Salvamento Veicular

Salvamento Veicular

(Parte 2 de 7)

Permaneça em local seguro até que a companhia de energia elétrica torne o local seguro.

Poste Quebrado com fios intactos

Sempre que os fios estiverem intactos, o poste ainda é perigoso. Os cabos ou obstáculos que suportam os fios podem cair a qualquer momento. A conduta nesses casos é: Estacione as viaturas fora da zona de risco

Salvamento Veicular_________________________________________________CBMAL

Informe a central, repassando a situação Aguarde a chegada da companhia de energia elétrica

Sistemas de Segurança do Veículo

Vários sistemas do veículo podem constituir uma ameaça ao resgatista ou vítima, sejam eles:

Bateria Muitas unidades de resgate sempre desativam como rotina os sistemas elétricos dos veículos cortando o cabo da bateria. A menos que combustível esteja empoçado sob o veículo ou que o air bag não ativado tenha que ser desarmado, o corte do cabo da bateria como procedimento inicial pode não ser apenas uma perda de tempo como retardar a operação de resgate.

do veículo é fato, portanto a bateria deverá ser desativada em momento oportuno

Lembre-se que muitos veículos possuem trava elétrica nas portas, vidros elétricos e ajustes elétricos nos bancos. A possibilidade de se utilizar ainda dos mecanismos

Air Bag e Pré-Tensionador de Cinto Atualmente os carros são um verdadeiro campo minado! Aonde antes podíamos cortar sem preocupação, agora poderão existir sensores de acionadores de air bags e de pré-tensionadores de cinto de segurança. Por tanto deve-se tomar cuidado quando dos cortes, você poderá acionar alguns dispositivos de segurança indesejáveis na momento do resgate.

Tipos de Air Bags

Tipo Cortina – Encontrado em veículos mais modernos e luxuosos, como em modelos Mercedes e Volvo 1999 e Audi 2000 e outros veículos atuais podem vir com este tipo de air bag. Se expandem a partir do teto, logo acima da porta, entre as colunas A e C.

Lateral – se encontra na coluna A, bem próximo ao painel. De cinto – se confundem com o próprio cinto de segurança.

Obs: Alguns air bags possuem duas cargas, podendo ser acionados duas vezes. Uma carga é ativada em colisões em baixa velocidade e a segunda carga está guardada podendo ser ativada pelos cortes feitos no veículo sinistrado.

Salvamento Veicular_________________________________________________CBMAL

Regras de Segurança

Não trabalhe no caminho de expansão do air bag Não trabalhe com a ferramenta hidráulica na área de acondicionamento dos cilindros sob pressão.

Utilize contentores de air bag do motorista. Desligue a bateria, porém air bags são dotados de capacitores que podem mantê-los energizados por até 20 min após o desligamento da bateria.

Produtos Perigosos

Não é improvável que uma equipe de resgate veicular acabe se defrontando com um acidente envolvendo produtos perigosos, afinal grande parte destes produtos tem modal rodoviário o principal meio de transporte. A ação nesses casos consiste em:

Identificar o produto transportado

Aproxime-se da cena de emergência com cuidado, tendo o vento pelas costas, tomando como referencia o ponto de vazamento do produto perigoso

Evite qualquer contato com o produto

Isole o local

Salvamento Veicular_________________________________________________CBMAL

1.2.3 Princípios de Resgate

Para que se complete da forma mais rápida e segura possível, alguns princípios de atuação devem ser utilizados em todas as operações de resgate veicular.

Existem problemas muito comuns em operações de salvamento, sejam qual for, são eles:

Ineficiência nas comunicações

Falta de controle dos recursos

Falta de comando

Há ameaça à Vida – Ameaça a vida dos socorristas, das vítimas e/ou

Fatores que afetam o gerenciamento de operações de emergência testemunhas. As Situações são dinâmicas - Evolução da ocorrência, havendo necessidade de mudança nas prioridades. Recurso de Material – Gerenciamento do recurso logístico é primordial Restrição de tempo – Urgência natural de que depende o atendimento da ocorrência . Informações Insuficientes – Central de Comunicações não colhe as informações completas. Comunicação ineficiente – Falta de padronização nas informações no cenário de ocorrência.

Visando o bom andamento e organização das operações de salvamento, definimos algumas medidas que podem reduzir o nível de confusão que poderá existir em um ambiente de ocorrência de resgate.

Terminologia Comum

As principais funções recebem nome padrão

Nomenclatura comum é utilizada para o pessoal, equipamentos e instalações

A comunicação deve ser clara e comum

Salvamento Veicular_________________________________________________CBMAL

Definição de Tarefas

Cada componente da guarnição já tem definido suas ações no local da ocorrência.

Definição das ações, de modo seqüencial, a serem dados desde a chegada no local (cronograma operacional).

Abordagem Integrada

O que foi dito anteriormente, consiste na Abordagem Integrada, ou seja, com a finalidade de reduzir o tempo resposta, uma equipe treinada e integrada e ciente de suas ações na cena do acidente acaba por conseguir que sejam executadas tarefas de forma seqüencial, lógica e quando possível simultânea.

Ciclo Operacional

A operação pode ser organizada em quatro fases, cada uma delas igualmente importante para o sucesso da operação, formando um ciclo.

Prontidão

Acionamento

Resposta

Finalização

Prontidão A fase inicial da operação começa antes do acidente propriamente dito. Esta fase inclui todas as medidas com o objetivo de que os recursos estejam preparados para o acionamento. Nesta fase é preciso que estejam prontos:

(Parte 2 de 7)

Comentários