limites; isso ajuda evitar que duas pessoas façam a mesma coisa 2 vezes, como já aconteceu na ONG.

É um projeto simples, criamos o perfil de ocupação da vaga (usado para atração) e uma resumida descrição da função. Entre estas informações estão:

  • Quantidade de pessoas que trabalham no cargo

  • Área (Administrativa, Marketing, etc.)

  • Cargo (Presidente, Diretora operacional etc)

  • Descrição da função. Ex: Presidente- Dirigir negócios da empresa, analisar as áreas de Finanças, Marketing, RH e verificar os resultados obtidos.

  • Perfil do cargo contendo: Idade, Formação, Sexo, entre outras.

  • Salário

11.11.1 Descrição de cargos e funções da AEA

  • Coordenadora de Projetos

Formação: Superior na Área de Humanas.

Experiência: Desejável experiência de 5 anos na área administrativa e de coordenação de projetos.

Funções:

  • Definir e divulgar o calendário de projetos do ano/semestre.

  • Avaliar trabalhos.

  • Fazer com que cumpram seu cronograma.

  • Elaborar trabalhos com jovens, famílias e a comunidade.

  • Coordenar ações de voluntário.

  • Implantar projetos e avaliações dos resultados pedagógicos.

  • Coordenadora administrativa

Formação: Superior na área de Humanas (Administração, Ciências Contábeis, etc.).

Experiência: 2 anos.

Funções:

  • Articular e realizar ações administrativas.

  • Acompanhar e registrar: fichas individuais dos jovens.

  • Realização de matrículas, ofícios e dentre outros documentos.

  • Participação continuada e formação inicial.

  • Sistematizar o controle de freqüência dos jovens.

  • Trabalhar em conjunto com o coordenador Pedagógico e Auxiliar Administrativo.

  • Responsabilizar pelos registros, gestão financeira e recursos humanos.

  • Coordenador Pedagógica

Formação: Superior em Pedagogia.

Experiência: 1 a 3 anos na área.

Funções:

  • Assessorar os professores e educadores no desenvolvimento da proposta pedagógica.

  • Elabora projeto político pedagógico da unidade em parceria com a direção e corpo docente.

  • Supervisão escolar.

  • Visão estratégica.

  • Organizar capacitação para professores.

  • Dar atendimento a pais e alunos.

  • Dar sustentação pedagógica para os professores.

  • Viabilizar proposta curricular com os demais educadores.

  • Auxiliar Administrativo

Formação: Curso Técnico Administrativo ou superior.

Experiência: 1 ano.

Função:

  • Realizar tarefas e rotinas administrativas.

  • Atendimento e contato telefônico.

  • Auxiliar no controle de gestão dos recursos financeiros e logísticos da unidade.

  • Digitação de documentos oficiais (ATA, memorando e ofício).

  • Controle do livro ponto.

  • Zelo e organização do material da associação.

  • Conhecimento no Pacote Office e Outlook.

  • Estagiário de Educação Física

Formação: Cursando superior em Educação Física (ideal: 2ºSemestre).

Experiência: sem necessidade de experiência prévia.

Função: Complexidade do estágio.

Nível 1: Atividades simples:

  • Observação e participação como auxiliar do profissional orientador, identificação e conhecimento do ambiente de trabalho e dos equipamentos e materiais.

  • Identificação dos serviços prestados pelos profissionais da área.

  • Conhecimentos dos conceitos da profissão de educação física nas suas diversas manifestações; conhecimentos teóricos e domínio de habilidades necessárias ao processo de intervenção profissional; relacionamento humano próprio do ambiente de trabalho e identificação de responsabilidades.

  • Executar procedimentos pré-estruturados que permitam atingir os objetivos e execução de ações auxiliares sobre a supervisão do profissional orientador.

Nível 2: Atividade complexa:

  • Execução de tarefas auxiliares sob a supervisão do profissional orientador.

  • Conhecimento da metodologia e técnicas de execução e análise de habilidades e exercícios fisiocorporais.

  • Acompanhar o desenvolvimento das aulas e executar atividades auxiliares para o professor responsável.

  • Conhecimento do conteúdo e objetivos da Educação Física escolar.

  • Educadora de Reforço Escolar

Formação: Superior em Pedagogia (ou cursando o 2º semestre).

Experiência: 1 ano.

Funções:

  • Habilidades de detectar dificuldades nas disciplinas (de aprendizagem do aluno).

  • Sanar todas as dúvidas existentes na sala de aula.

  • Fazer triagem de alunos em dificuldade de aprendizagem.

  • Analisar se os alunos sofrem de alguma deficiência (dislexia ou algo parecido).

  • Dar suporte a disciplina de dificuldade.

  • Fazer um acompanhamento da aprendizagem.

  • Cozinheira

Formação: 1º grau.

Experiência: 1 a 2 anos na área.

Funções:

  • Trabalho de acordo com as especificações da nutricionista.

  • Professor de Educação Física

Formação: Superior em Educação Física.

Experiência: 1 ano.

Função:

  • Participar da elaboração da proposta pedagógica da Associação.

  • Elaborar programas e planos de aula, selecionando o assunto e determinando a metodologia.

  • Aplicar as aulas.

  • Educadora de Artes

Formação: Superior em Educação Artística ou mais de 80 horas de curso na área em que vai atuar.

Experiência: 1 ano.

Função:

  • Participar da elaboração da proposta pedagógica da Associação.

  • Elaborar programas e planos de aula, selecionando o assunto e determinando a metodologia.

  • Aplicar as aulas.

12. ÁREA JURÍDICA - Definição

É uma unidade de negócio independente dentro da organização. Isso significa que pode ser visto como uma entidade imparcial em qualquer disputa interna e oferecer a melhor assessoria em benefício da empresa como um todo.

Os objetivos da área jurídica devem estar alinhados com os da empresa,caso contrário não contribuem para o sucesso dela. A competência essencial do departamento jurídico está atrelada ao seu contexto organizacional, o papel do departamento está se tornando cada vez mais importante, suas crescentes responsabilidades são o resultado de um maior envolvimento em todo o negócio e da sua participação na tomada de decisões estratégicas. Para desempenhar este papel de modo efetivo, o departamento jurídico deve contar com certo grau de independência para oferecer assessoria imparcial para o bem de toda empresa, e não só para um determinado departamento. A função jurídica é, mais do que nada, transparência e acordos e, por esse motivo, a equipe jurídica interna precisa ser um exemplo para o resto da organização. Finalmente, o segredo do sucesso é uma boa comunicação com a diretoria da empresa e com os seus demais colaboradores.

