No mundo há três tipos de pessoas: As que não se movem, as que se movem, e as que movem os outros.

  • No mundo há três tipos de pessoas: As que não se movem, as que se movem, e as que movem os outros.

  • Na igreja também têm aqueles que movem os outros, porém precisam ser preparados, a fim de desempenharem melhor o ministério da Liderança Cristã.

Líder.

  • Líder.

  • Significa guia, chefe, condutor. “É aquele que conhece o caminho e sabe manter-se à frente trazendo outros após si”.

  • O melhor teste para saber se alguém é um líder qualificado, é descobrir se há pessoas que lhe sigam voluntariamente. O verdadeiro líder é o que faz discípulos.

Liderança.

  • Liderança.

  • É a função do líder; é a habilidade de uma pessoa de influenciar a outros; é a capacidade de levar pessoas a atingirem objetivos comuns. Liderança é um Dom. Em (Rm 12.8), é chamada de Dom de presidência, “o que preside com diligência”.

  • O verbo “presidir” no original grego, deriva de duas palavras: “Ficar de pé” e “perante”. Refere-se a um Dom que uma pessoa tem de motivar outras pessoas.

Liderança Espiritual.

  • Liderança Espiritual.

  • É uma mistura de qualidades naturais e espirituais. A capacidade natural do líder é fortalecida com os dons espirituais.

  • Liderança espiritual é a capacidade de exercer influência sobre as pessoas, a fim de atingir objetivos definidos em prol do Reino de Deus. “Ninguém, pois toma para si mesmo esta honra, senão quando chamado por Deus...”. (Hb 5.4). “... o homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dada”.

Método direto.

  • Método direto.

  • Abraão.

  • Chamado para ser pai de uma grande nação. “... de ti farei uma grande nação”. (Gn 12.2).

  • Moisés.

  • Chamado para ser libertador do povo de Israel. “Vem agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito” (Êx 3.10).

  • Isaías.

  • Chamado para o ministério profético. “Então disse ele: Vai, e dize a este povo...”. (Is 6.9).

Método direto.

  • Método direto.

  • Os discípulos.

  • Chamados para serem pescadores de homens. “Disse-lhes Jesus: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens”. (Mc 1.17).

  • Paulo.

  • Chamado para ser apóstolo (enviado). “... não fui desobediente à visão celestial”. (At 26.19). “... te apareci para te constituir um ministro...”. (At 26.16).

  • Noé.

  • Chamado para construir a arca. “Então disse Deus a Noé...”. (Gn 6.3). “... faze uma arca...”. (v.14).

Método indireto.

  • Método indireto.

  • José.

  • Fruto das circunstâncias, sustentou seu povo para não perecerem de fome. “E José sustentou de pão...”(Gn 47.12).

  • Josué.

  • Fruto de discipulado contínuo, chamado para guerrear e conquistar a terra prometida. “... e Josué, seu servidor, filho de Num, não se apartava da tenda”. (Êx 33.11). “Disse o Senhor a Moisés: Toma a Josué...”. (Nm 27.18).

  • Timóteo.

  • Fruto de discipulado contínuo e fidelidade, chamado para pastorear. “E que desde a infância sabes as Sagradas Letras...”. (2 Tm 3.15). “...Timóteo..., porque trabalha na obra do Senhor, como também eu”. (1 Co 16.10).

Divina.

  • Divina.

    • Vem de Deus, é clara e inconfundível.
  • Humana.

    • Convite do homem. “Vem para cá”. Não tem participação de Deus.
  • Própria.

    • A própria pessoa se oferece sem ter convicção de chamada.

Divina. “...disse o Espírito Santo: Separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado”. (At 13.2).

  • Divina. “...disse o Espírito Santo: Separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado”. (At 13.2).

  • Pessoal. “Ora disse o Senhor a Abrão”.

  • Espiritual. “Com a brasa tocou a minha boca...”. (Is 6.7).

  • Soberana. “Vem, pois, agora, e eu te enviarei a Faraó ...”. (Êx 3.10).

  • Poderosa. “... a excelência do poder seja de Deus e não de nós”. (2 Co 4.7).

  • Definitiva. “Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado e olha para traz, é apto para o reino de Deus”. (Lc 9.62).

  • Específica. “... eu vos farei pescadores de homens”. (Mc 1.17).

Convicção. É a plena certeza que um líder alcança da parte do Senhor, de que realmente é chamado para a liderança cristã.

  • Convicção. É a plena certeza que um líder alcança da parte do Senhor, de que realmente é chamado para a liderança cristã.

