MANUAL PR�TICO DE T�CNICAS DE ENFERMAGEM - 2ª EDI��O

MANUAL PR�TICO DE T�CNICAS DE ENFERMAGEM - 2ª EDI��O

(Parte 1 de 8)

ENFERMAGEM 2ª EDIÇÃO

Atualizado e Revisado Por

Messauandra De Oliveira Silva Acadêmica da UniSantanna Do Curso De Graduação em Enfermagem

As técnicas deste manual prático de técnicas de enfermagem encontram-se no site: Http://planeta.terra.com.br/saude/homepage

Sugestões e Comentários: amssoft@terra.com.br e amssoft@ig.com.br

ABREVIAÇÕES UTILIZADAS NESTE MANUAL1
CONCEITOS BÁSICOS12
ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM:12
EVOLUÇÃO:13
DIAGNÓSTICO:15
HIGIENE ORAL15
Material:15
Procedimento (paciente com pouca limitação)15
Procedimento (paciente com prótese)16
BANHO NO LEITO16
Material16
Procedimento:17
RESTRIÇÃO19
Material (restrição mecânica)19
Procedimento19
Observações19
SONDA NASOGÁSTRICA20
Material20

SUMÁRIO Procedimento ......................................................................................................................................... 20

Material:2
Procedimentos2
Observações2
LAVAGEM INTESTINAL23
Material:23
Procedimento:23
SONDA NASOENTERAL24
Material:25
Procedimento25
CATÉTER NASOFARÍNGEO26
Material26
Procedimento27
CÂNULA NASAL (ÓCULOS)28
Material:28
Procedimento:28
NEBULIZAÇÃO28
Material28
Procedimento29
INALAÇÃO29
Material29
Procedimento30
ASPIRAÇÃO30
Material30
SONDA VESICAL32
Material:32
SONDA VESICAL DE DEMORA3
Material3
Procedimento3
RETIRADA DE SONDA34
Material:34
Procedimento:35
IRRIGAÇÃO CONTÍNUA35
Material35
Procedimento:35
RETIRADA DE PONTOS36
Material:36
Procedimento36
TRICOTOMIA37
EXAME FÍSICO37
CABEÇA E PESCOÇO37
Couro cabeludo:37
Olhos:37
Globo ocular:38
Conjuntiva ocular e esclera:38
Iris e pupila:38

Anotar..................................................................................................................................................... 31 Conjuntiva palpebral: ........................................................................................................................... 38

Orelha:39
Boca:39
APARELHO RESPIRATÓRIO39
Inspeção estática:39
 Regras obrigatórias de semiotécnica da inspeção estática e dinâmica:39
Abaulamentos e retrações:40
Inspeção dinâmica:40
Freqüencia respiratória:40
Palpação:40
Técnicas:40
Percussão:40
Ausculta:41
 Alterações:41
SISTEMA CARDIOVASCULAR41
Posição41
Ausculta:41
APARELHO GENITO-URINÁRIO42
SISTEMA GASTROINTESTINAL42
Abdôme42
 Inspeção:42
 Ausculta:4
 Palpação superficial:4
Baço45

Seios paranasais: .................................................................................................................................. 38 Palpação profunda e percussão: ............................................................................................. 45

 Palpação profunda:45
Fígado46
 Palpação profunda:47
POSIÇÃO PARA EXAMES47
FOWLER47
SIMS48
GENU-PEITORAL48
GINECOLÓGICA48
LITOTOMIA49
TREDELEMBURG49
ERETA OU ORTOSTÁTICA49
TEORIA50
SONDA NASOGÁSTRICA (S.N.G.)50
LAVAGEM GÁSTRICA50
ASPIRAÇÃO GÁSTRICA51
GAVAGEM SNG51
LAVAGEM INTESTINAL51
CATETERISMO VESICAL52
LAVAGEM DA SONDA APÓS QUALQUER ADMINISTRAÇÃO52
Observações52

Intestinos ................................................................................................................................................ 45 RETIRADA DE SONDA NASOGÁSTRICA ............................................................................................ 53

TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA53
CINCO CERTOS53
VIAS MAIS COMUNS54
VERIFICAÇÃO DOS SV54
Temperatura:54
Respiração:5
Pulso:5
Pressão arterial:5
FÓRMULAS5
VELOCIDADE DE GOTEJAMENTO5
ADMINISTRAÇÃO DE INSULINA57
ESCALPE HEPARINIZADO (EV, IM, SC)58
PENICILINA58
MEDICAÇÃO PARENTERAL (ID, SC, IM, EV)58
INJEÇÃO INTRADÉRMICA58
INJEÇÃO SUBCUTÂNEA59
INJEÇÃO INTRAMUSCULAR60
Região Deltóide:60
Região dorsoglútea:60
Região ventroglútea (Hochsteter)61

LAVAGEM GÁSTRICA ............................................................................................................................. 53 Região face ântero-lateral da coxa: .................................................................................................... 61

VENÓCLISE62
Material:62
Procedimento63
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM64
Problemas: Caquexia65
PROBLEMAS DE ENFERMAGEM (BASEADO EM CARPENITO, 2001)144
Angústia Espiritual145
Ansiedade146
Débito cardíaco diminuído148
Disfunção na reação de pesar153
Dor crônica155
Medo:162
Mucosa oral alterada163
Obesidade164
Reação de pesar antecipada166
Risco para violência: direcionada a si e aos outros168
Síndrome do trauma de estupro170
Síndrome pós-trauma171
SISTEMA RESPIRATÓRIO173

