Administração clássica

Administração clássica

ABORDAGEM CLÁSSICA

Taylor e a Administração Científica

TGA – Andrade & Amboni – Cap 4

Final do século XIX e início do século XX

  1. Frederick Winslow Taylor

    • Americano da Filadélfia.

    • Engenheiro mecânico e economista

    • Pai da Administração Científica

    • Foco na eficiência e eficácia operacional na indústria

    • Seu controle inflexível, mecanicista, elevou enormemente o desempenho das indústrias em que atuou.

    • Igualmente gerou demissões, insatisfações e estresse para os subordinados e sindicalistas.

    • Visão de Taylor

    • Vadiagem sistemática por parte dos operários

    • Os gerentes desinformados das rotinas de trabalho

    • Falta de uniformidade nos métodos e técnicas de trabalho

  1. Administração Científica

    • Abordagem de baixo para cima (operário ao Supervisor/Gerente) e das partes (operários e seus cargos) para o todo (organização empresarial)

    • 1º fase = Publicou o livro “ Administração de Oficinas” foco nas técnicas de racionalização do trabalho por meio dos estudos de tempo e movimento.

    • 2º fase = Publicou o livro “Princípios de Administração Científica” (1911) foco no PPCE

  • Planejamento = Objetivo de aplicar métodos científicos em lugar do improviso e escolha individual

  • Preparo = Selecionar profissionais com aptidões ao cargo para melhor produtividade

  • Controle = Verificar se o que foi planejado está sendo executado

  • Execução = distribuição de atribuições e responsabilidade de maneira disciplinada

  1. Administração Científica – Fundamentos

  • Administração como ciência

    • Defensor de métodos científicos para analisar o funcionamento da empresa

    • Substituir o empirismo por metodologia

  • Sistemas de administração

    • Implantar um sistema administrativo que permita assegurar o máximo de prosperidade ao empregador e, ao mesmo tempo, ao empregado.

  • Identidade de interesses

    • Definir os interesses dos patrões e dos empregados

    • O sucesso do dono da empresa deve refletir no sucesso do empregado

  • Influência da produção

    • O ganho financeiro está atrelado à capacidade de produção: se produz mais se ganha mais

    • Melhor rendimento com menor custo

  1. Organização Racional do Trabalho - ORT

  • Taylor analisava o trabalho desenvolvido pelos trabalhadores, concluindo que eles aprendiam por meio de observação através do que os outros faziam.

  • Propôs que o planejamento fosse separado da execução

  • Os administradores planejavam e os operários executavam

  • Aspectos da ORT

  • Analise do trabalho e estudo de tempos e movimentos

  • Decomposição de cada tarefa e cada operação em uma série ordenada de movimentos

  • Os movimentos inúteis são eliminados

  • Os movimentos úteis são simplificados, racionalizados e unidos com outros movimentos

  • Objetivo: economia de tempo e esforço do funcionário

  • Padronizar método de trabalho e o tempo de execução

  • Filme Charle Chaplin: Tempos Modernos

  • Estudo da fadiga humana

  • Eliminar movimentos desnecessários para melhor desenvolvimento de uma atividade

  • Objetivo: diminuição do esforço muscular evitando queda de produção

  • Divisão do trabalho e especialização do operário

  • A divisão do trabalho proporciona a especialização

  • A limitação da atividade de maneira rotineira

  • Objetivo: Operário especialista na execução de tares simples e elementares

  • Quanto mais especializado mais eficiente

  • Desenho de cargos e tarefas

  • O que o operário deve fazer e em que função

  • Desenho do cargo: definição da tarefa + métodos de trabalho + relações com outros cargos

  • Objetivo: Visualização de toda a organização sabendo quem faz o que e aonde

  • O trabalhador conhece seu campo de atuação e os níveis de relacionamento com os demais cargos

  • Incentivos salariais e prêmio de produção

  • Relação da remuneração com a quantidade produzida

  • Os salários eram determinados pelas peças produzidas

  • Objetivo: Estimulo a produtividade

  • Condições de trabalho

  • Não adianta buscar eficiência apenas com metodologia cientifica e salários, é necessário que as condições de trabalho estejam adequadas

  • Objetivo: conforto para que o operário aumente a produtividade

  • Padronização

  • Objetivo: eliminar os desperdícios e incrementar o nível de eficiência

  • Supervisão funcional

  • Cada supervisor deve cuidar de determinada área ou especialidade (RH, MKT, Finanças)

  • O operário deve se reportar a um único supervisor

  • Objetivo: O supervisor possui autoridade somente na área que atua.