  • Vocação. Trata-se de chamada específica. O termo exige ação. “Cada um permaneça na vocação em que foi chamado”. (1 Co 7.20).

  • Unção. Ser cheio do Espírito Santo, trata-se de uma das principais características daquele que é chamado por Deus.

  • Inspiração. É a unção recebida do Espírito, é o ato de falar com autoridade divina.

  • Prontidão. É o ato de estar pronto, presteza. É outra característica de qualquer líder que é chamado por Deus. Paulo, “Que farei, Senhor?” Samuel, “...eis-me aqui...”. (1 Sm 3.16).

  • Oração. É o ponto de contato entre o líder e aquele que o chamou. A oração é um dos meios do líder obter vitória. A solução dos problemas vem de Deus, porém, através da oração.

  • Ação. É o ato de agir, de colocar em prática aquilo para que Deus nos comissionou. A eficiência da nossa liderança, depende muito da nossa maneira de agir.

Esclarecer o ministério, (Ef 4.11; 2 Pe 1.10).

  • Esclarecer o ministério, (Ef 4.11; 2 Pe 1.10).

  • Dar visão da missão.

  • Dar firmeza para superar os obstáculos, (Lc 6.47, 48).

  • Impulsionar o vocacionado a desenvolver o seu ministério.

  • Encorajar para renúncias:

    • Abraão deixou sua terra e parentela, (Gn 12.1,4).
    • Eliseu deixou as juntas de bois, (1 Rs 19.19,20).
    • Tiago e João deixaram o barco, (Mc 1.19,20).
    • Pedro deixou as redes, (Mc 1.16-18).
    • Mateus deixou a coletoria, (Mt 9.9).

1. Autocrático.

  • 1. Autocrático.

  • É ditatorial. Dá ordens que devem ser cumpridas sem discussão. As decisões são tomadas por ele. Não se importa em saber o que os seus liderados pensam. Vê a si mesmo como o indispensável. Acaba provocando revolta geral nas pessoas ou a passividade completa. Esse estilo prejudica tanto o grupo como os objetivos a serem alcançados.

  • 2. Burocrático.

  • Esse tipo de líder geralmente atua como negociador entre as partes. As decisões são baseadas de acordo com os regulamentos.

  • 3. Democrático.

  • Procura concentrar toda a atenção sobre as atitudes e interesses dos componentes do grupo, que são tratados como colaboradores. Considera o grupo mais capacitado em resolver os problemas do que ele sozinho. Respeita o liderado e dá crédito a ele. Não

4. Paternalista.

  • 4. Paternalista.

  • É sempre cordial e amável com todos em qualquer circunstâncias. Este estilo favorece o crescimento somente de líderes e não dos elementos do grupo, que ficam entregues ao comodismo, pensando que tudo está bem.

  • 5. Liberal. (Laissez-faire, significa, deixar fazer).

  • É inseguro e tem receio de assumir responsabilidades. Seu lema é: “Deixa como está para ver como é que fica”. Cada um dos seus auxiliares faz o que quer e como bem entende. Não dá ordens, não traça objetivos e nem orienta os liderados. Cada um dos estilos acima, tem suas vantagens e fraquezas. O líder maduro, não estará preso a um só estilo. É preciso ser sensível para perceber em qual situação empregará

Aspectos da Função do Líder.

  • Aspectos da Função do Líder.

  • É uma responsabilidade. (O líder cuida daquilo que é do Senhor.)

  • É um dever. (O líder terá que prestar conta a Deus.)

  • É um privilégio. (Só para aqueles que foram chamados.)

  • É uma necessidade. (Todo grupo precisa de liderança).

  • É uma honra. (A honra não está no cargo nem no reconhecimento, mas sim, na oportunidade de servir a Deus).

Maneiras do Líder Desempenhar sua Função.

  • Maneiras do Líder Desempenhar sua Função.

  • Com humildade, (At 20.18,19).

  • Com fidelidade, (1 Co 4.1,2; Sl 101.6).

  • Com submissão, (1 Rs 19.20; At 22.10).

  • Com confiança, (1 Sm 14.6; Ef 6.16).

  • Com boa vontade, (Ef 6.6,7).

  • Com consagração, (Rm 12.1; 1 Ts 5.23).

  • Na dependência de Deus, (Jo 15.4,5).

  • Na direção do Espírito Santo, (Êx 40.36,37).

Resultados do Desempenho da Função.

  • Resultados do Desempenho da Função.

  • Consciência em paz.

  • Alegria, (Ne 12.43; Lc 10.17; Sl 126.5,6; Sl 40.8).