12.1 Organograma do Departamento Jurídico

12.2 Contrato Social

Contrato de Constituição de:

RTD, CONSULTORIA A ATIVIDADES DO TERCEIRO SETOR LTDA

CLÁUSULA I – DOS SÓCIOS

1.  GABRIELA AUGUSTO MACHADO, brasileira, solteira, nascida em 16/04/1989, Administradora, CPF 407.097.458-00, RG 47.371.200-3, residente e domiciliada a Rua Eça de Queiroz,134, Jardim Miranda, Mauá, São Paulo, CEP 09320-270.

2.  SARA MARQUES OLIVA, brasileira, solteira, nascida em 23/05/1989, Administradora, CPF 380.135.358-35, RG 33.605.629-1, residente e domiciliada a Rua Gregório Matos,222, Feital, Mauá, São Paulo, CEP 09330-750.

CLÁUSULA II – DENOMINAÇÃO

A sociedade denomina-se “RTD, CONSULTORIA A ATIVIDADES DO TERCEIRO SETOR LTDA”.

CLÁUSULA III – SEDE SOCIAL

A Sociedade terá sede na Rua Jundiaí, 203, Jardim Haydée, Mauá, São Paulo CEP 09370-180.

CLÁUSULA IV – OBJETO SOCIAL

A sociedade terá por objeto social a exploração do ramo de Atividade de Prestação de Serviços Organizacionais.

CLÁUSULA V – DO INÍCIO DAS ATIVIDADES E PRAZO DE DURAÇÃO.

A sociedade terá inicio em suas atividades em 26/05/2008 e seu prazo de duração é indeterminado.

CLÁUSULA VI – CAPITAL SOCIAL.

O Capital Social é de R$ 1500.000,00 divididos em 750.000 quotas de R$ 1,00 (um real) cada uma, totalmente integralizado em moeda corrente do país, assim distribuído

SÓCIOS QUOTAS VALOR

GABRIELA AUGUSTO MACHADO 750.000 750.000,00

SARA MARQUES OLIVA 750.000 750.000,00

TOTAL..................................................................1.500.000 1.500.000,00

A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social. (art. 1.052, CC/2002).

As quotas são indivisíveis e não poderão ser cedidas ou transferidas a terceiros sem o consentimento do outro sócio, a quem fica assegurado, em igualdade de condições e preço, direito de preferência para a sua aquisição se postas à venda, formalizando, se realizada a cessão delas, a alteração contratual pertinente.

CLÁUSULA VII – DA ADMINISTRAÇÃO

A administração da sociedade caberá a todos os sócios, em conjunto ou separadamente, com poderes e atribuições de realizarem todas as operações para consecução de seu objeto social, representando a sociedade ativa e passivamente, judicial e extrajudicialmente. Os administradores ficam autorizados a usarem o nome empresarial, vedado, no entanto, o uso em atividades estranhas ao interesse social ou assumir obrigações, seja em favor de qualquer dos quotistas ou de terceiros, bem como onerar ou alienar bens imóveis da sociedade, sem autorização do outro sócio. Os sócios poderão eleger administrador e gerente assim que desejarem.

Para realização de empréstimos junto a quaisquer instituições financeiras, deverão ter autorização de todos os sócios.

CLÁUSULA VIII – DO EXERCÍCIO SOCIAL – BALANÇOS

Ao término da cada exercício social, em 31 de dezembro, os administradores prestarão contas justificadas de sua administração, procedendo à elaboração do inventário, do balanço patrimonial e do balanço de resultado econômico, cabendo aos sócios, na proporção de suas quotas, os lucros ou perdas apurados.

Nos quatro meses seguintes ao término do exercício social, os sócios em reunião convocada e realizada de acordo com as regras da Cláusula XI, deliberarão sobre

as contas e designará administrador(es) quando for o caso. Caso a deliberação seja tomada através de documento firmado por todos os sócios, ficarão dispensadas a convocação e realização da mencionada reunião.

CLÁUSULA IX – FILIAIS.

A sociedade poderá a qualquer tempo, abrir ou fechar filial ou outra dependência, mediante alteração contratual assinada por todos os sócios

CLÁUSULA X – RETIRADAS DE PRO LABORE.

Os sócios, no exercício da administração da sociedade, poderão ter o direito a uma retirada mensal, a título de “pro labore”, em valor a ser fixado de comum acordo entre os sócios.

CLÁUSULA XI – DELIBERAÇÕES DOS SÓCIOS

As deliberações dos sócios serão tomadas em reuniões, atendido o quorum legal e exigido para cada matéria em discussão, devendo a convocação ser feita através de carta, com a prova do respectivo recebimento.

Parágrafo I – Fica dispensada a convocação se todos os sócios comparecerem ou se declararem, por escrito, que estavam cientes do local, data, hora e ordem do dia.

Parágrafo II – Se todos os sócios decidirem, por escrito, sobre a matéria que será objeto de reunião, ficará dispensada a realização dessa reunião.

CLÁUSULA XII – CESSÃO E TRANSFERÊNCIA DE QUOTAS

As quotas são indivisíveis em relação à sociedade e não poderão ser cedidas ou transferidas a terceiros sem o consentimento dos demais sócios, aos quais fica assegurado, em igualdade de condições e preço, o direito de preferência para sua aquisição, se postas à venda, formalizando, se realizada a cessão delas, a alteração contratual pertinente.

CLÁUSULA XIII – RETIRADA DE SÓCIOS

No caso de um dos sócios desejar retirar-se da sociedade, deverá notificar os outros, por escrito, com antecedência mínima de 60 (sessenta) dias, e seus haveres, apurados em balanço especial, serão pagos em 20 (vinte) prestações iguais e sucessivas, vencendo-se a primeira após 60 (sessenta) dias da data do balanço especial.

CLÁUSULA XIV – FALECIMENTO DE SÓCIOS

Falecendo qualquer sócio, a sociedade continuará suas atividades com os herdeiros e sucessores. Não sendo possível ou inexistindo interesse destes ou dos sócios remanescentes, o valor de seus haveres será apurado e liquidado com base na situação patrimonial da sociedade, à data da resolução, verificada em balanço especialmente levantado, específico para esse fim. Os haveres serão pagos nos prazos previstos na parte final da cláusula XIII.

Parágrafo único - O mesmo procedimento será adotado em outros casos em que a sociedade se resolva em relação a seu sócio.

CLÁUSULA XV – DAS DECLARAÇÕES

Os sócios declaram, sob as penas da lei, de que não estão impedidos de exercer a administração da sociedade, por lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrarem sob os efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, fé pública, ou a propriedade.

