Monografia: Dinâmica de evolução de fragmentos de Mata Atlântica

Monografia: Dinâmica de evolução de fragmentos de Mata Atlântica

(Parte 1 de 5)

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes Departamento de Biologia Animal e Vegetal

Monografia de Graduação

Aluno: Leonard Schumm Orientadora: Prof. Antônia Maria Martins Ferreira

Rio de Janeiro, Outubro de 2003

Monografia de conclusão do Curso de Ciências Biológicas para a obtenção do diploma de Bacharel em Biologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Orientação:

Profa. Antônia Maria Martins Ferreira (Faculdade de Geologia / DGAP / IBGE / DERNA)

Co-Orientação:

Elizabeth dos Santos Rios (Instituto de Biologia / DBAV / Ecologia)

Monografia de conclusão do Curso de Ciências Biológicas para a obtenção do diploma de Bacharel em Biologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Banca Examinadora:

Elizabeth dos Santos Rios (UERJ/IBRAG) (Presidente)

Viviane Vidal Silva (UERJ/FGEL)

Leonardo Martins da Rocha (IBAMA/PARNASO)

Mrgareth Simões Penello Meirelles (UERJ/Geomática) (Suplente)

UERJ / IBRAG 2003

“No final, nossa sociedade será definida não somente pelo que criamos, mas pelo que recusamos destruir. A escolha é sua.”

John Sawhill (The Nature Conservancy)

Dedico esta Monografia, em primeiro lugar, a meus pais, por todos os ensinamentos que me passaram e, é claro, sem eles eu não existiria. Às minhas irmãs Ivana e Ursula por preencherem a minha vida de alegria. À minha madrinha, e tia, Juliana, por me apoiar em tudo. À Ana Carolina, por seu apoio incondicional em todas as situações e pelo consolo nas horas de desespero. À minha orientadora Tuninha pela confiança.

Agradeço à minha orientadora, Prof. Antônia Maria Martins Ferreira, pela dedicação e pela confiança depositada durante a elaboração do trabalho. À Viviane Vidal, pela grande ajuda, pois sem ela eu dificilmente concluiria este trabalho. À Elizabeth Rios, obrigado pela boa vontade. Ao pessoal do LabGis, Rodrigo e José Augusto, valeu pelas dicas e pela paciência. À todos obrigado por tudo.

A Mata Atlântica é um ecossistema considerado hotspot (MYERS, 2000) onde, mesmo após passar por diversas fases de desmatamento, continua ameaçada e submetida a uma pressão antrópica. A área de estudo está localizada na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, que originalmente era coberta por Floresta Ombrófila Densa e atualmente apresenta áreas de uso. Assim, o presente trabalho tem como objetivo compreender a dinâmica de evolução dos fragmentos de Mata Atlântica na Bacia Hidrográfica do Rio Paquequer, Município de Teresópolis, durante os anos 1956, 1976 e 1996.

Foram utilizadas as categorias de informação Hidrografia e Vegetação do

Sistema de Informação Geográfica do Projeto Teresópolis para os períodos de 1956, 1976 e 1996. Tais informações foram convertidas do software MGE para ArcView 3.2a, onde foi realizado o recorte da área da bacia para cada período. Foram contados, medidos, analisados e comparados os fragmentos inseridos na área de estudo em cada período. Para a classificação destes fragmentos foi utilizado a mesma classificação definida pela resolução No 6 do CONAMA.

Com a retração da pecuária influenciada por imposições mercadológicas, a evolução das leis ambientais e a valorização econômica das florestas pelo turismo possibilitaram a regeneração dos fragmentos. No entanto pode-se verificar ainda uma pressão aos remanescentes relacionadas à expansão da área urbana, vinculada muitas vezes a valorização do “verde”.

