Manual de normas e rotinas de procedimentos para a enfermagem

Manual de normas e rotinas de procedimentos para a enfermagem

(Parte 1 de 5)

Índice

Rotinas de Procedimentos Página Administração de Medicamentos Via Endovenosa (EV) 03 Administração de Medicamentos Via Inalatória 04 Administração de Medicamentos Via Intradérmica (ID) 05 Administração de Medicamentos Via Intramuscular (IM) 06 Administração de Medicamentos Via Ocular 09 Administração de Medicamentos Via Oral 10 Administração de Medicamentos Via Subcutânea (SC) 10 Aspiração Traqueal 12 Aspiração de Orofaringe 13 Cateterismo Vesical de Alívio 13 Cateterismo Vesical de Demora 15 Cauterização Cicatriz Umbilical 17 Coleta de Exames Laboratoriais 18 Coleta de Citologia Oncótica 21 Coleta de PKU 24 Curativo 25 Eletrocardiograma 28 Medida de Circunferência de Cintura 29 Medida de Circunferência de Quadril 30 Medida de Estatura 30 Medida de Perímetro Torácico 32 Medida de Peso 32 Medida de Pressão Arterial 35 Oxigenoterapia 37 Oxigenoterapia por Cateter Nasal 38 Preparo e Esterilização de Materiais 39 Preparo de Medicamento Parenteral 42 Sondagem Nasoenteral 4 Sondagem Nasogástrica 47 Troca de Bolsa de Estomia 48 Vacinação 49

NORMAS DE PROCEDIMENTOS – Nº 001 Departamento de Saúde/ Coordenadoria de Enfermagem Procedimento: ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA ENDOVENOSA (EV)

EXECUTANTES: Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem.

MATERIAIS: 1. Seringa. 2. Agulha 40x15. 3. Agulha 25x6. 4. Algodão. 5. Álcool. 6. Garrote. 7. Fita crepe para identificação. 8. Bandeja. 9. Luva de procedimento. 10. Medicamento prescrito. 1. Abocath no nº adequado. 12. Esparadrapo/ micropore. 13. Soro.

DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: 1. Checar medicação prescrita: data, dose, via e nome do paciente. 2. Selecionar a ampola, observando nome, validade, alteração de cor e presença de resíduos. 3. Escolher seringa de acordo com a quantidade de líquidos a ser administrado. 4. Lavar as mãos. 5. Fazer assepsia nas ampolas com auxílio do algodão e álcool 70%. 6. Abrir a seringa e conectar a agulha 40x12. 7. Preparar medicação, conforme técnica descrita. 8. Explicar ao paciente o que será realizado. 9. Calçar as luvas. 10. Selecionar veia de grande calibre para punção, garrotear o braço do paciente. 1. Realizar antissepsia do local escolhido. 12. Posicionar seringa bisel voltado para cima e proceder a punção venosa. 13. Soltar o garrote. 14. Administrar a medicação lentamente, observando o retorno venoso, o paciente e as reações apresentadas.

15. Retirar a seringa e pressionar o algodão no local da punção. 16. Lavar as mãos. 17. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar (conforme decisão do COREN-SP- DIR/001/2000). 18. Registrar procedimento em planilha de produção. 19. Manter ambiente de trabalho em ordem.

NORMAS DE PROCEDIMENTOS – Nº 002 Departamento de Saúde/ Coordenadoria de Enfermagem Procedimento: ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA INALATÓRIA

EXECUTANTES: Auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros.

MATERIAIS: 1. Copo nebulizador. 2. Máscara. 3. Medicação prescrita.

DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: 1. Lavar as mãos com técnica adequada. 2. Preparar a medicação prescrita no copo nebulizador, observando a dose, via, nome paciente, data. 3. Explicar o procedimento ao paciente. 4. Ligar o copo nebulizador à extensão de látex acoplada ao fluxômetro de ar comprimido/oxigênio, conforme prescrição. 5. Regular o fluxo (5 a 10 litros/ min). 6. Orientar o paciente a manter respiração nasal durante a inalação do medicamento. 7. Ao término, oferecer papel toalha para o paciente secar a umidade do rosto. 8. Colocar copo e máscara de nebulização para lavagem e desinfecção. 9. Lavar as mãos. 10. Anotar, assinar e carimbar em prontuário/ receituário, comunicando médico prescritor, caso haja necessidade de avaliação após procedimento. 1. Anotar na planilha de produção. 12. Manter ambiente de trabalho limpo e organizado.