DISPOSIÇÕES FINAIS

Os casos omissos ou não expressamente estabelecidos neste contrato social, serão regidos pela legislação civil e comercial em vigência.

E por estarem assim justos e contratados assinam o presente instrumento em 3 (três) vias de igual teor e forma na presença de duas testemunhas, sendo em seguida encaminhado a Junta Comercial do Estado de São Paulo para as devidas anotações.

MAUÁ, 26 DE MAIO DE 2008

______________________________________

GABRIELA AUGUSTO MACHADO

_____________________________

SARA MARQUES OLIVA

Testemunhas

_________________________

__________________________

Michelly Morlane Thamires de Araújo Lima

12.3 CNPJ

Comprovante de inscrição e situação cadastral

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica

Número da inscrição

98.623.552/0001-08

Comprovante de inscrição e de situação cadastral

Data de Abertura

26/05/2008

Nome Empresarial

RTD, Consultoria a Atividades do Terceiro Setor LTDA

Título do estabelecimento (Nome de fantasia)

INOVAT Consultoria

Código e descrição da atividade econômica principal

6920-6602 Consultoria Organizacional

Código e descrição das atividades econômicas secundárias

00.00-0-00 **************************************************************************

Código e descrição da natureza jurídica

224-0 Sociedade Simples Limitada

Logradouro

Rua Jundiaí

Número

203

Complemento

CEP

09370-180

Bairro/Distrito

Jardim Haydée

Município

Mauá

UF

SP

Situação cadastral

Ativa

Data da situação cadastral

28/05/2008

Motivo de situação cadastral

Situação especial

*************

Data da situação especial

****************

Aprovado pela instrução normativa RFB n°748, de 28 de Junho de 2008.

12.4 Inscrição Municipal

    1. Pedido de registro da marca junto ao INPI

             

     

    1. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA

IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATANTE: Associação Estrela Azul, com sede em Mauá, na Rua Francisco Toledo, nº 112, bairro Jardim Zaíra, Cep nº 09320- 790, no Estado de São Paulo, inscrita no C.N.P.J. sob o nº 50.136.076/0001-17, neste ato representado pelo sua diretora Paula de França Silva, brasileira, casada, advogada, Carteira de Identidade nº 28.999.863-3, e C.P.F. nº 279345708-64, residente e domiciliado na Rua Alexandre Moda, nº 514, bairro Jardim Zaíra, Cep nº 09358-110, Cidade de Mauá, no Estado de São Paulo;       

       

CONTRATADA: RTD Consultoria a Atividades do Terceiro Setor LTDA, com sede em Mauá, na Rua Jundiaí, nº 203, bairro Jardim Haydée, Cep nº 09370-180, no Estado de São Paulo, inscrita no C.N.P.J. sob o nº 98.623.552/0001-08,, neste ato representada pelo sua diretora Gabriela Augusto Machado, brasileira, solteira, administradora, Carteira de Identidade nº 47.371.200-3, e C.P.F. nº 407.097.458-00, residente e domiciliado na Rua Eça de Queiroz, nº 134, bairro Jardim Miranda, Cep nº 09320-270, Cidade Mauá, no Estado de São Paulo;        

As partes acima identificadas têm, entre si, justo e acertado o presente Contrato de Prestação de Serviços de Consultoria Técnica, que se regerá pelas cláusulas seguintes e pelas condições descritas no presente.

                

DO OBJETO DO CONTRATO 

      

Cláusula 1ª. É objeto do presente contrato, a prestação de consultoria técnica por parte da CONTRATADA à CONTRATANTE, sobre as seguintes áreas: administrativa, financeira, marketing, recursos humanos e jurídica.

          

DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA  

Cláusula 2ª. São deveres da CONTRATADA:            

a) Utilizar das técnicas disponíveis para a realização das atividades aliadas à consultoria, empregando seus melhores esforços na consecução da mesma.          

b) Disponibilizar uma equipe tecnicamente capacitada para a realização de levantamentos e desenvolvimento do projeto no âmbito da matéria da consultoria devida e nomear um coordenador desta equipe, responsável pela administração das atividades.       

c) Fornecer equipamentos, dependências e serviços que se fizerem necessários para a execução da consultoria, mediante remuneração.           

d) Administrar o presente contrato.        

e) Arquivar os documentos derivados do presente contrato e apresentá-los quando exigidos por quem de direito.  

f) Recolher tributos e contribuições previdenciárias que incidirem sobre as atividades do projeto, com recursos deste.      

g) Fornecer relatórios, constando resultados técnicos e estatísticos sobre a consecução do projeto, devendo ser entregue ao final do 4º (quarto) mês.   

        

DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE   

   

Cláusula 3ª. São direitos e deveres da CONTRATANTE:        

a) Realizar o pagamento conforme disposto na cláusula 4ª deste contrato.   

b) Participar, através de pessoa especialmente credenciada, das reuniões referentes a este contrato.     

c) Receber relatórios dos trabalhos, na forma e datas estabelecidas neste contrato.      

d) Pagar as despesas de viagens, por via aérea ou terrestre, incluindo gastos com hospedagem, dos representantes da CONTRATADA, previamente autorizadas pela CONTRATANTE, encontrando o referido representante a serviço do presente contrato.

DO CUSTO E DA FORMA DE PAGAMENTO      

     

Cláusula 4ª. O desenvolvimento completo do projeto por parte da CONTRATADA possui custo de R$15.993,60 a ser pago pela CONTRATANTE à CONTRATADA da seguinte forma: 15.993,60 (quinze mil, novecentos e noventa e três reais e sessenta centavos) em 6 (seis) parcelas iguais no valor de R$ 2.665,60 (dois mil seiscentos e sessenta e cinco reais e sessenta centavos) e pagas a cada dia 22 de cada mês, até quitadas todas as parcelas, iniciando a primeira no mês de agosto.    

DO PRAZO       

Cláusula 5ª. O prazo do presente contrato será de 6 (seis) meses, podendo ser prorrogado, se for do interesse das partes.

Parágrafo único. Caso seja prorrogado o presente contrato, deverá constar no mesmo o termo aditivo com os novos valores de remuneração que vigerá a partir de então.

DA RESCISÃO

Cláusula 6ª. Caso haja interesse na rescisão do contrato, a parte interessada notificará a outra, por escrito, com antecedência de trinta dias.

Cláusula 7ª. A rescisão do presente instrumento não extinguirá os direitos e obrigações que as partes tenham entre si e para com terceiros.

