Segurança do Trabalho - Eletricidade

Segurança do Trabalho - Eletricidade

Segurança do Trabalho

Introdução

  • Segurança do trabalho pode ser entendida como os conjuntos de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade de trabalho do trabalhador.

  • A S.T é definida por normas e leis.

Choque Elétrico

Risco Elétrico

Segurança Elétrica Predial

  • As estatísticas do Corpo de Bombeiros apontam: as instalações elétricas inadequadas aparecem como uma das principais causas de incêndio no País, independe da região. Por isso nunca será demais afirmar que a estrutura dos sistemas elétricos merece ser cuidadosamente observada e compreendida, a fim de minimizar riscos e economizar energia.

Componentes Elétricos

  • Quadro de luz – É o principal da instalação sendo de material metálico e protetor. Este deve ser alojado em locais livres de umidade, de fácil acesso, protegidos por mecanismos de segurança que evite choques elétricos e longe de tubulações de gás ou água.

  • Disjuntores – Estes são os componentes responsáveis pela proteção dos circuitos elétricos, dispositivos de proteção muito antigos, como fusíveis e ou disjuntores, devem ser substituídos sempre que possível, sempre que o disjuntor for desligado por sobrecarga deve-se primeiro percorrer o circuito em busca de eventuais problemas antes de religa-lo.

  • Fiação – Considerado a alma do projeto, a escolha da bitola (tamanho) do fio ideal para cada circuito deve levar em conta as cargas associadas a cada circuito. Fios de circuitos expostos devem obrigatoriamente possuir capas isoladoras reforçadas, ou estar dentro de canaletas.

  • Interruptores e tomadas – São responsáveis por fornecer tensão em determinados pontos da residência, é aconselhável que a distribuição de tomadas seja acima do regulamentado por normas afim de evitar o uso de adaptadores futuramente, a consideração de carga do circuito e de uma correta instalação é imprescindível para evitar problemas futuros.

  • Vida Útil: um sistema bem feito dura em média 20 anos, mas 10 anos já é um bom período para se fazer uma revisão: verificar a fiação, os soquetes, os interruptores... Um soquete com problemas rouba energia da lâmpada e um interruptor com algum fio solto ou com mal contato pode causar um curto circuito.

Dispositivos DR

Desde dezembro de 1997 é obrigatório no Brasil o uso do chamado dispositivo DR (diferencial residual) nos circuitos elétricos que atendem aos seguintes locais: banheiros, cozinhas, copas-cozinhas, lavanderias, áreas de serviço e áreas externas. O dispositivo DR é um interruptor automático que desliga correntes elétricas de pequena intensidade (da ordem de centésimos de ampère), que um disjuntor comum não consegue detectar, mas que podem ser fatais se percorrerem o corpo humano. Dessa forma, um completo e eficaz sistema de aterramento deve conter o fio terra e o dispositivo DR.

Aterramento

Segurança pessoal: a conexão dos equipamentos elétricos ao sistema de aterramento deve permitir que, caso ocorra uma falha na isolação dos equipamentos, a corrente de falta passe através do condutor de aterramento ao invés de percorrer o corpo de uma pessoa que eventualmente esteja tocando o equipamento.

Aterramento

Desligamento automático: o sistema de aterramento deve oferecer um percurso de baixa impedância de retorno para a terra da corrente de falta, permitindo que haja a operação automática, rápida e segura do sistema de proteção

Aterramento

Equipamentos eletrônicos: especificamente para os sistemas eletrônicos, o aterramento deve fornecer um plano de referência quieto, sem perturbações, de tal modo que eles possam operar satisfatoriamente tanto em altas quanto em baixas freqüências.

Dicas Básicas de Segurança

  • Nunca aumente o valor do disjuntor ou do fusível sem trocar a fiação. Deve haver uma correspondência entre eles .

  • A menor bitola permitida por norma para circuitos de lâmpadas é de 1,5mm² e para tomadas é de 2,5mm² .

  • Devem ser previstos circuitos separados para iluminação e tomadas.

  • Nunca inutilize o fio terra dos aparelhos. Ao contrário, instale um bom sistema de aterramento na sua residência

  • Nunca utilize o fio neutro (cor azul) como fio terra .

  • Mantenha o quadro de luz sempre limpo, ventilado e desimpedido, longe de botijões de gás

  • Evite a utilização dos chamados “benjamins” ou “Ts”, pois o uso indevido dos mesmos pode causar sobrecargas nas instalações. Para resolver o problema, instale mais tomadas, respeitando o limite dos fios

  • Recorra sempre aos serviços de um profissional qualificado e habilitado

NR-10

NR-10

NR-10

  • 10.3.1 ... obrigatório recursos para impedimento de reenergização

  • 10.3.2 ... deve prever instalação de dispositivo de seccionamento de ação simultânea que permita o impedimento de reenergização...

  • 10.3.3 ... deve considerar o espaço seguro.

  • 10.3.4 ... deve definir a configuração do esquema de aterramento...

  • 10.3.5 ... sempre que viável e necessário, projetar dispositivos de seccionamento

  • 10.3.6 ... deve prever condições para o aterramento temporário...

  • 10.3.7 ... Projeto deve ficar à disposição...

  • 10.3.8 ... deve ser assinado por profissional habilitado...

  • 10.3.9 ... memorial descritivo

  • 10.3.10... assegurar posição de trabalho segura...

NR-10

NR-10

NR-10

  • 10.4 Segurança na construção,montagem, operação e manutenção

  • 10.8 Habilitação, qualificação, capacitação e autorização dos trabalhadores.

  • 10.9 Proteção contra incêndio e explosão.

  • 10.10 Sinalização de segurança.

  • 10.11 Procedimentos de trabalho.

  • 10.12 Situação de emergência.

  • 10.13 Responsabilidades

  • 10.14 Disposições finais.

Comentários