Relatório de Estágio Técnico em Eletrotécnica

Relatório de Estágio Técnico em Eletrotécnica

(Parte 1 de 3)

FACULDADE TECNOLÓGICA SENAI – ROBERTO MANGE

LUCIANO LOPES SOUSA

Relatório de estágio

Novafarma Indústria Farmacêutica

Setor: Manutenção industrial

Período: 09/09/2009 a 14/12/2009

Anápolis, janeiro de 2010

FACULDADE TECNOLÓGICA SENAI – ROBERTO MANGE

TECNICO ELETROTÉCNICO

LUCIANO LOPES SOUSA

Relatório de estágio

Novafarma Indústria Farmacêutica

Setor: Manutenção Industrial

Período: 09/09/2009 a 14/12/2009

Carga horária: 402 Horas

____________________________

LUCIANO LOPES SOUSA

____________________________

Ass. do Coord. do Curso Técnico

____________________________

Ass. do Supervisor de Manutenção

____________________________

Ass. do Gerente de Manutenção

Anápolis, janeiro de 2010

Índice

  1. Objetivo­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­

  2. Introdução

  3. Apresentação

  4. Empresa

    1. Tecnologia empregada

  5. Manutenção industrial 5.1 Definição de Manutenção 5.2 Tipos de Manutenção 5.3 Manutenção Preventiva 5.4 Manutenção Preditiva 5.5 manutenção Corretiva

  6. Atividades realizadas

6.1 Planejamento

6.2 Pesquisa 6.3 Execução 6.4 Assistências Tecnológicas 6.5 Reuniões 6.6 Cursos

6.7 Visitas

  1. Atividades realizadas durante o estágio

7.1 Instalação do inversor frequência weg cfw-08 7.1.1 Procedimento de Instalação Mecânica e elétrica do inversor de freqüência CFW-08 7.1.2 Instalação mecânica do CFW-08 7.1.3 Instalação Elétrica do CFW-08

7.2 Manutenção na tomada de alimentação trifásica de uma maquina de envasamento

7.2.1 Descrição do serviço realizado

7.2.2 Melhoria Sugerida

7.2.3 Dados técnicos do equipamento

7.2.4 Grau de Proteção (IP)

7.2.5 Ferramental utilizado

7.3 Substituição de um cotrolador de velocidade motron cve 2002

7.3.1 Dados técnicos do equipamento

7.3.2 Descrição do serviço realizado

7.3.3 Ferramental utilizado

7.4 Substituição de um relé temporizador coel ae (on-delay)

7.4.1 Dados técnicos do equipamento

7.4.2 Descrição do serviço realizado

7.4.3 Ferramental utilizado

7.5 Manutenção no grupo gerador 01

7.5.1 Dados técnicos do equipamento

7.5.2 Descrição do serviço realizado

7.5.3 Ferramental utilizado

  1. Instalações e equipamentos

    1. Instalações

    2. Equipamentos

  2. Matéria prima

  3. Processos de produção

  4. Normas técnicas e de segurança

  5. Conclusão

  6. Referencias Bibliograficas

  1. Objetivo

Relatório de estágio realizado na empresa Novafarma Indústria Farmacêutica, tem por objetivo fazer o aprendizado na prática das atividades desenvolvidas no curso estabelecendo laços entre a prática e a teoria.

O objetivo específico do trabalho foi de demonstrar através de atividades juntamente com o embasamento teórico as melhorias possíveis e necessárias dentro da empresa e a importância dos equipamentos no setor de manutenção industrial.

E consequentemente realizando o cumprimento curricular do curso Técnico em Eletrotécnica realizado na FATEC- SENAI Roberto Mange, no período de 2008 à 2010. Concluindo 1200 horas aulas e 402 horas de estágio na empresa.

  1. Introdução

Quando falamos da manutenção em uma indústria, seja de sistemas elétricos ou mecânicos, costumamos separá-las em três tipos:

 Corretiva:

  • A manutenção é feita apenas quando um equipamento quebra ou para de funcionar. Em equipamentos de grande importância na planta industrial, este é um método caro e pouco funcional.

  • Uma parada não programada faz com que a empresa recorra a uma manutenção emergencial, muitas vezes pagando mais caro tanto pelos materiais a serem substituídos quanto pela mão-de-obra.

  • Além disso, esta parada reduz os índices de performance da produção da empresa e podem provocar grandes prejuízos financeiros com atrasos, cancelamentos de pedidos, etc...

 Preventiva:

  • Consiste em programar revisões ou troca de componentes baseados no fator tempo de utilização. É muito eficaz para problemas simples, porém não resolve degradações relacionadas a má utilização de componentes ou componentes com vida útil menor do que a esperada.

  • Depende muito dos tempos de utilização adotados para troca (normalmente baseados em estimativas ou levantamentos empíricos), uma vez que se forem subestimados poderão ocorrer problemas no processo e se forem superestimados haverá desperdício na troca de um componente que ainda não chegou ao final de sua vida útil.

