como fazer um projeto de pesquisa

como fazer um projeto de pesquisa

(Parte 1 de 3)

© 2009 by http://www.zemoleza.com.br Todos os direitos reservados

Apresentação

Afinal, como se faz uma pesquisa? A pesquisa é um processo de investigação, de construção do conhecimento e de aprendizagem que tem como objetivo produzir novas informações e comprovar ou contestar uma teoria, hipótese ou tese. É uma das formas do pesquisador compreender e apreender um fenômeno, uma informação ou um fato, através de um procedimento lógico de investigação. É buscar uma resposta.

Lendo o parágrafo acima pode parecer complicado, mas não é! É inerente ao ser humano o instinto de buscar respostas para as suas dúvidas e perguntas. Fazemos isso diariamente, seja na nossa vida pessoal, no nosso trabalho, na escola ou na faculdade. Somos curiosos por natureza. Quando aliamos a esse impulso disciplina e método, estamos no caminho certo para termos sucesso na tarefa de pesquisar.

Mas, como se faz uma pesquisa? Como se monta um projeto? Para ajudar a responder essa que é a grande dúvida da maioria dos estudantes, elaboramos esta apostila que compila informações e dicas que vão auxiliar no conhecimento das principais etapas da pesquisa e da elaboração de projetos.

As informações apresentadas neste manual estão fundamentadas nas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que é o órgão responsável pela normalização técnica no Brasil. Mas, é importante lembrar que algumas universidades publicam seus próprios manuais e roteiros para elaboração de projetos e trabalhos acadêmicos. Por isso, consulte sempre seu professor/orientador, ou a instituição que você pretende apresentar seu projeto, para saber quais as exigências necessárias para a realização da sua tarefa.

Apresentação2
Capítulo 1 Os tipos de pesquisa5
1.1 Segundo sua natureza5
1.2 Segundo a forma de abordagem do problema5
1.3 Segundo os objetivos6
1.4 Segundo a coleta de dados6
Capítulo 2 As etapas da pesquisa8
2.1 Primeira etapa: planejamento da pesquisa8
2.1.1 A escolha do tema8
2.1.2 Revisão da literatura ou levantamento bibliográfico10
2.1.3 A formulação do problema10
2.1.4 A justificativa1
2.1.5 A definição dos objetivos da pesquisa1
2.1.6 A metodologia da pesquisa12
2.1.7 Elaboração do projeto de pesquisa12
2.2 Segunda etapa: execução da pesquisa12
2.3 Terceira etapa: redação da monografia13
Capítulo 3 A estrutura do projeto de pesquisa15
3.1 Elementos pré-textuais16
3.1.1 Capa16
3.1.2 Lombada18
3.1.3 Folha de rosto18
3.1.4 Lista de ilustrações20
3.1.5 Lista de tabelas21
3.1.6 Lista de abreviaturas21
3.1.7 Lista de símbolos2
3.1.8 Sumário23
3.2 Elementos textuais24
3.2.1 Cronograma24
3.2.2 Orçamento25
3.3 Elementos pós-textuais25
3.3.2 Glossário32
3.3.3 Apêndice32
3.3.4 Anexos32
3.3.5 Índice32
Capítulo 4 Regras para a apresentação de projetos de pesquisa3
4.1 Formato3
4.2 Margens3
4.3 Alinhamento e espaçamento3
4.4 Notas de rodapé34
4.5 Parágrafos34
4.6 Numeração das seções/capítulos34
4.7 Títulos das seções/capítulos35
4.8 Paginação35
4.9 Citações35
4.9.1 Regras para a apresentação das citações35

Capítulo 1 Os Tipos de Pesquisa

Para realizar uma pesquisa utilizamos uma série de instrumentos, escolhidos de acordo com os resultados que buscamos alcançar. Dessa maneira, a pesquisa pode ser classificada de acordo com vários critérios:

1.1 Segundo sua natureza

Segundo sua natureza, ela pode ser:

a) Básica: é a que tem como objetivo gerar conhecimentos específicos, sem uma aplicação prática prevista;

solucionar problemas específicos

b) Aplicada: que busca produzir conhecimentos para aplicação prática, para

1.2 Segundo a forma de abordagem do problema

Segundo a forma de abordagem do problema, pode ser classificada como:

a) Quantitativa: quando leva em consideração tudo pode ser quantificável. Ela traduz opiniões e informações em números, para então serem classificadas e analisadas. Para isso, são utilizados recursos e técnicas estatísticas.

b) Qualitativa: é a que não se preocupa só com a representatividade numérica, mas principalmente com a compreensão em profundidade de um fenômeno específico. A pesquisa qualitativa trabalha com descrições, comparações e interpretações.

