Manutenção e Configuração de Computadores (SENAC-RS)

Manutenção e Configuração de Computadores (SENAC-RS)

(Parte 1 de 9)

senac

MANUTENÇÃO e CONFIGURAÇÃO deCOMPUT

MANUTENÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE COMPUTADORESSENAC-RS Sumário

Apresentação10
Objetivos do Curso:10
Metodologia & Avaliação1
Um Breve Histórico do PC12
Introdução13
Por que os Computadores dão tantos Problemas?13
E a Manutenção?14
Não se deixe iludir14
Princípios Básicos para o Bom Profissional15
As Ferramentas16
Eletricidade Básica18
Tensão18
Corrente18
Potência18
Tomadas18
Baterias (Pilhas)18
Fontes de Alimentação19
Aterramento20
Cuidados Básicos com o Computador21
Dicas iniciais21
Especificações Ambientais Aconselhadas2
Prevenção eletrostática2
Algumas regras fundamentais de prevenção contra a estática24
Os Padrões AT e ATX25
Conectores para o painel frontal dos gabinetes AT e ATX28
Botões Liga / desliga em gabinetes AT e ATX29
Medições Elétricas30
A utilização do Multímetro30
Jumper e DIP Switch32
Configuração por Jumper32
Configuração por DIP Switch32
Display Digital3
Funcionamento do Computador e Inter-relação do Hardware34
Arquitetura de um PC Moderno34
A Linguagem Binária e o Sistema Digital36
Palavras Binárias e o Byte37
Transmissão de Dados Paralela37
Unidades de Quantidade de Informação e seus Múltilplos38
Base Hexadecimal39
Clock40
Uma Questão de Desempenho40
Taxa de Transferência41
Problemas com a Transmissão Paralela e Correção de Erros41
Memórias42
Memória Cache ou SRAM (Static Random Access Memory)43
Memória DRAM (Dynamic Random Access Memory)43
Memória Convencional46
Memória Superior (UMB)46
Memória Alta (HMA)46
Memória Estendida46
Memória Expandida46
Organização da Memória RAM no MS-DOS e Windows 9x46
Memória ROM (Read Only Memory)47
Memória Intermediária ou Buffer47
Componentes de Hardware do Setup48
A Senha do Setup49
Atualização de BIOS50
Microprocessador52
Conjunto de Instruções, Arquiteturas e Encapsulamentos53
Processadores de Primeira Geração54
808654
8088 e PC XT54
Processadores de Segunda Geração5
286 e o Padrão AT5
Processadores de Terceira Geração56
386DX56
386SX56
Processadores de Quarta Geração57
486DX57
486SX57
486SX257
486DX257
486DX458
Os Famigerados Cx486DLC e Cx486SLC59
AMD 5x8659
Cyrix 5x8660
Processadores de Quinta Geração60
Pentium60
O que é Overdrive?61
Pentium MMX61
AMD-K562
AMD K663
K6-2 3D Now!63
Processadores de Sexta Geração64
Pentium Pro64
Pentium I64
A Falsificação dos Processadores Pentium e Pentium I65

MANUTENÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE COMPUTADORESSENAC-RS Celeron ...................................................................................................................................6

Pentium I e II Xeon6
Pentium I67
K6-I68
Processadores de Sétima Geração68
Athlon e Duron68
Pentium 470
Conclusão: A Necessidade de Manter-se Atualizado70
Barramentos e Slots72
Barramento local e barramento da memória72
Barramento ISA72
Barramento EISA e barramento MCA73
Barramento VLB73
Barramento PCI74
Barramento AGP74
Os slots AMR e CNR75
Dispositivos Plug and Play, De Legado (Legacy) e os Drivers75
Portas76
Porta Serial76
Porta Paralela7
Portas USB78
Portas FireWire (IEEE 1394)79
Placas de Expansão79
Placa de Som80
Modem82
Placa de Rede83
Placa de Vídeo84
Dispositivos On-board87
Monitores SVGA8
Tamanho e Tipo de Tela8
Dot Pitch90
Freqüência Horizontal90
PCMCIA92
Chipset93
Placa-mãe94
Configuração da Placa-Mãe96
Clock interno e Overclock97
Disco Rígido101
Como Funciona o Disco Rígido101
Tipos de interface de disco101
Os tipos de cabos de ligação103
Etapas para instalação e configuração das unidades IDE103
PARTE 1: Configuração do Disco Rígido, Unidade de CD e ZIP103
PARTE 2: Colocação dos cabos e Fixação no Gabinete104
Setores, Trilhas, Cilindros e Cabeças: a Geometria do Disco Rígido104
Clusters e FAT105
Limites de Capacidade dos Discos Rígidos106
PARTE 3: Configuração das unidades através do Setup107

MANUTENÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE COMPUTADORESSENAC-RS PARTE 4: Particionando o Disco Rígido ...................................................................................107

PARTE 5: A preparação do disco rígido para gravação de dados109
Formatação de alto nível109
Instalação do Sistema Operacional110
Hardware112
Gerenciador de Dispositivos113
As interrupções114
Canais de DMA116
Endereços de Entrada e Saída (Endereços de E/S)117
IDE Bus Mastering119

A Transferência de Dados pelo Barramento e os Conflitos de

Periféricos121
Etapa de hardware121
Etapa de Software122
Detecção automática de dispositivos PnP124
Detecção de dispositivos que não são PnP124
Instalação manual de um dispositivo não PnP125
Configuração do Setup127
O Registro do Windows132
Fazendo um backup do Registro133
Utilitários Úteis138
Antivírus138
Softwares para Correção de Erros no Disco138
Softwares para Limpeza de Disco139
Softwares para Correção e Limpeza do Registro139
Softwares para Desfragmentação de Disco Rígido140
Sofwtares para Diagnóstico de Hardware140
Troubleshooting141
MANUTENÇÃO PREVENTIVA141
MANUTENÇÃO CORRETIVA143
Guia de Problemas Mais Comuns145
PROBLEMAS NO BOOT146
O PC não liga146
dade do HD147
As condições são as mesmas que as anteriores, mas não ocorrem beeps147
O sistema trava durante a inicialização do BIOS sem motivo aparente148
Surge uma mensagem de erro durante a inicialização148
Após a mensagem Updating ESCD o sistema trava149
O HD que deveria ser utilizado para o boot não o está sendo150
A máquina inicializa consecutivas vezes sem parar151
PROBLEMAS COM DISCOS RÍGIDOS152
O HD ameaça acelerar e em seguida pára152
choques entre objetos metálicos ou “clicks”152
O HD não está sendo detectado pelo BIOS152
Sabe-se que o HD funciona e é detectado, mas parece haver um problema com a controladora153

Configuração e Instalação de Placas de Expansão e Equipamentos O HD acelera, o led de power está aceso, ocorrem alguns beeps e não há imagem, nem ativi- O led da controladoraIDE fica permanentemente aceso e o sistema trava durante a inicialização...150 O sistema operacional começa a inicializar, mas o PC trava em dado ponto e sem mensagens..151 É possível escutar um barulho anormal no HD quando ele está ocioso, similar a pequenos Quando o sistema operacional inicializa há uma mensagem dizendo que o modo de compatibilidade está sendo utilizado no HD..........................................................................................153

particionando o disco153

Não preciso mais utilizar o Dynamic Drive Overlay da Ontrack e não consigo eliminá-lo nem

por um dispositivo154
Não é possível formatar o HD - ocorre um erro fatal na trilha zero154
O HD parou de funcionar e há dados importantes nele154
detectado apenas)154
PROBLEMAS COM PLACAS DE VÍDEO155
A imagem do monitor não pára. No modo de segurança isto não ocorre155
Suspeita-se que o driver da placa de vídeo esteja errado. Como pode-se trocá-lo?155
cor, apenas 32 bits. Isto é normal?156

