Relatório de Visita Técnica - Transnordestina

Relatório de Visita Técnica - Transnordestina

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLOGICA DO CEARÁ

UNIDADE DE ENSINO DESCENTRALIZADA DO JUAZEIRO DO NORTE

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PRODUÇÃO CIVIL

DISCIPLINA: PRÁTICAS DE ÓBRAS

PROFESSOR: ALÉX

RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA

Maria Soares Vieira

Paulo Roberto de Almeida Lima

JUAZEIRO DO NORTE – CE

DEZEMBRO DE 2007

MARIA SOARES VIEIRA

PAULO ROBERTO DE ALMEIDA LIMA

RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA

Trabalho apresentado à disciplina de Práticas de Obras, do 6° período do curso superior de Tecnologia em Produção Civil, do Centro Federal de Educação Tecnológica do Ceará, UnED – Juazeiro do Norte, ministrada pelo profº.: Alex, para obtenção de nota parcial.

JUAZEIRO DO NORTE – CE

DEZEMBRO DE 2007

TRANSNORDESTINA

Esta obra tem o objetivo de interligar vários estados do Nordeste facilitando a escoação da produção, principalmente de cereais, do interior para os portos localizados nas capitais litorâneas. Considerada a maior obra ferroviária em execução do mundo, a Transnordestina encontra-se em fase inicial, onde está sendo trabalhado o trecho que liga as cidades de Missão Velha, no Ceará, e Salgueiro, em Pernambuco. Este trecho é denominado Lote 03 e tem extensão total de 353,2 Km. Atualmente há frentes de trabalho em Missão Velha e Brejo Santo.

A obra consiste em terraplenar a base onde posteriormente serão apoiados os dormentes e os trilhos para a passagem do trem. Por razões técnicas e devido ao peso dos vagões carregados, a plataforma não pode possuir desníveis muito acentuados, o que dificultaria o deslocamento das máquinas ferroviárias. Por este motivo é necessário executar aterros com mais de 14m de altura e muitas vezes é preciso cortar montanhas ao meio para que o a terraplenagem possa prosseguir, e assim os caimentos sejam menores. Para que possa receber as cargas do peso dos trens sem que haja recalques ou qualquer outro tipo de deslocamento, é preciso que todo o material seja compactado.

O que é Compactação?

É tecnicamente definido, como o processo mecânico de se aumentar a resistência e a estabilidade de um material ou misturas diversas, pelo aumento de sua densidade.

A idéia básica de compactação é produzir uma suficiente resistência e estrutura, para que o material compactado possa suportar além do seu próprio peso, as cargas que nele serão aplicado, além da resistência da ação de fatores climáticos. Há pouco tempo atrás, a compactação não era considerada como um dos fatores principais na terraplenagem e construções, por isto, estradas e caminhos deterioram-se rapidamente, represas rompiam, edifícios trincavam, etc.

Hoje em dia, quase não se repete isso grassas a:

  • Maior atenção dada aos métodos de compactação;

  • Evolução e melhoria dos equipamentos;

  • Melhor aplicação dos recursos tecnológicos para a compactação.

Atualmente, os problemas são outros tais como prazos de entrega muito restritos, especificações mais exigentes, criando dificuldades na execução de muitas obras. O problema não é somente como efetuar a compactação, mas também como efetua-la de maneira rápida e econômica, tendo em vista o fato de que:

  • As condições do material trabalhado se alteram rapidamente;

  • O andamento normal dos serviços depende da liberação de determinado trecho “devidamente compactado”.

Para que as exigências de prazo e qualidade de compactação sejam compridas, é necessário o mínimo conhecimento das características dos materiais em uso, e da correta SELEÇÃO e APLICAÇÃO dos compactadores em cada tipo de material ou etapa de serviço. Considera-se que o adensamento de um material possa ocorrer de forma espontânea, através da ação dos elementos da natureza, isto se dá, entretanto, após muito tempo, criando-se a necessidade de compactação controlada. Com a compactação controlada, pode-se estabilizar um solo na relação de tempo que for preciso.

Como é executada a Terraplenagem na Transnordestina?

Na Transnordestina não é diferente dos processos de compactação e nivelamento de rodovias, a diferença é que para uma ferrovia os aterros são muito mais altos e os cortes muito mais fundos (maiores movimentos de terra), após a seleção de uma jazida próxima à obra para se fazer o empréstimo do material de boa qualidade, a Topografia demarca o alinhamento da plataforma para que os caminhões basculantes, ou MOTO-RSCRAP dependendo da distância de coleta e de lançamento, despejem o material na quantidade certa para se executar cada camada.

