Impactos ambientais gerados em um canteiro de obras

Impactos ambientais gerados em um canteiro de obras

(Parte 1 de 2)

Douglas Emanuel Nascimento de Oliveira

Juazeiro – BA 2009

Douglas Emanuel Nascimento de Oliveira

Resenha apresentada a disciplina de Meio ambiente e desenvolvimento sustentável, com caráter avaliativo, sob supervisão da professora Msc. Miriam Cleide Cavalcante de Amorim.

Juazeiro – BA 2009

Nesta resenha busca-se elucidar a questão dos impactos ambientais gerados em um canteiro de obras na teoria e na prática, bem como a poluição e degradação ambiental ocasionada pela construção de edifícios e os efeitos ambientais que estes causam. Trata-se também da questão da utilização dos recursos naturais na construção civil.

Em contrapartida o autor busca citar soluções e melhorias visando à diminuição dos impactos ambientais e desperdícios causados nestes ambientes e conseqüentemente na construção civil.

construção é executada

A construção, seja ela de um prédio enorme ou de uma pequena casa, corresponde a um grande percentual dos impactos ambientais causados pela construção civil no ambiente, onde os principais fatores relacionados são a perdas de recursos naturais, a geração de resíduos, os impactos referentes a interferência da obra no meio físico, biótico e antrópico do meio onde a

Uma definição simples de canteiro de obras é dada pela NBR – 12284 que diz que o canteiro de obras é o conjunto de “áreas destinadas à execução e apoio dos trabalhos da indústria da construção, dividindo-se em áreas operacionais e áreas de vivência”. (NBR - 12284), ou seja, podemos definir o canteiro de obras como uma área dentro de uma construção que foi definida ou caracterizada para o armazenamento de materiais de construção, suporte aos trabalhadores e execução da obra, entre diversos outros fatores.

Uma definição simples de Impactos ambientais diz que estes são qualquer alteração do meio ou em algum de seus componentes devido a determinada ação ou atividade, no caso específico da construção civil são vastos os impactos ambientais causados por esta, principalmente na etapa da construção onde podemos ter poluição sonora, poluição atmosférica, alteração do perfil do solo, impactos visuais, etc.

O estudo destes impactos ambientais se faz necessários principalmente para profissionais da área de engenharia civil, para que assim haja um maior conhecimento e uma maior conscientização por parte destes a respeito do assunto, e conseqüentemente haja uma diminuição destes impactos ocasionando uma melhor qualidade de vida e proporcionando obras ecologicamente corretas.

Com o crescente avanço da construção civil, o aumento dos impactos ambientais causados por esta também aumentou, e conseqüentemente surgiram normas e resoluções para direcionar estas operações afim de que causem menores danos ao meio ambiente. No caso dos canteiros de obras a principal resolução do CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTECONAMA é a resolução nº307, de 5 de julho de 2002, que estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil.

Busca-se também neste trabalho uma análise prática a respeito do assunto, através da análise de uma obra sendo erguida no bairro Country Club na cidade de Juazeiro, obra esta cujo autor deste trabalho realiza trabalho de estágio.

É de suma importância que os profissionais da construção civil conheçam e se proponham a modificar a atual situação que a execução de obras vem causando ao meio ambiente. Diante desta situação o conhecimento dos impactos ambientais gerados em um canteiro de obras se mostra elemento importantíssimo, visto que durante a execução de uma obra surgem atividades que provocam uma interação com o meio ambiente modificando sua estrutura inicial, atividades estas que podem vir a ser controlada pela equipe de obra, são os chamados “aspectos ambientais”.Como exemplo de aspectos ambientais pode-se citar as obras de fundações que na fase de execução apresentam uma atividade intensa de vibração, que vem a ser um aspecto ambiental, e que pode acarretar um incômodo na população vizinha, porém, tal incômodo pode vir a ser atenuado se o sistema de execução desta fundação for modificado. Logo, pode-se concluir que os aspectos ambientais são as causas dos impactos ambientais e seu estudo também é de suma importância.

No caso onde temos canteiros de obras muito grandes, de tal forma que os impactos ambientais causados por estes sejam grandes, se faz necessário um estudo mais aprofundado, através do Estudo de Impactos Ambientais (EIA) e o seu resumo, o Relatório de Impactos Ambientais (RIMA), como obras que necessitem destes estudos pode-se citar Aeroportos, rodovias, etc.

Na atualidade em que vivemos, com diversos fatores que proporcionam impactos ambientais, sejam dos mais simples aos mais complexos, onde a saúde dos seres humanos e espécies animais e vegetais são ameaçadas, a legislação a respeito dos impactos ambientais deveria vigorar de maneira mais forte e eficaz, sem distinção da obra a qual será empregada já que os impactos gerados na construção de qualquer obra, principalmente de edifícios degradam muito o ambiente.