Não é mais possível inicializar por um HD, mas seus dados continuam acessíveis após o boot O HD foi instalado numa máquina nova ou diferente e não pode mais ser acessado (está sendo Na janela de alteração de configuração da placa de vídeo, não é possível selecionar 24 bits de

O que fazer para que possa-se acessar tal resolução?157

A resolução de 1280x1024 é suportada pela placa de vídeo, mas a opção não está disponível.

e parecem estar embaralhadas. Outros controles também apresentam este problema157
PROBLEMAS COM DRIVES DE DISQUETE DE 3 ½158
led não acende158

Passou-se do Windows 95 para o 98 e percebeu-se que as dicas dos controles não são mais legíveis O disk drive não é detectado pelo sistema operacional. Não há sinal de rotação do motor e o

fica operando constantemente158
Não é possível ler ou escrever dados nos disquetes e o acionador parece estar tentando158
PROBLEMAS COM DRIVES DE CD-ROM158
O CD-ROM não funciona158
O CD-ROM funciona sob o Windows mas não sob o DOS159
O CD-ROM IDE é detectado pelo BIOS mas não pelo Windows159
após certa insistência e espera159

O led do drive fica permanentemente aceso e pode-se notar que o motor de rotação também Com um CD-ROM na unidade, recebe-se a mensagem “dispositivo não está pronto”, mesmo

caixas da placa de som que está funcionando160
PROBLEMAS COM O BIOS160
Não consegue-se entrar no Setup160
O relógio do sistema atrasa (ou adianta) sem motivo aparente160
Realizou-se uma atualização do BIOS e agora o PC não inicializa mais160
O BIOS informa constantemente que a configuração foi perdida161
Windows 95/98 continua a detectá-lo161
Um dos canais IDE foi desligado pelo Setup, mas o Windows 95/98 continua a detectá-lo161
O sistema não está expressando o clock correto do processador161
O nome do processador reportado não corresponde ao suposto processador do PC162
A quantidade de memória reportada pelo BIOS não é esperada162
A memória cache exibida pelo BIOS não corresponde à do sistema162
PROBLEMAS COM A MEMÓRIA162
Um módulo de memória não está sendo detectado162
Não consegue-se utilizar todos os slots para memórias ao mesmo tempo163
Mesmo retirando-se o módulo, o problema persiste163
PROBLEMAS COM PLACAS DE SOM163
Os drivers estão instalados, mas não há sons163
Possuo uma Soundblaster PCI e não consigo utilizar a placa em jogos para DOS164
PROBLEMAS COM MODENS164
O MODEM não responde aos comandos de inicialização164

Consegue-se ouvir música do CD pelos headphones conectados ao dispositivo mas não nas Apesar de um HD ter sido suspenso (seu registro foi banido propositalmente) do Setup, o Após instalar um novo módulo, o PC não consegue mais inicializar o sistema operacional. O MODEM não disca ................................................................................................................165

O MODEM disca mas não conecta165
O MODEM se conecta mas não há fluxo de dados165
O MODEM apresenta erros durante a comunicação166
O MODEM se desconecta de repente166
PROBLEMAS COM FONTES ATX166
O sistema simplesmente não liga166
no (filtro de linha, estabilizador)166

MANUTENÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE COMPUTADORESSENAC-RS Não consegue-se desligar o PC a não ser pela chave da fonte ATX ou de um dispositivo exter-

às vezes inicia com o Scandisk167
PROBLEMAS COM IMPRESSORAS167
OUTROS SINTOMAS167
O PC está muito instável - travamentos são constantes167
Há dezenas de mensagens GPF (General Protection Fault) num dia de trabalho168
Arquivos estão desaparecendo inexplicavelmente168
minutos de uso169
MAIS ALGUMAS PERGUNTAS E DICAS169
Como desativar programas que são carregados ao iniciar o Windows 98?169
Como desinstalar programas que tiveram problemas através do seu desinstalador ?169
instalação do antivírus?169
Como reinstalar o Windows 95 ou 98 sem precisar formatar o disco rígido?170
do sistema operacional e os programas que nele existem?170