NORMAS DE PROCEDIMENTOS – Nº 003 Departamento de Saúde/ Coordenadoria de Enfermagem Procedimento: ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA INTRADÉRMICA (ID)

EXECUTANTES: Auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros.

MATERIAIS: 1. Seringa 1 ml. 2. Agulha 10 x 5 ou 13 x 4,5. 3. Solução prescrita. 4. Bandeja.

DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: 1. Checar medicação prescrita: data, dose, via e nome do paciente. 2. Lavar as mãos. 3. Preparar medicação conforme técnica já descrita. 4. Orientar o paciente sobre procedimento. 5. Escolher o local da administração (pouca pigmentação, pouco pelo, pouca vascularização, fácil acesso para leitura): a face anterior do antebraço é o local mais utilizado. 6. Fazer a antissepsia da pele com água e sabão caso seja necessário. O álcool 70° não é indicado, para não interferir na reação da droga. 7. Segurar firmemente com a mão o local, distendendo a pele com o polegar e o indicador. 8. Introduzir a agulha paralelamente à pele, com o bisel voltado para cima, até que o mesmo desapareça. 9. Injetar a solução lentamente, com o polegar na extremidade do êmbolo, até introduzir toda a dose. 10. Retirar o polegar da extremidade do êmbolo e a agulha da pele. 1. Não friccionar o local. 12. Desprezar os materiais pérfuro-cortantes em recipiente adequado. 13. Lavar as mãos. 14. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar (conforme decisão do COREN-SP-DIR/001/2000). 15. Registrar procedimento em planilha de produção. 16. Manter ambiente de trabalho em ordem.

OBSERVAÇÕES Imediatamente após a injeção, aparecerá no local uma pápula de aspecto esbranquiçado e poroso (tipo casca de laranja), com bordas bem nítidas e delimitadas, desaparecendo posteriormente.

NORMAS DE PROCEDIMENTOS – Nº 004 Departamento de Saúde/ Coordenadoria de Enfermagem Procedimento: ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA INTRAMUSCULAR (IM)

EXECUTANTES: Auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros.

MATERIAIS: 1. Seringa – conforme volume a ser injetado (máximo 5 ml.). 2. Agulha – comprimento/ calibre compatível com a massa muscular e solubilidade do líquido a ser injetado. 3. Algodão. 4. Álcool 70%. 5. Bandeja. 6. Medicação prescrita.

DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: 1. Checar prescrição medicamentosa (data, dose, via, nome paciente). 2. Lavar as mãos com técnica adequada. 3. Preparar injeção, conforme técnica já descrita. 4. Orientar o paciente sobre o procedimento. 5. Escolher local da administração. 6. Fazer antissepsia da pele com algodão/ álcool. 7. Firmar o músculo, utilizando o dedo indicador e o polegar. 8. Introduzir a agulha com ângulo adequado à escolha do músculo. 9. Aspirar observando se atingiu algum vaso sangüíneo (caso aconteça, retirar agulha do local, desprezar todo material e reiniciar o procedimento). 10. Injetar o líquido lentamente. 1. Retirar a seringa/agulha em movimento único e firme. 12. Fazer leve compressão no local. 13. Desprezar o material perfuro-cortante em recipiente apropriado (caixa resíduo perfuro-cortante). 14. Lavar as mãos.

17. Manter ambiente de trabalho em ordem

15. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar (conforme decisão do COREN-SP-DIR/001/2000). 16. Realizar anotações em planilhas de produção.

OBSERVAÇÕES: A. Locais de aplicação: O local apropriado para aplicação da injeção intramuscular é fundamental para uma administração segura. Na seleção do local deve-se considerar o seguinte:

• Distância em relação a vasos e nervos importantes;

• Musculatura suficientemente grande para absorver o medicamento;

• Espessura do tecido adiposo;

• Idade do paciente;

• Irritabilidade da droga;

• Atividade do paciente.

Dorsoglútea (DG): 1. Colocar o paciente em decúbito ventral ou lateral, com os pés voltados para dentro, para um bom relaxamento. A posição de pé é contra-indicada, pois há completa contração dos músculos glúteos, mas, quando for necessário, pedir para o paciente ficar com os pés virados para dentro, pois ajudará no relaxamento. 2. Localizar o músculo grande glúteo e traçar uma cruz imaginária, a partir da espinha ilíaca póstero-superior até o trocânter do fêmur. 3. Administrar a injeção no quadrante superior externo da cruz imaginária. 4. Indicada para adolescentes e adultos com bom desenvolvimento muscular e excepcionalmente em crianças com mais de 2 anos, com no mínimo 1 ano de deambulação.

