Introdução a Engenharia Mecanica

Introdução a Engenharia Mecanica

(Parte 1 de 8)

Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba – FUMEP

Escola de Engenharia de Piracicaba – EEP

Introdução à Engenharia Mecânica

Prof. Ms. Eng. Mec. Marcos Cesar Ruy

Notas de aulas da disciplina Introdução à Engenharia Mecânica

2009

1 Introdução

1.1 Por que Introdução à Engenharia?

  • O aluno precisa ter acesso a informações que permitam encontrar-se com a profissão escolhida e imaginar-se nela.

  • Ter espaço no programa do curso no qual se possa desempenhar o importante papel da recepção ao aluno, e os conseqüentes aconselhamentos, encaminhamentos, orientações e preparações ao estudo.

  • Integrar o aluno ao curso, na medida em que se pode mostrar quais são as suas disciplinas e componentes, qual a área de atuação do profissional de engenharia, a sua postura diante da sociedade, etc.

  • Estimular a criatividade do aluno e faze-lo participar do aprendizado.

  • Introdução à Engenharia deve ter uma abordagem geral, passando pela história da engenharia, abordar sobre ferramentas como modelos, simulação, criatividade, morfologia, aplicação de projetos, palestras de especialistas, visitas a indústria e laboratórios, seminários, projetos, pesquisa bibliográfica, confecção de relatórios, estudos de casos.

1.2 Objetivos da disciplina:

  • dar ao aluno uma visão da habilitação engenharia mecânica e das Associações e Conselhos que a orientam e fiscalizam o exercício profissional, apresentar os campos de atuação da engenharia mecânica, apresentar a estrutura e o funcionamento da Instituição;

  • situar historicamente a engenharia mecânica no Brasil e no mundo, enfatizando o papel social do profissional, as áreas de atuação e as atribuições profissionais;

  • introduzir a prática do ensino/aprendizagem como processo, no qual o aluno tenha participação ativa;

  • procurar integrar os conhecimentos desenvolvidos nas outras disciplinas, desenvolver a prática do estudo e do trabalho em grupo, procurar aprimorar a capacidade de comunicação dos discentes;

  • conhecer os procedimentos metodológicos para a elaboração de trabalhos acadêmicos.

1.3 Ementa da disciplina.

Introdução: chegando ao terceiro grau; objetivos gerais da Instituição e da habilitação Engenharia Mecânica e suas ênfases; considerações sobre estudos e aprendizagem e sobre métodos e estratégias de estudo, pesquisa e desenvolvimento tecnológicos. Engenharia e comunicação. Projeto: projeto como atividade de síntese; fases do projeto; abordagem dos problemas de engenharia. Modelos, simulação e otimização. Criativiade. História e desenvolvimento da engenharia e da engenharia mecânica.

1.4 Chegando ao Terceiro Grau.

Alerta ao estudante:

  • a qualidade de um curso não depende somente dos professores, laboratórios, equipamentos, bibliotecas, etc, depende também dos alunos que nele ingressam e do interesse destes pelo aprendizado.

A nova fase:

  • vida comunitária;

  • conhecer a Fundação Municipal de Ensino, a Escola de Engenharia, o Curso e as instalações;

  • participação ativa na vida da Instituição.

Por que estudar?

  • Necessidade de aprendizado contínuo.

  • Conhecer novas técnicas.

  • Evolução tecnológica.

Fontes:

  • livros;

  • jornais;

  • catálogos;

  • internet.

1.5 Considerações sobre o método de aprendizado.

Necessidade de conciliação da vida social com os estudos. É importante que o aluno tenha uma vida social normal; o lazer e o descanso são fundamentais para o bom aprendizado.

Ao se passar para um curso superior, deixa-se de ser aluno - assim entendido aquele que é ensinado - passou a ser estudante - que aprende e estuda porque quer, com motivação e orientação.

Estudar não é apenas captar um assunto, mas principalmente organiza-lo na mente.

Estudar é uma faculdade particular do ser humano, aprender é uma característica dos seres vivos.