Cláusula 8ª. Pagará multa de 10% do valor deste contrato, corrigido no momento do pagamento, qualquer das partes que der causa à rescisão do presente contrato por não cumprir as obrigações aqui assumidas.

DA MULTA

Cláusula 9ª. A CONTRATANTE pagará multa de 2% do valor corrigido de cada parcela referida na cláusula 4ª deste contrato em caso de atraso no pagamento de qualquer parcela sem prejuízo de juros de mora à base de 1% (um por cento) ao mês, calculados pro-rata tempore entre a data do vencimento e a data do efetivo pagamento, além da correção monetária.

DOS DIREITOS À PROPRIEDADE INDUSTRIAL

Cláusula 10ª. Será produzido um relatório constando os resultados técnicos e estatísticos desta consultoria que somente poderão ser utilizados pelas partes para os fins do trabalho aqui contratado, salvo ajuste expresso em contrário.      

Cláusula 11ª. Caso da consultoria resulte invenção, descobertas, aperfeiçoamentos ou inovações, os direitos de propriedade pertencerão à CONTRATADA e aos autores do trabalho que gerou desenvolvimento tecnológico, nos termos da Lei nº 9.279/96 (Código de Propriedade Industrial) ou legislação aplicável.        

Cláusula 12ª. A equipe envolvida neste projeto se compromete a manter sigilo sobre os dados e informações decorrentes da consecução do presente contrato, salvo a CONTRATANTE autorize em contrário.

DAS CONDIÇÕES GERAIS

Cláusula 13ª. A CONTRATADA não possuirá horário fixo de entrada e saída na empresa, uma vez que não existirá vínculo empregatício.

Cláusula 14ª. É livre à CONTRATADA ter seus próprios clientes, fora do âmbito deste contrato.

DO FORO           

Cláusula 15ª. Para dirimir quaisquer controvérsias oriundas do contrato, as partes elegem o foro da comarca de Mauá;

Por estarem assim justos e contratadas, firmam o presente instrumento, em duas vias de igual teor, juntamente com 2 (duas) testemunhas.

MAUÁ , 07 de AGOSTO de 2008          

______________________________

Contratado: RTD, Consultoria a Atividades do Terceiro Setor

Diretora: Gabriela Augusto Machado

RG: 47.371.200-3

______________________________

Contratante: Associação Estrela Azul

Diretora: Paula de França Silva

RG: 28.999.863-3

______________________________

Testemunha

Jean Faria

RG:10.619.423

_______________________________

Testemunha

Claudio Milanez

RG: 10.708.27

12.7 Objetivos para a INOVAT Consultoria:

ISO 9000

  • É um projeto para a consultoria, que visa implantar o certificado de qualidade, para um melhor resultado nos serviços prestados.

Responsabilidade Social

  • Este projeto visa à conscientização social por parte para com a sociedade.

Objetivos para a Associação Estrela Azul:

Vigilância Sanitária

  • O Alvará da Vigilância Sanitária não está implantado na ONG, porém o processo já está em andamento, onde nós como funcionários da área jurídica, estamos auxiliando.

Isenção do INSS

  • Com a realização de visitas e pesquisas na Associação Estrela Azul, foi detectado que a Associação não tem isenção do INSS, porém o processo já está em andamento por parte da própria Associação.

Registro da marca

  • Este projeto é um passo a passo para o registro da marca,caso a AEA se interesse pela nova logomarca.

12.8 RELATÓRIO SOBRE O ISO 9000

As normas ISO 9000- Sistemas de qualidade - foram elaboradas, inicialmente, enfocando a necessidade de “manejo de qualidade”. Nessas normas, a qualidade é entendida como “todas as características de um produto ou serviço que são exigidas pelo consumidor” e o manejo de qualidade como “o que a organização necessita assegurar que seu produto tem em conformidade com as exigências do consumidor” (ISO, 2000). Mais que um diferencial de qualidade, a certificação ISO 9000 abre as portas do mundo globalizado para as empresas certificadas, uma vez que, ao adquirir produtos dessas empresas o consumidor tem a certeza que existe um sistema confiável de controle das etapas de desenvolvimento, elaboração, execução e entrega do produto, provido de um tratamento formalizado com o objetivo de garantir os resultados. Devido ao objetivo de atingir o mínimo de qualidade e transmitir a confiabilidade de um serviço transparente e seguro é que nós queremos obter a certificação da ISO 9000.

Planos de melhorias:

  • Maior capacitação dos colaboradores

  • Monitoramento do ambiente de trabalho

  • Verificação da satisfação dos clientes, colaboradores e fornecedores.

12.9 RESPONSABILIDADE SOCIAL

O comportamento das organizações vem ocasionando transformações na sua gestão. A gestão socialmente responsável está surgindo e com garantias de solidificar-se, uma vez que se trata de atitudes indispensáveis para a própria sustentabilidade organizacional. Esta disposição geral é produzida pela mobilização da sociedade, onde despontam, hoje, consumidores mais exigentes e conscientes da função social das empresas: a responsabilidade pelo desenvolvimento social do país.

Definição de responsabilidade social empresarial - coloca-se como:

“O compromisso contínuo nos negócios pelo comportamento ético que contribua para o desenvolvimento econômico, social e ambiental, pressupondo a realização de decisões empresariais que sejam resultado da reflexão sobre seus impactos sobre a qualidade de vida atual e futura de todos que sejam afetados pela operação da empresa”.

A Inovat Consultoria também integra esse grupo que se preocupa com o bem estar da sociedade. Com esse objetivo desenvolvemos alguns projetos iniciais que visam ajudar a população carente de Mauá, município em que está instalada nossa consultoria.

12.10 Projetos

  • Vigilância Sanitária

  • Isenção do INSS

12.10.1 VIGILÂNCIA SANITÁRIA

PORTARIA CVS/99 DE 10 DE MARÇO DE 1999

Regulamento técnico sobre os parâmetros e critérios para o controle higiênico-sanitário em estabelecimentos de alimentos.

OBJETIVO

O presente Regulamento estabelece os critérios de higiene e de boas práticas operacionais para alimentos produzidos / fabricados/ industrializados/ manipulados e prontos para o consumo, para subsidiar as ações da Vigilância Sanitária e a elaboração dos Manuais de Boas Práticas de Manipulação e Processamento.

Alguns dos procedimentos que devem ser respeitados:

Localização

Área livre de focos de insalubridade, ausência de lixo, objetos em desuso, animais, insetos e roedores. Acesso direto e independente, não comum a outros usos (habitação). As áreas circundantes não devem oferecer condições de proliferação de insetos e roedores.

