NBR 7190-97 -Projeto de Estruturas de Madeira, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Finalidade: Finalidade:

Prote Proteçç ão da edifica ão da edificaçç ão das ão das á guas guas de chuva, frio, calor, ventos...; de chuva, frio, calor, ventos...;

Isolamento t Isolamento téé rmico e ac rmico e acúú stico; stico;

Est Estéé tica. tica.

Co mponentes: Co mponentes:

Estrutura (madeira, a Estrutura (madeira, açç o, concreto...) o, concreto...)

Cobertura (telhas cerâmicas, a Cobertura (telhas cerâmicas, açç o...) o...)

Capta Captaçç ão e encaminhamento das ão e encaminhamento das á guas pluviais guas pluviais

Á GUAS GUAS = planos do

= planos do telhado telhado

CU MEEIRA CU MEEIRA = linha

= linha divis divisóó ria de planos com ria de planos com caimentos que se afastam caimentos que se afastam a 180 a 180ºº (aresta horizontal (aresta horizontal saliente) saliente)

ESPIGÃO ESPIGÃO = linha divis

= linha divisóó ria ria de planos com caimentos de planos com caimentos que se afastam a 90 que se afastam a 90º º

(aresta inclinada saliente) (aresta inclinada saliente)

Á GUA FURTADA GUA FURTADA ou ou

RINCÃO RINCÃO = linha

= linha divis divisóó ria quando as ria quando as á guas se juntam (aresta guas se juntam (aresta inclinada reentrante) inclinada reentrante)

DECLIVE DECLIVE (inclina (inclinaçç ão ão

35%Depende do tipo
35%Depende do tipo

da telha) da telha)

((á guas) guas)

INTERSEC INTERSECÇÇ ÃO ÃO : 45

: 45ºº em em proje projeçç ão, para planos ão, para planos de mesma inclina de mesma inclinaçç ão ão

(motivos t (motivos téé cnicos e cnicos e est estéé ticos) ticos)

GUAS DEVEM TER
GUAS DEVEM TER
CAIMENTOS IGUAIS
CAIMENTOS IGUAIS

O ENCONTRO DE 2 PLANOS DO O ENCONTRO DE 2 PLANOS DO

TELHADO TELHADO É UMA BISSETRIZ A 45 UMA BISSETRIZ A 45ºº ;

ência de telhas
ência de telhas

Fiada: seq Fiada: seqüü na dire na direçç ão da sua largura; ão da sua largura;

Rufo: pe Rufo: peçç a complementar de arremate a complementar de arremate entre o telhado e a parede; entre o telhado e a parede;

O encaminhamento das O encaminhamento das á guas (canais guas (canais das telhas) são ortogonais das telhas) são ortogonais à s calhas; s calhas; beiral: prote beiral: proteçç ão do telhado para fora do ão do telhado para fora do alinhamento da parede; alinhamento da parede;

Projeto de Estruturas de Madeira, da ABNT (Assoc Bras de Norma Projeto de Estruturas de Madeira, da ABNT (Assoc Bras de Norma s T s Téé cnicas) cnicas) met metáá lica; concreto; met lica; concreto; metáá lica (roll lica (roll-- on), auto portante on), auto portante

Componentes da estrutura de madeira Componentes da estrutura de madeira

Componentes da estrutura de madeira Componentes da estrutura de madeira

Peroba rosa (extin Peroba rosa (extinçç ão); ão);

Cupi Cupiúú ba peroba Mato Grosso ba peroba Mato Grosso

(cheiro forte); (cheiro forte);

Ita Itaúú ba; ba;

Jatob

Jatobáá; ;

Ma Maçç aranduba (dura); aranduba (dura);

Gr Gráá pia ou Garapeira; pia ou Garapeira;

Angelim pedra Angelim pedra

FunçãoSeção transversal (cm)

Caibros5x6 6x8

Ripões5x 2

Ripas5x 1

Sarrafos 2

Peças Vão máximo

Beiral máximo

Estimativa de consu mo ripas 5 x 20,5 m4 ml x m2 proj ripas 5 x 10,50 m“ sarrafos

Cobertura : telhas cerâmicas Cobertura : telhas cerâmicas

Quantidade: 13,5 telhas/m²de telhado peso: 3,10 Kg/Pç Inclinação: 30%

Quantidade: 17 Telhas/m²de telhado

Inclinação Mínima 30%

Quantidade: 1,5 telhas/m²de telhado

Inclinação: Mínima31%

Quantidade: 15 telhas/m²de telhado Peso: 2,60

Kg/Pç

Inclinação: Mínima 30 %

Cobertura : telhas cerâmicas Cobertura : telhas cerâmicas colonial colonial

Americana branca Americana branca cum eeira cum eeira romanal romanal esmaltada esmaltada