O primeiro passo para minimizar os impactos ambientais gerados em canteiros de obras é organizar as informações com relação à dimensão dos impactos ambientais causados em uma obra, posteriormente se faz a análise social e econômica. Geralmente a dimensão dos impactos ambientais encontra-se dividida em quatro grandes grupos: infra-estrutura do canteiro de obras, recursos, resíduos e incômodos e poluição.

A infra-estrutura diz respeito às instalações utilizadas pelos trabalhadores e toda montagem realizada para a execução da obra, essa estrutura deve apresentar o mínimo de perturbações possíveis ao meio ambiente, buscando assim um canteiro ecologicamente correto. Os aspectos ambientais mais encontrados em relação à infra-estrutura de um canteiro de obras são: Remoção de edificações, riscos de desmoronamento, existência de ligações provisórias, geração de energia no canteiro, existência de construções provisórias, impermeabilização de superfícies e armazenamento de materiais.

Os recursos dizem respeito à utilização dos recursos naturais na construção de edifícios, e o desperdício destes que é muito comum. Na construção civil grande parte da matéria-prima utilizada em obra é extraída de recursos naturais como areia, cimento, madeira, aço, entre outros, e geralmente o consumo destes materiais ocorre de maneira excessiva. Entre os recursos naturais as perdas que mais se destacam, seja por consumo ou por desperdício, é a perda de recursos naturais incorporados aos materiais, como é o caso do cimento, areia, cal. Temos também o consumo excessivo e desperdício de água, energia e gás nos canteiros de obras.

As indústrias que fornecem materiais a construção civil tais como: madeira, aço, alumínio, cimento, cal, blocos cerâmicos, telhas e pisos, são responsáveis por uma grande parcela dos impactos ambientais ocorridos no ambiente, sem levar em consideração que a industrialização de muitos destes materiais geram poluição no meio ambiente.

O tema resíduos trata do atendimento as exigências da resolução nº307/2002 do CONAMA (2002), que trata da gestão destes na construção civil.

Esta resolução estabelece uma classificação para os resíduos em quatro diferentes classes:

• Classe A – resíduos reutilizáveis ou recicláveis como agregados (tijolo, concreto, etc);

• Classe B – resíduos reutilizáveis/recicláveis para outras indústrias (plástico, papel, etc);

• Classe C – resíduos para os quais não foram desenvolvidas tecnologias viáveis que permitam sua reciclagem (gesso e outros);

• Classe D – resíduos perigosos (tintas, solventes, etc), ou contaminados (de clínicas radiológicas, instalações industriais e outros).

A geração de resíduos sólidos e líquidos na etapa de construção de uma obra ocasiona a poluição do solo e também da água devido à emissão de efluentes líquidos. Deve se atentar para a emissão de tais produtos, já que estes apresentam um caráter nocivo que precisa ser levado em consideração para o manejo destes. Geralmente tintas, óleos, solventes, substâncias preservativas para madeiras como o creosoto, possuem substâncias nocivas que contaminam o solo, a água e o ar.

Uma grande parte dos resíduos oriundos de canteiros de obras é depositada clandestinamente em terrenos baldios, várzeas e taludes de cursos d’água, o que vem a provocar impactos ambientais visíveis e compromete a paisagem urbana, absurdamente muitas vezes este procedimento é tratado de maneira natural. Outra forma de descarte de resíduos, não menos absurda de que a deposição a céu aberto, é uma bastante observada em muitos canteiros de obras, principalmente obras pequenas, se trata da queima dos resíduos no canteiro de obras, o que causa uma grande poluição atmosférica. É impressionante como em um mundo com tanta tecnologia ainda se utilize destas práticas.

Já o tema Incômodos e poluições refere-se as atividades de transformação as quais uma obra esta submetida, como a atividade de vedação, concretagem, pintura, e os efeitos sentidos pela comunidade que ali vive.

A execução de uma obra, mesmo que não seja volumosa, causa incômodos dos mais diversos possíveis, dentre os principais podemos destacar alguns como a grande emissão de ruídos, o odor causado principalmente por certos tipos de madeira quando ainda verdes e a emissão de vibrações emitidas na atividade de fundação, no adensamento de concreto ou em obras não bem estruturadas, onde pode se sentir vibrações até quando um carro passa na rua ou quando se bate em uma parede.

Segundo Cardoso (2006) Os impactos ambientais mais encontrados devido aos canteiros de obras são:

No meio físico solo:

• Alteração das propriedades físicas; • Contaminação química;

• Indução de processos erosivos;

• Esgotamento de reservas minerais.

No meio físico ar:

• Deterioração da qualidade do ar; • Poluição sonora.

No meio físico água:

• Alteração da qualidade de águas superficiais; • Alteração da qualidade de águas subterrâneas;

• Alteração dos regimes de escoamento;

• Escassez de água.

No meio antrópico trabalhadores:

• Alteração das condições de saúde; • Alteração das condições de segurança.

