Dst- folder

Dst- folder

Formas de contagio: Através de relação sexual, oral, vaginal ou anal, sem o uso de camisinha. Durante o parto, da mãe contaminada para o bebê.

Doença causada pelo vírus HIV. Compromete a defesa do organismo, deixando-o vulnerável a outras doenças, levando a morte até por um simples resfriado. A AIDS não tem cura, somente tratamento com medicamentos.

Sintomas: Gripe persistente, perda de peso progressiva, diminuição da força física, febre, dores musculares, suores noturnos, diarréia entre outros.

Formas de Contagio: Contato sexual sem camisinha, compartilhamento de agulhas para injeção, transfusões de sangue, da mãe portadora do vírus HIV para o filho, durante a gestação, o parto ou pela amamentação.

Quando surgirem algum desses sintomas, procure imediatamente o médico, e faça o tratamento corretamente.

Como prevenir-se das DSTs:

Usar camisinha masculina ou feminina; Usar seringas descartáveis;

Realizar sempre o auto-exame, observando se os próprios órgãos genitais estão saudáveis (cor, aparência, cheiro e pele);

Realizar teste diagnóstico em mulheres com intenção de engravidar;

Não compartilhar objetos de uso íntimo com outras pessoas;

Cuidado em transfusões de sangue, exigir sempre que o sangue seja testado.

Enfermagem e Educação; Professora: Luciane Vercillo;

Turma: EN 321; Trabalho de sala de espera, realizado por: Flávia Fidelis, Gilmar Soares, Guaraci Miranda, Lúcia Ferreira, Lúcia Medina, Lucimar Santos e Verônica Barbosa Rio de Janeiro, 1/ 2009

Doenças Sexualmente Transmissíveis

Previna-se! USE

O que são DSTs?

São doenças sexualmente transmissíveis.

São doenças causadas principalmente por contato sexual sem o uso de camisinha com uma pessoa que esteja infectada. Geralmente, se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas na região genital, podendo manifestar-se também em outros locais do corpo.

É a mais comum das DSTs. Também é conhecida como blenorragia, pingadeira, esquentamento. Nas mulheres, atinge principalmente o colo do útero. Pode provocar esterilidade, atacar o sistema nervoso (causando meningite), afetar ossos e coração. Mesmo sem apresentar sintomas, pessoas contaminadas transmitem a doença.

Sinais e sintomas: Após a relação sexual, entre dois a oito dias, pode ocorrer ardência e dificuldade para urinar. Alguma vezes pode vir um corrimento amarelado ou esverdeado, até mesmo com sangue, que saí pela uretra do homem e pela vagina, na mulher.

Formas de contágio: Através de relação sexual, oral, vaginal ou anal, sem o uso de camisinha. Durante o parto, da mãe contaminada para o bebê. O bebê pode ter os olhos afetados e ficar cego.

Manifesta-se em três estágios. No 1º e 2º estágios observam-se os principais sintomas, é quando é mais transmissível. Depois a doença desaparece durante um tempo. A pessoa não sente nada e aparenta uma cura das lesões iniciais, mesmo em indivíduos não tratados. A doença pode ficar silenciosa por meses ou anos. Até que em um determinado momento surgem as complicações graves, como: cegueira, paralisia cerebral, problemas cardíacos, podendo levar à morte.

Sinais e sintomas: Surgimento de pequenas feridas nos órgãos sexuais (cancro duro), com ínguas (caroços) nas virilhas, que surgem após a relação sexual no prazo aproximado de duas a três semanas. As feridas e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. A ferida desaparece sem deixar cicatriz, dando a falsa impressão de cura.

comprometer várias partes do corpo e levar à morte

A doença sem tratamento continua avançando no organismo. Podem surgir manchas em várias partes do corpo, inclusive nas palmas das mãos e solas dos pés. Queda de cabelos, cegueira, doença do coração, paralisias. Pode causar aborto ou má formação do feto. A sífilis não tratada torna-se crônica, e pode

A sífilis congênita é o resultado da infecção do feto pela mãe, através da placenta. É grave, pois pode causar a má formação do bebê, sérias conseqüências para a saúde da criança, ou até a morte.

Formas de contagio: Através de relações sexuais sem camisinha, de transfusões de sangue contaminado, durante a gestação e o parto, da mãe contaminada para o bebê.

É muito comum. O condiloma acuminado é uma lesão na região genital, causada pelo vírus Papiloma Vírus Humano

(HPV). A doença também é conhecida como crista de galo, figueira ou cavalo de crista. Na maioria das vezes, os homens não manifestam a doença, mas transmitem o vírus.

Sinais e sintomas: O HPV provoca verrugas, com aspecto de couve-flor e de tamanhos variáveis nos órgãos genitais. Pode estar relacionado com alguns tipos de câncer, principalmente no colo do útero, mas também no pênis ou no ânus. Nem todo caso de HPV pode causar câncer.

Formas de contagio: É transmitido pelo contato direto com a pele contaminada, mesmo quando essa não apresenta lesões visíveis. Também pode ocorrer durante o sexo oral. Há possibilidade de contaminação por meio de objetos como toalhas, roupas intimas, vasos sanitários ou banheiras.

É uma doença comum, persistente para toda a vida, podendo se manifestar em determinadas ocasiões. Favorece outras infecções, principalmente HIV. Não há cura, somente tratamento para amenizar o desconforto provocado. O colo uterino e o sêmen são importantes reservatórios do vírus.

Sinais e sintomas: Caracteriza-se pelo aparecimento de lesões vesiculosas que, em poucos dias, transformam- se em pequenas úlceras, apresentando ardência, prurido e dor. Pode ocorrer febre. Em recém-nascidos pode levar a morte, ou ocasionar severos danos, como retardo mental, surdez e cegueira.

Formas de contagio: É uma virose transmitida pelo contato sexual, inclusive sexo oral. A transmissão pode ocorrer também, pelo contato direto com lesões ou objetos contaminados.

É uma doença causada por um fungo chamado Candida albicans. Mulheres grávidas, mulheres que usam contraceptivos orais, que possuem diabetes melito, uso de antibióticos, podem favorecer a infestação. Também é importante atentar para hábitos de higiene e de vestuário. Companheiros de mulheres infectadas também devem ser tratados em conjunto.

Sinais e sintomas: Prurido vulvar. Pode apresentar pequeno corrimento vaginal, podendo variar de espesso a aquoso, de coloração branca a amarelada.

Comentários