Assistência de Enfermagem ao RN

Assistência de Enfermagem ao RN

(Parte 1 de 2)

1 Assistência de Enfermagem ao RN

• Cuidados Essenciais • Responsabilidades da enfermagem

• Assistência mediata

• Assistência Imediata

• Exame Físico

1. CUIDADOS ESSENCIAIS

• No período pós-parto RN apresenta alterações biofisiológicas e comportamentais complexas, resultantes da vida extra-uterina;

• As primeiras horas pós-parto representam um período de ajustamento fundamental para o

RN. Na maioria dos hospitais a enfermeira presta cuidados ao RN imediatamente após o parto;

• Depois do período de transição, o bebê é avaliado em intervalos periódicos, tendo ajustado o plano de cuidados de acordo com o aparecimento dos achados;

• Deve-se manter o equilíbrio entre as necessidades familiares de privacidade e a necessidade de monitorar a transição do RN à vida extra-uterina;

METAS DOS CUIDADOS COM O RN Período inicial pós-parto:

• Manter via aérea pérvia e o suporte as respirações; • Manter o aquecimento e prevenir a hipotermia;

• Garantir ambiente seguro e prevenir contra acidentes ou infecção;

• Identificar problemas atuais ou potenciais que possam requerer atenção imediata;

Cuidados contínuos:

• Continuar protegendo contra acidentes ou infecção e identificando problemas atuais ou potenciais que possam requerer atenção;

• Facilitar o desenvolvimento de um relacionamento íntimo pais-RN;

• Fornecer informações aos pais sobre os cuidados que devem ter;

• Assistir os pais no desenvolvimento de atitudes saudáveis sobre as práticas de maternagem.

FATORES QUE INTERFEREM NA ADAPTAÇÃO DO RN • As experiências pré-parto da mãe e do RN;

• Experiências da mãe e do RN no intraparto;

• Capacidade fisiológica do RN de fazer a transição à vida extra-uterina;

• Habilidade dos profissionais de saúde para avaliar e responder adequadamente em caso de problemas.

RESPONSABILIDADES DA ENFERMAGEM • Dar apoio a adaptação do RN à vida extra-uterina;

• Prevenir ou minimizar complicações potenciais;

• Facilitar a interação pais-RN. •

• É prestada logo após o nascimento, ou seja, nas duas primeiras horas que se seguem após o parto;

• Também é conhecida como admissão do RN;

• Realizada no Centro Obstétrico.

• O incentivo precoce a formação do vínculo familiar • Amamentação precoce

• RECEBER O RN (luvas) – RN envolto por secreções corporais, principalmente liquido amniótico e vérnix caseoso e, eventualmente, sangue.

• SECAR E AQUECER O RN - berço aquecido e utilizar compressa macia para retirar o excesso de líquido amniótico que envolve o RN. Minimiza o choque térmico e restringem as perdas de calor (evaporação).

• ASPIRAR O RN – Contribui para a boa ventilação do RN. trendelemburg e decúbito lateral - Impede que: o muco, liquido amniótico, coágulos sanguíneos, mecônio penetrem nas vias respiratórias baixas, provocando obstruções graves. Afasta a possibilidade atresia de esôfago e coanas.

• VERIFICAR A TEMPERATURA RETAL – temperatura central do organismo do RN. Afasta a possibilidade de ânus imperfurado

• CREDEIZAR - profilaxia da oftalmia gonocócica. 1gta de nitrato de prata a 1% em cada olho;

Profilaxia da vulvovaginite gonococica 1gta na genitália feminina

LIMPEZA OCULAR: Conjuntivite química - irritação periocular

Cuidados com o frasco de nitrato de prata 1%

Prazo de Validade; O frasco depois de violado, deve ser trocado diariamente, pois a evaporação do diluente aumenta a concetração acentuando a ação caustica; A solução é límpida e transparente (senão descartar); Contaminação do conta-gotas

PIG – pequeno para idade gestacional AID – adequado para a idade gestacional GIG- grande para a idade gestacional RN despido e balança tarada.

• VERIFICAR PERÍMETROS E ALTURA DO RN – comparar o crescimento.

PC 3,5 é 2 a 3cm maior que o PT identifica-se a falha de crescimento cerebral ou hidrocefalia PT 30,5 a 33cm Estatura 48 a 53cm

Variações de 5 ou mais cm exigem avaliação + detalhada • Avaliar o coto umbilical e realizar curativo

Detectar anomalias do RN ( normalidade 2 artérias 1 veia) a presença de apenas uma artéria pode denunciar malformações como agenesia renal e problemas cardíacos congênitos.

promoção da mumificação do coto(RH da mãe positivo)

RN em boas condições receberão cuidados visando anti-sepsia (álcool a 70%) 3x/dia para a

RN de médio e alto risco (mãe RH negativo ou diabéticas) até que não apresentem mais riscos, terão o coto umbilical umidificado com solução fisiológica manter os vasos umbilicais permeáveis, caso haja necessidade de cateterização

Medida: cerca de 55cm (variar 30 a 100cm) Diâmetro: 1 a 2,5 cm Úmido, Esbranquiçado, Leitoso, Aspecto retorcido e espiralado, Recoberto pela geléia de Wharton

Nunca cortar o cordão em direção ao abdômen da criança.

6 ONFALITE

(Parte 1 de 2)

Comentários