A importância da homeostasia na organização fisiológica

A importância da homeostasia na organização fisiológica

A IMPORTÂNCIA DA HOMEOSTASIA NA ORGANIZAÇÃO FISIOLÓGICA

[Aluno]

Março

2010

[Aluno]

A IMPORTÂNCIA DA HOMEOSTASIA NA ORGANIZAÇÃO FISIOLÓGICA

Trabalho apresentado à Universidade do Grande Rio “Professor José de Souza Herdy”, como parte dos requisitos parciais para a disciplina Fisiologia do Curso de Radiologia. Profª. [professora]

Março

2010

INTRODUÇÃO

O corpo humano é composto de vários sistemas e órgãos, cada um consistindo de milhões de células. Estas células necessitam de condições relativamente estáveis para funcionar efetivamente e contribuir para a sobrevivência do corpo como um todo. A manutenção de condições estáveis para suas células é uma função essencial do corpo humano, a qual os fisiologistas chamam de homeostase. A homeostase (homeo = igual; stasis = ficar parado) é uma condição na qual o meio interno do corpo permanece dentro de certos limites fisiológicos. O meio interno refere-se ao fluido entre as células, chamado de líquido intersticial (intercelular).

Um organismo é dito em homeostase quando seu meio interno contém a concentração apropriada de substâncias químicas, mantém a temperatura e a pressão adequadas.

Quando a homeostase é perturbada, pode resultar a doença. Se os fluidos corporais não forem trazidos de volta à homeostase, pode ocorrer a morte.

Controle do meio ambiente interno

O corpo apresenta muitos mecanismos de regulação (homeostática) que podem trazer o meio interno de volta ao equilíbrio. Cada estrutura corporal, do nível celular ao sistêmico, tenta manter o meio interno dentro dos limites fisiológicos normais.

Os mecanismos homeostáticos do corpo estão sob o controle dos sistemas nervoso e endócrino.

O sistema nervoso regula a homeostase pela detecção dos desequilíbrios do corpo, e pelo envio de mensagens (impulsos nervosos) aos órgãos apropriados para combater o estresse.

O sistema endócrino é um grupo de glândulas que secretam mensageiros químicos, chamados de hormônios, na corrente sanguínea.

Feedback

O feedback negativo (a maior parte dos sistemas de controle atuam desta forma) vai contra o evento que está acontecendo e tenta estabelecer a homeostasia (equilíbrio do meio interno), temos como exemplo a queda da pressão arterial e aumento do rítimo cardíaco compensatório.

Já o feedback positivo, conhecido como ciclo vicioso, (normalmente não ocorre) vai a favor do evento que está preste a acontecer e desenvolve mecanismo para que se sustente aquela situação ou chegue ao final com o resultado que se quer, não se tenta ir contra para equilibrar, e sim a favor para se chegar a um objetivo, como por exemplo, os mecanismos homeostáticos do parto.

CONCLUSÃO

O organismo vivo depende de um grande número de processos regulatórios para manter constantes as condições de seu meio interno, no qual estão imersas todas as células do organismo, corresponde ao líquido extracelular. Uma série de propriedades deste fluido devem ser mantidas dentro de faixas estreitas de variação para permitir que as células sobrevivam em condições normais de funcionamento.

Nos mecanismos de auto-regulação que levam a homeostase, atuam integralmente fatores nervosos e hormonais.

Embora o conceito de homeostase signifique que o meio interno está equilibrado, não quer dizer que o meio interno esteja absolutamente constante. A maioria das variáveis fisiológicas oscila em torno de um valor fixo, e assim, a homeostase representa mais propriamente um equilíbrio dinâmico.

Feedback (aumento ou diminuição de uma função) provoca uma alteração no organismo, e esta alteração desencadeia uma reação para a correção funcional, garantindo o equilíbrio dinâmico.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

WIKIPÉDIA. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Homeostase>. Acesso em: 12 mar. 2010.

AFH - Anatomia & Fisiologia Humanas. Disponível em: <http://www.afh.bio.br>. Acesso em: 12 mar. 2010.

HOMEOSTASE. Disponível em: <www.fag.edu.br/professores/ricardo/Fonoaudiologia/.../Homeostase.ppt>. Acesso em: 12 mar. 2010.

Comentários