Relatorio de quimica - Os materiais básicos utilizados no laboratório de química

Relatorio de quimica - Os materiais básicos utilizados no laboratório de química

RESUMO

O presente relatório refere-se às aulas práticas em laboratório de química, cujo objetivo é o reconhecimento e manuseio dos materiais básicos utilizados durante experimentos. Sobre os instrumentos, descrevem-se as semelhanças e diferenças que permitem o agrupamento, suas indicações de uso prático e a conduta a ser adotada pelo experimentador e seus colaboradores durante o ato, ressaltando a importância da notificação escrita de todo o procedimento e seus entraves, que possibilitará uma possível análise posterior.

INTRODUÇÃO

Foi realizado o reconhecimento e manuseio dos materiais básicos do laboratório de química, permitindo a observação detalhada dos instrumentos que serão utilizados durante as aulas práticas de química geral e inorgânica.

Considerando que os princípios da química originam-se do experimento, e por saber que existe certo risco de acidentes associados ao uso de laboratórios, é imprescindível conhecer a função de cada equipamento a ser utilizado e o procedimento para uso correto dos mesmos.

Os instrumentos utilizados no trabalho de laboratório são feitos dos mais diversos materiais (vidro, cerâmica, metal, entre outros), por isso, além de conhecer suas finalidades, modo de limpeza e armazenamento correto, é preciso considerar suas limitações físicas e químicas.

Anterior ao início dos experimentos, os materiais deverão estar organizados sobre a bancada de trabalho, assim como, ao terminar, deverão ser limpos e guardados em seus respectivos locais.

As aulas práticas realizadas no laboratório de química devem ser detalhadamente analisadas, portanto, cabe a realização de registros, detalhando os acontecimentos com as reações, os resultados obtidos, incluindo os possíveis erros cometidos durante a experimentação, para serem descritos e avaliados de forma crítica nos relatórios posteriores.

MATERIAIS E MÉTODOS

Os materiais básicos utilizados no laboratório de química dividem-se em quatro grupos: materiais de vidro, de porcelana, metálicos e materiais diversos. Analisaram-se as diferenças e semelhanças entre esses equipamentos:

Bequer e Erlenmeyer, ambos servem para dissolver substâncias e aquecer líquidos sobre a tela de amianto. O béquer efetua reações de precipitação, enquanto o Erlenmeyer é utilizado em titulações.

O Bastão de vidro tem como função agitar e transferir líquidos e soluções, sendo usado com outros materiais como, por exemplo, o béquer.

Para fazer pequenas reações é usado o tubo de ensaio, mas diferente do béquer e do Erlenmeyer, pode ser aquecido diretamente sob a chama do Bico de Bunsen, manuseando-o circularmente e com cuidado.

O instrumento vidro de relógio é usado em analises e evaporações em pequena escala, também na pesagem de substâncias não voláteis e não higroscópicas. Já o instrumento pesa-filtro é usado para fazer a pesagem de sólidos higroscópicos (absorvem umidade com facilidade) e voláteis (difundem facilmente pelo meio).

Para medir líquidos, soluções e volumes, com medidas aproximadas, com volume variado, com precisão ou exatidão usa-se respectivamente a proveta, frasco com graduações, a pipeta graduada, usada para aferir pequenos volumes sem precisão de medida, a pipeta volumétrica para medir um único volume com precisão, o balão volumétrico utilizado para o preparo de soluções com exatidão de volume, e a bureta para medida exata de líquidos e soluções, servindo também para fazer titulações.

As filtrações em laboratório são realizadas pelo funil de vidro, funil de decantação e o kitassato. O funil de vidro realiza filtrações simples, o funil de decantação separa mistura heterogênea de líquidos, e o kitassato é utilizado para filtrações a vácuo.

Ainda, a placa de Petri, necessária para incubação e cultura de microorgarnismo, o termômetro, usado para aferir temperaturas, e o condensador que condensa vapores em destilações ou aquecimentos a refluxo.

Observaram-se também materiais de porcelana e pôde-se perceber que os mesmos têm poucas semelhanças em suas funções. O cadinho, por exemplo, é usado no aquecimento de substâncias a seco suportando altas temperaturas (pirólise) e pode ser levado ao bico de bunsen.; já a cápsula de porcelana é usada na evaporação de líquidos e soluções chegando a suportar temperaturas de até 500°C; o almofariz com pistilo tem função de triturar (dividir) sólidos, e há também o funil de buchner utilizado em filtrações a vácuo podendo ser usado como filtro em conjunto com o kitassato.