1.3 Segundo os objetivos

Segundo os seus objetivos, a pesquisa pode ser:

a) Exploratória: quando busca promover uma aproximação com o objeto de estudo. Em geral, são as pesquisas bibliográficas e/ou estudos de caso.

b) Descritiva: seu objetivo é descrever as características dos fatos e dos fenômenos ou estabelecer relações entre variáveis. Normalmente, assume a forma de levantamento.

c) Analítica: é aquela que identifica os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência do fenômeno. Explica a razão, ou o porquê das coisas. Se expressa normalmente através de pesquisas experimentais.

1.4 Segundo a coleta de dados

Segundo a coleta de dados, pode caracterizar-se como:

a) Bibliográfica: elaborada a partir de publicações (livros, artigos de periódicos, anais de eventos, material disponibilizado na Internet, etc.).

b) Documental: preparada a partir de documentos inéditos, que ainda não foram analisados. Neste item, incluem-se as mais diversas fontes, desde documentos escritos e dados estatísticos, até cinema, música, pintura, etc.

c) Experimental: é quando se manipula diretamente as varáveis relacionadas ao objeto de estudo. Durante o processo ocorre a influência direta do pesquisador. A pesquisa experimental divide-se em:

• Estudo de caso: é o estudo aprofundado de um objeto específico, com o objetivo de identificar o que há de mais essencial e característico nele.

• Pesquisa expost-facto: o pesquisador observa o fato, fenômeno ou processo, após a sua ocorrência.

• Pesquisa-ação: é aquela planejada e realizada em conjunto e com o objetivo de solucionar um problema coletivo. Os envolvidos trabalham de modo cooperativo ou participativo.

Capítulo 2 As Etapas da Pesquisa

Toda a atividade de pesquisa e redação de monografias exige um planejamento prévio. A elaboração de um projeto faz parte da etapa de planejamento. Com ele pronto, temos um guia prático que vai ser muito útil na hora da execução da tarefa em si, tornando a atividade muito mais fácil de ser realizada.

E quando iniciamos a pesquisa, também é necessário seguir certa ordem na realização das tarefas. Por exemplo, a redação do texto final da monografia é a última etapa do trabalho, pois tem como objetivo divulgar os resultados da investigação. E não dá para começar um trabalho pelo final. Por isso, elaboramos um pequeno guia sobre as etapas da pesquisa e o que fazer em cada uma delas.

2.1 Primeira etapa: planejamento da pesquisa

2.1.1 A escolha do tema

Das fases do planejamento de uma pesquisa, a escolha do tema é um dos momentos mais importantes e um dos que mais geram dúvidas e receios. Mas, essas dificuldades podem ser amenizadas se observarmos algumas dicas importantes. A mais valiosa delas é que o assunto escolhido seja do interesse do estudante e algo que não lhe seja totalmente desconhecido. Começar do zero é sempre mais complicado. Por isso, é importante que se opte por um tema sobre o qual se tenha algumas informações, leituras já realizadas, bibliografia conhecida, contato prévio através de estágios ou bolsas de iniciação científica; ou matérias discutidas com professores e colegas, inclusive aquelas que o aluno já tratou em trabalhos e monografias.

Outro fator importante a ser observado é que o assunto precisa ser relevante, interessante e, se possível, original. E se ele já não é assim tão inédito, é preciso inovar nas formas de abordagem e no uso das fontes. Afinal, uma pesquisa repetida, a não ser que demonstre resultados diferentes ou um novo tratamento, não tem absolutamente nenhuma importância.

É claro que algumas dessas dicas se aplicam muito mais aos trabalhos desenvolvidos nos cursos de pós-graduação do que nos de graduação. No caso dos Trabalhos de Conclusão, o nível de exigência será determinado pela faculdade, mas é sempre menor do que nos cursos de mestrado e doutorado. Nesse caso, é sempre interessante manter um diálogo com o professor/orientador, a fim de esclarecer todas as dúvidas que surgirem ao longo do processo e para tomar conhecimentos sobre os padrões e níveis de cobrança que deverão ser respeitados.