Piso

Material liso, resistente, impermeável, lavável, de cores claras e em bom estado de conservação, antiderrapante, resistente ao ataque de substâncias corrosivas e que seja de fácil higienização (lavagem e desinfecção), não permitindo o acúmulo de alimentos ou sujidades.Deve ter inclinação suficiente em direção aos ralos, não permitindo que a água fique estagnada.

Paredes

Acabamento liso, impermeável, lavável, de cores claras, isento de fungos e em bom estado de conservação. Se for azulejada deve respeitar a altura mínima de 2 metros.

Forros e tetos

Acabamento liso, impermeável, lavável, de cores claras e em bom estado de conservação. Deve ser isento de goteiras, vazamentos, umidade, trincas, rachaduras, bolor e descascamento. Se houver necessidade de aberturas para ventilação, esta deve possuir tela com espaçamento de 2mm e removíveis para limpeza.

Portas e janelas

As portas devem ter superfície lisa, de cores claras, de fácil limpeza, ajustadas aos batentes, de material não absorvente e protetor no rodapé. As entradas principais e os acessos ás câmaras devem ter mecanismos de proteção contra insetos e roedores.

Janelas com telas milimétricas limpas, sem falhas de revestimento e ajustadas aos batentes. As telas devem ter malha de 2mm e serem de fácil limpeza e em bom estado de conservação. As janelas devem ser protegidas de modo a não permitir que os raios solares incidam diretamente sobre os alimentos e equipamentos mais sensíveis ao calor

Iluminação

O ambiente deve ter iluminação uniforme, sem ofuscamentos, sem contrastes excessivos, sombras e cantos escuros. As lâmpadas e luminárias devem estar limpas, protegidas contra explosão e quedas acidentais e em bom estado de conservação, sendo que não deve alterar as características sensoriais dos alimentos.

Ventilação

Deve garantir o conforto térmico, a renovação do ar e que o ambiente fique livre de fungos, gases, fumaça, gordura e condensação de vapores. A circulação de ar na cozinha, deve ser feita com o ar insuflado e controlado através de filtros ou através de exaustão com equipamentos devidamente dimensionados. Não devem ser utilizados ventiladores nem aparelhos de ar condicionado nas áreas de manipulação.

Lixo

Deve estar disposto adequadamente em recipientes com tampas, constituídos de material de fácil higiene. O lixo fora da cozinha deve ficar em local fechado, isento de moscas, roedores e outros animais.

O lixo não deve sair da cozinha pelo mesmo local onde entram as matérias-primas. Na total impossibilidade de áreas distintas, determinar horários diferenciados.

O lixo deve estar devidamente adicionado, de modo que não represente riscos de contaminação.

Uniformização

Uniformes completos, de cor clara, bem conservados e limpos e com troca diária de utilização somente nas dependências internas do estabelecimento.

Na Associação Estrela Azul conforme observado, são respeitados esses regulamentos e critérios para o controle higiênico-sanitário.

12.10.2 Isenção do INSS

A Associação Estrela Azul, assim como outras entidades não governamentais possuem o direito garantido por lei de isenção tributária, essa isenção ocorre porque em geral esse tipo de entidade tem objetivos humanitários e culturais e são de finalidade não lucrativa.

“Consideram-se isentas as instituições de caráter filantrópico, recreativo, cultural e científico e as associações civis que prestem os serviços para os quais houverem sido instituídas e os coloquem à disposição do grupo de pessoas a que se destinam, sem fins lucrativos". Decreto 3.000/99, Art. 174 e Lei 9.532/97 Art. 15 e 12 §2º "a".

A Associação já entrou com o processo e está muito próxima de conseguir.

INSS

A isenção de contribuições previdenciárias tem isenção definida pela Constituição Federal. Diz a Constituição em seu artigo 195, §7º:

"São isentas de contribuição para a seguridade social as entidades beneficentes de assistência social que atendam às exigências estabelecidas em lei."

Para usufruir desta imunidade a organização deve preencher diversos requisitos. Há de se realizar atividades de assistência social, seja na definição do decreto 3048/99, seja na definição da Lei nº 8.212/91, na qual se baseiam as normas que definem os procedimentos para obtenção do registro no Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) e do Certificado de Entidade de Fins Filantrópicos, outros dois requisitos. O título de utilidade pública federal, um terceiro requisito, é também de difícil preenchimento, devendo a entidade ter pelo menos três anos de funcionamento antes de requerê-lo.

12.11 Passo a passo para registrar a marca:

Natureza das marcas

A que se aplica

Produto

Distinguir produtos de outros idênticos, semelhantes ou afins

Serviço

Distinguir serviços de outros idênticos, semelhantes ou afins

Coletiva

Identificar produtos ou serviços provenientes de membros de um determinado grupo ou entidade

Certificação

Atestar a conformidade de produtos ou serviços a determinadas normas ou especificações técnicas

Formas de apresentação

A que se aplica

Nominativa

Sinal constituído apenas por palavras, ou combinação de letras e/ou algarismos, sem apresentação fantasiosa

Mista

Sinal que combina elementos nominativos e figurativos

Figurativa

Sinal constituído por desenho, imagem, formas fantasiosas em geral

Tridimensional

Sinal constituído pela forma plástica distintiva e necessariamente incomum do produto

1) Consultar a Lei de Propriedade Industrial (LPI) para verificar os principais aspectos legais sobre marcas.

Conhecer a LPI é uma importante ferramenta para garantir seus direitos. É esta lei que, em conjunto com tratados dos quais o Brasil faz parte, rege a concessão de registros de marca no país. Assim, verificar o que pode ser objeto de registro, as natureza e as formas de apresentação de marcas, enfim, todos os principais dispositivos relacionados aos aspectos legais do registro de marca, configura um primeiro passo para um pedido bem feito.

2) Determinar a natureza e a forma de apresentação de marca.

As marcas podem ser de diversos tipos. No que tange à sua natureza elas podem ser de produto, serviço, coletiva ou de certificação. Já no que diz respeito à forma de apresentação, as marcas podem ser nominativas, mistas, figurativas ou tridimensionais. É essencial que se saiba exatamente a que se destina sua marca e que forma de apresentação ela terá, pois a proteção conferida pelo registro varia de acordo com essas duas escolhas. Abaixo segue um quadro sinótico com um resumo sobre a natureza e as formas de apresentação que sua marca pode

3) Fazer uma busca prévia. 

