Drenagem linfatica gestante

Drenagem linfatica gestante

(Parte 1 de 2)

Drenagem linfática corporal no edema gestacional Morgana Duarte da Silva*, Karina Brongholi**

* Acadêmica do Curso de Fisioterapia da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) ** Fisioterapeuta, professora da disciplina de Ginecologia e Obstetrícia I do curso de Fisioterapia da UNISUL.

Resumo

A gestante refere diversas queixas, dentre elas o edema gestacional. A circulação linfática drena o excesso de fluido dos tecidos e integra o mecanismo de defesa do corpo. A fisioterapia pode atuar através da drenagem linfática manual (DLM), que utiliza movimentos suaves, aumenta o volume e a velocidade de transporte da linfa removendo o excesso de líquido e de proteína plasmática do interstício celular. Assim, essa pesquisa procurou investigar quais os efeitos desta técnica sobre o edema gestacional, sendo que a mesma visa prevenir, minimizar ou sanar os efeitos do edema. A presente pesquisa possui caráter experimental sendo a população composta por gestantes e a amostra, do tipo probabilística acidental, constituiu-se duas pacientes, sendo que uma estava na 32a semana gestacional e a outra na 29a semana gestacional. Foram realizados 15 atendimentos com a primeira paciente e 7 com a segunda paciente, no período de maio a julho de 2004. Em cada sessão foi realizado a perimetria de MS (membros superiores) e MI (membros inferiores), avaliação da pressão arterial (PA) e freqüência cardíaca (FC) pré e pós DLM e o peso corporal verificado no dia da avaliação e da reavaliação. Ao término dos atendimentos observou-se que a PA não se alterou durante as sessões, porém a FC diminuiu após as mesmas, provavelmente pelo relaxamento das pacientes após a aplicação da técnica de DLM. No peso corporal a paciente A apresentou diminuição e a paciente B aumento. Na perimetria observou-se redução significativa das circunferências dos membros, o que sugere que a DLM contribui para a redução do edema gestacional. Dessa forma, houve uma diminuição no desconforto sentido pelas pacientes, melhora em suas atividades diárias (AVD’s) e atividades profissionais (AVP’s), tendo com ambas, conseguido uma melhora de seu estado geral.

Abstract

Fetal generation child involves several changes in the women organism, causing to the pregnant woman some complaints, such as edema. The lymphatic circulation drains the fluid excess of the tissue and integrates the defense mechanism of the body. The physical therapy can act, through the manual

Endereço para correspondência: Morgana Duarte da Silva, Rua Comandante Moreira, 237, Bairro Progresso, Laguna, S. C. Tel: (048) 6441766 ou (048) 91348242, E-mail: morganafisioterapia@yahoo.com.br

Artigo original

Palavras-chave: gestação, edema, sistema linfático, drenagem linfática manual.

volume and the velocity of the limphas transport removing the fluid and the plasmatic protein excess of the cellular interstice. This study aimed investigate the effects of the manual lymphatic drainage in the pregnancy edema, trying to prevent, minimize or cure the edema effects, improving a better quality of life for the pregnant woman. This research has an experimental feature being the population composed of pregnant participants of the project “Atendimento em Obstetrícia” - UNISUL. The sample was composed by two patients, the first one on the 32nd week of pregnancy and the other one on the 29th. It was accomplished 15 treatment with the first patient and 7 with the second, from May to July of 2004. In each session it was accomplished the perimetric register, blood pressure evaluation and cardiac frequency pre and post MDL. At the end of the treatment was observed that the blood pressure did not alter during the sections, but the cardiac reduced after the treatment, probably because the patients were relaxed after the application of the technique. In suggestion that MDL contributed to the reduction of edema. According to the results obtained with this research, the manual lymphatic drainage was shown an effective resource in the treatment of pregnancy edema, decreasing the patient’s discomfort, improving their daily activities, succeeding in improving the linfe quality of both patients.

Introdução

É necessário durante a gravidez, que ocorra alterações físicas no corpo da mulher para que se tenha um perfeito crescimento e desenvolvimento do feto. Porém essas alterações podem às vezes trazer como conseqüência dor e limitações em suas atividades diárias [23].

No terceiro trimestre, 27ª a 40ª semana gestacional, o útero apresenta-se muito grande e com contrações regulares, mesmo que ocasionalmente sentidas. Comumente, as queixas são de dor lombar, micção freqüente, edema, principalmente em membros inferiores e fadiga [10].

Os conhecimentos das alterações ocorridos durante a gestação são fundamentais para possibilitar a distinção do que é fisiológico para a gestante do que é patológico [9].

O sistema linfático representa uma via acessória pela qual pode fluir líquido dos espaços intersticiais para o sangue, eles transportam proteínas e grandes partículas de material para longe dos espaços dos tecidos, nenhuma das quais pode ser removida pela absorção direta para o sangue capilar. Essa remoção de proteína para os espaços intersticiais é uma função absolutamente essencial [8].