  1. Seguidores de Taylor

  • Frank e Lillian Gilbert

    • Aperfeiçoaram as técnicas de desperdício de tempo e movimento

    • Racionalização do trabalho visando o aumento da produtividade

    • Diminuição da fadiga (descanso remunerado e redução de horas diárias)

  • Henry Gantt

    • Desenvolveu o controle gráfico de produção para acompanhamento diário do fluxo produtivo

  • Hugo Munsterberg

    • Propositor do uso da psicologia na indústria

    • Operários em condições psicológicas mais favoráveis ao cargo aumentam a produção

    • Inicio da seleção de pessoal relacionado ao comportamento humano

  • Henry Ford

    • Em 1908 houve a popularização do automóvel – modelo T

    • Após 6 anos 500.000 veículos vendidos,

    • Média de 230 carros dia.

    • Modelo de produção em massa

    • Aprimorou as técnicas de Taylor (padronização e simplificação)

    • Bases do sistema de Fordismo

      • O processo produtivo deve ser planejado – ordenado e contínuo

      • O trabalhador deve receber o trabalho que deve ser feito

      • Os fluxos de operações devem ser avaliados de forma contínua para evitar o desperdício e incrementar os níveis de eficiência

  • Princípios básicos de Ford

  • Intensificação: minimizar o tempo de duração da produção

  • Economicidade: Diminuir o nível de estoque

      • Integração vertical e horizontal

      • Vertical = número de etapas do processo produtivo até a chegada do produto ao consumidor

      • Horizontal = Número de centros de distribuição dispersos geograficamente para facilitar a distribuição dos produtos

  • Produtividade: Especialização do trabalhador

MODELO T

Nome(s) alternativo(s): Ford de Bigode, no Brasil

Construtor: Ford

Produção: 1908-1927 - 15.007.003 unidades

Antecessor: Ford Modelo S

Sucessor: Ford Modelo A

Tipo de Carroçaria: Sedan, 4 portas, 5 ocupantes

Motor: 2894 cm3, quatro cilindros, velocidade máxima = 55 km/h, potência - 20 cv

Caixa de velocidades: duas velocidades a frente mais a ré

Desenhador: Henry Ford, Childe Harold Wills, Joseph A. Galamb e Eugene Farkas

Ford Modelo T, conhecido no Brasil como Ford de Bigode, foi o produto da fábrica

  1. Pontos críticos da Administração Científica

  • Recompensas salariais

    • Taylor via o operário como preguiçoso e limitado

    • Produzem pelo salário e não pelo amor ao trabalho

    • Prevalece a figura do homem operacional e econômico

  • Enfoque mecanicista do homem

    • O homem era uma peça de uma máquina

    • Executar e não questionar

    • Não era levada em conta sua condição humana

  • Abordagem fechada

    • Não faz referência ao ambiente externo direto e indireto

    • Concentrou seus estudos no chão de fábrica, visando apenas aspectos internos da empresa

  • Superespecialização do operário

    • Fragmentação e repetição das tarefas

    • Operário com visão cega do que faz

  • Exploração dos operários

    • Taylor defendeu a prosperidade do patrão e operários, mas a prática mostrou o contrário

  1. Pós-Fordismo e Neofordismo - Toyotismo

  • Modelo de organização de produção capitalista na década de 1950 após a 2º guerra mundial.

  • Elaborado por Taiichi Ohno (engenheiro mecânico chinês)

  • Introdução do processo de automação na produção

  • Método just-in-time = Kan-Ban:

      • O trabalhador deveria ir buscar as peças utilizadas, e não ficar esperando-as, como no Fordismo

      • Produzir exatamente as quantidades vendidas e produzi-las no tempo exatamente necessário

      • Objetivo: estoque próximo a zero

  • Flexibilização na produção

      • Força de trabalho conforme demanda

      • Número mínimo de operários

      • Aumento da demanda, contratação de trabalhadores temporários

  • Qualificação profissional

      • Polivalência do trabalhador

      • Capacidade do trabalhador operar em várias máquinas

  • Centros de Controle de Qualidade - CCQ

      • Grupos de funcionários que se reúnem periodicamente para analisar e oferecer propostas de melhorias no processo produtivo

      • Qualidade total

Comentários