Profissional de sistemas de informação

Profissional de sistemas de informação

PROFISSIONAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Perfil e Área de Atuação

Carine Bockorny

Michel Felipe de Souza

Ricardo Pereira

Willian Kalb

Profª Renata Silva

Sociedade Educacional do Vale do Itajaí - MirimFaculdade do Vale do Itajaí - Mirim – FAVIM

Bacharelado em Sistemas de Informação (SIN11) – Metodologia do Trabalho Acadêmico

03/06/2009

RESUMO

O curso de Sistemas de Informação é direcionado a pessoas que tenham, antes de mais nada, curiosidade. Precisa-se também habilidade em lógica, ser criativo, ágil e capaz de trabalhar de forma prática com a informação. Cada uma dessas habilidades pode ser desenvolvida durante o curso, com o objetivo de atingir um bom nível de conhecimento e competência. A agilidade, praticidade, senso crítico, espírito inovador e criatividade são qualidades fundamentais do profissional, que deve ainda ter um bom relacionamento interpessoal e saber trabalhar em equipe para poder desempenhar com qualidade as suas funções. O campo de trabalho é uma das vantagens dessa área, o profissional de Sistemas de Informação encontra opções de trabalho em diversos setores. Seu conhecimento e capacidade de desenvolver soluções tecnológicas a uma grande diversidade de situações abre uma série de oportunidades de trabalho que vão desde o trabalho técnico no desenvolvimento e suporte a sistemas até os cargos de gerência e consultoria em áreas específicas, conforme a formação e interesse de cada profissional. O sucesso depende de cada profissional, seu empenho e força de vontade para aprender. Estar disposto a conhecer as novidades é fundamental, pois é uma profissão que exige estar atualizado.

Palavras-chave: Perfil do Profissional. Área de Atuação. Entrevista com Profissional formado e atuando.

1 INTRODUÇÃO

O aluno que cursa Sistemas de Informação precisa de alguns requisitos básicos para aprofundar seus saberes, como ter curiosidade, gostar de computadores e de matemática. Durante sua vida acadêmica, vai aprofundando cada vez mais seus conhecimentos em diversas áreas. Após sua formação, está pronto para atuar em áreas distintas.

Nessa área é preciso estar atento a qualquer informação nova, pois a informação pode levar o profissional a se especializar em algum aspecto não muito desenvolvido e, assim, tornar-se referência em um determinado tema, determinado assunto.

Quais são as vantagens de ser um profissional em Sistemas de Informação? Este trabalho tem como objetivo mostrar porque é interessante fazer este curso e quais são as principais carreiras para seguir depois de formado.

Através de pesquisas em sites, livros e entrevistas, mostraremos a ampla área que o profissional pode optar para seguir.

Neste trabalho falaremos sobre o perfil do profissional de Sistemas de Informação, suas principais habilidades, seu conhecimento e as competências que precisa atender. A extensa área de atuação do profissional, falaremos um pouco sobre cada uma das principais profissões que um Bacharel em Sistemas de Informação pode seguir.

2 PERFIL

O profissional formado ou mesmo estudante do curso de Sistemas de Informação precisa ter algumas qualidades: ser prático, ágil, disposto a pesquisar e conhecer as inovações, conciso, crítico, informante, comunicativo, saber lidar com as pessoas, ser criativo e, acima de tudo, ter curiosidade.

Para atuar nesta área, precisa-se estar atento para as novidades que surgem. A cada dia há novas descobertas e novas tecnologias. A leitura é uma aliada a este profissional.

No decorrer do curso, o aluno descobre que além de qualidades, precisa também de habilidades. A matemática é uma disciplina que está muito presente no curso de Sistemas de Informação, com ela aprimoramos nosso raciocínio lógico, que é essencial para o desenvolvimento de softwares.

Os requisitos básicos do Analista de Sistemas (Bacharel em Sistemas de Informação) são o raciocínio lógico, a criatividade, a capacidade de síntese e interpretação na análise de problemas, a predisposição para o bom relacionamento humano, a facilidade de trabalhar em equipe, a habilidade para organização adequada do acervo informacional, iniciativa e liderança no trabalho. (SISTEMAS..., 2009).

Um bom profissional deve ter muitas idéias, assim, fará com que seu produto seja diferente no mercado. Além de idéias, precisa ter a capacidade de desenvolver projetos. Para esse desenvolvimento é necessário saber usar corretamente as ferramentas que tem à disposição.