  • Proteção de Deus, (Sl 34.7; 1 Sm 7.3,10).

  • Galardão, (Jo 4.36; 1 Co 9.17; 15.58; Hb 6.10).

Função de Servo.

  • Função de Servo.

  • Em outros reinos, o privilégio é ser servido, porém no Reino de Deus, o privilégio é servir.

A Função de Disciplinar.

  • A Função de Disciplinar.

  • É uma das tarefas mais difíceis para o líder, porém, indispensável. Como disciplinar?

  • Com amor, (2 Co 2.6-8).

  • Com imparcialidade, (1 Tm 5.21; Tg 3.17).

  • Com prudência, (Gl 6.1; Rm 15.1; Ef 4.1,2).

  • Com justiça, (Ef 5.9; 1 Tm 6.11; 2 Tm 2.22).

  • Na direção do Espírito Santo, (Jo 14.26; 16.13).

A Função de Conselheiro.

  • A Função de Conselheiro.

  • Aconselhar significa, estimular, persuadir. O sogro de Moisés o aconselhou. (Êx 18.19-27).

A Função de Administrar.

  • A Função de Administrar.

  • Administrar não é fazer tudo sozinho, administrar é distribuir responsabilidades, e fazer com que todos participem do trabalho.

  • Administrar é um Dom da liderança. Em 1 Co 12.28, é denominada de “governos”. No original grego, o sentido dessa palavra é “pilotar”.

  • a) Planejar atividades específicas.

  • O que deve ser feito? (Lc 14.28).

  • b) Estabelecer prioridades.

  • O que deve ser feito primeiro? (Pv 24.27).

  • c) Estabelecer responsabilidades.

  • Quem vai fazer? É distribuir tarefas. Exemplo: Moisés. (Êx 18.25,26).

  • d) Estabelecer sinais de comunicação.

  • Os liderados precisam estar inteirados da visão do líder.

  • e) Planejar o tempo. (kairós = oportunidade).

a) Tato.

  • a) Tato.

  • É a capacidade de lidar com os outros sem ofender. Inclusive dizer e fazer a coisa certa, do modo certo, na hora certa e no lugar certo. Inclui conhecimento da natureza humana e preocupação pelos sentimentos dos outros. Inclui ainda, amor, prudência, paciência, sabedoria e cautela.

  • b) Coragem.

  • É aquela capacidade de espírito que capacita os homens a enfrentar o perigo ou dificuldade com firmeza, sem medo e sem depressão mental. O líder corajoso vê uma oportunidade em cada dificuldade. Exemplo: Ezequias, (2 Cr 32.7,8).

  • c) Diligência.

  • Zelo, cuidado ativo. (Rm 12.8; Pv 22.29). A diligência evita tropeço do líder, (2 Pe 1.10).

d) Dignidade.

  • d) Dignidade.

  • É a qualidade de ser digno da função que exerce. Inclui honestidade, honra, respeito, temperança...

  • e) Discrição.

  • Procedimento de discreto. Refere-se a uma conduta mediante o exercício da prudência em todas as ocasiões. Significa, não se fazer sentir ou ser notado com intensidade. Exemplo: Ao lidar com o sexo oposto.

  • f) Cortesia.

  • É a qualidade de ser amável e delicado com as pessoas. “Por favor”, “Muito Obrigado”...

g) Asseio.

  • g) Asseio.

  • Refere-se à higiene tanto corporal como mental, isto é, na correção do vestir, no asseio do corpo, na pureza de mente, nas palavras saudáveis. Limpo nos pensamentos e ações.

  • h) Pontualidade.

  • Ser pontual é ser justo. É sinal de zelo e dedicação.

  • i) Disciplina.

  • Refere-se a uma qualidade daquele que se submete de boa vontade e que aprendeu a obedecer. É capaz de liderar, porque conseguiu conquistar a si mesmo.

j) Iniciativa.

  • j) Iniciativa.

  • Refere-se à coragem de assumir responsabilidades. O líder deve estar preparado para decidir. Não espera as coisas acontecerem, pois ele as faz acontecer. Exemplo: Abraão com Ló. (Gn 13.8,9).

  • k) Humor.

  • É uma dádiva de Deus que precisa tanto ser controlada quanto cultivada. O humor limpo e sadio, relaxa a tensão e ajuda a aliviar as situações difíceis. São gastos 72 músculos para franzir a testa e 14 para sorrir.

l) Paciência.

  • l) Paciência.

