Pop - aplicação correta de injetáveis

Pop - aplicação correta de injetáveis

(Parte 1 de 2)

Elaborado Data Aprovado Data Página 1 de 4

1- OBJETIVO: Visa orientar corretamente sobre a técnica de injetáveis

2- DEFINIÇÕES:

• ID Também chamada intracutânea ou cutânea, é utilizada para testes alérgicos e algumas vacinas. É aplicada na camada mais profunda da pele, chamada derme. Sua característica é a formação de uma bolinha (pápula na pele).

Local de aplicação: geralmente é feita na parte interna do antebraço, por ser de fácil acesso, pouco pigmentada e com poucos pelos.

Posição: geralmente sentado com o antebraço apoiado em suporte específico.

Quantidade: geralmente não ultrapassa 0,1ml. Quantidades superiores devem ser divididas em duas partes, ou mais aplicações.

• IV Endovenosa (E.V.) ou Intravenosa (I.V.): é aplicada na veia e o efeito é imediato. Deve ser aplicada lentamente para se evitar mal estar, hipotensão, formigamento e ondas de calor, fenômeno de origem nervosa que acometem pessoas ansiosas. Com este cuidado, evita-se também a elevação do volume circulatório, prejudicial aos cardíacos. A injeção é geralmente indolor e deve ser aplicada somente por pessoa realmente habilitada, podendo causar sérios problemas se for mal aplicada.

Locais de Aplicação: - Veias do Braço Somente hospitalar

- Veias do dorso da mão Somente hospitalar

- Veia do Pé Somente hospitalar

• IM Intramuscular (I.M.): é feita no músculo, parte do corpo responsável pelos movimentos, rica em vaso sangüíneos que facilitam a absorção de grande número de medicamentos. Possui também grande número de nervos que comandam a atividade muscular, sendo, por isso, muito importante que se identifique com exatidão as áreas apropriadas para a aplicação, a fim de evitar possíveis complicações. Este é o tipo de injeção mais utilizado em farmácias. As injeções intramusculares devem ser sempre profundas, isto é, aplicadas com agulhas de tamanho apropriado e com ângulo reto (90°), salvo exceções, para favorecer a absorção e não haver retorno do medicamento para a camada subcutânea. Os medicamentos mais doloridos e irritantes são aplicados por esta via.

Elaborado Data Aprovado Data Página 2 de 4

• SC Subcutânea: Feita no tecido subcutâneo, que fica entre a pele e o músculo, é usada para a aplicação de vacinas, insulinas, anticoagulantes e outros medicamentos que devam ser absorvidos lentamente. É um tipo de aplicação geralmente indolor, feito com seringas específicas e agulhas curtas, chamadas agulhas de insulina. Volume máximo recomendado é de 1,5ml.

Locais de Aplicação: parte posterior dos braços, parte anterior e lateral externa das coxas e abdome e nádegas.

3- RESPONSABILIDADES: 3.1 - É responsabilidade do farmacêutico ou profissional habilitado da drogaria

4- MÉTODOLOGIA:

• Intradérmica (I.D) – Técnica de Aplicação

1- Estique a pele e introduza a agulha em ângulo de 5 a 15° com o bisel voltado para cima. Aproximadamente da agulha é introduzido. Puxe o êmbolo levemente para trás. 2- Não refluindo sangue, injete o líquido delicadamente e observe a pele se distender, tomando o aspecto de uma bolha chamada pápula. Já que a injeção é feita de modo muito superficial (entre a derme e a epiderme). 3- Terminada a aplicação, retire cuidadosamente a agulha. Não massageie o local.

Esta injeção dispensa a anti-sepsia. A presença do álcool pode comprometer os resultados dos testes e o efeito das vacinas fabricadas com microorganismos vivos inativos. Se necessário, lave a área com água e sabão ou soro fisiológico, secando em seguida com algodão seco. 4- Descarte adequadamente as seringas e o material usado.

• Sub cutânea (SC) Técnica de Aplicação

Material necessário: algodão com álcool, seringa agulhada de vacina ou insulina.

