sistema de fornecimento de energia

sistema de fornecimento de energia

Uniradial Estácio

Campus Santo Amaro

Sistemas de fornecimento de energia elétrica

São Paulo

23/03/2010

Autores:

Edson Batista Campos

Aguinaldo Alves Silva

Silas Flavio Medeiros

Carlos Alberto Morais

Márcia Midori Miori

Titulo:

Tipos de sistemas de fornecimento de energia elétrica

Natureza do trabalho:

Adquirir conhecimento nos diversos métodos para sistemas de fornecimento de energia elétrica.

Folha de avaliação:

Equipe:

Edson Batista Campos

Aguinaldo Alves Silva

Silas Flavio Medeiros

Carlos Alberto Morais

Márcia Midori Miori

Líder:

Edson Batista

Professor:

Geraldo Schumam Cunha

Sistemas de fornecimento de energia elétrica

Transmissão e distribuição de energia elétrica.

O processo de transmissão e distribuição de energia elétrica não é, ao contrário do que muitos pensam, apenas uma técnica de conexões de cabos elétricos do gerador ao consumidor. Na verdade, a tecnologia de controle desse processo é bastante complexa.

A figura abaixo mostra o diagrama genérico de um sistema de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. Através dessa figura, podemos entender melhor porque uma subestação é chamada de “SUB” estação. Recebe o nome de “Estação”, apenas a etapa geradora (usinas hidroelétricas, termoelétricas, etc...), sendo que as demais etapas configuram subestações. Estas por sua vez, podem ser: transmissoras de energia (aquelas que transportam a energia da usina até próximo ao consumidor), e distribuidoras (aquelas que transportam a energia da subestação transmissora até o local de consumo).

Normalmente, as estações transmissoras estão localizadas fora do perímetro urbano, devido ao altíssimo nível de tensão de trabalho.

Ainda com base na figura podemos ver que a geração é feita em 13.8 KV (aproximadamente), e a primeira subestação de transmissão eleva, através de transformadores, essa tensão para níveis que podem atingir até 765 KV.

“ mas por que transmitir a energia em uma tensão tão alta ? ”

A vantagem da alta tensão é que podemos ter uma potência elétrica também alta, porém com uma corrente elétrica não tão alta. A razão disso é bem óbvia, pois a potência é igual ao produto da tensão pela corrente (p [w] = U(V).I[A]).

Como a tensão já é alta, a corrente pode ser baixa (relativa à tensão).

Energia Solar

É a energia aproveitada de uma fonte inesgotável de energia limpa, aproveitada do potencia solar, inicialmente essa energia é aproveitada da seguinte forma. Para montar um sistema de geração de energia completo são necessários os seguintes equipamentos:

Modulo Solar Fotovoltaico: Placa que captura energia solar e converte a mesma em energia elétrica geralmente com uma tensão de saída de 12 v.

Inversor de Tensão: Aparelho que transforma uma baixa tensão de continua (12v a 48v) em uma tensão alta tensão alternada (110v ou 220v).

Bateria Estacionaria: Aparelho que armazena energia elétrica e pode ser recarregado.

Controlador de Carga: Equipamento que monitora a carga de baterias recarregáveis e impede que as mesmas descarreguem completamente de forma a aumentar sua vida útil.

Conclusão

A energia solar está cada vez mais se tornando a melhor forma de gerar energia sem poluir e degradar o meio ambiente, pois a energia solar não consome água e não gera efluente. Apesar do investimento inicial para montar sistemas de geração de energia solar, os ganhos provenientes da geração de energia solar são infinitos para o meio-ambiente e são notáveis financeiramente para as empresas.

Uma empresa que utilize da energia solar poderá ter muitos ganhos financeiros a médio e longo prazo e até mesmo em curto prazo através de condições especiais de tributação, estará se tornando uma empresa realmente sustentável e passará a ter uma imagem melhor para seus colaboradores, seus fornecedores, o governo e a comunidade.

Energia Eólica

Denomina-se energia eólica a energia cinética contida nas massas de ar em movimento (vento). Seu aproveitamento ocorre por meio da conversão da energia cinética de translação em energia cinética de rotação, com o emprego de turbinas eólicas, também denominadas aerogeradores, para a geração de eletricidade, ou cataventos (e moinhos), para trabalhos mecânicos como bombeamento d’água.

Embora ainda haja divergências entre especialistas e instituições na estimativa do potencial eólico brasileiro, vários estudos indicam valores extremamente consideráveis. Hoje a maioria dos estudos indica valores maiores que 60.000 MW.

As regiões de maior potencial eólico brasileiro são as faixas litorâneas e em especial a região nordeste, pois os ventos dessa região apresentam uma velocidade de 8 a7m/s.

