Ressonância Magnética 4

Ressonância Magnética 4

(Parte 1 de 6)

Curso de Ressonância Magnética

Atenção: O material deste módulo está disponível apenas como parâmetro de estudos para este Programa de Educação Continuada. É proibida qualquer forma de comercialização do mesmo. Os créditos do conteúdo aqui contido são dados aos seus respectivos autores descritos na Bibliografia Consultada.

116 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

1. CABEÇA E PESCOÇO

Intensidade de sinal das substâncias, lesões, elementos e efeitos em relação ao encéfalo normal.

• HIPERINTENSO EM T1

- Gordura, hemorragia subaguda (meta-hemoglobina intra e extra-celulares), melanina, fluidos hiperprotéicos, colesterol líquido, impregnação pelo gadolínio (Gd- DTPA ou Dd-DOTA), hemangioma, efeitos paramagnéticos, retinoblastoma, mielinização.

- Calcificação, fluxo, água (moléculas livres- ex. líquor), água (moléculas ligadas a proteínas- ex. edema), hematoma na fase aguda (desoxihemoglobina), hemossiderina, ferro, cisto, osso cortical, fibrose.

• HIPERINTENSO EM T2 - Água livre ou ligada a proteínas, hematoma na fase subaguda (metahemoglobina extracelular), fluidos em geral.

117 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

-Fluxo, calcificação, ferro, hemossiderina, hematoma na fase aguda (desoxihemoglobina), melanina, mielinização, osso cortical, fibrose, fungo (Ca++, Mn ++).

• ISOINTENSO EM T2

- Pseudotumor, gordura, alguns estágios de hematoma, alguns melanomas, alguns linfomas, neurofibroma (Schwannoma), meningeoma, heteropatias de substâncias cinzentas.

A utilização da RM na avaliação do encéfalo proporciona uma boa diferenciação entre os diferentes tecidos de “partes moles”. A ausência de radiação ionizante, a possibilidade de obtenção de múltiplos planos de corte, recursos de saturação de água e de gordura. O fato de ser um método pouco invasivo (apenas nos casos de injeção E.V. de contraste), e a possibilidade de se fazer angiografias por RM (angiorressonância) tornam a RM um método com bastante sensibilidade. Em contrapartida, é um método com pouca sensibilidade para detecção de calcificações, podendo ocorrer a degradação da imagem, causada por artefatos de movimento, ou pela presença de obturações ou próteses metálicas. O abundante conteúdo hídrico do SNC torna-o muito adequado, porque os prótons são os responsáveis pelo sinal gerado durante a obtenção das imagens. Tecidos com grande conteúdo de água livre (LRC) têm tempo de relaxamento T1 e T2 prolongados, portanto geram pouca intensidade de sinal numa seqüência ponderada em T1 (TR curto). Nas seqüências ponderadas em T2, apresentam intensidade de sinal elevada (TR longo).

118 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Quando a água está ligada a proteínas, o tempo de relaxamento T1 diminui, e o tecido gera mais sinal na imagem ponderada em T1. Isto auxilia na diferenciação de estruturas simples que contêm líquidos (cisto aracnóides) de abscessos e cistos tumorais, que contêm na maioria das vezes, um líquido mais protéico. Os edemas são facilmente percebidos em imagens ponderadas em T2. Imagens ponderadas em T1 são melhores na definição anatômica das lesões subjacentes, que as imagens ponderadas em T2, principalmente após a administração de contraste.

SEQÜÊNCIAS DE ROTINA DO SERVIÇO: BOBINA UTILIZADA: Heard. FOV: 210-250. ESPESSURA DE CORTE: 6 m. GAP: 0,6 m. NSA(NEX): 1-6. MATRIZ:512-256/512.

1-Tumores: - TSE T2 AXIAL.

- SE T1 NOS 3 PLANOS.

- Técnica supressão de gordura (tumores próximos às estruturas ósseas e tecido gorduroso). - FFE*AXIAL (pesquisa de hemorragia ou calcificação).

- Seqüência angiográfica (invasão vascular ou trombose).

119 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

2- Lesões inflamatórias e infecciosas: -TSE T2 AXIAL.

-SE T1 SAGITAL OU AXIAL.

-SE T1 NOS 3 PLANOS.

SEQÜÊNCIAS OPCIONAIS: -FFE*T2 AXIAL (CALCIFICAÇÕES).

3-AVC Isquêmico: -TSE T2 AXIAL.

-SE T1 AXIAL.

SEQÜÊNCIAS OPCIONAIS: -SE T1 COM CONTRASTE.

4- AVC Hemorrágico: -TSE T2 AXIAL.

-SE T1 AXIAL E SAGITAL.

-FFE T2* AXIAL (angioma cavernoso).

120 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Injetar contraste nos 3 planos.

5 – Lesões degenerativas: Demências ex: Alzheimer, Parkinson, Coréia, Doenças Metabólicas, mitocondriopatias, etc. -TSE T2 AXIAL.

-IR CORONAL. SE T1 SAGITAL.

SEQUÊNCIAS OPCIONAIS: -SE T1 COM CONTRASTE.

6- Doença da Substância Branca:

-TSE T2 AXIAL. -FLAIR AXIAL.

-FLAIR SAGITAL FINO (cortes 3-4 m).

-FLAIR CORONAL com supressão de gordura para nervos ópticos.

-SE T1 COM MT (transferência de magnetização).

-Injetar contraste.

-SE T1 AXIAL (MT).

-SE T1 CORONAL.

121 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

7- Traumas (Seqüela): -TSE T2 AXIAL.

-SE T1 SAGITAL.

-FFE T2* (GRE) AXIAL.

SEQÜÊNCIAS OPCIONAIS: -SE T1 PÓS-CONTRASTE.

(Parte 1 de 6)

Comentários