Modelagem Matem-tica de sistemas dinamicos

Modelagem Matem-tica de sistemas dinamicos

(Parte 1 de 2)

Apostila Modelagem e Simulação de Sistemas Dinâmicos

Aluno Data Curso / Turma Professor

24/10/09 Engenharia Industrial

Mecânica / 2006-1 Everton Farina, Eng.º

1.1 - INTRODUÇÃO

Inicialmente é necessário que se defina o que é sistema, sistema dinâmico e sistema estático. Um SISTEMA é uma combinação de componentes que atuam em conjunto para satisfazer um objetivo especificado. O sistema é dito ESTÁTICO, quando a saída atual do sistema depende somente da entrada atual. A saída do sistema só varia se a sua entrada variar.

O sistema é dito DINÂMICO, se a sua saída depende da entrada e dos valores passados da entrada. Num sistema dinâmico a saída varia se ela não estiver num ponto de equilíbrio, mesmo que nenhuma entrada esteja sendo aplicada.

O modelo matemático de um sistema dinâmico é definido como sendo o conjunto de equações que representam a dinâmica do sistema com uma certa precisão. O modelo matemático de um dado sistema não é único, isto é, um sistema pode ser representado por diferentes modelos dependendo da análise que se deseja fazer.

Na obtenção do modelo matemático para um dado sistema deve-se ter um compromisso entre a simplicidade do modelo e a sua precisão. Nenhum modelo matemático, por mais preciso que seja, consegue representar completamente um sistema.

Em geral deve-se obter um modelo matemático, que seja adequado para solucionar o problema específico que esta em análise. Porém, é importante ressaltar que os resultados obtidos desta análise serão válidos somente para os casos em que o modelo é válido.

Quando vamos obter um modelo simplificado de um sistema, geralmente ignoramos algumas propriedades físicas deste sistema. Se os efeitos que estas propriedades causam na resposta do sistema são pequenos, então uma boa semelhança entre os resultados da análise matemática e os resultados práticos do sistema é obtido.

Em geral os sistemas dinâmicos são não lineares. Porém, os procedimentos matemáticos para a obtenção de solução de modelos lineares são muito complicados. Por isto, geralmente substituí-se o modelo não linear por um modelo linear, com validade somente em uma região limitada de operação, ou para um ponto de operação.

os fenômenos térmicos, isto é, condução, radiação e convenção, etc

A obtenção dos modelos que representam um dado sistema, são baseados nas leis que regem aquele sistema. Por exemplo, na modelagem de um sistema mecânico, deve-se ter em mente as leis de Newton; na modelagem de sistemas elétricos deve-se ter em mente as leis das correntes e das tensões de Kirchoff; na modelagem de sistemas térmicos deve-se ter mente as leis que regem

Neste capítulo, nos preocupamos com a modelagem de sistemas mecânicos de translação e rotação e sistemas eletromecânicos. A modelagem de outros sistemas físicos, tais como, sistemas térmicos e sistemas hidráulicos não serão objeto de análise.

Engenharia

URI Página 2 de 10

1.2 - MODELAGEM MATEMÁTICA DE SISTEMAS MECÂNICOS

Os sistemas mecânicos são divididos em dois grupos, isto é, sistemas mecânicos de translação, e sistemas mecânicos de rotação. A seguir, alguns conceitos importantes relativos a sistemas mecânicos, serão revisados.

- Massa

A massa de um corpo, é a quantidade de matéria deste corpo, a qual é constante.

Fisicamente, a massa de um corpo é responsável pela inércia do mesmo, isto é, a resistência à mudança de movimento de um corpo. O peso de um corpo é a força com a qual a terra exerce atração deste corpo.

Embora o peso de um corpo possa variar de um ponto para outro, a massa do mesmo não varia.

- Força

A força é definida como a causa que tende a produzir uma mudança na posição de um corpo, no qual a força está atuando. As forças podem ser classificadas de duas formas, FORÇAS DE CONTATO e FORÇAS DE CAMPO. As forças de contato são aquelas que têm um contato direto com o corpo, enquanto as forças de campo não apresentam contato direto com o corpo, como por exemplo, força magnética e força gravitacional.

- Torque

O torque é definido como qualquer causa que tende a produzir uma mudança na posição angular (rotacional) de um corpo, no qual o torque esteja atuando.

- Deslocamento, Velocidade e Aceleração O deslocamento χ(t) é a troca de posição de um ponto, tomado como referência, para outro.

A velocidade é a derivada temporal do deslocamento χ(t).

A aceleração é a derivada temporal da velocidade:

Engenharia

URI Página 3 de 10

- Deslocamento Angular, Velocidade Angular e Aceleração Angular

O deslocamento angular “θ(t)”, é definido como a troca de posição angular, sobre um eixo, de um ângulo tomado como referência e outro. É medido em radianos. A direção anti-horária é tomada como positiva.

A velocidade angular “ω(t)”, é a derivada temporal do deslocamento angular “θ(t)”.

A aceleração angular “α(t)”, é a derivada temporal da velocidade angular “ω”.

Obs:

Se a velocidade ou a velocidade angular é medida em relação a uma referência fixa, então chamamos de velocidade absoluta ou velocidade angular absoluta. Caso contrário serão grandezas relativas. O mesmo é válido para a aceleração.

Das três leis que foram formuladas por Newton, a segunda lei é a mais importante, para a obtenção de modelos matemáticos de sistemas mecânicos. - Segunda lei de Newton (Translação)

“A aceleração adquirida por de qualquer corpo rígido é diretamente proporcional as forças que atuam neste corpo, e inversamente proporcional a massa deste corpo”.

- Segunda lei de Newton (Rotação)

“A aceleração angular de qualquer corpo rígido é diretamente proporcional aos torques que atuam neste corpo, e inversamente proporcional ao momento de inércia deste corpo”.

Onde: J → Momento de inércia;

1.2.1- SISTEMAS MECÂNICOS DE TRANSLAÇÃO

Nos sistemas mecânicos de translação, há três elementos mecânicos envolvidos que são: elemento de inércia, elemento de amortecimento, elemento de elasticidade.

Engenharia

URI Página 4 de 10

- Elemento de Inércia (Massa)

É assumido que a massa é rígida. Desta forma a conexão superior, não deve se mover em relação a conexão inferior, isto é, ambas conexões se deslocam segundo χ(t).

Onde:

- Elemento de Amortecimento (Amortecedor)

(Parte 1 de 2)

Comentários