Sempre desligo o Windows 95/98 pela função de desligamento do botão iniciar mas o sistema A impressora está imprimindo caracteres estranhos, e que nada têm a ver com o desejado..167 Logo ao ligar o PC, é possível ouvir um barulho enorme que desaparece depois de alguns Como destravar à máquina quando não consegue carregar o sistema operacional depois da Como fazer cópia idêntica de disco menor para um igual ou maior, sem alterar o funcionamento

K6II operando com clock externo de 66MHz?171
Qual o limite máximo de superaquecimento que os Atlhon agüentam?171
ASUS P2B, posso fazer um overclock?171
CDs Piratas podem danificar a unidade de CD-ROM ?171
CÓDIGOS DE ERROS NO WINDOWS 9X172
Erros de Exceção Fatal (Fatal Exception Error – FEE)172
Falhas de Proteção Geral (General Protection Fault - GPF)177
Redução de Problemas178
Sites Úteis para Manutenção180
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS181
Livros e Publicações Recomendados182
LIVROS e FASCÍCULOS182
PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS182

Posso instalar memória de PC-100 ou PC-133 em placas-mães do tipo Pentium, Pentium I e Se possuir, por exemplo, um Pentium I-400 modelo In-a-Box, instalado em uma placa-mãe Exercícios .............................................................................................. 183

MANUTENÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE COMPUTADORESSENAC-RS Apresentação

OCurso de Manutenção e Configuração de Computadores do SENAC visa a instrumentalizar o usuário a melhor compreender o funcionamento dos microcomputadores padrão PC, utilizando sistema operacional Microsoft Windows. Através de forte embasamento teórico, ilustrado com amostras reais e exercícios, procurará estimular o desenvolvimento autônomo, conforme os objetivos abaixo especificados:

Posicionar-se frente às mudanças no mundo do trabalho e quanto às perspectivas de vida profissional, reconhecendo técnicas de negociação para o trabalho em equipe, fundamentado em padrões éticos e na comunicação interpessoal efetiva;

Reconhecer e preservar os recursos naturais renováveis e não renováveis como fontes de energia para o planeta, estabelecendo relações entre ética, cidadania e as questões ambientais;

Colaborar na construção do raciocínio lógico e conseqüente compreensão, necessários ao desenvolvimento das aptidões indispensáveis ao exercício da manutenção de hardware e software, seja para uso pessoal/doméstico/profissional, procurando estimular um pensar livre, ético e responsável;

Possibilitar o reconhecimento dos mais diversos itens de hardware, como processadores, memórias, placas mãe, placas de expansão, periféricos, entre outros, desenvolvendo noções de instalação e configuração desses equipamentos, bem como noções de montagem de microcomputadores padrão PC;

Desenvolver a compreensão do funcionamento e inter-relação dos componentes de hardware, de modo a propiciar a detecção e resolução de problemas comuns em microcomputadores padrão PC utilizando sistema operacional padrão Microsoft Windows.

Tendo em vista sua missão institucional de desenvolver pessoas e organizações, bem como seu compromisso com a qualidade da educação, o SENAC programou este curso para responder às necessidades educacionais decorrentes das novas formas de organização e gestão, buscando acompanhar as mudanças estruturais no mundo do trabalho, o emprego de novas tecnologias e a crescente internacionalização das relações econômicas. Orientando-se pelos princípios e valores da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, planeja adequarse aos novos paradigmas que vêm transformando a sociedade e a organização do trabalho, de modo a facilitar o acesso do participante às conquistas científicas e tecnológicas de uma sociedade globalizada.

As aulas são prático-expositivas, através da realização de demonstrações, explicações e exercícios, desenvolvendo uma dinâmica de troca/diálogo entre educador/educando em um processo interativo. O desenvolvimento do curso deve proporcionar participação ativa e condições para que o aluno aprenda a aprender, tendo no processo de ensino-aprendizagem avaliação contínua e sistemática, voltada para a consecução de um processo de aprendizagem com autonomia. Para tanto, o educando terá pleno conhecimento dos critérios e procedimentos de avaliação adotados no curso e das normas regimentais sobre avaliação, freqüência e promoção.