O aluno deve viabilizar as condições de estudo a partir de uma programação detalhada de horários.

Quadro de Horários: É importante que o aluno racionalize seu tempo; para isso a confecção de um quadro de horários realístico (que possa ser seguido) é desejável. O horário deve contemplar, além do período de aulas e trabalho (se houver), tempo de estudo extra-classe para cada disciplina – é fundamental uma revisão semanal dos assuntos vistos em aula. Um horário não pode ser rígido e inflexível devendo ser adaptado de acordo com as necessidades.

Estudo extra-classe

Preparação.

Escolha do ambiente de estudo.

Hábito de estudar no mesmo local e horário.

Perseverança para com os estudos.

Entender que as disciplinas a serem estudas dentro do curso possuem papel definido na formação do profissional, e não estão colocadas por simples capricho.

Fases do Estudo

Captação.

Num processo de ensino aprendizagem ocorre:

  • audição: A partir da apresentação do professor, de um debate ou de uma palestra;

  • leitura: Conhecimentos obtidos a partir da leitura;

  • observação: A partir da participação de experiências.

Captação do assunto em sala de aula, pontos a serem considerados:

  • O que já sei sobre o assunto?

  • Qual a ligação deste tópico com outros?

  • Qual o significado físico desta fórmula matemática?

Captação extra-classe

Captação pela leitura:

  • revisão imediata após as aulas ou leitura;

  • elaboração de resumo da matéria estudada;

  • extração de idéias principais do texto.

É na fase de processamento das informações que se deve procura interligar todos os assuntos vistos num texto, numa disciplina e também nas demais disciplinas, para garantir uma boa visão de conjunto e um encadeamento lógico.

Uma disciplina é parte de uma estratégia de aprendizado.

Outras recomendações:

Participar das aulas práticas (quando houver) com extrema dedicação, já que elas auxiliam a fixação dos conhecimentos e desenvolver a sensibilidade na avaliação dos instrumentos de engenharia, além da capacidade criativa.

Utilizar sempre que possível os recursos de informática para agilizar as informações e facilitar o armazenamento das mesmas.

É fundamental que o aluno tenha conhecimentos de Línguas estrangeiras, principalmente Inglês e Espanhol.

É importante que o aluno tenha bom relacionamento pessoal, tanto em família como em sociedade. O aluno deve aprender a trabalhar em grupo.

Finalizando: a obediência de um método de trabalho e ao princípio da organização de atividades intelectuais facilita a aprendizagem, economiza tempo e possibilita um melhor desempenho na execução de qualquer tipo de atividade.

2 Conhecendo a Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba (FUMEP).

Manual de Informações

É indispensável que o aluno tenha sempre em mãos o seu Manual de Informações pois o mesmo é importante na vida acadêmica do aluno.

2.1 Administração superior da FUMEP.

A administração superior da FUMEP é exercida pelos seguintes órgãos:

  • Conselho de Curadores;

  • Diretoria Executiva.

O Conselho de Curadores, órgão supremo da FUMEP, é constituído por 12 (doze) membros representantes da comunidade acadêmica (alunos, funcionários e professores) e da comunidade em geral (Câmara de Vereadores, Prefeitura, Associações e Universidades).

A Diretoria Executiva é o órgão executivo da Administração da FUMEP.

2.2 Unidades de Ensino:

  • PROEP – Cursos de Qualificação Profissional;

  • Colégio Técnico de Piracicaba (COTIP) – Ensino Médio e Técnico;

  • Unidade de Ensino Superior – Escola de Engenharia de Piracicaba (EEP).

Administração da EEP.

A administração da EEP é exercida pelos seguintes órgãos:

  • Congregação;

  • Diretoria Acadêmica;

  • Conselho Acadêmico;

  • Conselhos de Cursos.

Órgãos de apoio:

  • Secretaria Acadêmica;

  • Biblioteca.

  • Laboratórios.

3 Pesquisa e Tecnologia

(Parte 1 de 8)

Comentários