Francesa ou Francesa ou marselhe sa marselhe sa

Modelos de telhas esmaltadas Modelos de telhas esmaltadas

Modelos de telhas esmaltadas Modelos de telhas esmaltadas

Telha plan comum

Declividade m Declividade míí nima de telhas nima de telhas

Detalhes de execu Detalhes de execuçç ão ão

Armazenamento e galga das telhas Armazenamento e galga das telhas detalhes de execu detalhes de execuçç ão ão detalhes de execu detalhes de execuçç ão ão detalhes de execu detalhes de execuçç ão ão

Ventila Ventilaçç ão do telhado ão do telhado

Ventila Ventilaçç ão ão na obra na obra cumeeira ventilada cumeeira ventilada

Ventila Ventilaçç ão ão cumeeira ventilada cumeeira ventilada

Ventila Ventilaçç ão ão em shed em shed por diferen por diferençç a de planos a de planos fibro fibro-- ci mento ci mento

TELHAS zipadas, cont TELHAS zipadas, contíí nuas e nuas e multidobras multidobras

A telha metálica e contínua não possui furos, emendas ou sobreposições. Com opções por núcleo isolante em lã de rocha, lã de vidro ou somente em lâmina simples, tem bobinas perfiladas na própria obra, permitindo qualquer comprimento. Pode ser plana ou curva, em diferentes raios e em baixa inclinação. Sua junção épor zipagem, sendo fixadas através de clips de alumínio embutidos. Oferecem alto padrão estético, conforto térmico, estanqueidade e liberdade para diferentes projetos.

TELHAS asf TELHAS asfáá lticas e shingles lticas e shingles

As telhas Bardoline são feitas de uma combinação de fibra de vidro, asfalto, carbonato de cálcio, minerais pigmentados e resina. Essa fórmula proporciona uma série de vantagens como: resistência, flexibilidade, leveza, versatilidade e segurança. Disponíveis nas cores verde e vermelha (outras sob consulta) permitem uma instalação fácil e eficaz e dois modelos de borda: arredondada e retangular.

telhas de concreto telhas de concreto

Plana Plana tradi tradiçç ão ão

Ventila Ventilaçç ão natural ão natural

Os chamados sheds ainda são um bom recurso Os chamados sheds ainda são um bom recurso para ventila para ventilaçç ão natural de galpões e ão natural de galpões e o o aproveitamento da luz natural, com aproveitamento da luz natural, com vantagens sobre os sistemas de vantagens sobre os sistemas de ilu mina ilu minaçç ão zenital. ão zenital.

< ganho de calor por < ganho de calor por á rea (aberturas verticais) rea (aberturas verticais)

Evita incidência direta de radia Evita incidência direta de radiaçç ão sobre a ão sobre a cabe cabeçç a dos ocupantes a dos ocupantes

Ventila Ventilaçç ão: mesmo na ausência de ventos, os ão: mesmo na ausência de ventos, os sheds propiciam renova sheds propiciam renovaçç ões de ar por efeito ões de ar por efeito cha min cha minéé (grandes diferen (grandes diferençç as de altura entre as as de altura entre as aberturas de entrada e de sa aberturas de entrada e de saíí da de ar do da de ar do a mbiente) a mbiente) altas taxas de renova altas taxas de renovaçç ão de ar (ventos ão de ar (ventos predominantes), dispensando, assim, o uso de predominantes), dispensando, assim, o uso de sistemas mecânicos de ventila sistemas mecânicos de ventilaçç ão. Se isso não ão. Se isso não for poss for possíí vel, ou se o ambiente vel, ou se o ambiente

Fonte: Maria Akutsu, f Fonte: Maria Akutsu, fíí sica, Laborat sica, Laboratóó rio de Conforto Ambiental, rio de Conforto Ambiental,

Detalhes construtivos Detalhes construtivos

Espigão embolsado Espigão embolsado

Espigão ventilado Espigão ventilado

Cobertura em fibro Cobertura em fibro-- ci mento ci mento

Outros tipos de coberturas Outros tipos de coberturas

Telhas: metal ardosiado; calhetão met Telhas: metal ardosiado; calhetão metáá lico; telha de lico; telha de vidro; policarbonato, met vidro; policarbonato, metáá lica aluminizada lica aluminizada

Outros tipos de coberturas Outros tipos de coberturas

Policarbonato (poli Policarbonato (poliéé ster com fibra de vidro), lonas ster com fibra de vidro), lonas ar madas, tensionadas ar madas, tensionadas

STER, PIZARRA (Espanha) e ALUM STER, PIZARRA (Espanha) e ALUMÍÍ NIO NIO

Comentários