TODOS OS EXERCÍCIOS DEVEM SER REALIZADOS PARA QUE O ALUNO ATINJA OS OBJETIVOS SUGERIDOS E APROPRIE AS COMPETÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA A CERTIFICAÇÃO. Exercícios não realizados ou incompletos poderão ser recuperados dentro do prazo estabelecido para o curso, em acordo entre instrutor e alunos.

A freqüência mínima de presenças é de 75% da carga horária total, anulando definitivamente a possibilidade de certificação em caso de não cumprimento desta tolerância. As presenças são registradas a cada hora-aula, sendo válidas apenas quando o aluno aproveita pelo menos 75% da hora-aula dada. É EXTREMAMENTE RECOMENDÁVEL NÃO FALTAR ÀS AULAS, em especial os alunos que não trazem um conhecimento sólido na área de informática. O curso é bastante trabalhoso e disponibiliza uma grande quantidade de conhecimentos interdependentes aos interessados - a ausência do educando pode interferir drasticamente no aprendizado, comprometendo toda a metodologia sugerida e provocando acúmulo de exercícios não realizados, o que inviabiliza uma possível recuperação.

As fichas de acompanhamento individual estarão à disposição ao longo de todo o curso e compreenderão o histórico de aproveitamento no processo de avaliação, realizado sempre conjuntamente pelo instrutor e o aluno.

Como o processo de avaliação é praticamente qualitativo e não quantitativo (NÃO HÁ NOTAS!), é muito importante que o aluno compreenda a responsabilidade e a disciplina necessárias à plena eficiência da sua avaliação, adotando uma postura sincera e transparente quanto ao seu desempenho e buscando sempre refletir e relatar com honestidade as suas dificuldades frente aos conteúdos desenvolvidos, em um processo de auto-avaliação constante.

Toda a metodologia e o sistema de avaliação são abertos a sugestões por parte dos alunos, que serão sempre bem-vindas.

MANUTENÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE COMPUTADORESSENAC-RS Um Breve Histórico do PC

Ainvenção do microcomputador foi uma daquelas invenções que aconteceram quase por acaso. A empresa Xerox, no início da década de 70, estava com receio de que, no futuro, com a automação dos escritórios, as suas máquinas reprográficas não tivessem mais utilidade e reuniu alguns cientistas no seu laboratório PARC (Palo Alto Research Center), em Palo Alto, nos Estados Unidos. Lá desenvolveu quatro coisas bem interessantes para a época: um protótipo do microcomputador, um ambiente de rede, o e-mail e um ambiente gráfico (antecessor do Windows). Mas a sua direção não se sentiu atraída pelo projeto, pois cada máquina custava mais de US$ 10.0 (dez mil dólares), o que inviabilizava a sua comercialização. Algum tempo depois, o projeto foi apresentado a Steve Jobs, manager da Apple Computers. Entre tudo que ele viu, o que mais o maravilhou foi a interface gráfica e o mouse, e, através de uma autorização da Xerox para utilizar esses recursos, conduziu o projeto do Macintosh, estabelecendo um padrão proprietário, ou seja, que ninguém podia copiar.

A IBM, no inicio da década de 80, era líder absoluta no mercado mundial de computadores do tipo mainframe, do qual detinha um mercado de quase 80%. Percebendo o potencial latente do mercado de computadores pessoais, a sua direção decidiu que iria desenvolver um microcomputador. Este projeto acabou introduzindo algo que iria mudar completamente o mercado de informática – o padrão aberto. Em outras palavras, o padrão estabelecido pela IBM poderia ser copiado por outras empresas. Para essa missão, contratou-se a Intel para desenvolver o microprocessador da máquina, e a Microsoft para desenvolver o Sistema Operacional. A aceitação do mercado foi imediata, e então aconteceu o que a IBM não previa - o rápido crescimento da capacidade do processador e o lançamento da interface gráfica em 1986, que possibilitou muitas empresas a substituírem seus mainframes pelo novo padrão. A facilidade de operação e a possibilidade de se criar uma rede local de baixo custo tornava o PC uma boa solução para uma significativa parcela do mercado até então dominado pela Big Blue. A IBM começou a acumular muitos prejuízos, e a sua despretenciosa invenção caiu como uma bomba dentro da corporação - no início da década de 90, a empresa chegou a demitir 25 mil funcionários e resolveu mudar sua estratégia, voltandose com mais ênfase para o mercado dos computadores pessoais.