Em referência aos materiais metálicos, o bico de bunsen, fonte de aquecimento de materiais não inflamáveis, na qual a zona mais quente pode chegar a 1500°C (que em caso de incêndio deve-se desligar o estrangulador de combustível); o triângulo, suporte em aquecimento de cadinhos; o tripé, também com a função de suporte em aquecimento, mas principalmente em telas; a tela de amianto, usada para transferir uniformemente o calor recebido através do bico de bunsen; o suporte universal, necessário em operações de filtração, suporte para condensador, bureta, sistemas de destilação e ainda, sustentar peças em geral; mufa e garra, utilizadas como peça de fixação no suporte universal; estante para tubos de ensaios que serve como suporte para os tubos; e ainda a espátula, usa-se para transferir substâncias sólidas (modelo “colher” é para partículas mais soltas e o modelo “pá” para partículas mais aglomeradas).

Dentre todos esses equipamentos ainda existem os materiais diversos, sendo eles: a pinça de madeira que serve para segurar tubos de ensaios durante aquecimentos no bico de bunsen; a trompa de vácuo que é usada junto com o kitassato e o funil de buchner com função de reduzir a pressão e facilitar a filtração; a estufa que tem o propósito de secar os materiais, podendo atingir até 200°C; a centrífuga utilizada para a separação acelerada de misturas heterogêneas; o forno utilizado para aquecer substâncias com temperaturas muito elevadas (1000 à 1500°C); a manta elétrica que serve para aquecer líquidos inflamáveis contidos no balão de fundo redondo (diferente do bico de bunsen quando se trata de substâncias inflamáveis); a balança que determina a massa e que se deve ter alguns cuidados tais quais sempre verificar o nivelamento, usar sempre o menor frasco de pesagem e nunca tocar os frascos com os dedos ao colocá-los ou retirá-los; o agitador magnético, assim como as barras magnéticas são necessários para agitação constante no preparo de soluções e reações; evaporador rotativo para se extrair solventes; pisseta que se usa para enxaguar os instrumentos (seja com água, álcool, ou qualquer outro solvente); o medidor de ph utilizado para saber o ph de uma determinada solução; e, por fim, o pipetador ou pêra de sucção com função de auxiliar nos procedimentos de pipetagem.

RESULTADOS

A diversidade de materiais encontrados no laboratório de química promoveu a reflexão quanto as suas diferenças, semelhanças e modo de manuseio, apontando a possibilidade de combinação de materiais em determinados experimentos, havendo aqueles aos quais há propósitos específicos.

Observou-se a necessidade de cuidado ao manusear os instrumentos, devido a fragilidade dos materiais e possibilidade de riscos de acidentes mecânicos e químicos. Também por isso, devem ser consideradas as normas básicas de segurança que envolve o uso de jaleco, sapatos fechados, luvas, máscaras e óculos de proteção e outros acessórios.

Avaliou-se a importância do embasamento teórico, previamente ao experimento, permitindo a escolha correta dos materiais a serem utilizados; a equipe de experimentadores deverá registrar de modo detalhado e descritivo todo o evento, facilitando assim a escrita posterior de um relatório.

A confecção do relatório, após o experimento, possibilitará a identificação de todo o processo (passo-a-passo), permitindo sua repetição e/ou revisão de possíveis erros experimentais, caso seja necessário fazê-lo, se configurando em uma importante fonte de pesquisa, devido a perspicácia na observação, coleta de dados e análise.

CONCLUSÃO

A análise dos materiais básicos utilizados no laboratório de química permitiu a compreensão da conduta cautelosa que o experimentador e sua equipe devem seguir ao realizar um experimento, acompanhando as normas básicas de segurança, que também devem ser observadas, diminuindo assim os riscos de acidentes.

Concluiu-se que a disposição responsável de toda a equipe de colaboradores envolvidos nos experimentos, a organização prévia dos materiais e equipamentos, sob o respaldo de informações teóricas de cunho científico, são fatores importantes ao sucesso dos resultados finais, cabendo considerar, no entanto, todas as respostas alcançadas para a análise e discussão posterior.

SUMÁRIO

Pág.

Resumo..................................................................................04

  1. Introdução...............................................................................05

  2. Materiais e Métodos..........................................................06-08

  3. Resultados e Discussões.......................................................09

  4. Conclusão...............................................................................10

  5. Referências Bibliográficas......................................................11

Comentários