Como já dissemos, não é obrigatório realizar uma busca prévia no banco de dados. Entretanto, é de extrema importância conhecer as marcas que se parecem com a que se quer registrar. Efetuando essa busca, que pode ser feita pela internet, haverá mais segurança de que essa marca é realmente original, além de ter acesso às decisões que o INPI toma com relação a cada marca. Caso desejar solicitar uma busca oficial, requisite-a por meio do formulário eletrônico de petição.

4) Cadastrar-se junto ao e-INPI. 

Assim como outros serviços no INPI, para solicitar o registro de uma marca existe um custo. Após determinar quantos e quais tipos de pedidos de marca se quer protocolar, é necessário que se cadastre junto ao sistema para emissão de Guia de Recolhimento da União (GRU). Assim, efetuando seu login em nosso sistema, você poderá gerar boletos para pagamento dos serviços que quiser, bastando selecionar o tipo de serviço desejado no local apropriado. Lembrando que cada guia possui uma numeração única, vinculada à retribuição de apenas um tipo de serviço.

5) Acessar o e-MARCAS e preencher o formulário eletrônico de pedido de registro de marcas. 

Primeiramente, aconselhamos a consultar o Manual do Usuário do e-MARCAS. Neste Manual, se encontrara todas as informações necessárias para o correto preenchimento do formulário eletrônico de pedido de registro, assim como de outros formulários eventualmente necessários. O sucesso no preenchimento do pedido é fundamental para que seu processo não sofra nenhum tipo de exigência, fato que obviamente atrasa a decisão final de sua marca.

6) Enviar seu pedido e acompanhar a etapa de exame formal .

Depois de preenchido o formulário eletrônico de pedido de registro, anexados os documentos necessários e paga a respectiva taxa, envie seu pedido e anote o número do processo, que será gerado no momento do envio do formulário eletrônico. Observe que a data que você envia o seu pedido será a chamada data de prioridade. Esta data será sua garantia contra concorrentes que eventualmente desejem obter o registro de marca igual ou semelhante, para produtos ou serviços afins, posteriormente ao seu depósito. A prioridade é importante, enfim, porque todo o exame de marcas leva em conta a existência de pedidos anteriores. A regra é simples: quanto mais cedo você efetuar seu pedido, maiores serão as garantias contra a utilização indevida da sua marca.

Depositado o pedido, e por meio de seu número, você deverá acompanhar na Revista Eletrônica da Propriedade Industrial (RPI) a formulação de possíveis exigências. Isto porque, durante a fase inicial, nossos técnicos realizam um exame formal do seu pedido, o qual pode eventualmente conter algumas falhas. Por isso, é extremamente importante consultar periodicamente a RPI. Caso haja algum problema a ser sanado, você terá um prazo de5 (cinco) dias para resolvê-lo, ao término do qual, se a exigência for satisfatoriamente cumprida, seu pedido será publicado na RPI.

7) Acompanhar a publicação do seu pedido e eventuais oposições. 

Após a fase de exame formal, acompanhe a publicação do seu pedido na Revista Eletrônica da Propriedade Industrial (RPI). A publicação do pedido é necessária para dar conhecimento ao público de sua intenção de registrar uma marca, permitindo que outros interessados possam se opor contra o seu pedido. O direito de oposição é propiciado pela LPI, sendo que a Lei também garante a você o direito de defesa em caso de oposições. O fluxo é simples: assim que for publicado o seu pedido, terceiros têm um prazo de até 60 (sessenta) dias para se opor; caso isso ocorra, você será notificado através da RPI, terá acesso a uma cópia da oposição e terá também 60 (sessenta) dias para enviar sua defesa, por meio de formulário eletrônico próprio. Ultrapassada essa fase, seu pedido aguardará o exame técnico, que resultará em uma decisão sobre a registrabilidade de sua marca.

8) Acompanhar a decisão técnica sobre o seu pedido.

Um ponto é fundamental: acessar regularmente a RPI ou a própria base de dados de marcas, a fim de conhecer as decisões referentes a seu pedido ou eventuais exigências que tenham sido formuladas pelos examinadores, uma vez que você tem um prazo de 60 dias, após a publicação, para respondê-las, sob pena do arquivamento do pedido. Você também poderá interpor recursos contra uma eventual decisão de indeferimento do INPI dentro do prazo de 60 dias da sua publicação. Não esqueça que todos esses procedimentos têm um custo e formulários próprios a serem preenchidos.

Outra informação relevante: depositar um pedido de marca não significa que sua marca será registrada. Somente depois do exame técnico, em que todas as condições de registrabilidade são verificadas e em que buscas de anterioridades são feitas, é que seu pedido será decidido. Essa decisão, por sua vez, poderá ser, em linhas gerais, de quatro tipos:

Decisões mais comuns após o exame técnico

Códigos de despacho utilizados pelo INPI – siglas publicadas

O que quer dizer?

O que fazer?

Deferimento

351/353 - Def. notif. (deferimento notificado)

Seu pedido foi aprovado

Pagar as taxas finais para expedição do certificado e proteção ao primeiro decênio

Indeferimento

100 – Ped. Ag. Rec. (pedido em aguardo de recurso)

Seu pedido foi negado.

Caso deseje, você pode recorrer desta decisão. Para saber mais sobre recursos e nulidades,

Sobrestamento

241 – Ped. Sobrest. (pedido sobrestado)

Seu pedido está pendente de decisão final por algum

Aguardar na RPI o desenlace da situação impeditiva

Exigência

Vários códigos – Ped. Exig. (Pedido em exigência)

Foi identificado algum problema em seu pedido

Providenciar o cumprimento da exigência. Para saber mais sobre cumprimento de exigências,

9) Pagar as taxas finais de expedição de certificado e proteção ao primeiro decênio.

Como se pôde observar no quadro anterior, caso sua marca seja deferida, você deverá pagar as taxas relativas à expedição do certificado de registro e à proteção ao primeiro decênio. Você terá um prazo de 60 (sessenta) dias, a contar da publicação do deferimento, para solicitar a concessão do seu registro. Extraordinariamente, esse prazo poderá se estender até 90 (noventa) dias contados da publicação do deferimento, o que acarretará em retribuição complementar. Após isso, sua marca, já devidamente registrada, terá vigência de 10 (dez) anos, a contar da publicação da concessão na RPI. Ao final do primeiro decênio, você poderá prorrogar tal vigência, indefinidamente, mediante retribuição específica.

10) Manter atualizados os seus dados cadastrais.