Escolhido o tema, é necessário definir recortes, limites ou restrições para o desenvolvimento da pesquisa. Não se pode escrever sobre tudo e é preciso estabelecer esses perímetros para que o trabalho tenha coerência, densidade e não fuja do seu objetivo principal. No caso dos cursos de Pós-Graduação, é preciso lembrar que o tema escolhido deve estar ligado às linhas de pesquisa do curso ao qual se está vinculado ou a do orientador. Em alguns casos, os alunos desenvolvem seus trabalhos a partir das pesquisas de seus orientadores. Essa é uma boa opção para quem realiza atividades de iniciação científica ou estágio.

Em resumo, ao escolher um tema para a monografia é necessário refletir não só sobre a sua importância, mas também sobre o domínio que temos sobre ele. Será muito mais fácil para o estudante desenvolver um trabalho sobre um assunto que ele goste, tenha interesse e um prévio conhecimento, do que começar do zero.

2.1.2 Revisão da literatura ou levantamento bibliográfico

Ainda na fase de planejamento, após a definição do tema, o ideal seria que a próxima etapa da pesquisa fosse o levantamento bibliográfico e a revisão da literatura já publicada sobre o tema escolhido. É importante identificarmos quem já escreveu sobre o assunto, ou assuntos correlatos, o quê, onde e quando foi publicado, quais aspectos já foram abordados e quais as brechas existentes. Essa tarefa é extremamente importante, pois evitará que o estudante repita o trabalho feito por outro pesquisador e o ajudará a delimitar o problema da sua pesquisa, identificando novas possibilidades e novas formas de abordagem.

publicações e referências existentes sobre seu tema de pesquisa

Através do levantamento bibliográfico, o aluno irá conferir e consultar nos principais acervos (bibliotecas, arquivos, instituições de pesquisa, revistas eletrônicas, internet, etc.) as

No caso do levantamento de fontes, o estudante irá definir quais documentos, dados, informações, relatórios, etc. serão utilizados além da bibliografia, onde eles estão localizados e como irá acessá-los.

Nessa etapa, é importante que o pesquisador faça anotações. O uso das fichas de leitura ou fichamentos é essencial. Dessa maneira, na hora da redação da monografia as informações e dados relevantes já estarão previamente organizados.

2.1.3 A formulação do problema

Com o tema definido, a literatura revisada e as fontes levantadas, o próximo passo dentro da fase de planejamento da pesquisa será a formulação do problema que você pretende resolver através dela. É a pergunta que você vai responder com o seu trabalho.

No caso das pesquisas de mestrado e doutorado, também podem ser formuladas hipóteses. A diferença entre hipótese e problema reside na sua complexidade. Uma hipótese é uma premissa mais elaborada, que exige um nível de reflexão mais aprofundado.

É uma afirmação, ou uma suposição, que necessita ser comprovada, ou não, pela pesquisa. É uma suposta e possível resposta a um problema. Ou, é a resposta provisória que você idealiza para o problema formulado.

2.1.4 Justificativa

A justificativa deve explicar os critérios para a escolha do tema, destacar a sua importância e a sua relevância, bem como seus aspectos positivos e principalmente a contribuição, as vantagens e os benefícios que a pesquisa proporcionará para a coletividade.

2.1.5 A definição dos objetivos da pesquisa

É importante destacarmos a etapa que define os objetivos gerais e específicos. Eles resumem o que se pretende conseguir com a pesquisa e com a monografia. Devem ser coerentes com a justificativa e com o problema proposto. São eles que deixarão claro para o leitor o porquê do trabalho, isto é, quais os resultados que se pretende alcançar com ele ou qual a contribuição que a pesquisa irá efetivamente proporcionar aos demais estudantes e ao mundo acadêmico.

O objetivo geral: em linhas gerais, define o que se pretende alcançar com o trabalho.

Os objetivos específicos: especificam detalhes do objetivo geral.

Para facilitar a redação da sua monografia, lembre-se que os enunciados dos objetivos devem sempre começar com um verbo no infinitivo e este verbo deve indicar uma ação passível de mensuração - analisar, discutir, definir, interpretar, examinar, comparar, classificar, organizar, avaliar, etc. Ou seja, a monografia irá “comparar dados”, “analisar informações”, “definir estratégias”, “discutir conceitos”, por exemplo.