 Preditiva:

  • É a maneira mais inteligente de se realizar a manutenção, porém, devido ao seu custo, é mais aplicável a processos essenciais de uma planta industrial.

  • Consiste em monitorar os parâmetros (elétricos, mecânicos, temperatura, viscosidade de óleos, etc...) de forma a ser possível identificar se o sistema está funcionando da maneira correta ou não.

  • Para exemplificar a eficácia deste método, basta dizermos que com ele é possível detectar qual componente de um complexo sistema está com defeito, bem como prever em quanto tempo ocorrerá uma parada se não for feita uma intervenção.

  • Existem diversas formas – baratas e caras – de se realizar a manutenção preditiva, sendo que sua eficácia dependerá sempre da especialização e conhecimento técnico do pessoal de manutenção envolvido.

        Nos últimos tempos, nota-se uma mudança de postura nas indústrias: a manutenção não é mais encarada como um mero gasto, mas sim como um investimento que garante a confiabilidade da planta e reduz paradas não programadas, que são as grandes vilãs do planejamento de uma indústria.

Este relatório vem apresentar a importância da manutenção industrial, sendo que detalhamos aqui a manutenção corretiva e preventiva, pois dentro da indústria aqui apresentada a manutenção preditiva é realizada através de mão-de-obra terceirizada.

Neste relatório de estágio supervisionado, estou descrevendo as atividades que pude desenvolver aprender e aprimorar meus conhecimentos, no que conserve a técnica prática e conciliando assim os referentes conhecimentos durante o estágio nesta empresa, onde trabalho atualmente.

Todas as atividades realizadas neste relatório foram supervisionadas pelo supervisor de manutenção que assina este relatório de estágio.

3. Empresa

NOVAFARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

Produção de medicamentos injetáveis

Fundada em fevereiro de 1994, obteve sua Autorização de Funcionamento publicada em setembro de 1999, com a proposta inicial de ser uma empresa prestadora de serviços, terceirizando a produção de medicamentos injetáveis, conquistando uma divisão de mercado até então inexplorada.

No decorrer de seu desenvolvimento, optou pela implantação de sua própria linha de produtos, cujo alvo final é mercado hospitalar, atendendo distribuidores, secretarias de saúde, hospitais particulares, órgãos públicos, autarquias, associações, fundações e prefeituras.

Em 25 de maio de 2000 foram faturados aos primeiros produtos com a marca Novafarma. Desde então, tem direcionado seus esforços no desenvolvimento de novos produtos, na qualificação profissional e na satisfação de seus clientes internos e externos, buscando o crescimento da empresa e a garantia de uma linha de medicamentos injetáveis de confiança.

Situada no Pólo Farmoquimico do Estado de Goiás, região central do Brasil, tem como compromisso ser uma empresa referência na fabricação de medicamentos injetáveis, contribuindo com a Política Nacional de Medicamentos do Ministério da Saúde, proporcionando o acesso da população a medicamentos injetáveis de qualidade, segurança e eficácia a preços acessíveis.

Para que seus objetivos sejam alcançados a Novafarma tem como prioridade o investimento em pessoal, o respeito ao meio ambiente, o compromisso com a fabricação de medicamentos em conformidade com os Compêndios Oficiais e o atendimento às demais normas regulamentares, aplicáveis à Industria Farmacêutica.

Nos últimos anos, a  Novafarma têm investido na conquista do mercado externo, estabelecendo parcerias com empresas representantes na Bolívia, Peru, Paraguai e Costa Rica.

Hoje a Novafarma conta com uma área total de 7.055m², sendo que 8.565m² de área construída, além da área atual a empresa conta com uma área de 61.649.90m² situada no Distrito Agroindustrial de Anápolis, onde já se encontra em fase de construção a sua nova unidade.

A Novafarma dispõe do que  melhor há em tecnologia, sistemas, arquitetura, laboratórios, além de espaços que promovem o bem-estar dos nossos colaboradores. Atualmente possui em seu quadro aproximadamente 400 colaboradores, divididos em diversos setores.

A Novafarma indústria farmacêutica situada na Avenida Brasil Norte n°1255, cidade Jardim, Anápolis-Goiás, há 10 anos tem se destacado em sua área de injetáveis. Devido a sua preocupação em produzir injetáveis de confiança. Para esse desenvolvimento, foi necessário investimentos em toda a sua área produtiva, como pesquisa e desenvolvimento de seus produtos, com tanta tecnologia empregada em 2004, receberam o certificado da ISSO 9001, certificado que garante o bom processo de fabricação de seus produtos.

4. Atividades realizadas

4.1 Planejamento:

A forma de planejamento da manutenção na Novafarma segue os seguintes critérios:

  • Parada de setup – PPE, entre os intervalos de limpeza, executa-se ajuste de corretiva ou preventiva, se houver necessidade.

  • Entre os finais de semana, manutenção preventiva nas linhas de produção.

  • Nos projetos de melhorias das linhas de produção, segue alguns procedimentos como: Quantidade de materiais a ser executado, custo e beneficio.

