Insulinoterapia

Insulinoterapia

INSULINOTERAPIA

INSULINOTERAPIA

  • CONCEITO:

  • É a administração de um hormônio (insulina), para controle da hiperglicemia.

  • INSULINA:

  • É um hormônio produzido pelo pâncreas, que tem como função primordial a manutenção dos níveis de normalidade da glicemia que circula na corrente sangüínea.

  • VALORES DA GLICEMIA:

  • Varia de 70 a 120 mg/dl

INSULINOTERAPIA

  • APRESENTAÇÕES

  • - Atualmente só existe na concentração de 100 UI/ml

  • UI = Unidade Internacional

  • - As seringas mais utilizadas são as de 1,0 ml graduadas 100 UI

  • Existem ainda:

  • 0,5 ml graduadas 50 UI

  • 0,3 ml graduadas 30 UI

INSULINA

  • A insulina pode ser extraída do pâncreas do boi ou do porco ou através de biotecnologia com obtenção de molécula idêntica a insulina humana.

TIPOS DE INSULINA

  • REGULAR ( R )

  • - São cristalinas, solúveis em água e com início do efeito imediato. São também denominadas insulinas solúveis ou insulinas não modificadas.

  • - EFEITO: 30’ subcutânea

  • Imediato – endovenosa

  • - PICO MÁXIMO – entre 2 a 4 horas da aplicação

  • - COBERTURA – em torno de 6 a 8 horas

  • - ASPECTO – transparente e cristalino

  • - VIA DE ADMINISTRAÇÃO – EV, IM e SC

TIPOS DE INSULINA

  • NPH (Neutral Protamine Hagedorn )

  • - Insulina de ação intermediária

  • - EFEITOS – cerca de 1 a 3 horas após aplicação.

  • - PICO MÁXIMO – entre 6 a 12 horas

  • - COBERTURA – em torno de 20 a 24 horas

  • - ASPECTO – leitoso

  • - VIA DE ADMINISTRAÇÃO - SC

TIPOS DE INSULINA

  • ULTRA-RÁPIDA

  • - EFEITO – cerca de 1 a 5 minutos

  • - PICO MÁXIMO – 30 minutos

  • - ASPECTO – transparente e cristalino

  • - VIA DE ADMINISTRAÇÃO - SC

  • AÇÃO ULTRA-LENTA

  • - EFEITO – cerca de 4 a 6 horas

  • - PICO MÁXIMO – 12 a 16 horas

  • - COBERTURA – 24 a 36 horas

  • - ASPECTO – leitoso

  • - VIA DE ADMINISTRAÇÃO - SC

TIPOS DE INSULINA

  • PRÉ-MISTURA

  • São insulinas NPH misturadas em um frasco de insulina Regular.

  • - EFEITO – 30 minutos a 1 hora

  • - PICO MÁXIMO – 2 a 12 horas

  • - COBERTURA – 20 a 24 horas

  • - ASPECTO – leitoso

  • - VIA DE ADMINISTRAÇÃO - SC

PREPARANDO A INSULINA

  • MATERIAL

  • CUBA RIM CONTENDO:

  • - Seringa com medicação já aspirada e protegida;

  • - Bola de algodão embebida em álcool à 70%.

PREPARANDO A INSULINA

  • 1. Lave e seque bem as mãos;

  • 2. Separe a seringa , a insulina e o algodão;

PREPARANDO A INSULINA

  • 3. Role levemente o frasco de insulina entre as mãos. Este movimento serve para misturar a insulina de aspecto leitoso e para adequar a insulina à temperatura ambiente quando guardada em geladeira. Não agite rapidamente para evitar a formação de bolhas que podem dificultar o preparo.

PREPARANDO A INSULINA

  • 4. Limpe a tampa de borracha do frasco com álcool à 70%. Espere secar para introduzir a agulha.

  • 5. Pegue a seringa e puxe o êmbolo, aspirando ar até a sua extremidade de borracha alinhar-se com a marca da escala que indica a quantidade de insulina prescrita pelo médico. Mantenha a agulha com o protetor.

PREPARANDO A INSULINA

  • 6. Retire o protetor da agulha e injete o ar no frasco, pressionando o êmbolo. Para sua segurança mantenha o frasco de insulina apoiado em uma mesa ou balcão nesta fase.

PREPARANDO A INSULINA

  • 7. Pegue o frasco sem retirar a agulha e vire-o de cabeça para baixo. Puxe o êmbolo lentamente, aspire a insulina até a marca da escala, que indica a quantidade de insulina a ser aplicada.

PREPARANDO A INSULINA

  • 8. Verifique se há bolhas de ar na seringa. Se houver, elimine-as batendo levemente com o dedo na parte onde elas se encontram. Quando as bolhas atingirem o bico da seringa, empurre o êmbolo para que elas voltem ao frasco de insulina. Repita o procedimento até que as bolhas desapareçam pois onde há ar não tem insulina.

PREPARANDO A INSULINA

  • 9. Inverta o frasco de insulina e retire lentamente a agulha prevenindo desperdícios. Se a aplicação não for imediata, recoloque o protetor da agulha para prevenir contaminação.

LOCAIS DE APLICAÇÃO

PROCEDIMENTO

  • Lavar as mãos;

  • Dispor o material em uma cuba;

  • Abordar o paciente;

  • Escolher a região (seguir o rodízio) e realizar a prega;

  • Injetar a agulha rápida no ÂNGULO DE 90º (agulha hipodérmica);

  • Aspirar , observando a presença de sangue;

  • Retirar a agulha e pressionar;

  • Descartar o material.

HIPOGLICEMIA E HIPERGLICEMIA

  • SINTOMATOLOGIA DA HIPOGLICEMIA

  • - Sudorese Excessiva

  • - Astenia

  • - Náusea

  • - Perturbações visuais

  • - Tremores

  • - Cefaléia

  • - Confusão mental

  • - Coma

CAUSAS

  • HIPOGLICEMIA

  • - Administração da dose de insulina maior que a necessária;

  • - Atraso ou ausência de uma refeição;

  • - Jejum para exames ou cirurgias;

  • - Excesso de exercícios físicos antes das refeições;

  • - Diarréia e vômito

MONITORIZAÇÃO DA GLICEMIA

  • Glicemia de jejum – exames laboratoriais

MONITORIZAÇÃO DA GLICEMIA

  • Glicosúria – não fornece um parâmetro preciso

MONITORIZAÇÃO DA GLICEMIA

  • Glicoteste no sangue

MATERIAL PARA GLICOTEST

  • Glicosímetro

  • Fita-teste

  • Luva de procedimento

  • Lanceta

  • Algodão

  • Gaze

PROCEDIMENTO (Glicotest)

  • Lavar as mãos

  • Abordar o paciente

  • Fazer antissepsia da área

  • Calçar luvas

  • Ligar o glicosímetro (esperar autocalibração e seguir orientações do fabricante)

  • Espetar o dedo do paciente na parte lateral da polpa digital com a lanceta

  • Aplicar uma gota de sangue na fita teste

  • Ler o resultado ( se houver alteração comunicar ao médico ou seguir prescrição)

  • Registrar o procedimento e resultado no prontuário

MONITORIZAÇÃO DA GLICOSÚRIA

  • MATERIAL

  • - Recipiente para coleta de amostra de urina

  • - Luva de procedimento

  • - Fita-teste para glicosúria e e frasco com gráfico para leitura do resultado

  • PROCEDIMENTO

  • - Abordar o paciente

  • - Orientar para coletar o 2º jato da urina

  • - Mergulhar a fita na amostra de urina e aguardar 30’’

  • - Efetuar a leitura

Comentários