1-: limpar o local da aplicação

Elaborado Data Aprovado Data Página 3 de 4

2- faça uma prega na pele com o dedo indicador e polegar e, em seguida, introduza profunda e rapidamente a agulha, em ângulo reto (90°) para que a absorção se faça de forma eficaz através dos capilares existentes na camada profunda do tecido. 3- Aspire, faça a aplicação e retire a agulha com auxílio do algodão. 4- Não massageie o local. Em pessoas magras, faça a aplicação com a seringa inclinada para evitar a aplicação no músculo e proceda conforme as orientações anteriores. * Para as vacinas são utilizadas seringas específicas com escalas em décimo de ml.

Material necessário para a aplicação da insulina: - Algodão com álcool

- Frasco de insulina U-100 tipo R, N ou L (trazida pelo cliente)

- Seringa de insulina de 30,50 ou 100 unidades

• Intramuscular (IM) Técnica de Aplicação

Material Necessário: Algodão com álcool a 70° Seringas com 3,5 ou 10ml Agulhas do tamanho apropriado: - Adultos magros – 25x7

- Adultos com ossos bem desenvolvidos ou obesos– 30x7 ou 30x8

- Crianças bem desenvolvidas – 25x7 ou 25x8

- Crianças e adolescentes obesos – 30x7

- Crianças muito pequenas – 20x5,5 (exceto para aplicação de suspensões de penicilina)

As agulhas com calibre 25x7 ou 30x7 são usadas para soluções aquosas. As de calibre 25x8 ou 30x8 são reservadas para soluções oleosas e para suspensões de penicilina, para facilitar a aplicação e não entupir a agulha.As penicilinas somente serão aplicadas em ambiente hospitalar

Músculos Utilizados: - Braço ou região deltoideana (volume de líquido máximo de 3ml)

- Nádega ou região dorsoglútea (volume de líquido no máximo de 5ml, se ultrapassar devem ser aplicados em dois locais diferentes) - Quadril ou região ventroglútea (volume de líquido no máximo de 5ml)

- Coxa (volume de líquido no máximo de 4ml)

Elaborado Data Aprovado Data Página 4 de 4

Técnica em Z ou trilha em Z - técnica ideal para evitar o refluxo do medicamento para a camada subcutânea, evitando o aparecimento de nódulos doloridos por reação inflamatória, principalmente no caso de aplicações feitas com soluções oleosas (como Perlutan) e à base de ferro como Noripurum, este podendo deixar manchas escuras na pele. Pode ser usada em qualquer um dos locais descritos previamente sendo, entretanto, mais utilizada na região glútea.

1- Após fazer a anti-sepsia da pele, puxe-a firmemente para o lado ou para baixo com a parte lateral da mão esquerda (se for canhoto faça com a mão oposta) 2- Introduza a agulha. Sempre mantendo a pele puxada, segure a seringa com o polegar e o dedo indicador da mão esquerda. 3- Puxe o êmbolo discretamente para trás e observe se há refluxo de sangue. Caso isso não ocorra, faça a aplicação. 4- Aguarde aproximadamente 10 segundos antes de retirar a agulha e só então solte a pele.

Outra alternativa é usar a lateral da mão ao puxar a pele para o lado ou para baixo. Nesse caso, os dedos indicador e polegar ficarão livres para segurar a seringa. Voltando a posição relaxada, a pele vedará a saída do líquido injetado para fora do músculo.

Descarte do Material Utilizado

- Após a aplicação, descarte a seringa e a agulha em coletores feitos especialmente para este fim, de paredes rígidas.

- Nunca jogue agulhas descobertas em sacos plásticos.

- A agulha também não deve ser desconectada da seringa para evitar riscos de acidente com o aplicador.

- Os protetores das agulhas não devem ser nelas recolocados.

- Descarte materiais somente até o limite recomendado no DESCARTEX.

- Para o descarte final do coletor, transporte o DESCARTEX fechado, segurando somente pela a alça e afastado do corpo.

5- HISTÓRICO DAS REVISÕES: 0 – Emissão inicial

(Parte 1 de 2)

Comentários