  • É uma habilidade corajosa e triunfante para suportar males. Capacita a pessoa a ultrapassar o ponto de quebra, sem se quebrar, a receber o imprevisto com alegria. Não significa passividade ou submissão à derrota, mas sim, ser longânimo e bondoso para com as pessoas. Significa resistência vitoriosa e equilíbrio sob provação.

  • O líder impaciente com as fraquezas de seus liderados, terá uma liderança deficiente.

  • A evidência da paciência está em adaptar o nosso passo rápido ao passo moroso do irmão mais fraco. (Rm 15.1).

  • m) Entusiasmo.

  • É a atitude positiva de esperança nas pessoas e na tarefa a que se propõe. O entusiasmo é contagiante. O grupo reage positivamente a um líder entusiasta. Com entusiasmo o líder leva o grupo à frente. Enfim, é uma atitude positiva que contagia, que anima, que cria esperança nas pessoas e esperança de vitória.

n) Determinação.

  • n) Determinação.

  • É a firmeza com que o líder age; é a garra. É o espírito de luta constante em face dos obstáculos, para que as decisões e planejamentos sejam cumpridos.

  • o) Confiança.

  • O líder precisa confiar na capacidade do grupo, dar-lhe oportunidades, incentivá-lo à luta e ao sucesso. Saber delegar atribuições aos liderados é transmitir confiança.

  • p) Serenidade.

  • É o autocontrole. É saber enfrentar os problemas com a devida calma e segurança. É mostrar tranquilidade em qualquer situação.

q) Autoridade.

  • q) Autoridade.

  • É a influência adquirida através do fruto do trabalho, e não pela posição que ocupa. Na liderança espiritual, é preciso ter influência interior, e não influência exterior.

  • r) Simpatia.

  • Ser simpático não é viver sorrindo para todos, mas sim, ser compreensivo e agradável para com as pessoas. O líder cristão precisa desenvolver a empatia, isto é, sentir com os outros, colocar-se na situação deles.

  • s) Autenticidade.

  • O líder precisa ter uma vida autêntica, isto é, viver em padrão de conduta que corresponda o que ele ensina.

t) Dedicação.

  • t) Dedicação.

  • É um sinal de fidelidade. O líder dedicado desempenha sua função com mais perfeição, (At 20.27). “Porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus”.

  • u) Perseverança.

  • É continuar insistindo sem perder a esperança em alcançar os objetivos.

  • v) Persistência.

  • É continuar insistindo sem desistir, mesmo diante de adversidades.

a) Visão.

  • a) Visão.

  • É uma qualidade espiritual dada por Deus àquele que Deus chama para uma missão específica. Visão é uma capacidade espiritual de ver mais longe, os propósitos de Deus. Isto inclui, fé. Visão é a revelação da vontade de Deus; é a base e sustentação de toda liderança. A liderança começa com a visão. O líder precisa ter visão para ter objetivos definidos.

  • Exemplos de homens de visão:

  • Noé.

  • Recebeu de Deus a visão do dilúvio e a visão da arca para a salvação de sua família e preservação das espécies.

  • Abraão.

  • Recebeu de Deus a visão de ir para outra terra e ser pai de uma nova nação.

  • Paulo.

  • Recebeu de Deus a visão de evangelizar os gentios. (Ap 3.18). “... colírio para ungires os teus olhos, a fim de que vejas”.

b) Sabedoria.

  • b) Sabedoria.

  • É uma qualidade espiritual dada por Deus, a fim de capacitar àquele que busca no Senhor e depende do Senhor. Sabedoria é mais do que percepção humana, é discernimento celestial. O líder sábio é aquele que sabe usar e aplicar o conhecimento de maneira correta com a ajuda do Espírito Santo. (Dt 1.13).

  • c) Fé.

  • O líder precisa de fé para enfrentar os desafios e sustentar sua liderança. (Hb 11.24-29).

  • d) Humildade.

  • É a característica por excelência do líder espiritual. João, o Batista disse: Convém que Ele cresça e que eu diminua”, (Jo 3.30). A humildade deveria ser uma qualidade sempre em desenvolvimento, como aconteceu com Paulo. (1 Co 15.9). “...eu sou o menor dos apóstolos...”. (Ef 3.8). “A mim, o menor de todos os santos...”. (1 Tm 1.15). “... que Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal”

e) Maturidade.

  • e) Maturidade.

  • A palavra “neophyte”, significa, “recém plantado”. Qualquer planta precisa de tempo para criar raízes, antes de produzir frutos. Maturidade é indispensável para a boa liderança.