INJEÇÃO ENDOVENOSA: ................................................................................................................................ 61 SISTEMA DIGESTIVO ................................................................................................................................. 174

SISTEMA TEGUMENTAR177
SISTEMA LOCOMOTOR179
SISTEMA URINÁRIO179
ÓRGÃOS DOS SENTIDOS180
BOCA180
OLHOS181
TERMINOLOGIAS182
*.*.*.*.*.* A *.*.*.*.*.*182
*.*.*.*.*.* B *.*.*.*.*.*184
*.*.*.*.*.* C *.*.*.*.*.*186
*.*.*.*.*.* D *.*.*.*.*.*188

Abreviações utilizadas neste manual

C.D.: Características definidoras F.R.: Fatores relacionados P.E..: Problemas de Enfermagem

Conceitos Básicos

- lavar as mãos; - reunir o material;

- explicar o procedimento ao paciente;

- deixar o paciente confortável;

- deixar a unidade em ordem;

- fazer as anotações de enfermagem.

Anotação de Enfermagem:

Deve abranger todos os cuidados prestados como: - Verificação dos sinais vitais;

- Banho (leito ou chuveiro, c/ ou s/ auxílio);

- Massagem de conforto;

- Troca de curativos (tipo, local, aberto ou fechado);

- Aceitou ou não o desjejum;

- Exemplo 1º dia: 08:00hs: paciente consciente, orientado em tempo e espaço, contactuando, corado, hidratado, pele íntegra, deambula sob supervisão, mantém venóclise em MSE, realizado dextro (186mg/dl), aceitou parcialmente o desjejum, refere ter dormido em. Diurese (+) espontânea. Fezes (-) ausente.

T éc n i ca s de

E n ferm ag em

- Exemplo 2º dia: 08:20hs: paciente consciente, orientado em tempo e espaço, calmo, corado, deambula sem auxílio da enfermagem, apresenta equimoses em MS e MI, pele ressecada e descrita isquemação nas mãos. Mantém scalp salinizado em MSD, sudorese intensa e prudiro em panturrilha. Aceitou totalmente o desjejum, refere ter evacuado a noite e ter dormido bem. (seu nome).

Evolução:

Deve abranger: - Nível de consciência (sonolento, confuso);

- Locomoção (acamado, deambulando);

- PA (elevada, anotar valores SV);

- Mantendo jejum (sim ou não/24hs, se não porque?);

- Sono ou repouso (sim ou não/24hs, se não porque?);

- Incisão cirúrgica (dreno, catéter);

- Incisão cirúrgica abdominal (aspecto da secreção drenada);

- Sondas (fechada ou aberta);

- Venóclise e dispositivo de infusão (onde, tipo, periférica: IC ou SCVD);

- Eliminações urinárias e fecais (ausente, presente, quantos dias);

- Queixas (náuseas, dor, etc.)

- Exemplo 1º dia: Paciente no 1º dia de internação por DM descompensada (+) labirintite, apresenta-se calmo, consciente, contactuando, deambulando sob supervisão, corado, hidratado, afebril, normocárdio, eupnéico, hipertenso com pressão variando de 150x90-100mmHg, dextro variando entre 282 a 186 mg/dl, evolui sem queixas e sem êmese. Refere melhora da tontura. Acuidade auditiva e visual diminuída. Ausculta pulmonar com presença de murmúrios vesiculares s/ ruídos adventícios. Ausculta cardíaca BRNF. Abdômen flácido, indolor a palpação com presença de ruídos hidroaéreos, perfusão periférica normal. Mantém venóclise em MSE. Eliminações fisiológicas presentes. (seu nome).

- Exemplo 2º dia: paciente no 2º dia de internação por DM descompensada e labirintite, apresenta-se calmo, consciente, orientado em tempo e espaço, contactuando, deambula com auxílio, apresenta equimoses em MS e MI, pele ressecada e escamações em dorso e palma das mãos. Refere prurido em panturrilha, esporadicamente queixa-se de pele ressecada, apresenta sudorese intensa, mantém scalp salinizado em MSD, SV apresentando hipotermia (35.5ºC) no período da manhã. Apresenta dextro variando de 146 a 194. Refere ter dormido bem, evolui sem queixas, tontura, náuseas ou vômitos. Eliminações fisiológicas presentes (refere ter evacuado às 2 horas de ontem). (seu nome).

Diagnóstico:

Deve abranger:

- Controles (eliminações, SV, peso e altura); Alimentação; Hidratação;

Higiene; Conforto; Sinais e sintomas; Tratamentos; Orientações; Assistência psicossocial e espiritual; Encaminhamentos; Deixar claro o grau de dependência (FAOSE); O verbo deve iniciar a frase, sempre no infinitivo; Deve ser consico, claro e específico; Não prescrever cuidados considerados rotinas.

Material: - escova de dente; dentifrício; copo descartável com água; toalha de rosto; cuba-rim; espátula; canudo s/n; lubrificante labial (vaselina); anti-septico oral (Cepacol); luva de procedimento; gaze.

Procedimento (paciente com pouca limitação) - em posição de Fowler e com a cabeça lateralizada;

- proteger o tórax com a toalha de rosto;

(Parte 1 de 8)

Comentários