Hoje, graças a esta iluminada invenção da IBM, e ao padrão aberto, é possível a pequenas empresas e usuários domésticos adquirirem um microcomputador. A cada ano que passa, estas máquinas oferecem cada vez mais capacidade a custos cada vez menores. De 1980 para cá, muita coisa mudou e muitas inovações surgiram. O padrão PC aprimora-se a cada ano que passa, evoluindo tanto em hardware quanto em software. Este curso de manutenção busca ajudar a compreender melhor este consagrado padrão, bem como a sua evolução tecnológica, auxiliando para melhor configurar e instalar componentes de hardware e software, bem como garantir o melhor funcionamento destas máquinas.

Introdução Por que os Computadores dão tantos Problemas?

Todos que lidam na manutenção e instalação de computadores escutam com freqüência os seus clientes perguntarem por que os computadores dão tanto problema. A resposta, entretanto, não é simples. Em primeiro lugar, deve-se ter sempre em conta que o desenvolvimento dos computadores depende do trabalho coordenado de muitas equipes de técnicos altamente qualificados - entrelaçar e sincronizar estes esforços esparsos, de forma a garantir a compatibilidade necessária ao funcionamento dos diversos componentes de hardware e software, o que é uma tarefa extremamente árdua. Lembre-se, também, de que computadores são máquinas complexas que realizam sozinhas dezenas de tarefas distintas. Por isso, tendem a ter muito mais problemas que qualquer outro aparelho que você tem em sua casa, normalmente realizando apenas uma tarefa específica. E, quando falamos de computadores PC utilizando algum sistema operacional da Microsoft baseado no MS-DOS, a questão torna-se ainda mais delicada - como você já deve saber, é justamente este o padrão que domina o mercado dos computadores pessoais nos dias de hoje.

Como você já deve saber, é função do sistema operacional executar tarefas básicas do micro, como, por exemplo, exibir aquilo que você vê na tela ou imprimir um documento. Por isso, em geral, os programas são escritos para o sistema operacional, ficando a cargo deste praticamente todo o controle do hardware. Nessa situação ideal, quando algum programa resolvesse fazer um pedido “estranho”, o sistema operacional ignoraria tal pedido (pois não o consideraria válido) e terminaria a execução do programa, informando o que ocorreu ao usuário. Isso acontece sobretudo em sistemas operacionais para gerenciamento de rede local, como o Netware, o Windows NT, 2000 e XP, e o Unix (e suas diversas versões, como o Linux, por exemplo). Sistemas como o OS/2, Apple System e Mac/OS também atingem essas condições.

Entretanto, o MS-DOS não trabalha dessa forma. Na época em que foi criado, os PCs tinham pouca memória e, como o sistema operacional fica residente na memória do computador, a solução foi fazer o sistema o mais enxuto possível. Assim, o MS-DOS permite aos programas acessarem diretamente o hardware do micro para executarem tarefas não providas pelo sistema. Acontece que, quando um programa faz um acesso errado diretamente no hardware do microcomputador, isso inevitavelmente será refletido no processador, fazendo com que ele pare ou realize operações malucas. É o famoso pau, que tanto presenciamos e ouvimos falar nos dias de hoje - o computador congela, trava ou exibe a famigerada tela azul. Por esse motivo, o DOS não pode ser considerado um sistema estável, nem seguro. O mesmo pode ser dito de todos os sistemas baseados nele, tais como, o Windows 3.x, Windows 9x e Windows Me.

