Microbiologia Ambiental

Microbiologia Ambiental

(Parte 1 de 2)

Disciplina: Microbiologia Ambiental

Professor: Dr. André Paradela

Grupo: R.A.:

Ana Beatriz Cervi 725060061

Christiano Gonçalves Vidal 725040061

Coralina Gonçalves Vidal 725050061

Jéssica Amarante de Paula 724880061

Espírito Santo do Pinhal, 10 de outubro de 2008.

ÍNDICE:

ASSUNTO PÁGINA

1ª AULA: Análise Bacteriológica da Água.........................................................................03

2ª AULA: Coleta de Fungos e Leveduras............................................................................04

3ª AULA: Sanitário..............................................................................................................05

4ª AULA: Bucal...................................................................................................................06

5ª AULA: Teste Bioquímico................................................................................................07

6ª AULA: Isolamento de Bactérias do Dinheiro..................................................................08

BIBLIOGRAFIA..................................................................................................................09

1ª AULA

TÍTULO:

Análise Bacteriológica da Água.

AUTORES:

Ana Beatriz Cervi

Christiano Gonçalves Vidal

Coralina Gonçalves Vidal

Jéssica Amarante de Paula

INTRODUÇÃO:

Do ponto de vista microbiologico, as aguas provenientes de poços, minas, nascentes, rios, lagos entre outras fontes são consideradas potaveis quando não há presença de material de origem fecal.

Existe uma ampla e variada gama de patogenos de origem fecal que pdem povoar o ambiente aquatico. Conforme o uso que sera dado a essa agua, esses patogenos devem estar em quantidades minimas ou ate mesmo ausentes.

O grupo coliforme compreende generos de bacterias que habitam o sistema gastro-intestinal de animais de sangue quente. A maioria das bacterias do grupo coliforme pertence aos generos Escherichia, Citrobacter, Klebsiella e Enterobacter.

O grupo coliforme podem ser divididos em: coliformes totais. Coliformes fecais e os estreptococos.

OBJETIVO:

Técnica utilizada para inferir o numero mais provável de coliformes fecais (NMP) em uma amostra de água.

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA:

Coliformes fecais: Tambem chamados de coliformes termotolerantes, pois se reproduzem ativamente a 45 ºC, valor de temperatura que lhes permitem fermentar a lactose em 24hr, com produção de acidos e gases, tendo como principal representante a Escherichia coli, de origem exclusivamente fecal. São bacterias em forma de bacilo gram negativas capazes de fermentar a lactose e produzir gás à 45 ºC. Podem ou não necessitar de oxigenio (anaerobias ou aerobias). Não formam esporos. Presença de coliformes fecais indica contaminação fecal.

Coliformes totais: são bacterias em forma de bacilo gram negativas capazes de fermentar a lactose e produzir gás à 37 ºC. Podem ou não necessitar de oxigenio (anaerobias ou aerobias). Não formam esporos. Estão associadas à decomposição da materia organica em geral. Presença de coliformes totais não indica necessariamente contaminação fecal.

Meio VB: lactose (+), produção de gás (+), a 37 ºC

Meio EC:lactose (+), produção de gás (+), a 45 ºC. Principal especie = E. coli

METODOLOGIA:

Técnica utilizada para inferir o numero mais provável de coliformes fecais (NMP) em uma amostra de água.

A técnica é dividida em 2 etapas seqüenciais.

As diluições as quais iremos trabalhar são: 10ml, 1,0ml e 0,1ml.

MATERIAIS UTILIZADOS:

-Amostra de agua 100ml;

- Caldo Lauril Sulfato Triptose em concentração dupla;

- 6 tubos de ensaio com tubos dentro invertidos de Durham;

PROCEDIMENTOS:

1. Teste preliminar/presuntivo

O caldo inibi o crescimento de bactérias gram-positivas. Neste caso iremos investigar se a amostra de água contem bactéria fermentadora de lactose e que produz gás.

Se apos a inoculação ocorrer produção de gás nos tubos invertidos de Durham, presumi-se que exista coliforme na amostra de água.

2. Teste confirmatório:

Neste caso, inoculamos 1,0ml dos tubos positivos (caldo LST) para os tubos com caldo E.C. para coliformes fecais e também 1,0ml nos tubos com caldo V.B. para coliformes totais.

A contagem do numero mais provável de coliformes fecais e totais é feita de uma tabela que indica um provável numero de coliformes conforme a combinação dos tubos de E.C. e V.B.

RESULTADOS:

A amostra da água da torneira coletada teve resultado negativo para coliformes totais e coliformes fecais.

CONCLUSÃO:

A amostra de água coletada da torneira (água de tubulações que vem dá rua) por não apresentar coliformes presente, significa que esta sendo bem tratada pelos órgãos responsáveis pelo tratamento e saneamento de água nesta cidade de Espírito Santo do Pinhal.

2ª AULA

TÍTULO:

Coleta de fungos e leveduras.

AUTORES:

Fernanda

Jéssica Amarante de Paula

Paula

Priscila

Vinícius

INTRODUÇÃO:

OBJETIVO:

(Parte 1 de 2)

Comentários