No final de 2006 o Brasil possuía uma capacidade de produção de 237 MW, dos quais 208 MW foram instalados no decorrer desse ano. O Brasil tornou-se assim o país da América Latina e Caribe com maior capacidade de produção de energia eólica

Energia Nuclear

A energia nuclear, também chamada atômica, é obtida a partir da fissão do núcleo do átomo de urânio enriquecido, liberando uma grande quantidade de energia. A energia nuclear mantém unida as partículas do núcleo de um átomo. A divisão desse núcleo em duas partes provoca a liberação de grande quantidade de energia. Os primeiros resultados da divisão do átomo de metais pesados, como o urânio e o plutônio, foram obtidos em 1938. A princípio, a energia liberada pela fissão nuclear foi utilizada para objetivos militares. Posteriormente, as pesquisas avançaram e foram desenvolvidas com o intuito de produzir energia elétrica. No entanto, armas nucleares continuam sendo produzidas através do enriquecimento de urânio. Atualmente os Estados Unidos lideram a produção de energia nuclear, porém os países mais dependentes da energia nuclear são França, Suécia, Finlândia e Bélgica. Na França, cerca de 80% de sua eletricidade é oriunda de centrais atômicas. No fim da década de 1960, o governo brasileiro começou a desenvolver o Programa Nuclear Brasileiro, destinado a implantar no país a produção de energia atômica. O país possui a central nuclear Almirante Álvaro Alberto, constituída por três unidades (Angra 1, Angra 2, e Angra 3), está instalada no município de Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro. Atualmente, apenas Angra 2 está em funcionamento. Essa fonte energética é responsável por muita polêmica e desconfiança, a falta de segurança, a destinação do lixo atômico, além da possibilidade de acontecerem acidentes nas usinas, gera a reprovação da utilização da energia nuclear por grande parte da população. Alguns acidentes em usinas nucleares já aconteceram, entre eles estão: Three Miles Island – em 1979, na usina localizada na Pensilvânia (EUA), ocorreu a fusão do núcleo do reator e a liberação de elevados índices de radioatividade que atingiram regiões vizinhas. Chernobyl – em 1986 ocorreram o incêndio e o vazamento de radiação na usina ucraniana, na extinta União Soviética, com milhares de feridos e mortos, podendo a contaminação radioativa ter causado 1 milhão de casos de câncer nos 20 anos seguintes. A energia nuclear apresenta vários aspectos positivos, sendo de fundamental importância em países que não possuem recursos naturais para a obtenção de energia. Estudos mais aprofundados devem ser realizados sobre essa fonte energética, ainda existem vários pontos a serem aperfeiçoados, de forma que possam garantir segurança para a população. Aspectos positivos da energia nuclear: - As reservas de energia nuclear são muito maiores que as reservas de combustíveis fósseis; - Comparada às usinas de combustíveis fósseis, a usina nuclear requer menores áreas; - As usinas nucleares possibilitam maior independência energética para os países importadores de petróleo e gás; - Não contribui para o efeito estufa. Aspectos negativos: - Os custos de construção e operação das usinas são muito altos; - Possibilidade de construção de armas nucleares; - Destinação do lixo atômico; - Acidentes que resultam em liberação de material radioativo; - O plutônio 239 leva 24.000 anos para ter sua radioatividade reduzida à metade, e cerca de 50.000 anos para tornar-se inócuo.

Energia Termelétrica

Uma usina termelétrica operando em ciclo combinado pode ser definida como um conjunto de obras e equipamentos cuja finalidade é a geração de energia elétrica, através de um processo que combina a operação de uma turbina à gás, movida pela queima de gás natural ou óleo diesel, diretamente acoplada a um gerador.Os gases de escape da turbina à gás, devido à temperatura, promovem a transformação da água em vapor para o acionamento de uma turbina a vapor, nas mesmas condições descritas no processo de operação de uma termelétrica convencional. A potência média dessas centrais vem a ser de 300 MW, muito inferior à de uma termelétrica convencional.

A expansão dos gases resultantes da queima do combustível (óleo diesel ou gás natural) aciona a turbina a gás, que está diretamente acoplada ao gerador e, desta forma, a potência mecânica é transformada em potência elétrica.

O funcionamento é exatamente igual ao descrito para usina termelétrica convencional, porém a transformação da água em vapor é feita com o reaproveitamento do calor dos gases de escape da turbina a gás, na caldeira de recuperação de calor. Deve ser ressaltado o rendimento térmico do ciclo combinado, que proporciona a produção de energia elétrica com custos reduzidos.

Bibliografia:

www.sabereletronica.com.br

www.gruporede.com.br

www.brasilescola.com/geografia/energia-nuclear.htm

www.aneel.gov.br

Comentários