Baseando-se nessas observações, parta do pressuposto que a maioria dos PCs de hoje já são problemáticos por si só. Garantir a eficácia desses computadores é, no mínimo, uma tarefa bastante complicada, visto que, por melhor configurados que estejam, é muito difícil garantir um funcionamento totalmente livre de problemas. Um PC “redondo”, como se diz no jargão da área, é aquele que funciona o melhor (EFICIÊNCIA) e mais rapidamente possível (DESEMPENHO) frente às características e limitações peculiares ao hardware e software instalados na máquina.

Atualmente, a operação dos computadores está bem mais simplificada, se comparada a de algumas décadas atrás. É comum vermos crianças que mal sabem escrever utilizando o micro para jogar ou navegar na Internet. Aliás, o próprio surgimento da Internet revolucionou todas as áreas da atividade humana. Hoje, a grande rede está direta ou indiretamente integrada à vida de todos nós.

Entretanto, essa aparente simplicidade esconde uma infinidade de conhecimentos técnicos embutidos por dentro do gabinete e seus componentes. Volta e meia, essa complexidade vem à tona, na forma de um modem que não conecta, um computador que trava, ou uma impressora que se recusa a imprimir.

Os motivos para esses problemas são os mais diversos: peças defeituosas, superaquecimentos, programas mal instalados ou defeituosos, vírus ou, simplesmente, desgaste, fruto de anos de funcionamento contínuo. Muitos reclamam quando o computador manifesta problemas, esquecendo que, durante anos, aquela máquina lhe prestou bons serviços.

E a Manutenção?

Não se deixe iludir...

Muitas vezes, quando nos aproximamos de pessoas que estão discutindo sobre computadores, é comum escutarmos afirmações equivocadas. Quem de nós não tem algum conhecido “entendido” do assunto? Um dos enganos mais comuns de serem cometidos, principalmente por parte dos usuários leigos, é associar o desempenho de um computador ao processador que ele usa. Conhecer e compreender os demais componentes do micro, principalmente placa-mãe, memória, disco rígido e placa de vídeo, é tão importante quanto saber o tipo de processador que a máquina usa, já que a velocidade e a qualidade geral da máquina serão dados não pelo processador, mas, sim, pelo conjunto de componentes do equipamento. Esse mesmo engano muitas vezes está associado ao chamado CLOCK da máquina. A freqüência em que opera o processador não é necessariamente sinônimo de bom desempenho, embora seja um dos fatores determinantes.

Discernir todas estas características é de fundamental importância para um técnico em informática.

Desde a escolha do sistema operacional a ser utilizado, até o reconhecimento das limitações de uma determinada máquina, passam pelo aprofundamento destas questões que, como vimos, estão diretamente relacionadas aos anseios de quem possui um microcomputador: DESEMPENHO e

EFICIÊNCIA. Ao longo deste curso, exploraremos essas e várias outras idéias, a relação entre os diversos componentes e vários conceitos importantes sobre hardware e software. A proposta é que, ao final, você esteja capacitado a prosseguir a jornada com um bom embasamento, para definitivamente adentrar-se neste fascinante universo em que o aprendizado nunca tem fim.

Princípios Básicos para o Bom Profissional

Um profissional da área de manutenção deve ter sempre em mente algumas fases bem distintas, que devem nortear o seu trabalho. Em primeiro lugar, é preciso ressaltar a importância da relação com o cliente. É muito importante estabelecer uma relação de confiança, e isso só é possível com clareza, transparência e domínio do assunto em questão.Um cliente bem atendido vai indicar seus serviços para um ou dois conhecidos, porém um outro, mal atendido, vai falar mal do técnico para todos os que lhe derem oportunidade. A ética é uma característica fundamental para quem pretende trabalhar com manutenção de computadores. Assim, é importante, desde o início, atender alguns preceitos básicos, que servem não só para a manutenção de computadores, mas também à manutenção de quaisquer equipamentos elétricos e eletrônicos.

(Parte 1 de 9)

Comentários