Cabe ao profissional da área identificar as informações necessárias para elaboração de projetos. Estruturar de forma organizada os dados que deverão estar contidos. Avaliar custo e benefício dos sistemas de informação utilizados na empresa. Analisar, planejar, implantar, avaliar os sistemas e principalmente cuidar da segurança do mesmo (PERFIL..., 2009).

E além de ter todos esses conhecimentos específicos, precisa saber sobre administração, empreendedorismo, direito, leis, entre outros conceitos para o desenvolvimento de sistemas.

Através de contato com profissionais que atuam na área, percebemos que quem trabalha com isto é porque realmente gosta e vimos algumas curiosidades.

Aos meus dez anos de idade eu me interessava muito por eletrônica. Na época os microcomputadores não eram tão populares. Mas, tive a oportunidade de conhecer um Apple II. Naquele momento eu percebi que programar era muito mais divertido do que montar circuitos. Quando eu entrei na universidade eu já sabia programar a muito tempo, já conhecia um diagrama “Entidade-Relacionamento” e já tinha alguns programas vendidos. Porém, eu sabia que a universidade poderia me apresentar um mundo diferente do que eu conhecia. Eu não entrei na universidade para aprender a programar. Eu entrei para me consolidar como um profissional da área. [...] Admiro bons programadores. É uma profissão muito maluca, pois você passa o dia criando “produtos” que não podem ser tocados. Se você parar para pensar isso é uma verdadeira loucura! As pessoas pagam por algo que não existe e o mundo não poderia evoluir com a velocidade que evolui se não fossem os softwares. Você consegue imaginar um mundo sem o Google, a Wikipédia e os fóruns? Eu ainda programo, mas, muito pouco, pois atualmente exerço outras funções na empresa. [...] Não consigo me ver fazendo outra coisa. Por isso que eu ainda programo mesmo não trabalhando mais como programador. Eu tenho a impressão que Deus me “fabricou” para ser programador [...] A principal qualidade para um bom profissional em sistemas é a curiosidade. Ela lhe fará sempre conhecer e aprender coisas novas. (informação verbal)¹.

Sempre tive gosto por tecnologia e a computação sempre foi um fascínio pra mim. Após 11 anos de experiência profissional desenvolvendo ERPs (Enterprise Resource Planning), ou seja, Sistemas Integrados de Gestão Empresarial, não haveria nada melhor do que uma faculdade de Sistemas de Informação. [...] Função que me chama mais atenção é a que eu exerço, Gerenciamento de TI. [...] Já pensei em trocar de curso, cursar engenharia da informação, mas não em abandonar a área [...] Principal qualidade é o raciocínio lógico bem desenvolvido. Deve ter capacidade de resolver problemas, apresentar soluções utilizando os recursos tecnológicos. (informação verbal)².

3 ÁREAS DE ATUAÇÃO

Um profissional formado em Sistemas de Informação pode exercer diversas atividades, atuar em áreas distintas, tanto na iniciativa privada como também no poder público e até mesmo como profissional autônomo. Algumas dessas áreas são:

¹ ANJOS JUNIOR, César Luiz dos. Empresário e diretor da ASSEINFO – Sistemas de Informação. Bacharel em Ciência da Computação pela UNIVALI. Entrevista concedida em Tijucas – SC, em 31 mai. 2009.

² MELO, Deivde Juliano de. Gerente de TI da Empresa Cartonagem Puel. Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ASSEVIM. Entrevista concedida em Brusque - SC, em 20 mai. 2009.

3.1 ANALISTA DE SISTEMAS

O papel profissional que atua na área de análise de sistemas é estudar a realização dos processos computacionais e encontrar a melhor maneira, o melhor caminho para o processamento da informação, utilizando seu raciocínio lógico. Para isso, algumas características desse profissional: criatividade, bom senso, liderança, senso analítico, boa comunicação e relação interpessoais, estar atualizado quanto as novas tecnologias e domínio da linguagem de programação.

É necessário que o profissional que deseja obter sucesso na área, tenha raciocínio lógico e boa dose de iniciativa na resolução de problemas e criação de softwares. Como o desenvolvimento de programas é um trabalho que requer concentração e capacidade permanente de aprendizagem, a predisposição de estar sempre pronto a mudanças é fundamental (ANALISTA..., 2009).

