Plano de aula sobre a importância da química

Plano de aula sobre a importância da química

Prática

de

Ensino

em

Fundamentos

da

Química

Plano de Aula Sobre Importância da Química

Edmilson Ribeiro Soares

Data: São Paulo, 01 de Dezembro de 2004 Aula 04

Tema: Importância da Química

Objetivos:

  • Introdução ao estudo da química.

  • Conhecer um pouco sobre os vários aspectos da química.

  • Compreender um pouco sobre a história da química.

  • Compreender o quanto à química está presente na nossa vida.

  • As razões que fazem da química uma vilã para muitos.

  • A importância do estudo da química.

Introdução ao estudo da química

Química, Física, Biologia, Matemática e Astronomia são exemplos de ciências Naturais. O substantivo “ciência” designa um modo organizado de trabalho que visa ao estudo de algo e o adjetivo “natural” indica referente à natureza.

Assim, Ciências Naturais são aquelas ciências que tem por finalidade estudar objetos e fenômenos (acontecimentos) da natureza, quer esses fenômenos sejam observados em ambientes artificiais (isto é, ambientes criados pelo ser humano) como é o caso dos laboratórios.

É difícil apresentar uma definição rápida e simples para química. De modo simplista podemos dizer que ela é a Ciência Natural que visa o estudo das substâncias, da sua composição, da sua estrutura e das suas propriedades. Entre as propriedades das substâncias que mais interessam aos químicos está a tendência de elas tomarem parte, ou não em processos nos quais novas substâncias são formadas a partir de outras, processos denominados reações químicas.

É comum vermos muitas expressões no nosso dia a dia, como: alimentos sem química, isto no leva a crer o grande desconhecimento por parte da população acerca da química, que muitas vezes trata a mesma como se fosse um objeto ou algo que pudesse ser colocado em alguma coisa.

A química não é um objeto e sim uma ciência, um ramo do conhecimento humano que visa compreender melhor alguns acontecimentos que ocorrem na natureza e ou laboratório, estudando-os de forma organizada de trabalho a qual denominamos de método científico.

Todos os objetos e materiais existentes na terra são constituídos por substâncias químicas. É comum encontrarmos nas embalagens dos alimentos indicações de substâncias químicas. A pesar da grande importância desta ciência sempre vemos a palavra química empregada como sinônimo de “substâncias tóxicas” , “veneno” ou “poluição”.

Aprender química é se envolver num apaixonante estudo de substâncias ao nosso redor, de onde vem quais suas propriedades, que utilidades possuem, quais as vantagens e os problemas que eventualmente podem trazer a humanidade.

Os vários aspectos da química

A química envolve uma linguagem própria

Assim como os sinais de trânsito, as placas de advertência e etc. são simbologias utilizadas para que possamos compreender uma mensagem com o menor número de palavras possíveis através destes códigos, a química também possui a sua própria linguagem. Assim como a música, computação a eletrônica todos tem sua linguagem à química também. Ao longo do curso de química você estará adquirindo conhecimento que lhe permitirá entender esta linguagem. Como por exemplo:

Em equação: C(Graf.) + O2 → CO2

Em palavras: Carbono grafite reage com gás oxigênio produzindo gás carbônico.

Uma partitura de música escrita por um compositor brasileiro, pode ser facilmente interpretada por um músico chinês, o mesmo acontece com a linguagem da química.

A química usa ferramentas de outra área

No decorrer deste curso, você perceberá que, muitas vezes, a Química utiliza conceitos de outras áreas, principalmente da matemática e da física. Também na atualidade a informática vem se mostrado como uma ferramenta, essencial na ajuda de resolução de cálculos, como na sistematização da imensa quantidade de informações sobre compostos químicos que surge todos os anos.

O caráter experimental da química

Assim como acontece em outras ciências naturais, a química também se baseia na observação de acontecimentos (fenômenos) da natureza. Quando um cientista realiza alguma experiência, ele a publica em revistas especializadas que circulam o mundo. Sua descrição deve ser precisa o suficiente para que outros cientistas possam reproduzir e chegarem aos mesmos resultados. Caso contrário suas conclusões não serão aceitas na comunidade científica mundial.

O caráter puro e aplicado da química

Uma pesquisa química pose estar preocupada apenas em entender melhor algum fato a natureza, neste caso temos uma pesquisa pura. Por outro lado ela pode estar voltada para resolver um problema prático tratando então de uma pesquisa aplicada. Uma pesquisa pura muitas vezes fornece dados para os cientistas futuramente realizarem uma pesquisa aplicada.

O caráter interdisciplinar da química

Como já falamos esta ciência tem um caráter aplicado. E muitas vezes na resolução de problemas práticos é necessário que ela atue em conjunto com outras ciências. Por esse motivo vemos a química aliada à várias outras ciências, como à Engenharia na descoberta de novos materiais; a medicina onde são descobertos anualmente centenas de novas substâncias que podem atuar como medicamentos e etc.

Um breve panorama histórico

Entre as ciências naturais, podemos dizer que a química é uma das mais jovens, quando comparamos com Astronomia, Física e Matemática que tem uma história mais remota, com relatos de séculos antes de Cristo. Não existe uma data específica que possamos colocar como o inicio da química. Podemos dizer, entretanto, que ela só se firmou como ciência no transcorrer dos séculos XVII e XVIII.