The Atlantic Rainforest is considered a hotspot ecosystem (MYERS, 2000) where, after pass thru diverse phases of deforestation, continues endendgered, and submitted to one antropic pression. The studing area is pertainig to the mountains region of Rio De Janeiro State, that was originally covered by Dense Ombrofila Forest and currently it presents areas of use. Thus, this research objectives to analyze the evolution dinamic of the Atlantic Rainforest fragments in the Hidrografic Basin of Paquequer River, Teresópolis County, during the years 1956, 1976 and 1996.

classification of these fragments was defined by the resolution No 6 of CONAMA

Hydrography, Vegetation and Ground Use of the Geografic Information System of Teresópolis Project had been used as information categories. Such information had been converted from MGE software to ArcView 3.2a, where was performed the clipping of the basin area for each period and made secular analisis. For the

The redution of the cattle raising influenced by mercadologic impositions, evolution of environmental laws and the forest economic valorization for tourism made possible regeneration of the forest fragments. However is still possible verify pression to the related remainders from the urban expansion, tied many times to the valorization of the “green”.

1 - INTRODUÇÃO

Historicamente, a natureza é a principal fonte de matéria-prima para o homem e, de certo modo, sempre o será. O fato é que a extração incessante dos recursos naturais pelo homem e seu incremento após a revolução industrial levaram o ser humano a penalizar-se por tal atitude. A filosofia que imperou até os anos 70, onde a natureza era infinita e sua função era servir ao interesse econômicoindustrial-mercadológico, mostrou-se insustentável, junto com boa parte das florestas do mundo inteiro.

A conseqüência desta filosofia, então dominante, foi a diminuição da biodiversidade, ecossistemas degradados e extremamente fragmentados, exaustão de solos, desertificação e poluição de rios e mares, enfim, a perda das características físicas e naturais das mais diversas partes do planeta. Tais fatos afetaram diretamente o homem levando à queda da qualidade de vida e à diminuição dos recursos.

A partir da década de 70 a economia encontra-se questionada sobre seus valores e critérios e seus efeitos civilizatórios criados pela modernidade. É a crise da modernidade, ou crise ambiental, onde os modelos de extração incessante dos recursos naturais, baseados em sua inesgotabilidade e na urbanização como indicadora de progresso, deixam atrás de si e em si a degradação do ambiente e dos recursos naturais, principalmente em países periféricos, cuja economia era baseada na extração destes recursos.

O fato de reconhecer a insustentabilidade progressiva da vida levou nas duas últimas décadas do século ΧΧ ao surgimento de uma nova forma de pensar, a formação de uma nova ética, mais justa e responsável e a necessidade de preservação dos ecossistemas, que ainda existem, para a conservação dos recursos naturais, diversidade genética e a própria sobrevivência do homem.

Nesse contexto, a expressão “desenvolvimento sustentável” vem ganhando defensores desde sua criação no Relatório de Brundtland (1987) e consiste na idéia de que o “desenvolvimento deve satisfazer às necessidades do presente sem colocar em risco as necessidades das gerações futuras” onde a sustentabilidade ecológica, econômica e social devem estar situadas juntas.

Essa nova consciência que emerge é acompanhada pela evolução da política ambiental (Quadro 1) que continua em constante processo de transformação, onde a nova ótica de desenvolvimento atrelado ao ambiental resultou em diversas leis ambientais de proteção.

1972 Estocolmo-72 CNUMAD - 92

Saneamento Poluição da Água Proteção dos

Oceanos / Águas

Doces

Incômodos Poluição do Ar Mudanças Climáticas

Resíduos Domésticos

Resíduos Industriais Resíduos Tóxicos e Nucleares

Espécies em Extinção Amostras de

Ecossistemas Biodiversidade e Florestas

Crescimento Ecodesenvolvimento Desenvolvimento Sustentável

Exploração dos Recursos Naturais

Extinção dos recursosRedução de

Consumo / Estilos de vida

Movimentos da

Sociedade:

Conservacionismo/ Nacionalismo

(Parte 1 de 5)

Comentários