No meio antrópico vizinhança:

• Alteração da qualidade paisagística; • Alteração das condições de saúde;

• Incômodo para a comunidade;

• Alteração no tráfego local; • Interferência na drenagem urbana;

• Escassez de energia elétrica.

É importante observar a grande quantidade e variedade de impactos observados que podem ser gerados dentro de um canteiro de obras, diante disto este estudo se torna ainda mais imprescindível.

A eliminação ou pelo menos a atenuação destes impactos ambientais contribuirá para o que pode ser chamado de canteiro de obras sustentáveis, com o mínimo possível de impactos ambientais e contribuindo para o desenvolvimento com responsabilidade e coerência.

Algumas medidas são cabíveis de serem aplicadas na prática principalmente por parte das construtoras, como o treinamento dos trabalhadores e a conscientização destes a respeito destes impactos ambientais. Podem ser também, criadas medidas como o controle do desperdício e do consumo dos recursos naturais, implementando-se técnicas inovadoras e o reaproveitamento de materiais, como o reaproveitamento de esquadrias velhas, o reaproveitamento do concreto como agregado, entre outros.

Os Incômodos podem ser atenuados utilizando-se de novas tecnologias como, por exemplo, o concreto auto adensável, que não precisa de vibração e exige uma quantidade menor de trabalhadores. Logicamente tudo isto tem um custo, cujo qual nem todos estão dispostos a pagar no presente, mas estão se credenciando a pagá-lo no futuro. Tudo na prática para funcionar corretamente depende essencialmente de planejamento e controle, e é justamente isto o que falta as construtoras e aos engenheiros de hoje para que tenhamos uma construção civil limpa e ambientalmente correta.

No estudo prático de uma casa de dois pavimentos sendo construída no bairro Country Club na cidade de Juazeiro-BA, foram observados os seguintes impactos ambientais: Geração de resíduos, descarte e desperdício de recursos naturais, consumo de recursos naturais e impermeabilização do solo. Muito desperdício de cimento, areia e pedras naturais foi observado na obra, o que é típico da região. Era comum nesta obra o descarte de argamassas e concreto quando não dosados de forma correta, e em uma atividade de impermeabilização de blocos de concretos utilizados na fundação da obra, notou-se que se derramava, mesmo que quantidades pequenas, o produto impermeabilizante no solo, o que ocasiona a impermeabilização do mesmo.

Nas imagens abaixo, estão fotos dos impactos ambientais observados:

• Geração de resíduos

Nas figuras acima vemos alguns dos resíduos encontrados no canteiro de obras em estudo. Na figura 1 mostra-se uma pilha de sacos de cimento que é muito comum na obra, e na figura 2 uma série de pedaços de madeira antes utilizados na moldagem de concreto.

• Descarte e desperdício de recursos naturais

Nas figuras acima vemos exemplos de descarte e desperdício de recursos naturais. Na figura 3 os operários dosaram em excesso uma argamassa de cimento areia e água e não souberam a utiliza de maneira rápida, chegando esta a endurecer e tendo que ser descartada, isto é reflexo da falta de treinamento e mão de obra qualificada na região.

Figura 1: geração de resíduos Figura 1: Geração de resíduos Figura 2: Geração de resíduos

Figura 3: Descarte e desperdício de recursos naturais Figura 4: Descarte e desperdício de recursos naturias

É dramática a situação da construção civil no que diz respeito aos impactos ambientais que esta vem causando e principalmente na época de execução da obra (Canteiro de Obras).

A construção civil necessita urgentemente de novos procedimentos ambientalmente mais corretos, principalmente no que diz respeito ao consumo dos recursos naturais e geração e manejo dos resíduos em um canteiro de obras.

A legislação que vigora buscando canteiros de obras ambientalmente corretos, na prática raramente é cumprida por parte das construtoras, além disto, a fiscalização é muito frágil, o que abre brechas para a poluição e degradação do meio ambiente.

Diante de tudo isto que foi exposto, é impossível se falar em desenvolvimento sustentável de um país, cuja construção civil consome uma grande quantidade de recursos não renováveis, degrada o ambiente na extração destes recursos, degrada o ambiente na ocupação do solo, contamina o solo, impermeabiliza o solo, além de produzir uma grande quantidade de resíduos sem o manejo adequado. Portanto é imprescindível o planejamento e controle da obra, a fim de se obter um ambiente agradável e melhor para se viver, e é de suma importância que os novos engenheiros tenham isto em mente e busquem a construção de canteiros de obras sustentáveis.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 12284:1991. Áreas de vivência em canteiros de obras. Rio de Janeiro: ABNT, 1991. 11p.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução CONAMA: 307/02. Brasília, 2002.

CARDOSO, F. F.; ARAUJO V.M..Redução de impactos ambientais do canteiro de obras. In: Projeto Tecnologia para Construção Habitacional mais Sustentável: Inovações Tecnológicas. São Paulo: USP, 2006.

(Parte 1 de 2)

Comentários