Condutimetria

Condutimetria

Condutimetria 

A condutometria é o método que monitora a capacidade da análise de conduzir uma corrente elétrica.

A Lei de Ohm (E = IR) estabelece que a intensidade (I) que passa por um condutor elétrico é inversamente proporcional à resistência (R), onde E representa a diferença de potencial. O inverso da resistência é a condutância (G = 1/R).

Em soluções líquidas a corrente é conduzida entre os eletrodos pelos íons dissolvidos. A condutância da solução depende do número e dos tipos de íons na solução. O tamanho dos íons são importantes porque eles determinam a velocidade com que os íons podem propagar-se através da solução. Os íons menores movem-se mais rapidamente do que os maiores. A carga é significante porque ele determina a quantidade da atração eletrostática entre o eletrodo e os íons.

A condutância específica de uma solução de um eletrólito depende dos íons presentes, variando a sua concentração. Quando se dilui a solução de um eletrólito, a condutância específica diminui, pois há menos íons por ml de solução para conduzir a corrente. Se a solução se coloca entre dois eletrodos separados e o suficientemente grandes como para conter totalmente a solução, a condutância aumenta a medida que a solução se dilui. Isto se deve principalmente a uma diminuição das ações interiônicas dos eletrólitos fortes e a um aumento na grade de dissociação dos eletrólitos fracos. Se existe 1 equivalente grama do soluto, a condutância dessa solução se denomina condutância equivalente.

Para eletrólitos fortes, a condutância equivalente aumenta à medida que a concentração diminui e se aproxima de um valor limite, denominado condutância equivalente à diluição infinita. A quantidade dessa condutância equivalente pode ser determinada por extrapolação. Já para os eletrólitos fracos, não se pode empregar o método de extrapolação, mas pode-se calcular através da condutância equivalente, a diluição infinita dos respectivos íons de acordo com a Lei de migração independente dos íons.

Como a medida condutométrica requer a presença de íons, a condutometria não é comumente utilizada para as análises de moléculas que não se dissociam. A medida da condutância é o total de da condutância de todos os íons da solução. Desde que todos os íons contribuam para a condutividade da solução, o método não é particularmente utilizado para a análise qualitativa, pois o métodos não é seletivo. As duas maiores utilizações da condutometria são para monitorar o total da condutância de uma solução e para determinar o ponto final das titulações que envolvem íons. Os medidores condutométricos são utilizados nos sistemas de purificação da água, deionizadores, para indicar a presença ou a ausência de íons livres na água.

  A Condutimetria pode ser dividida em:

  •  Condutividade eletrolítica: depende da temperatura, sendo que seu valoraumenta em mais ou menos 2% por aumento de grau de temperatura, de modo que em trabalhos de precisão, deve-se imergir as celas em um banho à temperatura constante. Qualquer temperatura é satisfatória desde que se mantenha constante durante a experiência.

  • Condutividade iônica equivalente: é uma importante propriedade dos íons que fornece informação quantitativa em relação às contribuições relativas dos íons às medidas de condutância.

Titulação condutométrica:

As curvas são traçadas através da condutância em função do volume do titulante adicionado. As curvas consistem em regiões lineares antes e depois do ponto final. As duas partes lineares são extrapoladas para seus pontos de intersecção no ponto final. Assim como em outras titulações, o ponto final do volume é usado para calcular a quantidade ou a concentração da análise que foi inicialmente apresentado.

APARELHOS  

As medidas de condutância são quase sempre feitas com corrente alternada para evitar complicações eletrolíticas. A freqüência não é crítica, geralmente seleciona-se 1000 Hz, mas a freqüência da linha é satisfatória para titulações. Lembrando-se que é essencial uma agitação eficiente.

Outra aproximação nas medidas de condutância baseia-se numa aplicação direta de um amplificador operacional, que age para manter suas duas entradas no mesmo potencial que nesse circuito deve ser 'terra'.

 

DESCRIÇÃO TÉCNICA

Os equipamentos MICROPROCESSADOS DIGIMED são oferecidos em gabinete compacto e robusto de poluoretano expandido com pintura epoxi e com painéis em policarbonato a prova de respingos, podendo ser usados em gabinetes quimicamente agressivos. Projetados segundo modernos parâmetros ergonométricos, os gabinetes proporcionam ao usuário um ângulo perfeito para leitura e facilidade nas operações. Nos portáteis, os sensores são aclopados ao equipamento para fácil transporte e trabalho no campo e ao tempo. O circuito eletrônico de última geração além de baixo consumo e maior velocidade nas leituras.Bons equipamentos Microprocessados, o menu autoexplicativo pergunta ao usuário suas preferências, permitindo que se interaja nas rotinas do programa, através de um simples Teclado bolha.

CARACTERÍSTICAS DM-3Ex

v     Condutividade / Resistividade / Salinidade / Temperatura

v     Apenas três teclas

v     Seleção de Resolução

v     Check automático do Sensor

v     Leituras Contínuas ou Congeladas

v     Memória não volátil, mesmo que desligado mantem a programação

v     Calibração Automática de todos os parâmetros

v     Comp. Temp. Automática

v     Alarme Sonoro de Max.

v     Troca de escalas em Auto-Range

v     Medições de Sólidos Totais Dissolvidos

v     Reconhece Padrão

v     Monitoração Automática da carga da bateria

v     Registro das Leituras em até 99 memórias

v     Auto-desliga quando não utilizado

v     Modelo Ex, com Eletrônica "Seguramente Intríseca" para uso em Atmosferas Explosivas

Comentários