Ele tem funções básicas que podem ser divididas em: função imunológica e de defesa do corpo contra organismos invasores. Mediante invasão do organismo, ele desempenhará suas funções defensiva e imunológica, e quando em situações anormais, ocorrer formação excessiva de líquido intersticial, o sistema linfático vai agir em seus limites fisiológicos, visando o retorno desse excesso de fluido à circulação sanguínea [16].

Existem vários fatores que podem causar o edema: 1) obstrução venosa; 2) Obstrução linfática; 3) aumento da permeabilidade capilar arterial; 4) hipoproteinemia; 5) aumento da pressão capilar [16].

Na obstrução linfática há um excessivo acúmulo de edema nos tecidos [17].

O edema gestacional é definido como um excessivo acúmulo de líquido nos tecidos, valorizado quando de aparecimento súbito. Cerca de 1/3 das grávidasexibe edema generalizado em torno da 38a semana de gestação [9].

O edema é resultado do desequilíbrio verificado entre o aporte líquido retirado dos capilares sanguíneos pela filtragem e a drenagem do líquido [14].

Key-words: pregnancy, edema lymphatic system, manual lymphatic draining.

Vários são os fatores que levam ao edema gestacional como, o aumento da permeabilidade capilar, [18], o aumento da pressão capilar, hipoproteinemia, compressão das válvulas venosas, [15], além de alterações hormonais que, segundo

[23], o estrogênio, a progesterona, o cortizol e a relaxina, mediam um estado de maior flexibilidade e extensibilidade, bem como maior retenção de água, ocorrendo em 50% das gestações edema, principalmente em membros inferiores.

A drenagem linfática manual é uma técnica de massagem manual que foi descrita, inicialmente como um método para tratamento de edemas, em especial o linfedema [1].

Sua finalidade é esvaziar os líquidos exsudados e os resíduos metabólicos por meio de manobras nas vias linfáticas e nos linfonodos [21].

Os objetivos da drenagem linfática manual são: recolocar em movimento o líquido intersticial e permitir uma maior reabsorção dos excessos de líquido e das macromoléculas por intermédio do sistema linfático, favorecer a abertura dos capilares linfáticos e, com isso, a eliminação dos resíduos provenientes do metabolismo celular, aumentar a regeneração celular e estimular o sistema imunológico [13].

O ritmo deve ser uniforme [13] e lento, um ritmo adequado, que é aquele que anula a sensação mecânica, imprime à manobra uma sensação agradável, deve-se realizar a manobra na freqüência determinada e tempo correto [21].

A DLM deve obedecer sempre o sentido da circulação linfática de retorno e centripetamente, caso contrário, o segmento que já apresenta dificuldade em manter o fluxo, ficará mais sobrecarregado ainda devido à estase [1].

A pressão adequada é aquela suficientemente forte para propulcionar o líquido intersticial para dentro dos capilares linfáticos, e aumentar sua absorção através dos capilares. No entanto ela deve se manter abaixo do valor da pressão interna dos capilares linfáticos e sanguíneos, para não obstruí-los [25].

Na atualidade a DLM está representada por essas duas técnicas: a de Leduc e a de Vodder. Ambas são baseadas nos trajetos dos coletores linfáticos e linfonodos, associando basicamente três categorias de manobras: as de captação, as de reabsorção e as de evacuação [7].

Os efeitos da drenagem linfática estão baseados nos mecanismos fisiológicos de pressões existentes entre os tecidos e os vasos sanguíneos e linfáticos [1].

A drenagem linfática manual está indicada na prevenção e/ou tratamento de edema [7, inclusive de edema gestacional [12].

As manobras, tanto para Leduc, quanto para

Vodder, correspondem à manobras de captação, reabsorção e evacuação [7.

O trabalho proposto teve como objetivo geral verificar os efeitos da drenagem linfática manual no edema corporal de gestantes e específicos de realizar e comparar a perimetria de membros superiores (MS) e membros inferiores (MI) antes e após a aplicação da drenagem linfática manual, avaliação dos sinais vitais e peso corporal antes e após a aplicação da técnica, descrição dos efeitos desta técnica sobre o edema corporal no terceiro trimestre gestacional e avaliação da satisfação das pacientes com a técnica aplicada.

Materiais e métodos

A pesquisa caracteriza-se como quase experimental, que determina um objeto de estudo seleciona variáveis capazes de influenciá-lo e define formas de controle e observação dos efeitos que a variável produz no objeto [5]. Esse estudo é uma variação do plano clássico, com grupo único comparando antes e depois, onde contamos com apenas um grupo experimental, grupo único [2].

A população esta composta por gestantes, residentes no município de Tubarão-S.C., participantes do Projeto “Atendimento em Obstetrícia”, realizado na Clínica Escola de Fisioterapia da UNISUL. A amostra é do tipo probabilística acidental, sendo constituída por duas gestantes, identificadas por E. C. S. S. (paciente A), na 32a semana gestacional e L. G. C. (paciente B), estando na 29a semana gestacional, no dia da avaliação. Foram escolhidas aleatoriamente, tendo como critério estar no terceiro trimestre gestacional, sem patologia associada, com disponibilizarão de tempo para a realização da pesquisa.