Razões econômicas fazem preferir que a espessura seja a maior possível. Mas características do material, tipo de equipamento e finalidade do aterro são fatores que devem predominar. A CFN, Companhia Ferroviária do Nordeste, gerente da obra, exige que as camadas sejam lançadas com 30 cm para que ao ser compactada atinja os 20 cm, especificados por norma, para garantir a homogeneidade e o adensamento de todo o material que foi lançado na camada.

A homogeneização do material é feito a cada lançamento de camada, antes da compactação. Os equipamentos utilizados neste processo são:

  • MOTONIVELADORA;

  • TRATOR COM ARADO/GRADE;

  • CAMINHÃO PIPA.

Na homogeneização a camada solta deve estar bem pulverizada, e é neste momento em que são desfeitos os torrões, retiradas as pedras e materiais orgânicos do material para que a compactação tenha efeito mais homogêneo no adensamento.

A compactação é feita após a homogeneização e nivelamento do material, a partir da aplicação de cargas e oscilações mecânicas é feito o adensamento do material.

Os equipamentos utilizados neste processo são:

ROLO COMPACTADOR HISTER, E/OU;

ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO CA 25.

Após o “batimento” do trecho a ser compactado são feitos os furos na camada compactada para saber o grau de compactação e o teor de umidade do material, além é claro, de uma inspeção visual do trecho, após este controle tecnológico a camada é liberada e então a próxima camada pode ser executada. Caso a camada não passe nos testes, ela é condenada e o trecho é aberto e o processo começa novamente a partir da homogeneização.

Quais as principais exigências técnicas para a Terraplenagem?

Após as camadas de aterro comum, faltando 1m para chegar a cota da plataforma, é executada as Camadas Finais e o Sub-lastro, que são camadas de controle tecnológico muito mais rigoroso e de acabamento fino.

1.1 Corpo de Aterro

Definição: Maciço de Terraplenagem do Aterro compreendido entre o nível do terreno natural e a primeira camada das Camadas Finais.

Exigências:

  • Expansão máxima < 4%.

  • CBR mínimo > 4%, em compactação c/o Proctor Normal.

  • Inclinação dos Taludes (laterais do aterro) = 1:1,5 ( v : h ).

  • Fator Compactação = 1,25.

  • O grau de compactação deve ser > 95% do Proctor Normal.

  • A umidade encontrada no Teste de Densidade IN SITU, poderá variar de + 3%, em relação à umidade Ótima.

1.2 Camadas Finais

Definição: Parte do aterro localizada entre a cota de Greide do Corpo do Aterro e a Cota de Greide de Terraplenagem.

Exigências:

  • Expansão máxima < 2%.

  • CBR mínimo > 8%, em compactação c/o Proctor Normal.

  • Fator Compactação = 1,25.

  • O grau de compactação deve ser > 100% do Proctor Normal.

  • A umidade encontrada no Teste de Densidade IN SITU, poderá variar de + 2%, em relação à umidade Ótima.

Que tipo de Obras de Arte existem na Transnordestina?

Podemos observar também, as chamadas obras de arte que são as “peças” e conjunto de estruturas que garantem a integração da plataforma de terraplenagem com os intempéries físicos e necessidades das localidades e estradas que são cortadas pela ferrovia. Vimos um canteiro de obras que executava um Pontilhão, sobre a CE 153, em Missão Velha que tem 6,44m de altura em relação ao nível da rodovia que cruza a ferrovia e 10,44m da fundação a cota da plataforma. Além de Pontes, vimos também inúmeros Bueiros que permitem a transposição das águas de rios e da chuva da Montante para a Jusante. Haviam bueiro em forma de células, em concreto armado e tubulares, todos possuem bocas de alas para conter o aterro e impedir que os Bueiros sejam entupidos pelo material do corpo do aterro.

CONCLUSÃO

Concluímos que esta obra, quando finalizada, irá beneficiar a economia das cidades do interior do estado facilitando a escoação da produção, e que os termos técnicos de uma terraplenagem são rigorosos e merece uma atenção especial na execução, pois pode no futuro, se executada erradamente, causar prejuízos, acidentes e inconvenientes que poderiam ser evitados com um controle tecnológico atuante e rigoroso.

Comentários