psicologia evolutiva

psicologia evolutiva

Universidade Estadual de Maringá

Professor: Aldevino

Aluno: Roberto Rossato RA:29158

Jesús Palacios

INTRODUÇÃO HISTÓRICA À PSICOLOGIA EVOLUTIVA

A psicologia evolutiva era conhecida como o estudo dos processos de desenvolvimento psicológico da infância e adolescência, atualmente o seu conceito foi ampliado como o estudo dos processos de mudança psicológica da vida humana e que pode ser divididas em: a etapa da vida em que a pessoa se encontra, as influências culturais, sociais e históricas e experiências particulares.

Em meados do século XVIII as crianças e adolescentes ainda eram consideradas como adultos em miniatura realizavam trabalhos pesados e de até 12 horas, e apesar de que nesta década já existiam movimentos culturais e religiosos que pregavam a diferença da fase adulta com a infância foi somente no século XX com os avanços do industrialismo e com os movimentos trabalhistas que a infância foi conferida um status especial.

Nos séculos XVII e XVIII já existiam filósofos que abordavam a concepção sobre a natureza humana e seu desenvolvimento, mas somente no final da década de setenta que alguns estudiosos contrariando algumas limitações dos modelos anteriores formularam uma proposta de modelo do ciclo vital, este modelo serviu como uma nova perspectiva da Psicologia Evolutiva Tradicional, pois até então era abordado somente as mudanças no desenvolvimento psicológico das crianças e adolescentes e acreditava-se que o desenvolvimento humano era orientado por uma meta universal.

Contudo a Psicologia Evolutiva atual além das influencias do modelo ciclo vital contém uma maior diversidade de enfoques e perspectivas como: à ambientalista, a etológica, a cognitivo-evolutiva, à do processamento da informação e à abordagem histórico cultural. Resumidamente pode se dizer que a perspectiva etologica trata-se da adaptação do ser humano em um ambiente em diferentes gerações, do qual algumas influencias do passado refletem na geração futura. A perspectiva cognitivo-evolutiva e do processo de informação baseia-se no desenvolvimento da pessoa em um meio social, está relacionado ainda com este modelo a atenção, a memória, o raciocínio e a resolução de problemas. E a perspectiva histórico-cultural refere-se nas influencias que a pessoa sofre desde a sua infância, por exemplo, a linguagem.

O PAPEL DA HERANÇA E DO MEIO NA DETERMINAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO

Atualmente existe um consenso de que o nosso comportamento e desenvolvimento são influenciados por aspectos genéticos e por aspectos ambientais, sendo que um ou outro aspecto desempenham um papel mais ou menos determinante. Verifica-se que o ser humano possui um desenvolvimento genético e psicológico até certo momento da infância, à medida que nos afastamos da primeira infância as diferenças introduzidas pela cultura vão aumentando progressivamente.

QUATRO ANTIGOS TÓPICOS EVOLUTIVOS

O ciclo vital humano pode ser dividido em infância, adolescência, adulta e velhice, porém o estudo do desenvolvimento psicológico já não é feito separadamente, ou seja, para cada etapa da vida existe um processo de mudança e de contextualização, porém a Psicologia Evolutiva analisa o desenvolvimento psicológico durante o ciclo da vida. A psicologia Contemporânea caracteriza-se mais por uma pluralidade de enfoques de que pelo predomínio exclusivo de um determinado enfoque.

METODOS BASICOS PARA A INVESTIGAÇÃO EVOLUTIVA

Além daqueles utilizados pelos outros psicólogos: observação, experimentação de natureza diversa, estudo prolongado de casos individuais a Psicologia Evolutiva utiliza-se como métodos de investigação a longitudinal e transversal.

O plano longitudinal é aquele que leva nos para ser coletado o dado dos estudos, focados em um certo grupo de indivíduos e estudá-los durante o seu desenvolvimento de cinco anos, por exemplo. As vantagens desta metodologia são o acesso às mudanças intra-individuais ou inter-individuais, estudar sempre os mesmos indivíduos, e as desvantagens é o tempo que leva para finalizar o estudo ou ainda o fato de se perder contato com algum individuo por mudança ou por outro motivo.

A forma transversal propõem não manter os mesmos indivíduos, sugere que haja uma seleção de pessoas com a mesma faixa etária e que apresentam o mesmo comportamento devido à idade, desta forma diminui o tempo de estudo, porém este método não disponibiliza dados sobre a mudança intra-individuais.

Existe ainda os métodos seqüenciais, ou seja, estudar o mesmo, da mesma maneira, em grupos os mais equivalentes possíveis e pertencentes a diferentes gerações, que pode ser utilizada no planejamento longitudinal e transversal, porém mantendo as mesmas vantagens e desvantagens.

Enfim, cada planejamento apresenta características especificas para cada tipo de estudo dentro da abordagem da Psicologia Evolutiva, cabe o observador selecioná-la para cada necessidade.

Comentários