Agora, uma última recomendação: nunca esqueça de manter atualizado o seu cadastro junto ao INPI. Nós tratamos de milhares de pedidos todos os anos, movimentando uma quantidade incalculável de informação. E é unicamente com base nas informações do seu cadastro que podemos entrar em contato com você. Desde uma notificação de oposição até a expedição do certificado de registro, tudo depende da consistência das informações sobre você e/ou seu procurador. Portanto, toda e qualquer mudança de dados, além, é claro, de quaisquer alterações que interfiram no curso do seu processo junto ao INPI, devem ser comunicadas ao órgão.

12.12 RELATÓRIO ECA

O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) está disposto na lei sob o n° 8.069 de 13 de julho de 1990. O mesmo dispõe sobre a proteção e direitos da criança e do adolescente.

Os artigos que foram identificados como sendo de grande importância com relação à Associação Estrela Azul foram:

Artigo 90 – O artigo 90 diz que cada entidade governamental e não-governamental é a própria responsável pela manutenção da sua unidade.

As instituições governamentais e não-governamentais devem inscrever os seus programas junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, onde as inscrições e alterações serão comunicadas ao Conselho Tutelar e à autoridade judiciária.

Artigo 91 – O artigo 91 faz referência às entidades não-governamentais, onde para que tenham o direito de funcionar, elas terão a obrigatoriedade de ter registro no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, para que o Conselho Tutelar e a autoridade judiciária sejam comunicadas.

Artigo 95 – O artigo 95 diz que todas as entidades governamentais e não-governamentais serão fiscalizadas pelo poder judiciário, Ministério Público e pelos Conselhos Tutelares.

Artigo 96 – O artigo 96 faz alusão à prestação de contas que as entidades governamentais e não-governamentais devem prestar ao Estado ou ao Município.

Com relação à Associação Estrela Azul, todas as prestações de contas encontram-se em perfeita ordem, assim como ela contém toda a estrutura correta para prestar o serviço social à crianças e adolescentes.

13. ÁREA ADMINISTRATIVA - Definição

O Departamento Administrativo é o Departamento de apoio, administração e gerenciamento nas áreas de Pessoal, Recursos Humanos, Atos, Protocolo, Informática, Material e Patrimônio, Serviços Complementares e Contratos.

  Tem como finalidade prepara relatórios de atividades, prestar assistência aos setores subordinados ao departamento, cumprir e fazer cumprir as normas administrativas, supervisionar, coordenar e dirigir atividades como palestras e pesquisas, preparar relatórios de atividades, desenvolver orçamentos, entre outras atividades afins.

  • Quem compõe o Departamento Administrativo?

O departamento administrativo é composto por Aline, Carla Janine, Jaqueline, Magda e Tamires de Oliveira.

O departamento é estruturado da seguinte forma: Jaqueline tem o cargo de gerente; Carla Janine está determinada a encarrega; Aline está como supervisora; Magda e Tamires são auxiliares, formando assim o organograma mostrado abaixo.

13.1 Organograma do Departamento Administrativo

13.2 Fluxograma de execução de tarefas enviadas para o Departamento Administrativo

O departamento Administrativo, ao ter a finalidade de auxiliar os outros departamentos, recebe tarefas diferenciadas de cada departamento que são entregues a supervisora que avalia e manda para gerente; o gerente avalia a proposta e aprova ou não a execução da tarefa, se for aprovada esta é passada para a encarregada que planeja e transfere atribuições aos auxiliares. Caso a tarefa não seja aprovada essa volta para o departamento que a enviou.

13.3 Atividades e características do departamento

  • Palestra sobre Trabalho em Equipe

Realizou-se uma palestra sobre Trabalho em Equipe para os funcionários da consultoria Inovat ao perceber que muitos estavam realizando individualmente as tarefas que deveriam ser realizadas em grupo. Após detectar essa deficiência foi elaborada a palestra e a desenvolveu-se com o intuito de motivar e ensinar o grupo de colaboradores sobre como trabalhar em equipe.

Figura22: Palestrantes Figura 23: Apresentação da palestra

Figura 24: Colaboradores assistindo a palestra Figura 25: Dinâmica da corrente

Realizar essa palestra nos proporcionou grande felicidade, pois vimos que além de adquirirmos grande conhecimento sobre o assunto, pudemos levar conhecimento para nossos colegas de classe e de trabalho.

13.4 Levantamentos de custos

Levantamento de custos do Coffee Break

Refrigerantes R$ 47,04

Bolos R$ 24,78

Salgados R$ 350,00

Guardanapos R$ 9,00

Copos R$ 7,20

Bolinhas de amendoim R$ 9,40

TOTAL R$ 447,42

Levantamento de custos da Feira Tecnológica

Lápis R$ 262,50

Tecido R$ 18,90

Balas R$ 10,60

Flores artificiais R$ 8,60

Etiquetas R$ 23,80

Mídias 2 R$ 1,98

Cola quente R$ 2,75

TOTAL R$ 329,13

O valor gasto com o transporte foi pago individualmente, mas somando todos os gastos temos a soma apresentada abaixo:

Transporte R$ 187,20

Levantamento de custos da Monografia

Encadernação R$ 44,00

Impressão R$ 15,00

Mídias R$ 4,95

Folhas R$ 10,00

TOTAL R$ 73,95

14. 2ª Feira Tecnológica do Centro Paula Souza – FETEPS

A Feira Tecnológica do Centro Paula Souza estimula o interesse pela ciência e a iniciativa experimental, o desenvolvimento da criatividade dos alunos em sua aprendizagem e a capacidade de trabalhar em equipe, além da integração das Unidades de Ensino.

A turma do 3º módulo do curso Técnico em Administração do segundo semestre de 2008, foi inscrita neste evento com o projeto “RTD, Consultoria a Atividades do Terceiro Setor”.

O projeto supracitado foi aprovado na modalidade “Projetos em Destaque” e desta forma representou a Etec de Mauá em sua primeira participação neste evento.

Ocorrida nos dias 21, 22 e 23 de outubro de 2008 na Etec Parque da Juventude, a 2ª FETEPS disponibilizou para a exposição do projeto, um estande com uma mesa, três cadeiras, um porta banner e um ponto de energia.

O estande foi organizado da seguinte forma: mesa com toalhas, e dispostas sobre ela os brindes (lápis personalizados, balas e panfletos), retro projetor e laptop, e o banner do projeto atrás.

Os alunos expositores foram: Dayane Toledo Fortini, Débora Teixeira, Denise Nogueira, Gabriela A. Machado, Maria Amanda, Michelly Morlane, Robson Luna Matos e Thamires Araújo.

A participação nesta Feira nos proporcionou um significativo aprendizado, tratando-se de organização, trabalho em equipe e força de vontade. Podemos afirmar que após esta Feira, estamos melhores preparados para sair do Ensino Técnico e enfrentar o mercado de trabalho.

