Apostila Eletricidade Veícular

Apostila Eletricidade Veícular

(Parte 1 de 11)

PowerPlusWaterMarkObject4

ELETRICIDADE E ELETRÔNICA VEICULAR

ELETRICIDADE E ELETRÔNICA VEICULAR

SALVADOR

2 00 5

Copyright  2003 por SENAI CIMATEC. Todos os direitos reservados.

Área Tecnológica Automotiva

Elaboração: Enoch Dias Santos Junior; Técnico.

Revisão Técnica: Renato Jorge Santos Araújo, Técnico.

Revisão Pedagógica: Ana Cristina Luz Santos

Normalização: Maria do Carmo Oliveira Ribeiro

Catalogação na fonte (Núcleo de Informação Tecnológica – NIT)

________________________________________________________

SENAI CIMATEC – Centro Integrado de Manufatura

e Tecnologia. Eletricidade e Eletrônica Veicular. Salvador, 2005.

70p il. (Rev.00)

I. Eletricidade e Eletrônica Veicular I. Título

CDD

________________________________________________________

SENAI CIMATEC

Av. Orlando Gomes, 1845 - Piatã

Salvador – Bahia – Brasil

CEP 41650-010

Tel.: (71) 462-9500

Fax. (71) 462-9599

http://www.cimatec.fieb.org.br

MENSAGEM DO SENAI CIMATEC

O SENAI CIMATEC visa desenvolver um programa avançado de suporte tecnológico para suprir as necessidades de formação de recursos humanos qualificados, prestação de serviços especializados e promoção de pesquisa aplicada nas tecnologias computacionais integradas da manufatura.

Com uma moderna estrutura laboratorial e um corpo técnico especializado, o CIMATEC desenvolve programas de intercâmbio tecnológico com instituições de ensino e pesquisa, locais e internacionais.

Tudo isso sem desviar a atenção das necessidades da comunidade, atendendo suas expectativas de formação profissional, suporte tecnológico e desenvolvimento, contribuindo para uma constante atualização da indústria baiana de manufatura e para a alavancagem do potencial das empresas existentes ou emergentes no estado.

APRESENTAÇÃO

A eletricidade que a menos de um século era uma força misteriosa e assustadora se converteu com o avanço científico, em mais um importante instrumento de desenvolvimento tecnológico.

Tornou-se indubitavelmente um fator importantíssimo na vida social e econômica do mundo. O uso que dela faz o homem distingue o século atual de todas as épocas anteriores de sua existência na Terra.

O avanço da ciência, como da tecnologia está intimamente ligado ao uso da eletricidade nos mais variados ramos dos seus campos.

A indústria automobilística, por exemplo, usa nos seus veículos um grande número de componentes elétricos ou acessórios, os quais sofrem continuamente modificações e aperfeiçoamentos.

É, portanto de suma importância para o técnico mecânico e eletricista estar a par destas recentes transformações; estar sempre se atualizando e que conheça esses componentes, circuitos e seus princípios de funcionamento.

Com a eletrônica embarcada existentes nos veículos atuais, em componentes desde motor até acessórios mais supérfluos, o mecânico deixa de ser uma pessoa que deva ter conhecimentos apenas do ramo mecânico, passando a ter a necessidade de conhecimentos em eletro-eletrônica, com o intuito de poder compreender o funcionamento de sistemas modernos, bem como poder executar reparos.

SUMÁRIO

ELETRICIDADE E ELETRÔNICA VEICULAR 1

ELETRICIDADE E ELETRÔNICA VEICULAR 2

I – A ELETRICIDADE

1.1 - Introdução

Por se tratar de uma força invisível, o princípio básico de eletricidade é explicado na Teoria atômica.

Torna-se difícil então visualizar a natureza da força elétrica, mas é facilmente notável os seus efeitos.

A eletricidade produz resultados e efeitos perfeitamente previsíveis.

Para que possamos compreender melhor a eletricidade, observemos as seguintes definições:

1.1.1 - Matéria

É toda a substância, sólida, líquida ou gasosa que ocupa lugar no espaço.

1.1.2 - Molécula

É a menor partícula, a qual pode dividir uma matéria, sem que esta perca suas propriedades básicas.

Ex: Quando dividimos um pó de giz até o momento em que ele ainda conserve suas propriedades de pó de giz, se tornado invisível a olho nu, mas visível com microscópios, temos então uma molécula.

1.1.3 - Átomo.

São as partículas que constituem a molécula. Podemos assim afirmar que um conjunto de átomos constitui uma molécula, que determina uma parte da matéria.

É no átomo que se dá o movimento eletrônico (corrente elétrica). O átomo é composto por um núcleo e partículas que giram a seu redor, em órbitas concêntricas, muito parecidas com a configuração dos planetas em torno do sol.

O núcleo é constituído de prótons e nêutrons, convencionando-se a prótons com carga elétrica positiva (+) e nêutrons carga elétrica nula (0).

As partículas que giram ao redor do núcleo são denominadas elétrons, com carga elétrica negativa (-).

As cargas negativas dos elétrons são atraídas pelo núcleo, que tem carga positiva devido aos prótons. Essa atração compensa a força centrífuga que tende a afastar os elétrons do núcleo. Dessa forma, os elétrons mantêm o seu movimento ao redor do núcleo.

Normalmente, um átomo tem o mesmo número de prótons e elétrons e, portanto, é elétrica-mente neutro.

Podemos admitir que num átomo, na condição de equilíbrio, o número de prótons é igual ao número de elétrons. Se ele perde um elétron toma-se eletricamente positivo (íon Positivo), se ele ganha um elétron torna-se negativo (íon Negativo). A este desequilíbrio é que chamamos "carga elétrica". O conjunto dos fenômenos que envolvem estas "cargas elétricas" é que foi definido como eletricidade. A eletricidade se apresenta de duas maneiras.

1.1.4 - Eletricidade Estática - é o tipo de eletricidade que envolve cargas elétricas paradas. É gerada por atrito, pela perda de elétrons durante o friccionamento. Por exemplo, um bastão de vidro e lã de carneiro, choque ao descer de um veículo, etc.

  1. Haste de vidro.

  2. Falta de elétrons.

  3. Pano de lã.

  4. Excesso de elétrons.

Inicialmente, os átomos da haste de vidro e da haste de plástico são eletricamente neutros. Isto significa que o número de cargas negativas e de cargas positivas no núcleo do átomo é exatamente igual. Quando se esfrega a haste de vidro com o pano de ã produz-se trabalho, através do quaI se afastam elétrons da superfície da haste. Estes elétrons permanecem no pano.

(Parte 1 de 11)

Comentários