  • Uma planta recém plantada:

  • Não tem folhas o suficiente para servir de abrigo às pessoas;

  • Não tem frutos para alimentar as pessoas;

  • Não tem resistência para suportar pesos;

  • Não tem raízes profundas para suportar mal tempo.

  • Exemplo de árvore resistente: Palmeira e Jaboticabeira.

f) Integridade.

  • f) Integridade.

  • Significa “inteiro”, “completo”, “perfeito”, e quer dizer “inteireza física”, “inteireza moral”, “retidão”. A integridade está para o caráter da pessoa como a saúde está para o corpo.

  • Uma pessoa íntegra não é dividida (duplicidade) e nem fingida (hipocrisia). É inteira.

  • O líder íntegro é de caráter irrepreensível. Na sociedade em geral, o líder deve ser uma pessoa que não cause escândalo. (1 Co 10.32; 1 Ts 5.23). O seu caráter deve ser tal, que não o deixe aberto a ataques ou censuras. O povo de Israel testificou acerca do caráter íntegro de Samuel: “Então responderam; em nada nos defraudaste, nem nos oprimiste, nem tomaste cousa alguma da mão de ninguém”, (1 Sm 12.4).

a) Acomodação.

  • a) Acomodação.

  • b) Perda da Motivação.

  • c) Síndrome do Sucesso.

  • d) Posição Social.

  • e) Fama.

  • f) Necessidades Pessoais.

  • g) Egoísmo.

  • h) Inveja.

  • i) Popularidade.

  • j) Infalibilidade.

  • k) Autoconfiança.

  • l) Exaltação.

  • m) Pretextos.

Você se controla quando as coisas vão mal?

  • Você se controla quando as coisas vão mal?

  • Você é capaz de receber críticas e permanecer firme?

  • Você é capaz de manter a disciplina sem recorrer a um “show”de autoridade?

  • Você é capaz de aceitar oposição sem considerá-la como uma afronta pessoal e sem reagir como afrontado?

  • Você é capaz de manter-se humilde quando supervisionado ou corrigido?

  • Você tem eliminado algum mal hábito de seu caráter?

  • Voc6e é capaz de guardar segredo?

  • Você é capaz de assumir a responsabilidade quando as coisas falham?

  • Você não se irrita quando supervisionado ou corrigido?

  • Você é capaz de desculpar-se ao notar que ofendeu alguém?

  • Você trata a todos com imparcialidade?

  • Você usa um só peso e uma só medida para todos?

“Dizia a todos: se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia, tome a sua cruz e siga-me”. (Lc 9.23).

  • “Dizia a todos: se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia, tome a sua cruz e siga-me”. (Lc 9.23).

A liderança eficaz é o perfeito equilíbrio da competência, visão e virtude.

  • A liderança eficaz é o perfeito equilíbrio da competência, visão e virtude.

  • Se a fonte da liderança é a inspiração, e a vida da liderança é a confiança, então o combustível da liderança é a fé.

  • Um líder deve ser irrepreensível.

  • O caráter de um líder deve ser de tal sorte que atraia o respeito de todos, mesmo dos seus inimigos.

  • Um líder deve ser intransigente consigo mesmo em segredos que poderiam minar o seu caráter ou manchar a sua reputação pública.

Um líder deve ter visão.

  • Um líder deve ter visão.

  • É absolutamente necessário que um líder tenha domínio e confiança absolutos.

  • Um líder deve ser uma pessoa gentil.

  • Um líder deve administrar bem sua família.

  • Um líder não deve ser motivado ou ávido por dinheiro.

  • Se deseja ser um líder, procure ganhar experiência durante um certo tempo, e compreenda que você tem que se qualificar para que os outros possam acreditar em você.

DISCIPLINA

  • DISCIPLINA

  • VISÃO

  • VER ALÉM DO QUE TODOS

  • SENSO COMUM

  • PODER DE DECISÃO

  • FORÇA DE VONTADE

  • HUMILDADE

  • SENSO DE HUMOR

  • INDIGNAÇÃO

  • PACIÊNCIA E TOLERÂNCIA

  • COMPANHERISMO E AMIZADE

  • DESCRIÇÃO

  • PODER DE INSPIRAÇÃO

Sua capacidade para se tornar um líder é ilimitada se você estiver disposto a desenvolve, aperfeiçoar e incorporar estes princípios vitais na sua vida.

  • Sua capacidade para se tornar um líder é ilimitada se você estiver disposto a desenvolve, aperfeiçoar e incorporar estes princípios vitais na sua vida.

  • Lembre-se, o verdadeiro caráter é formado em segredo e exposto abertamente.

Comentários