As principais atividades são: administração do fluxo de informações geradas e distribuídas por redes; planejar e organizar o processamento, armazenamento, recuperação e disponibilidade das informações; gestão de projetos; analisar os requisitos, especificações, projetos de sistema, programação, testes, homologação e acompanhamento do sistema; criar novos produtos e serviços computacionais (ANALISTA..., 2009).

3.2 PROGRAMADOR DE SISTEMAS

Programador é aquele que desenvolve sistemas para computadores, ele deve conhecer as linguagens de programação. Há muitas linguagens, necessita saber um pouco de cada e muito daquela que utilizar, seguindo as orientações de um analista para desenvolver um bom projeto.

São características desejáveis de um programador: atenção a detalhes, boa memória, capacidade de análise, de comunicação, de concentração, de resolver problemas práticos, curiosidade, facilidade para matemática, interesse por computadores, por formas de comunicação, paciência, perseverança, raciocínio lógico desenvolvido (PROGRAMADOR, 2009).

Suas principais atividades cotidianas: listar ou ler as especificações de programas, que foram detalhadas por um analista de sistemas, e que mostram passo a passo as tarefas que o computador precisa executar; analisar o problema e a melhor forma para solucioná-lo; preparar diagramas para mostrar a seqüência de procedimentos a ser adotada pela máquina; codificar essas instruções para uma linguagem de computador; depois de prontas e implantadas as instruções, o programador deve testar todo o sistema, através de simulação, para verificar falhas e possíveis adequações; se houver acessórios (impressoras, placas de fax) conectados ao sistema, reescrever os programas de controle desses acessórios para que se tornem compatíveis com as novidades; testar todas as modificações até que não haja mais problemas e conferir sua eficiência com o analista de sistemas (PROGRAMADOR, 2009).

3.3 GERENTE DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Profissional capacitado para supervisionar o desenvolvimento de sistemas, colocando conforme a necessidade, maior número de profissionais. Identifica problemas operacionais e técnicos, alterando ou desenvolvendo novos sistemas, pois tem a preocupação de atender as regras, necessidades e padrões de seus clientes.

3.4 GERENTE DE PROJETOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Profissional que supervisiona os trabalhos de projeto e criação de sistemas de forma a atender a demanda. Coordena equipe e processos de criação de software e estuda as necessidades previamente ao processo de desenvolvimento do sistema.

3.5 CONSULTOR E AUDITOR EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇO

Presta consultoria a setores de desenvolvimento de sistemas e audita processos de projeto e desenvolvimento, geralmente oferecendo um conhecimento especializado em determinada área visando atender as necessidades de empresas privadas e do setor público.

3.6 ADMINISTRADOR DE BANCO DE DADOS

O administrador de banco de dados é a autoridade máxima para gerenciar um sistema de banco de dados. É responsável pela criação, manutenção e segurança do banco de dados de uma empresa, usando um programa, consegue armazenar todas as informações necessárias para o bom funcionamento da mesma.

Dependendo do nível da empresa, é possível que ela tenha mais de um banco de dados, estes por sua vez, podem ser administrados por diversos profissionais. É uma profissão que exige muito sigilo. O dono da empresa precisa ter muita confiança neste profissional.

3.7 GERENTE DE REDES DE COMPUTADORES

Profissional que gerencia as redes, ou seja, tem o controle de qualquer objeto, eles sendo físicos ou lógicos distribuídos em diversos ambientes, próximos ou não. O papel deste profissional é fundamental em empresas de grande porte, pois consegue controlar tudo o que acontece na mesma. Está também preocupado e atento com a segurança dos computadores que gerencia.

3.8 GERENTE DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Conhecido como Gerente de TI, sua função é gerenciar as atividades da área de informática. Como a área de informática é muito ampla, são destinadas a estes profissionais muitas tarefas, como desenvolver e integrar sistemas, coordenar projetos cuidando da avaliação e planejamento das informações, verificando a necessidade de cada um.

3.9 MINERAÇÃO DE DADOS

Mineração de dados é a exploração e análise de uma grande quantidade de dados. Nas empresas, o conhecimento e atuação desses profissionais, permite uma melhor estratégia de marketing, personalização de seu atendimento, e assim, melhor relacionamento com consumidores.

