Fornecimento de energia eletrica a edificaçoes de uso coletivo-celpe

Fornecimento de energia eletrica a edificaçoes de uso coletivo-celpe

(Parte 6 de 12)

4.96.1As unidades consumidoras do grupo A, interessadas em se instalar em Edificações de Uso Coletivo devem atender às prescrições da norma SM01.0-0.04 Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição, Classe 15 kV;

4.96.2A edificação deve disponibilizar espaço físico adequado à ampliação da subestação existente ou para construção de uma nova subestação e atender aos itens 4.3, 4.4 e 4.5 desta norma, conforme o caso;

4.96.3A participação financeira do consumidor deve ser calculada conforme resolução ANEEL nº 250/2007. Geradores Particulares

4.97É permitida a instalação de geradores particulares desde que seja instalada uma chave reversível de acionamento manual ou elétrico com intertravamento mecânico, separando os circuitos alimentadores, do sistema da CELPE e do gerador particular, de modo a reverter o fornecimento.

4.98Conforme disposto na NBR 13534, é obrigatória a disponibilidade de geração própria (fonte de segurança) para as unidades consumidoras que prestam assistência à saúde, tais como hospitais, centros e postos de saúde, clínicas, etc.

4.99Os circuitos de emergência supridos por geradores particulares devem ser instalados independentemente dos demais circuitos, em eletrodutos exclusivos, passíveis de serem vistoriados pela CELPE até a chave reversível.

4.100A existência de geradores particulares deve ser prevista em projeto que deve ser enviado para análise e inspeção da CELPE e a critério desta, ser lacrado o quadro de manobras, ficando disponível para o cliente somente o acesso ao comando da chave reversível.

4.101Em princípio, não é permitido o paralelismo entre gerador particular e o sistema elétrico da CELPE. Para evitar este paralelismo entre o sistema da CELPE e do consumidor, os projetos das instalações elétricas devem atender ao disposto na norma SM01.0-0.06 Instalação de Geradores Particulares em Baixa Tensão.

4.102Em situações excepcionais que sejam objeto de estudo a ser apresentado com subseqüente liberação da CELPE, permite-se o paralelismo momentâneo de geradores com o sistema da mesma, desde que atendam ao disposto na norma SM01.0-0.07 Paralelismo Momentâneo de Geradores Com Operação em Rampa, Com o Sistema de Distribuição.

Norma Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Uso Coletivo

Edificação

4.103As edificações, que ao todo ou em parte possuam locais de afluência de público, devem atender aos requisitos da NBR 13570.

4.104O dimensionamento, especificação e construção das instalações elétricas internas das unidades consumidoras devem atender às prescrições da NBR 5410 da ABNT e da NR-10, do Ministério do Trabalho e Emprego. Ressalte-se principalmente a necessidade de cumprimento:

4.104.1Do disposto nos itens 5.4.2 e 6.3.5 da NBR 5410, no que se refere à instalação de Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS), o qual deve ser instalado após a medição de cada unidade consumidora;

4.104.2Do disposto nos itens 5.1.3.2.2 e 6.3.6 desta mesma norma, o qual se refere à instalação de Dispositivo de Proteção Diferencial-Residual (DR) de alta sensibilidade, no circuito interno de cada unidade consumidora, observando-se as recomendações quanto à coordenação e seletividade.

4.105As instalações elétricas internas da edificação devem possuir sistema de aterramento compatível com a utilização do condutor terra de proteção, bem como tomadas com o terceiro contato (pino) correspondente, conforme estabelece a lei federal nº 1.337, de 26/09/2006.

4.106 A responsabilidade quanto ao dimensionamento, especificação e construção das instalações internas é exclusiva do responsável técnico, expressa através da Anotação de Responsabilidade Técnica - ART, emitida pelo CREA.

4.107Devem ser atendidas as recomendações dos fabricantes quanto aos aspectos de segurança e proteção dos equipamentos eletro-eletrônicos instalados nas unidades consumidoras.

4.108Cada unidade consumidora deve ser alimentada por circuito exclusivo.

4.109Casas geminadas devem ser consideradas edificações individuais se não possuírem área de uso comum, conforme desenho 19 do ANEXO I.

4.110Prédios de até duas unidades consumidoras situadas no mesmo terreno, com a mesma projeção horizontal, sem área de uso comum não devem ser considerados de uso coletivo, conforme desenho 20 do ANEXO I.

4.111A partir de duas unidades consumidoras com área de uso comum, a edificação deve ser considerada de uso coletivo.

Quadro de Distribuição Geral e Centro de Distribuição e Medição Quadro de Distribuição Geral (QDG)

4.112Deve ser previsto, para cada edificação de uso coletivo, um Quadro de Distribuição Geral - QDG com dispositivo de proteção e seccionamento, constituído por um armário em chapa de ferro galvanizado nº 18 USG (parte externa) e 20 USG (parte interna), conforme desenhos 21 e 2 do ANEXO I e instalado em local de fácil acesso e livre de inundação. As cotas indicadas são as mínimas exigidas.

4.113 No caso de edificações ligadas diretamente da rede de distribuição de baixa tensão, deve estar localizado o mais próximo possível do ponto de entrega, no limite de propriedade com a via pública.

4.114No caso de edificações ligadas através de subestação deve estar localizado preferencialmente em parede próxima ou contígua à mesma.

