A importância do Professor na educação

A importância do Professor na educação

ALUNO: LEONARDO SOUSA - 200883168

Belém Dezembro/2009

Fazer com que o sujeito compreenda o mundo em que vive e como ele se define.

Compreender a realidade, manejar conceitos, apresentar informações que são bases necessárias para o desenvolvimento intelectual, e que também possa utiliza suas forças afetivas no sentido de mobilizar a sua criatividade, para que sejam capazes de atuar no presente e de ajudar a construir o futuro, não é uma tarefa nada fácil. Porém, com a figura do professor tudo isso pode ser diferente.

O professor será aquele que vai passar segurança e motivar a nossa investigação, ou seja, ele terá a função de orientar a investigação, colocar questões para que ela progrida, auxiliar com o fornecimento de fontes e informações, assim como colocar desafio para que o aluno perceba as diferentes perspectivas possíveis do problema. (AQUINO, 2007, p. 81)

Portanto, o professor tem uma missão nobre que é levar conhecimento, dirigir as inteligências jovens e preparar os cidadãos conscientes.

Formar cidadão consciente significa saber o que mundo é, e como ele se define e funciona, de modo a reconhecer o lugar de cada país no conjunto do planeta e de cada pessoa no conjunto da sociedade humana, capazes de atuar no presente e de ajudar a construir o futuro (SANTOS, 1995, p. 17).

A formação do cidadão pelo professor é ratificada no Art. 2º-Dos Princípios e

Fins da Educação Nacional – “o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.

Portanto nossa educação é visivelmente importante, pois ela forma as novas gerações e segundo Willian (2007, p.15), ainda nos possibilita libertação, mudança com vista a uma sociedade mais justa e democrática.

“Ser informado é ser livre” – disse Ricupero (1995). Podemos dizer que quando uma pessoa atinge a capacidade de ler e entender, ela entra em outro estágio na estrutura do raciocínio (Aquino, 2007, p. 81).

O educador tem preocupação com a formação e muitos deles são capazes de fazer coisas novas, com um ensino dinâmico, atual e criativo, fazendo que os alunos percebam como o conhecimento é útil para sua vida. Logo, os métodos utilizados pelos professores de hoje são bastante variados e:

requer o emprego de método de ensino que superem a simples transmissão de informação e que se assente em alternativas para mobilizar o intelecto do aluno, fazendo com que ele se pergunte e não apenas espere resposta (Callai, 2003, p.23)

Sabemos que a educação não se resume somente a escola e sim a vários meios de aprendizagem.

Considero que tanto a educação (entendida como algo que não se resume à escola e sim a todos os meios de aprendizagem: família, mídia, lições dos mais experientes, trocas de idéias com outros etc.) como ensino (entendido como sistema escolar) possuem simultaneamente essas duas dimensões, ou seja, são ou podem ser ao mesmo tempo instrumento de dominação e de libertação. (WILLIAN, 2007, p. 15).

A Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 no seu Art. 1º define que “educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.

Assim, podemos começar a termos idéias do conjunto, o qual irar proporcionar a educação dos jovens cuja peça fundamental é o professor, que muitas vezes não é reconhecido e valorizado pela sociedade, pela escola e pelos alunos, que não reconhece sua importância.

Isso é percebido quando observarmos a atitude de alguns alunos em aula ou na escola. Alguns são meros passageiros do espaço escolar e em geral eles estão muito distanciados daquilo que a escola faz. O prazer de poder aprender foi substituído pelo comparecer a escola para encontrar amigos, namoradas, ouvir novidades ou simplesmente pela obrigação e o dever de ir à escola para fazer prova.

Portanto, tudo fica prejudicado, pois, essa falta de compromisso faz com que o professor e a escolar não sirva aos propósitos do processo de aprendizagem.

Logo, o que temos são alunos com conhecimentos fragmentados, que não consegue perceber que as atividades e os temas são peças que remontam o quebra cabeça do conhecimento. Assim, o professor vai perdendo ou nem tem a oportunidade de formar a sua condição de produtor de conhecimento.

Todavia, é fundamental entendermos que o professor é aquele que vai transformar o conhecimento em algo vivo, que diga respeito à vida da sociedade concreta, vinculada ao mundo do trabalho e a prática social. Tudo isso, de forma igualitária, pluralista de idéias e de concepções pedagógicas e com respeito à liberdade, com tolerância e qualidade.

Assim, o professor é o grande agente do processo educacional, é a alma de qualquer instituição de ensino. Seu trabalho reverte para o bem de toda a sociedade. Basta imaginarmos como seria uma sociedade sem escola, uma sociedade sem professores.

AQUINO, José. O aluno, o professor e a escola. Prática de ensino de Geografia e estágio supervisionado, São Paulo: Contexto, 2007, p. 78 a 86.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

CALLAI, Helena. A formação do Profissional de Geografia, Rio Grande do Sul. 2 ed: Ed. Unijuí, 2003.

VESENTINI, Willian. Educação e Ensino da Geografia: Instrumentos de dominação e/ou de libertação. A geografia em Sala de Aula, São Paulo: Contexto, 2007, p.10.

A importância da Educação é a mesma importância do Professor e da Professora. Disponível em: <http://w.appsindicato.org.br/Include/Paginas/artigo>.Acesso em: 10 dez. 2009

A importância do Professor na educação. Disponível em: <http://semordem.blogspot.com/2008/01/importncia-do-professor.html>. Acesso em: 13 dez. 2009

Comentários