Noções de Aerofotogrametria - CEFET-SC - Curso Técnico de Geomensura - Disciplina de Sensoreamento Remoto

Noções de Aerofotogrametria - CEFET-SC - Curso Técnico de Geomensura -...

(Parte 4 de 4)

As aerofotos permitem , assim , a otimização da execução do trabalho de campo e experimentam-no maior precisão.

A utilização de aerofotos em campo exige uma série de medidas e cuidados. A foto entende simultaneamente a várias finalidades e satisfazem a duas necessidades : uma de ordem espacial , permitindo localizar ou situar os objetivos num sistema de referência ; e a outra , a de definir características (quantitativas ou qualitativas ) dos objetos que aparecem nas fotos.

Entre as finalidades ou operações que se procura alcançar no campo temos:

1) localizar na foto um detalhe visto no campo; 2) localizar no campo detalhes vistos na foto; 3) estabelecer um gabarito ou canevá de apoio para cada foto com o fim de completar um mapa ou formar uma base planimétrica; 4) reconhecer caracteres ( padrão ) para mostragem levando em conta a correlação entre o aspecto fotográfico e a área do alvo.

Os problemas que aparecerem o manuseio de fotos no campo varia conforme se tenha ou não mapas, da escala das fotos e apreciação das mesmas , o tipo de emulsão e qualidade da foto.

A utilização de fotos no campo exige um suporte rígido , de estereoscópio , e uma série de acessórios condicionados pela natureza do trabalho.

Preferentemente os dados devem ser anotados sobre um calco para preservar as fotos. O transporte da foto exige cuidados: guardadas estendidas e protegidas da

CEFET-SC

Curso Técnico de Geomensura Geociências 30 intempérie ( vento , pó , chuva , etc. ) ; um bom artifício é o de usar lâmina transparente plástica rígida sobre as fotos na prancheta.

Deve-se cuidar de:

1) não danificar a gelatina da foto; 2) evitar queimaduras devidas às lentes do estereoscópio, esquecido sobre o estereopar com o sol alto; 3) evitar rasgos ao se manusear as fotos que se enrolam quando a umidade é baixa.; 4) evitar arranhaduras e esfoladas , principalmente quando o ambiente está úmido; 5) evitar queda de gotas de chuva na foto.

Delmaer A, B. Marchetti & Gilberto J. Garcia Princípio de fotogrametria e de foto interpretração – São Paulo , Nobel , 1977.

Jean Carré Lectura de las fotografias aéreas- Madri , Paraninfo , 1975.

Mauro Ricci & Setembrino Petri Princípios de fotogrametria e interpretação geológica São Paulo , Comp. Edit. Nacional , 1965.

Richard G. Ray Fotografias aéreas na interpretação e mapeamento geológicos São Paulo , IGG – Agr. SP . 1963 ( TRADUÇÃO DO USGS PROFESSIONAL PAPAER 373 – 1960 )

(Parte 4 de 4)

Comentários