Antiguidade:

Cerca de 1500 a.C. os egípcios já utilizavam técnicas em que estavam envolvidas transformações químicas. Entre elas podemos citar a fabricação de objetos cerâmicos por meio do cozimento da argila, a extração de corantes de certos animais e vegetais, a obtenção do vinagre e bebidas alcoólicas não-destilada (vinho, cerveja) e a produção de vidro e alguns metais, destaca-se também a conservação de múmias, na qual os egípcios atingiram alto grau de perfeição. Por volta de 478 a.C. o filósofo grego Leucipo apresentou a primeira teoria atômica de que se tem notícia, o seu discípulo Demócrito a aperfeiçoou e propagou. Contudo os gregos acabaram predominando as idéias de outro filósofo, Aristóteles (384-322 a.C.) segundo ele, tudo é constituído de quatro elementos básicos: fogo, terra, ar e água. Essa maneira de pensar influenciou muito a evolução da Ciência ocidental, que conseguiu desvencilhar-se totalmente dessas idéias somente no século XVI, a partir do qual a química teve considerável impulso.

Alquimia, a precursora da Química

A alquimia nasceu de uma mistura de ciência, arte e magia, que floresceu durante a idade média, tendo uma dupla preocupação, a busca do “elixir da longa vida” que garantia a imortalidade e a cura das doenças do corpo e a descoberta de u método para a transformação de metais comuns em ouro (transmutação) que ocorreria na presença de um agente conhecido como “pedra filosofal”. Na China as especulações dos alquimistas conduziram ao domínio de muitas técnicas de metalurgia e a descoberta da pólvora. Os chineses foram os inventores dos fogos de artifício e os primeiros a usar a pólvora em combates no século X. Nenhum dos objetivos da alquimia foi atingido.

Da alquimia surge à química

Em 1957, o alemão Andreas Libavis publicou o livro Alchemia, no qual afirmava que alquimia tem por objetivo a separação de misturas em seus componentes e o estudo das propriedades desses componentes. Em 1961 o irlandês Robert Boyle publicou The Sceptical Chemist (O químico cético) cético significa desconfiado que só acreditava mediante provas, no qual atacava violentamente a concepção de aristotélica de quatro “elementos”. Esses dois livros são considerados, por alguns estudiosos, como o marco inicial da Química. Há outros estudiosos que acreditam a Antoine Lavoisier o mérito de ser o “pai” da química. Os trabalhos deste cientista francês realizado no século XVIII, deram à química bases sólidas. Mostra-se vazamentos de petróleo nos oceanos, que envenenam a flora e a fauna marinha. Divulga-se notícias sobre corantes, adoçantes, e outros aditivos que podem tornar os alimentos perigosos à nossa saúde. Comentam acerca de medicamentos com contra indicações muitos sérias, notifica-se explosões em fábricas de produtos químicos que causam mortes e intoxicam milhares de pessoas, comenta-se a cerca da possibilidade de haver guerras químicas utilizando produtos capazes de cegar, paralisar, ou sufocar as pessoas. Em fim, diz-se que a química está estragando o nosso ambiente do nosso planeta.

A química está presente em nossa vida diária?

Sim porque existem materiais químicos em nossos alimentos (o pão, o açúcar, legumes e leite), em nossas casas (tijolo, areia, cimento, madeira e o vidro), em nossas roupas (algodão, a lã, seda e o tergal), em nossos meios de locomoção (a gasolina ou álcool em nossos carros, óleo diesel em trens e caminhões) em nossa saúde (produtos de higiene, vacinas, vitaminas e medicamentos gerais), assim por diante. O próprio ser humano é um laboratório químico complexo, onde existe muitos materiais químicos em constante transformações.

Porque atualmente se fala tão mal da química?

Porque quase diariamente jornais, rádio e televisão, nos trazem notícias de poluição, desastres e mortes provocados pela química. Fala-se na poluição do ar que sufoca as grandes cidades, na poluição dos rios que matam os peixes, na poluição do solo por agrotóxicos que contaminam os alimentos vegetais.

É possível viver sem a química?

  • Não porque sem adubos, o rendimento da produção agrícola cairia muito drasticamente.

  • Sem defensivos agrícolas perderíamos grande parte da colheita, devido às doenças das plantações e devido a ação de insetos. ( Isso agravaria o processo da fome no mundo).

  • Sem combustível não teríamos a movimentação de navios, trens, ônibus, automóveis e aviões.

  • Sem tintas, vernizes e etc... nossas casas, veículos e máquinas seriam corroídos mais rapidamente.

  • Sem tecidos sintéticos, haveria o racionamento de roupas.

  • Sem medicamentos, as doenças abreviariam a vida humana.

Observe o que o medo da química atualmente chega a ser tão grande que certas firmas vendem “alimentos naturais sem química”, o que é uma inverdade, pois tudo que existe no mundo é formado por matéria química.

Então, qual é a solução para os problemas expostos acima?

Para evitar a fome, a poluição e outros males que afligem nosso mundo atual, é necessário que todos os homens - o povo, os cientistas, os políticos, etc... – se conscientizem de que natureza só pode ser explorada com muita prudência e parcimônia. Devemos racionalizar a produção, e distribuição e o uso da enorme quantidade e variedade de produtos químicos que já se incorporam a nossa vida diária. É muito importante evitar o consumo exagerado e o desperdício de materiais e energia, pois isso dá origem a muita poluição e acumulo de lixo. Lembre-se que o problema nunca está nas coisas, más no uso que fazemos delas. Não se pode dizer, por exemplo, que a gasolina é “boa” ou “má” ela é perigosa quando provoca incêndio más é útil quando movimenta um automóvel.

Em fim é por isso que a química se faz necessário cada dia mais ser compreendida para que possamos lutar para que os benefícios trazidos por ele ultrapassem de longe os prejuízos que ela possa causar. Daí a importância do estudo da química em nossos dias, pois ela procura viabilizar o relacionamento harmonioso entre seres vivos (incluindo o homem e o meio ambiente). Em outras palavras devemos almejar o desenvolvimento equilibrado da humanidade, de tal modo que nosso progresso não coloque em risco toda a vida vegetal e animal existente na terra.

Comentários