2.1.6 A metodologia da pesquisa

Certamente, esta é uma etapa do planejamento da pesquisa que gera mais dúvidas e incertezas. Quando o estudante define a metodologia que utilizará, isso significa que ele vai explicar e detalhar toda a ação que será realizada ao longo do processo de elaboração do trabalho.

A metodologia define o tipo de pesquisa que se pretende fazer e os pressupostos teórico-metodológicos que se deseja utilizar. Devem ser descritas as técnicas, os procedimentos, os instrumentos, os equipamentos e materiais a serem utilizados, as variáveis - quando necessário -, onde e como serão coletados os dados, e de que maneira serão interpretados, a fim de solucionar o problema da pesquisa e atingir os objetivos propostos.

Outro elemento importante na elaboração de monografias, principalmente dissertações de mestrado e teses de doutorado, é a teoria. Ela pode ser definida como um conjunto de idéias, afirmações e princípios que facilitam a ampla compreensão de um objeto. Pode ser entendida também como uma expressão da forma de se pensar e entender um fenômeno, a partir da sua observação. A teoria está diretamente ligada à metodologia, pois é ela quem orienta as análises e interpretações. Além disso, é um instrumento que nos auxilia a questionar, problematizar e encontrar novas formas de abordagem e interpretação do objeto pesquisado.

2.1.7 A elaboração do projeto de pesquisa (Veja o Capítulo 3: A estrutura do projeto de pesquisa)

2.2 Segunda etapa: execução da pesquisa

Encerrada a fase de planejamento, o próximo passo é o da execução da pesquisa.

Essa etapa consiste basicamente em quatro momentos: a coleta de dados, a análise de dados, a análise e discussão dos resultados e a conclusão da análise dos resultados.

problema da pesquisa, tendo sempre como diretriz o referencial teórico-metodológico

Com o levantamento bibliográfico, das fontes e a revisão bibliográfica concluídos, é o momento de se coletar os dados, organizá-los, avaliá-los e discuti-los. É a hora em que o estudante vai interpretar e analisar, comparar e confrontar as informações obtidas, a fim de cumprir os objetivos, confirmando e respondendo, ou não, o problema, a hipótese ou o

Nesta fase, o estudante já terá subsídios para sistematizar os resultados obtidos com a pesquisa. É o momento em que ele vai definir se os objetivos propostos foram alcançados, se o problema foi respondido, ou se a hipótese foi confirmada ou não. Além disso, ao concluir esta etapa será possível definir a contribuição da pesquisa para o meio acadêmico ou para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia. Com todos os dados organizados, sistematizados e analisados, a próxima tarefa é a redação da monografia.

2.3 Terceira etapa: redação da monografia

A redação é a fase final da pesquisa. É quando o estudante vai escrever seu relatório, ou sua monografia, e apresentar os resultados obtidos com a pesquisa. É importante lembrar que o texto deve ser claro, objetivo, gramaticalmente correto e de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Vale salientar que alguns cursos e universidades têm seus próprios manuais, normas e orientações, que devem ser observadas na hora da execução da tarefa.

Existem diversos tipos de trabalhos científicos e acadêmicos. Normalmente, quando um professor pede em sala de aula um trabalho ou pesquisa sobre determinado assunto, na verdade ele está solicitando um estudo dirigido ou uma revisão bibliográfica, e não uma pesquisa científica propriamente dita. Um trabalho científico é aquele que é resultado de uma pesquisa conduzida com critério, método e referencial teórico, e que requer aprofundamento da bibliografia e tempo para o desenvolvimento e para a redação do texto final.

Neste caso, incluem-se os trabalhos de conclusão de curso, as dissertações de mestrado e as teses de doutorado. Mas, existem outros tipos de trabalhos científicos e acadêmicos, como artigos, papers, relatórios, etc. O que distingue estes diferentes tipos são os níveis de profundidade e originalidade, bem como a exigência de defesa pública para alguns deles. Para obter informações e dicas sobre como fazer monografias e outros tipos de trabalhos acadêmicos de acordo com as normas da ABNT, consulte o e-book do Zé Moleza “Como Fazer Monografias: Guia de Elaboração de Trabalhos Acadêmico”, disponível no site w.zemoleza.com.br .

(Parte 1 de 3)

Comentários