Manual Rede de Frio

Manual Rede de Frio

(Parte 4 de 14)

(**) Organizar os imunobiológicos em bandejas perfuradas. (***) O termômetro deve ficar em pé, afixado com barbante ou arame.

FUNASA - junho/2001 - pÆg. 18

2.4.1.1 Cuidados bÆsicos

•Fazer a leitura da temperatura, diariamente, no início da jornada de trabalho e no final do dia e anotar no formulário de controle diário de temperatura;

•manter afixado na porta aviso para que esta não seja aberta fora do horário de retirada e/ou guarda das vacinas;

•usar tomada exclusiva para cada geladeira, se houver mais de uma;

•instalá-la em local arejado, distante de fonte de calor, sem incidência de luz solar direta, em ambiente climatizado, bem nivelada e afastada 20cm da parede;

•colocar na base da geladeira suporte com rodas;

•não permitir armazenar outros materiais (laboratório odontológico, alimentos, bebidas, etc. (figura 4A);

•não armazenar absolutamente nada na porta;

•certificar-se de que a porta está vedando adequadamente;

•fazer o degelo a cada 15 dias ou quando a camada de gelo for superior a 0,5cm;

Figura 4A - Geladeira inadequada para conservaçªo de vacinas

FUNASA - junho/2001 - pÆg. 19

2.4.2. Geladeira Comercial

São equipamentos de uso comercial que na Rede de Frio são destinados à estocagem de imunobiológicos em temperaturas positivas a +2ºC, devendo, para isto, estar regulados para funcionar nesta faixa de temperatura. A vacina pode estar entre +2ºC e +8ºC sem sofrer perda de potência, em armazenamento, (figura 4B).

As geladeiras comerciais comuns utilizadas na Rede de Frio dos estados, geralmente em instância regional ou municipal de grande porte, são as que estão entre 600 a 1.200 litros de capacidade, equipadas com um pequeno evaporador e quatro ou seis portas. O seu funcionamento em relação à geladeira doméstica diferencia na circulação do ar interno, tendo em vista que na geladeira comercial o ar é movimentado por um ventilador. A espessura do isolamento das paredes dessas geladeiras deve ser de no mínimo 5cm.

Atenção: As geladeiras comerciais não devem ser usadas em sala de vacina.

Figura 4B - Geladeira comercial

2.4.2.1. Organizaçªo interna

•Na primeira prateleira devem ser armazenadas as vacinas que podem ser submetidas à temperatura negativa (contra poliomielite, sarampo, febre amarela) empilhadas nas próprias embalagens (caixas), tendo-se o cuidado de deixar um espaço entre as pilhas, permitindo a circulação de ar entre as caixas;

- Na prateleira inferior:

• 30 garrafas com água e um corante

- Na 3ª prateleira: • vacinas de conservação a +2ºC • soros

• diluentes

- Na 2ª prateleira: • vacinas que não podem ser submetidas a temperaturas negativas

- Na 1ª prateleira: • vacinas que podem ser submetidas a temperaturas negativas Termômetro de Máxima e Mínima na 2ª prateleira

FUNASA - junho/2001 - pÆg. 20

Observação:considerando que a instância regional e/ou estadual possui freezers para armazenamento de vacinas à temperatura de -20ºC, esta prateleira pode, com os devidos cuidados, ser utilizada para as vacinas conservadas em temperatura entre +2ºC e +8ºC.

Cuidados:dispor essas vacinas afastadas, no mínimo 15cm (quinze centímetros) da parede de fundo da geladeira (na parede de fundo da primeira prateleira está localizado o ponto mais frio desta geladeira). Deve-se ter também o cuidado de deixar um espaço entre as pilhas permitindo a circulação de ar entre as caixas.

•Na segunda prateleira devem ser armazenadas as vacinas que não podem ser submetidas à temperatura negativa (dT, DTP, Hepatite B, Hib, influenza, T, BCG, Pneumococo, pólio inativada, DTaP) e portanto devem ser armazenadas em temperatura a +2ºC, empilhadas nas próprias embalagens (caixas), tendo-se o cuidado de deixar um espaço entre as pilhas permitindo a circulação de ar entre as caixas;

•Na segunda prateleira, no centro, colocar termômetro de máxima e mínima na posição vertical (em pé);

•Na terceira prateleira pode-se colocar caixas com soros ou com as vacinas de conservação a +2ºC, empilhadas nas próprias embalagens (caixas), tendo-se o cuidado de deixar um espaço entre as pilhas, permitindo a circulação de ar entre as caixas;

•No compartimento inferior deve-se manter no mínimo 30 garrafas com água colorida à base de iodo ou corante.

Esse procedimento é importante porque contribui para a manutenção da temperatura interna a +2ºC e para que na falta de energia elétrica ou defeito do equipamento a elevação da temperatura interna seja mais lenta;

•Para abastecer a geladeira com a quantidade de garrafas recomendadas no item acima é necessário considerar:

a)Se as garrafas com água estiverem à temperatura ambiente deverão ser colocadas apenas duas unidades por dia até atingir a quantidade recomendada (30 garrafas), evitando-se, desta forma, modificação abrupta de temperatura no interior da geladeira, levando as vacinas a choque térmico. b)Se as garrafas com água já estiverem refrigeradas pode-se colocá-las de uma só vez.

Observação:as garrafas devem ser tampadas para que a água não evapore (a evaporação da água contida nas garrafas contribui para a formação de gelo no interior da geladeira).

2.4.2.2. Cuidados bÆsicos

•Fazer a leitura da temperatura diariamente no início da jornada de trabalho da manhã e no da tarde e ao final do dia, registrando-se no formulário de controle diário de temperatura;

•Manter afixado, em cada porta do equipamento, aviso para que a geladeira não seja aberta fora do horário de retirada e/ou guarda dos imunobiológicos ou mensuração de temperatura;

•Usar tomada exclusiva para cada geladeira;

•Instalá-la distante de fonte de calor, de incidência de luz solar direta, a 20cm da parede e a 40cm de outro equipamento;

•Instalá-la bem nivelada, em ambiente climatizado à temperatura de até +18ºC;

•Colocar na base da geladeira suporte com rodas;

•Não permitir armazenar outros materiais;

•Certificar-se de que a porta está vedando adequadamente.

Observação:para verificar se a borracha da porta da geladeira está vedando adequadamente, deve-se pegar uma tira de papel com 3cm de largura aproximadamente e colocá-la entre a borracha da porta e a geladeira. Se ao puxar o papel a borracha apresentar resistência está em perfeito estado, porém, se o papel sair com facilidade deverá ser trocada a borracha. Este teste deverá ser feito em vários pontos da porta, especialmente nos quatro ângulos.

2.4.3. Termostato ou controle de temperatura

O termostato é um mecanismo destinado a abrir e fechar um circuito elétrico, permitindo a passagem ou não da corrente elétrica, mediante um dispositivo termostático que atua por meio de mudança de temperatura no equipamento de refrigeração. É utilizado para pôr em funcionamento o compressor do sistema, ou para desligá-lo quando a temperatura alcançada for a pretendida.

(Parte 4 de 14)

Comentários