Para o sistema financeiro de uma empresa, o conhecimento gerado pelos dados de seus clientes permite observar, discriminar e classificar critérios objetivos, como classificar bons e maus pagadores. No poder público, esse profissional pode auxiliar em ações políticas.

3.10 BUSINESS INTELIGENCE

Traduzindo para a Língua Portuguesa, Business Inteligence significa Inteligência de Negócios. Esta profissão exige um processo de coleta, uma análise, organização, compartilhamento e monitoramento de informações para oferecer um suporte à gestão de negócios.

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Contudo, concluímos que o curso exige muita dedicação. Precisamos estar atentos as novidades do nosso meio. A cada dia, novas invenções surgem e precisamos nos atualizar. A curiosidade deve sempre nos acompanhar.

O raciocínio lógico nos segue em todas as carreiras que viremos a atuar. Essa é a principal habilidade que precisamos desenvolver durante o curso.

Pudemos observar o quão ampla é a área de um profissional de Sistemas de Informação, esta por sua vez, a principal vantagem. Podemos atuar em diversas formas no mercado de trabalho, mas para isso, precisamos de total empenho durante o curso.

Estar disposto a aprender é fundamental, pois na graduação não conseguiremos adquirir todo o conhecimento que precisamos e a cada dia novas linguagens vão surgindo e outras ficando obsoletas.

REFERÊNCIAS

ANALISTA de sistemas. Brasil profissões. Disponível em: <http://www.brasilprofissoes.com.br/verprof.php?codigo=512>. Acesso em 23 mai. 2009.

ANJOS JUNIOR, César Luiz dos. Empresário e diretor da ASSEINFO – Sistemas de Informação. Bacharel em Ciência da Computação pela UNIVALI. Entrevista concedida em Tijucas – SC, em 31 mai. 2009.

AREAS de atuação. Universidade Federal de Santa Maria. Disponível em: <http://w3.ufsm.br/prograd/cursos/SISTEMAS%20DE%20INFORMACAO/AREAS%20DE%20ATUACAO.pdf>. Acesso em 23 mai. 2009.

CARVALHO, Ana Paula Mariano; WATANABE, Celeste Naoe; YAMAUE, Monica Mayumi. Administrador de banco de dados. Disponível em: < http://www.pr.gov.br/batebyte/edicoes/2001/bb114/estagiario.htm>. Acesso em 23 mai. 2009.

ESTATISTICAS e redes neurais em mineração de dados. Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: <http://www.inf.ufsc.br/~ogliari/arquivos/projeto_mineracao_de_dados.doc.>. Acesso em 23 mai. 2009.

FORBELLONE, André Luiz Villar; EBERSPÄCHER, Henri Frederico. Lógica de programação: a construção de algoritmos e estruturas de dados. 2. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2000.

GERENTE de Tecnologia da Informação (TI). Catho Online. Disponível em: <http://www3.catho.com.br/guia/view.php?id=163>. Acesso em 23 mai. 2009.

MELO, Deivde Juliano de. Gerente de TI da Empresa Cartonagem Puel. Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ASSEVIM. Entrevista concedida em Brusque - SC, em 20 mai. 2009.

PERFIL desejado do formando. Universidade Federal de Santa Maria. Disponível em: <http://w3.ufsm.br/prograd/cursos/SISTEMAS%20DE%20INFORMACAO/PERFIL.pdf>. Acesso em 22 mai. 2009.

PERFIL do profissional a ser formado. Faculdade Católica de Tocantins. Disponível em: <http://si.catolica-to.edu.br/index.php?conteudo=perfildoprofissional>. Acesso em 22 mai. 2009.

PROGRAMADOR. Brasil Profissões. Disponível em: <http://www.brasilprofissoes.com.br/verprof.php?codigo=30>. Acesso em 23 mai. 2009.

SISTEMAS de informação: perfil do egresso. Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Disponível em: <http://www.puccamp.br/graduacao/cursos/curso.aspx?curs=1>. Acesso em 22 mai. 2009

APÊNDICE

1- O que levou a escolher este curso/área? 

2- Qual a função no mercado de trabalho que lhe chama mais atenção? Você a exerce?

3- Se não, qual função exerce?

4- Pensou em desistir do curso? Da área?

5- Conseguiste emprego com facilidade?

6- Qual principal qualidade que um profissional desta área precisa ter?

7- Quanto tempo trabalha no ramo?

Comentários