Por fim, agradecemos a todos que nos auxiliaram e contribuíram para o resultado maravilhoso que teve o nosso projeto na FETEPS.

15. CONCLUSÃO

Procuramos com este trabalho apresentar a idéia de uma Consultoria Organizacional que atuasse no Terceiro Setor, a fim de mostrar pontos a serem melhorados na Associação Estrela Azul (AEA) e oferecer sugestões nas alternativas de solução.

Através de pesquisas de campo, pudemos perceber o parecer de alguns alunos adolescentes que possuem uma visão positiva sobre a AEA, pois a entidade os ajuda na preparação para o mercado de trabalho, tão competitivo atualmente; e também a dos colaboradores, que estimam o crescimento da entidade, de maneira a contribuírem com o máximo de seus potenciais. Dessa forma apresentamos alternativas de soluções que fossem simples e eficazes para as situações diagnosticadas.

As ações foram propostas de acordo com as necessidades encontradas na AEA, como por exemplo, maior divulgação da entidade; plano de RH; redução de custos e alguns pontos na área jurídica. Essas ações vão exigir esforços da AEA para suas implementações, mas esse desafio fará com que a entidade se aproxime dos objetivos. De uma forma geral, pode-se afirmar que as alternativas propostas ajudarão a cumprir seus compromissos de maneira eficiente e sem desperdícios de esforços e recursos.

Sendo assim, a proposta do trabalho como um todo na Associação Estrela Azul, poderá contribuir em aspectos favoráveis na entidade, no desafio de não só entender o Terceiro Setor, mas colaborar com a melhoria da realidade desse setor que cresce cada dia mais e necessitará assim de um apoio maior.

16. REFERÊNCIAS

KOTLER, Philip & KELLER, Kevin L. Administração de marketing.12. ed. São Paulo: Pearson, 2007.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 7. ed. São Paulo: Campus, 2007.

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GITMAN, Lawrence J.. Princípios de administração financeira. 10. ed. São Paulo: Pearson, 2007.

FORTUNA, Eduardo. Mercado financeiro: produtos e serviços.16. ed. São Paulo: Qualitymark, 2007.

LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Administração de marketing: conceitos, planejamentos e aplicações à realidade brasileira. São Paulo: Atlas, 2007.

ANEXO 1 – FOTOS DA ASSOCIAÇÃO ESTRELA AZUL

Fachada da Associação Estrela Azul Fachada da Associação Estrela Azul

Entrada da Administração da AEA Quadra Esportiva da AEA.

Alunos de futebol na quadra esportiva da AEA. Alunos de futebol na quadra esportiva da AEA.

Mesas do Refeitório Muro da Associação Estrela Azul

Alunos de ginástica olímpica Alunos de ginástica olímpica

Administração da AEA : Rafael e Ivonete. Recepção da AEA

ANEXO 2 - RESUMOS DOS PROJETOS DA ASSOCIAÇÃO ESTRELA AZUL

1) REDE SOCIAL DE PROTEÇÃO BÁSICA – 100 ATENDIDOS DE 07 A 14ANOS

ATIVIDADES:

    1. FUTEBOL

    2. JUDÔ

    3. VOLEI

    4. HANDEBOL

    5. GINÁSTICA RITMICA

    6. REFORÇO ESCOLAR

    7. SUPLEMENTAÇÃO ALIMENTAR

    8. JOGOS DE MESA

    9. ARTES

    10. INCLUSÃO DIGITAL

  1. NA REDE FAZENDO A DIFERENÇA – 60 ATENDIDOS DE 07 A 14ANOS

    1. FUTEBOL

    2. REFORÇO ESCOLAR

    3. SUPLEMENTAÇÃO ALIMENTAR

    4. JOGOS DE MESA

    5. ARTES

    6. INCLUSÃO DIGITAL

  1. ADOLESCENTE MULTIPLICADOR – 25 ATENDIDOS DE 14 A 16 ANOS

- Técnicas Administrativas

- Atendimento ao Cliente

- Valores éticos, culturais, recreativas e profissionais, oferecendo-lhes oportunidade de desenvolver habilidades para colocação no mercado de trabalho.

OBJETIVO: Firmar parcerias com empresas para proporcionar ao jovem adolescente a formação básica para inclusão no mercado de trabalho, com base na Lei 10097/2000.

  1. ADOLESCENTE TRABALHADOR APRENDIZ (44 ATENDIDOS ENTRE 15 E 17ANOS)

- Grade Teórica do Projeto Aprendiz com base na Lei 10097/2000

CONTEÚDO: Direitos e Garantias Fundamentais, Prevenção às Drogas, Educação Sexual, Higiene Pessoal, Convivência Familiar e Comunitária, Relações Interpessoais no Trabalho, Medicina e Segurança no Trabalho, Qualidade na Prestação de Serviços, Marketing Pessoal / Atendimento, Telefônico, Meio Ambiente,Oratória, Comunicação e Língua Portuguesa, Matemática Básica, História, Geografia Humana, Informática, Orientação Profissional e Prática desenvolvida em parceria com o Banco do Brasil S/A, para o aprendizado de Serviços Bancários (Atendimento, MicroInformática, Comunicação).

  1. PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL Á FAMÍLIA – PAIF (40 ATENDIDOS – DE 15 A 17 ANOS)

OBJETIVO: Garantir as medidas de atenção e proteção ao adolescente prevista na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e Adolescente; Propiciar atendimento ao adolescente, oferecendo-lhes oportunidades para o seu fortalecimento familiar/pessoal, com vista à sua inclusão autonomia e independência e a permanência na escola.

ATENDIDOS: 40 Adolescentes de 15 a 17 anos

  1. PROJETO AGENTE JOVEM – 25 ATENDIDOS ENTRE 15 E 17 ANOS

CONTEÚDO: Oficina de Valores e Ética, Cidadania, Meio Ambiente e Saúde.

OBJETIVO: Formar agentes comunitários que possam desenvolver os conhecimentos adquiridos na comunidade.

ATENDIDOS: 25 Jovens entre 15 e 17 anos.

(PROJETO REALIZADO PELA PREFEITURA DE MAUÁ)

  1. ESPORTE SOCIAL – 100 ATENDIDOS ENTRE 7 A 17 ANOS

MODALIDADES:

  1. Judô

  2. Voleibol

  3. Handebol

  4. Ginástica Olímpica

  5. Futsal

  6. Temas Transversais

ANEXO - Notas Fiscais

(Parte 5 de 5)

Comentários