Os instrumentos utilizados para a realização do estudo foram: termo de concentimento, esfignomanômetro e estetoscópio da marca

Missouri , balança da marca Filizola , do tipo Personal Line, ficha de avaliação específica para gestantes, fita métrica da marca Easy Read e questionário de satisfação.

Após a aceitação das pacientes em participarem da pesquisa, assinando o termo de consentimento, as mesmas foram avaliadas pela ficha específica para gestantes, onde continham dados pessoais, anamnese, dados sobre a gestação, como queixas, antecedentes ginecológicos e alterações nos diversos sistemas, bem como exame físico. Foi utilizada uma avaliação específica para mensuração do edema, através da perimetria, medida com a fita métrica, executando-a em cima de um traço demarcado com caneta demográfica na pele da paciente. Foram utilizados como parâmetro:

Antebraço: Ponto fixo – abaixo do olécrano, indo em direção a linha média do punho;

Braço: Ponto fixo – acima do olécrano, indo em direção a tuberosidade maior do úmero, sendo que o membro superior encontrava-se em posição neutra e o antebraço em prono;

Perna: Ponto fixo – base patelar, seguindo a tíbia, em direção a linha média do tornozelo;

Coxa: Ponto fixo – ápice patelar, seguindo em direção a espinha ilíaca antero superior;

Tornozelo: Ponto fixo - maléolo lateral, em direção ao quinto pododáquitilo.

Foram realizados 15 atendimentos com a primeira paciente e 7 atendimentos com a segunda paciente, pois houve intercorrência na gestação desta. Com freqüência de duas vezes por semana com aproximadamente uma hora e meia de duração cada sessão, no período de maio a julho de 2004. Todos os atendimentos deram-se na Clínica Escola de Fisioterapia da Unisul, após consentimento da coordenação e sempre com a presença de supervisão. Os horários eram respeitados de acordo com as particularidades de cada paciente, mas priorizou-se a realização posteriormente ao atendimento do projeto que participavam, sendo que a terapêutica realizada no projeto era individual, de acordo com as necessidades particulares, no entanto não aplicavase técnica específica para a redução do edema.

Em cada sessão eram colhidos os resultados da perimetria, pressão arterial (PA) e freqüência cardíaca (FC), pré e pós-drenagem linfática manual. Para a realização da drenagem linfática, as pacientes eram primeiramente posicionadas em decúbito dorsal, e posteriormente em decúbito lateral direito e esquerdo. Os membros inferiores (MI) eram apoiados por um travesseiro em cunha, sendo deixados elevados aproximadamente à 45º. O atendimento era iniciado com o bombeamento dos linfonodos axilares, supra e infraclaviculares, externais, inguinais, poplíteos e posterior aos maléolos, seguido por manobras de deslizamento simples, deslizamento direcionado (safena), amassamento e pressão em bracelete, no sentido de distal para proximal em ambos MI, membros superiores (MS) e tronco.

Resultados

Os sujeitos da pesquisa foram duas gestantes, a gestante A é identificada por E.C.S.S., 28 anos, casada, segundo grau completo, profissional autônoma, natural da cidade de Tubarão, da raça negra, tendo medidas antropométricas de 1,56 m e 7,200 kg, no dia da avaliação (10/04/04), primigesta (G=1, P=0, A=0), sendo que, apresentava-se na 32a semana de gestação estando, portanto, no terceiro trimestre gestacional.

A mesma paciente, apresentava sua pressão arterial 120/80 mmHg e aumento de peso de 10,400 Kg, no dia da avaliação. Queixava-se de: “inchaço e pernas pesadas”. O edema em MI teve início próximo ao 6° mês de gestação, fazendo com que a paciente citasse algumas queixas, pois, dizia que após o aparecimento do edema e o aumento do abdômen, só conseguia caminhar por tempo limitado, também era limitada sua amplitude de movimento (ADM), o que conseqüentemente dificultava a realização de suas atividades da vida diária (AVD’s) e não dormia adequadamente, pois, com a sensação de mal estar demorava a relaxar.

Ainda na anamnese, relatou ter consultas periódicas com seu obstetra. Na história pregressa, relatou ter mioma, sendo que este foi controlado durante o início da gestação, porém teve infecção urinária, utilizando medicação, para controle da mesma, sendo que na avaliação já estava sem alterações urinárias e o mioma controlado, com bom prognóstico médico e sem outra patologia associada. A prevalência da bacteriúria assintomática é de 10% na gravidez, podendo ser observada do início da gestação ao 3o trimestre e 25 a 57% destas bacteriúrias não tratadas podem evoluir para infecção sintomática, inclusive pielonefrite [1].

(Parte 1 de 2)

Comentários