4.115Quando, em função da carga instalada ou demanda o projeto da edificação indicar a necessidade de instalação de Quadro de Distribuição Geral (QDG) de dimensões acima das mínimas exigidas, permite-se utilizar, alternativamente, quadro metálico (QDG tipo 2) de dimensões conforme desenhos 51 e 52 do ANEXO I.

Norma Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Uso Coletivo

4.116O QDG deve prever dispositivo para selagem com parafusos de segurança padronizados e instalados pela CELPE, além de disjuntor de proteção geral dos alimentadores dos centros de distribuição e medição fornecido pelo consumidor.

4.117O dispositivo de proteção geral deve ser um disjuntor termomagnético tripolar dimensionado pela demanda máxima calculada para a edificação, capaz de atuar com a corrente de curto-circuito do local e suportar a corrente de curto-circuito mínima de 10 kA, conforme NBR NM 60898.

4.118O compartimento que abriga os barramentos deve possuir tampa cega de aço ou alumínio com dispositivo para permitir no mínimo a colocação de dois parafusos de segurança. A tampa deve abrir lateralmente e ser fixada através de dobradiças. Nessa tampa deve estar pintado “USO EXCLUSIVO DA CELPE”. A alavanca de acionamento do disjuntor geral deve estar acessível para manobra, sem violação do lacre.

4.119Os barramentos podem ser feitos em barras de cobre nu ou blindados. Quando construído em barras de cobre nu, conforme tabela 10 do ANEXO I, deve-se utilizar, para as conexões, o terminal de pressão padronizado conforme desenho 26 do ANEXO I. Os barramentos blindados devem atender às seguintes exigências específicas:

4.119.1Serem fabricados em liga de cobre estanhado com espessura mínima de 8 µm, com condutividade mínima de 95% IACS a 20°C. O corpo envolvente deve ser de material polimérico de alta resistência mecânica e às intempéries, conforme desenho 25 do ANEXO I;

4.119.2Ser apropriados para permitir a conexão de condutores de cobre de seção entre 6 mm² e 50 mm² e corrente máxima de 300 A.

4.119.3Serem identificados pelas cores Vermelha, Branca e Marrom; sendo o neutro de cor Azul; 4.119.4Serem fixados à caixa com parafusos de latão, aço inoxidável ou aço bicromatizado.

4.120Na dificuldade do consumidor encontrar os barramentos blindados no mercado, a CELPE pode fornecê-los, desde que solicitado formalmente pelo consumidor, que deve arcar com os custos dos mesmos.

4.121Os condutores de interligação do barramento do QDG aos Centros de Distribuição e Medição – CDM são instalados pelo consumidor. As conexões devem ser feitas utilizando-se conector apropriado e especificado pela CELPE, conforme desenho 26 do ANEXO I.

Centro de Distribuição e Medição (CDM) 4.122O Centro de Distribuição e Medição – CDM se constitui de dois módulos: 4.122.1Centro de Distribuição – CD;

4.122.2Centro de Medição – CM (agrupamento de caixas plásticas individuais ou CM6 e CM9 – armário modular metálico).

4.123Os medidores das unidades consumidoras são instalados em CDM projetados e instalados pelo interessado, cujos projetos devem atender às seguintes recomendações:

4.123.1O CDM pode ser alimentado diretamente da rede de distribuição secundária, da subestação do edifício ou interligado a esta através de um QDG, quando existir mais de um CDM a ser alimentado;

4.123.2O CDM deve ser instalado em parede, muro ou mureta, localizado a uma distância máxima de até 40 (quarenta) metros em relação ao limite de propriedade com a via pública, para as edificações atendidas a partir da rede de distribuição em baixa tensão da CELPE, observados os limites de queda de tensão para o ramal de entrada;

Norma Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Uso Coletivo

4.123.3 Para as edificações atendidas por subestação exclusiva, aérea com dupla transformação ou abrigada, o CDM deve ser instalado em parede, muro ou mureta, localizado a uma distância máxima de até 20 (vinte) metros em relação à mesma, prevalecendo o disposto no item 4.114. Sempre que possível, o CDM deve ser construído no limite de propriedade, voltado para a via pública ou instalado no muro lateral da edificação;

4.123.4Os barramentos devem ser do tipo blindado para ramais de distribuição cuja seção não supere 50 mm². Acima dessa seção o barramento deve ser de cobre nu.

4.124O CDM, quando instalado em área externa, deve ter proteção em alvenaria contra chuva.

4.125O consumidor é responsável pela guarda do medidor de energia elétrica e dos equipamentos auxiliares mantidos sob lacre.

4.126Os centros de medição e seus acessórios são fornecidos e instalados pelo interessado, cabendo à CELPE instalar os medidores e demais equipamentos necessários à medição.

4.127Os locais onde se situam os CDM devem permitir um espaço livre mínimo de circulação de 0,70 m da face externa do quadro, com as portas abertas, à parede oposta, caso esta parede esteja livre. No caso dela estar ocupada por outro quadro, esse espaçamento deve ser de no mínimo 0,70 m na pior condição, considerando as portas de ambos abertas.

4.128Os CDM devem prever disjuntor geral e barramento para interligação dos circuitos alimentadores das unidades consumidoras individuais.

(Parte 6 de 12)

Comentários