Curso de emergencista pré-hospitalar Mod. 3

Curso de emergencista pré-hospitalar Mod. 3

(Parte 1 de 7)

Curso Emergencista Pré-hospitalar – Módulo 3 SENASP/MJ - Última atualização em 18/10/2007 w.fabricadecursos.com.br

Módulo 3 - Trauma em ossos

Este módulo tem como objetivo apresentar os tipos de trauma em ossos e descrever os procedimentos a serem executados em cada caso.

Para isso, foram são relacionadas 3 aulas: • Trauma em ossos

• Traumatismos Específicos (TCE, TRM e Torácico)

• Manipulação e transporte de acidentados

Aula 1 – Trauma em ossos Os objetivos desta aula são:

• Definir o conceito de fratura, luxação e entorse e enumerar quatro sinais ou sintomas que identificam tais lesões;

• Citar duas razões para a imobilização provisória; e

• Descrever os passos para imobilizar fraturas em extremidades superiores, inferiores e pelve.

Fratura Ruptura total ou parcial de um osso.

Classes de fraturas Fechada (simples) - A pele não foi perfurada pelas extremidades ósseas. Aberta (exposta) - O osso se quebra, atravessando a pele, ou existe uma ferida associada que se estende desde o osso fraturado até a pele.

Sinais e sintomas de fratura:

Deformidade - A fratura produz uma posição anormal ou angulação num local que não possui articulação;

Sensibilidade - Geralmente o local da fratura está muito sensível à dor;

Crepitação - Num movimento da vítima podemos escutar um som áspero, produzido pelo atrito das extremidades fraturadas. Não pesquisar este sinal intencionalmente, porque aumenta a dor e pode provocar lesões;

Edema e alteração de coloração - Quase sempre a fratura é acompanhada de um certo inchaço provocado pelo líquido entre os tecidos e as hemorragias. A alteração de cor

Curso Emergencista Pré-hospitalar – Módulo 3 SENASP/MJ - Última atualização em 18/10/2007 w.fabricadecursos.com.br poderá demorar várias horas para aparecer;

Impotência funcional - Perda total ou parcial dos movimentos das extremidades. A vítima geralmente protege o local fraturado, não pode mover-se ou o faz com dificuldade e dor intensa;

projetar através da pele ou serem vistos no fundo do ferimento

Fragmentos expostos - Numa fratura aberta, os fragmentos ósseos podem se -

Luxação

É o desalinhamento das extremidades ósseas de uma articulação fazendo com que as superfícies articulares percam o contato entre si.

Sinais e sintomas de luxação:

• Deformidade - Mais acentuada na articulação luxada; • Edema;

• Dor: Aumenta se a vítima tenta movimentar a articulação;

• Impotência funcional: Perda completa ou quase total dos movimentos articulares;

Entorse

É a torção ou distensão brusca de uma articulação, além de seu grau normal de amplitude.

Sinais e sintomas de entorses

São similares aos das fraturas e aos das luxações. Mas nas entorses os ligamentos geralmente sofrem ruptura ou estiramento, provocados por movimento brusco.

Amputações

São lesões geralmente relacionadas a acidentes automobilísticos (amputações traumáticas). Seu tratamento inicial deve ser rápido, pela gravidade da lesão e pela possibilidade de re-implante.

Curso Emergencista Pré-hospitalar – Módulo 3 SENASP/MJ - Última atualização em 18/10/2007 w.fabricadecursos.com.br

O procedimento a ser adotado em caso de amputação é:

• controlar a hemorragia; • aplicar curativo estéril;

• fixar o curativo com bandagens ou ataduras; e

• guardar a parte amputada envolta em gaze ou compressa estéril (pano limpo), umedecido com solução fisiológica, colocando-a dentro de um saco plástico e este, então, dentro de um segundo saco ou caixa de isopor repleta de gelo.

Razões para a imobilização provisória

• Evitar a dor; • Prevenir ou minimizar lesões futuras de músculos, nervos e vasos sangüíneos;

• Manter a perfusão no membro; e

• Auxiliar a hemostasia.

Regras gerais de imobilização no tratamento pré-hospitalar:

• Informe o que planeja fazer;

• Exponha o local. As roupas devem ser cortadas e removidas sempre que houver suspeita de fratura, entorse ou luxação;

• Controle hemorragias e cubra feridas. Não empurre fragmentos ósseos para dentro do ferimento, nem tente removê-los. Use curativos estéreis;

• Observe o pulso distal, a mobilidade, a sensibilidade e a perfusão;

• Reúna e prepare todo o material de imobilização (use se possível, talas acolchoadas);

• Imobilize e use tensão suave para que o local fraturado possa ser colocado na tala. Movimente o mínimo possível. Imobilize todo o osso fraturado, uma articulação acima e abaixo. Em alguns casos a extremidade deve ser imobilizada na posição encontrada;

• Revise a presença de pulso e a função nervosa. Assegure-se que a imobilização está adequada e não restringe a circulação; e

• Previna ou trate o estado de choque.

(Parte 1 de 7)

Comentários