Ventroglútea (VG): 1. Paciente pode estar em decúbito sentado lateral, ventral ou dorsal. 2. Colocar a mão esquerda no quadril direito do paciente. 3. Localizar com a falange distal do dedo indicador a espinha ilíaca ântero-superior direita. 4. Estender o dedo médio ao longo da crista ilíaca. 5. Espalmar a mão sobre a base do grande trocânter do fêmur e formar com o indicador em triângulo. 6. Indicada para crianças acima de 03 anos, pacientes magros, idosos ou caquéticos.

Deltóide:

Face Vasto Lateral da Coxa: 1. Colocar o paciente em decúbito dorsal, lateral ou sentado. 2. Traçar um retângulo delimitado pela linha média na anterior da coxa, na frente da perna e na linha média lateral da coxa do lado da perna, 12-15 cm do grande trocânter do fêmur e de 9-12 cm acima do joelho, numa faixa de 7-10 cm de largura. 3. Indicado para lactantes e crianças acima de 1 mês, e adultos. • Paciente poderá ficar sentado ou decúbito lateral.

• Localizar músculo deltóide que fica 2 ou 3 dedos abaixo do acrômio. Traçar um triângulo imaginário com a base voltada para cima e administrar a medicação no centro do triângulo imaginário.

B – Escolha correta do ângulo: • Vasto lateral da coxa – ângulo 45 em direção podálica.

• Deltóide – ângulo 90º.

• Dorso glúteo – ângulo 90º.

C – Escolha correta da agulha:

Conforme Horta e Teixeira a dimensão da agulha em relação à solução e à espessura da tela subcutânea (quantidade de tecido abaixo da pele) na criança e no adulto, deve seguir o seguinte esquema:

ADULTO • Magro

• Obeso

CRIANÇA • Magra • Normal

• Obesa

NORMAS DE PROCEDIMENTOS – Nº 005 Departamento de Saúde/ Coordenadoria de Enfermagem Procedimento: ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA OCULAR

EXECUTANTES: Auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros.

MATERIAIS: 1. Colírio ou pomada oftalmológica. 2. Gaze.

DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: Apresentação: Colírio 1. Checar prescrição (data, nome do paciente, dose, apresentação,). 2. Separar medicação prescrita. 3. Lavar as mãos. 4. Orientar o paciente quanto ao procedimento, solicitando que incline a cabeça para trás. 5. Afastar a pálpebra inferior com o auxílio da gaze, apoiando a mão na face do paciente. 6. Pedir para o paciente olhar para cima e pingar a medicação no centro da membrana conjuntiva. 7. Orientar o paciente a fechar a pálpebra. 8. Lavar as mãos. 9. Anotar data, nome, horário de execução do procedimento. 10. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar (conforme decisão do COREN-SP-DIR/001/2000). 1. Anotar na planilha de produção. 12. Manter ambiente limpo e organizado.

Apresentação: pomada 1. Com o auxílio da gaze, afastar a pálpebra inferior, apoiando a mão na face do paciente e colocar com o próprio tubo a pomada. 2. Pedir para o paciente fechar os olhos. 3. Proceder a leve fricção sobre a pálpebra inferior.

NORMAS DE PROCEDIMENTOS – Nº 006 Departamento de Saúde/ Coordenadoria de Enfermagem Procedimento: ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA ORAL

EXECUTANTES: Auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros.

MATERIAIS: 1. Copo descartável/ graduado. 2. Medicação. 3. Conta gotas. 4. Bandeja.

1. Manter ambiente de trabalho limpo e organizado

DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: 1. Checar prescrição: data, nome do paciente, medicação, dose, via de administração e apresentação. 2. Lavar as mãos. 3. Separar a medicação evitando tocar as mãos nos comprimidos. Usar a própria tampa do frasco ou gaze para auxiliar. 4. Em caso de líquido – agitar o frasco e colocar a dose prescrita com auxílio do copo graduado, ou conta gotas. 5. Explicar o procedimento ao paciente. 6. Oferecer a medicação. 7. Certificar-se que o medicamento foi deglutido. 8. Lavar as mãos. 9. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar (conforme decisão do COREN-SP-DIR/001/2000). 10. Anotar na planilha de produção.

(Parte 1 de 5)

Comentários