Trabalho esquizofrenia

Trabalho esquizofrenia

(Parte 3 de 3)

Conclusão

Esquizofrenia é uma doença que dura a vida toda, como diabetes ou hipertensão. A maioria das pessoas com esquizofrenia necessitarão de cuidados médicos e medicação pelo resto de suas vidas. As medicações antipsicóticas não curam a esquizofrenia, somente controlam os sintomas da doença, ou seja, se o paciente deixar de tomar a medicação pode sofrer uma recaída.

Algumas pessoas, mesmo tomando a medicação regularmente, podem ter uma recaída dos sintomas psicóticos. É muito importante que elas possam reconhecer que estes estão voltando, e procurar ajuda imediatamente. Antes do aparecimento de sintomas como delírios ou alucinações, é comum aparecerem sintomas menos específicos como irritabilidade, insónia e depressão.

A esquizofrenia ainda gera muitas dúvidas, angústias e preconceitos em seus portadores, familiares, amigos e em toda a sociedade. Mesmo profissionais da área de saúde mental sentem‐se frequentemente impactar frente a um diagnóstico de esquizofrenia, devido a sua evolução, tantas vezes de difícil manejo, e a implicações decorrentes de sua frequente crónica.

Também a importância da superação da negação da doença, vencendo os preconceitos, é apresentada como fundamental para o bom desenvolvimento do tratamento, sendo esse um dos pontos essenciais dos passos para a recuperação, propostos pelos grupos de psicóticos anónimos. Somente a aceitação pode conduzir à mudança. Mas para que isso aconteça, é preciso, antes de qualquer coisa, que o diagnóstico seja correctamente definido e claramente apresentado para o paciente. Todos os profissionais da saúde, principalmente os da enfermagem tem o dever de conhecer a fundo o comportamento psiquiátrico para que possa assistir de forma holística o paciente esquizofrénico, enfatizando o cuidado humanizado.

IPSN ‐ ESSVS Esquizofrenia

Bibliografia

BALLONE, G. J, Curso e Evolução da Esquizofrenia, in. Psqweb, Internet, disponível em: <w.psiqweb.med.br>, atualizado em 2005.

DEITOS, F, 2005, vol. 9, edição 1, Esquizofrenia x Mente Partida, pág. 25‐30, Rio de Janeiro.

KAPLAN, H.I. et. al.: Compêndio de Psiquiatria, Artes Médicas, 7ª edição, Porto Alegre, 1977.

MANUAL MERCK, Esquizofrenia e Delírio, cap. 91, Distúrbios da Saúde Mental, Internet, disponível em: <w.msd‐brazil.com>.

TALBOTT, J. et al.: Tratado de Psiquiatria, Artes Médicas, Porto Alegre, 1992. http://www.webartigos.com/articles/15912/1/esquizofrenia‐um‐olhar‐da‐sade‐ mental/pagina1.html

(Parte 3 de 3)

Comentários