4.2 Pesquisa

Nas melhorias da linha de produção, existe uma atenção especial, sobre que tipo de material se deve investir nas maquinas, como: Durabilidade, qualidade, custo, beneficio, fragilidade, modernidade. E com essas pesquisas, estamos tendo resultado satisfatório como qualidade e produtividade.

4.3 Execução

Antes de qualquer execução seja de melhorias ou preventiva, analisamos primeiro as paradas emergenciais durante o processo de produção. Com isso, programamos os serviços a serem executados.

4.4 Assistência Tecnológica

Uma assistência Tecnológica que foi utilizada, quando o eixo da ventoinha do Fancoil (purificador de ar) estava desbalanceado. O supervisor da manutenção acionou a empresa para executarmos este serviço com aparelhagem adequada para alinhar e balancear o eixo que seu funcionamento. =

4.5 Reuniões

As reuniões da Equipe da manutenção são realizadas mensalmente, onde são abordadas todas as ocorrências de parada para manutenção corretiva, preventiva e melhorias do equipamento.

4.6 Cursos

O curso adquirido no estagio foi de Vasos de Pressão (Autoclave) com o período de 40 horas, realizado pelo Instrutor Técnico de Segurança do Trabalho que a Novafarma fechou contrato para ministrar o curso.

4.7 Visitas

Durante o período de estagio foram realizadas visitas técnica nas áreas de produção para serem analisadas cada atividade de manutenção relatada neste relatório.

5. Descrição das atividades

Setor de Rotulagem, Geração de energia, Área 08, onde executamos manutenções corretivas preventivas e instalações de equipamentos atendendo a necessidade de cada setor.

5.1 Instalação do inversor de frequência WEG CFW08

Foto 01 - Inversor de Freqüência CFW08

5.1.1 Definição

Componente que varia a freqüência elétrica, usado para o controle de velocidade dos motores elétricos de indução trifásicos. A alimentação desses aparelhos pode ser monofásica ou trifásica, dependendo de sua construção. Em geral, podem ser programados para os valores máximos e mínimos de freqüência de saída, conforme necessidade da instalação. A variação da velocidade é geralmente feita a partir de um potenciômetro de referência externo. O esquema de ligação e as características como potência de acionamento, tensão de entrada e saída, variação da freqüência e outros são encontrados no manual que acompanha o aparelho.

5.1.2 Características técnicas do equipamento:

Potência de entrada de 0.88 Kw, tensão nominal de entrada 220 V, Corrente Nominal de 4.8 A, Freqüência de 60 Hz, potência de saída: Corrente nominal 4 A, freqüência de saída 10 à 60 Hz trabalhando com sinal analógico de 04-20 mA ou 0 a 10V para controle de velocidade do motor principal de uma esteira de embalagens na área 08, setor de rotulagem.

      1. Instalação mecânica:

Ambiente:

A localização dos inversores é fator determinante para a obtenção de um funcionamento correto e uma vida normal de seus componentes.

O inversor deve ser montado em um ambiente livre de:

  • Exposição direta a raios solares, chuva, umidade excessiva ou maresia;

  • Gases ou líquidos explosivos e/ou corrosivos;

  • Vibração excessiva, poeira ou partículas metálicas/óleos suspensos no ar.

Condições ambientais permitidas:

  • Temperatura: 0 ºC a 40 ºC - condições nominais.

  • De 40 ºC a 50 ºC - redução da corrente de 2 % para cada grau Celsius acima de 40 ºC.

  • Umidade relativa do ar: 5 % a 90 % sem condensação.

  • Altitude máxima: 1000 m - condições nominais.

  • De 1000 m a 4000 m - redução da corrente de 1 % para cada 100 m acima de 1000 m.

  • De 2000 m a 4000 m - redução da tensão de 1.1 % para cada 100 m acima de 2000 m.

  • Grau de poluição: 2 (conforme EN50178 e UL508C)

Dimensões do CFW-08

A figura 1, em conjunto com a tabela 1, trazem as dimensões externas e de furação para fixação do CFW-08.

Figura 1

Tabela 1

Posicionamento e Fixação:

Para a instalação do CFW-08 deve-se deixar no mínimo os espaços livres ao redor do inversor conforme figura 2 a seguir. As dimensões de cada espaçamento estão descritas na tabela 2.

Instalamos o inversor na posição vertical de acordo com as recomendações a seguir:

  • Instale o inversor em uma superfície plana;

  • Não coloque componentes sensíveis ao calor logo acima do inversor.

Figura 2

Tabela 2

Montagem em Painel:

Para inversores instalados dentro de painéis ou caixas metálicas fechadas, prover exaustão adequada para que a temperatura fique dentro da faixa permitida. Como referência, a tabela 3 apresenta o fluxo do ar de ventilação nominal para cada modelo.

Método de Refrigeração:ventilador interno com fluxo do ar de baixo para cima.

Tabela 3

(Parte 1 de 3)

Comentários