(Parte 3 de 5)

Sinalização deficiente: falta de uma política de prevenção de acidentes, não identificação de equipamentos que oferecem risco, não delimitação de áreas, informações de segurança insuficientes etc. comprometem a saúde ocupacional dos servidores.

w.cpsol.com.br

6. 0 QUE É MAPA DE RISCOS?

É a representação gráfica do reconhecimento dos riscos existentes nos locais de trabalho, por meio de círculos de diferentes tamanhos; e cores.

0 seu objetivo é informar e conscientizar os trabalhadores pela fácil visualização desses riscos. É um instrumento que pode ajudar a diminuir a ocorrência de acidentes do trabalho; objetivo que interessa as empresas e empregados.

7. QUEM FAZ?

0 mapa de riscos é feito pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), sendo ela o Agente Mapeador, após ouvir os trabalhadores de todos os setores e com a orientação do Serviço Especializado em Engenharia e Segurança e Medicina do Trabalho - SESMT do órgão.

8. PLANTA OU CROQUI?

É importante ter uma planta do local, mas se não houver condições de conseguir, isto não deverá ser um obstáculo: faz-se um desenho simplificado, um esquema ou croqui do local.

9. ESTUDO DOS TIPOS DE RISCOS

A CIPA deve se familiarizar com a tabela abaixo, que classifica os riscos de acidentes de trabalho.

w.cpsol.com.br

RISCOS AMBIENTAIS Grupo I Grupo I Grupo II Grupo IV Grupo V

Agentes Químicos Agentes Físicos Agentes Biológicos Agentes Ergonômicos Agentes Mecânicos

Poeira Ruído Vírus Trabalho físico pesado Arranjo físico deficiente

Fumos Metálicos Vibração Bactéria Posturas incorretas Máquinas sem proteção

Névoas Radiação ionizantes e não ionizantes Protozoários Treinamento inadequado inexistente

Matéria-prima fora de especificação

Vapores Pressões anormais Fungos Jornadas prolongadas de trabalho

Equipamentos inadequados defeituosos ou inexistentes

Gases Temperaturas extremas Bacilos Trabalho noturno

Ferramentas defeituosas inadequadas ou inexistentes

Produtos químicos em geral Frio Parasitas Responsabilidade

Conflito

Iluminação deficiente

Calor Tensões emocionais Eletricidade

Desconforto Incêndio

Edificações

Substâncias, compostos ou produtos químicos em geral. Umidade

Insetos, cobras, aranhas, etc.

Monotonia Armazenamento

Outros Outros Outros Outros Outros VERMELHO VERDE MARROM AMARELO AZUL

10. EXEMPLOS DE RISCOS EM ALGUMAS ATIVIDADES E FUNÇÕES w.cpsol.com.br

1. COMO ELABORAR?

Após o estudo dos tipos de risco, deve se dividir a empresa em setores ou pavimentos; geralmente isso corresponde às diferentes seções do órgão. Essa divisão facilitará a identificação dos riscos de acidentes de trabalho. Em seguida o grupo deverá percorrer as áreas a serem mapeadas com lápis e papel na mão, ouvindo as pessoas acerca de situações de riscos de acidentes de trabalho.

Sobre esse assunto, é importante perguntar aos servidores o que incomoda e quanto incomoda, pois isso será importante para se fazer o mapa. Também é preciso marcar os locais dos riscos informados em cada área.

Nesse momento, não se deve ter a preocupação de classificar os riscos. 0 importante é anotar o que existe e marcar o lugar certo. 0 grau e o tipo de risco serão identificados depois.

12. AVALIAÇÃO DOS RISCOS PARA A ELABORAÇÃO DO MAPA DE RISCOS

Com as informações anotadas, a CIPA deve fazer uma reunião para examinar cada risco identificado.

Nesta fase, faz-se a classificação dos perigos existentes conforme o tipo de agente, de acordo com a Tabela de Riscos Ambientais. Também se determina o grau ("tamanho"): pequeno, médio ou grande.

13. COLOCAÇÃO DOS CÍRCULOS NA PLANTA OU CROQUI

Depois disso é que se começa a colocar os círculos na planta ou croqui para representar os riscos. Os riscos são caracterizados graficamente por cores e círculos.

w.cpsol.com.br

O tamanho do círculo representa o grau do risco. E a cor do círculo representa o tipo de risco, conforme a Tabela mostrada.

Os círculos podem ser desenhados ou colados. 0 importante é que os tamanhos e as cores correspondam aos graus e tipos. Cada círculo deve ser colocado naquela parte do mapa que corresponde ao lugar onde existe o problema.

Caso existam, num mesmo ponto de uma seção, diversos riscos de um só tipo por exemplo, riscos físicos: ruído, vibração e calor não é preciso colocar um círculo para cada um desses agentes.

Basta um círculo apenas neste exemplo, com a cor verde, dos riscos físicos, desde que os riscos tenham o mesmo grau de nocividade.

Uma outra situação é a existência de riscos de tipos diferentes num mesmo ponto. Neste caso, divide se o círculo conforme a quantidade de riscos em 2, 3, 4 e até 5 partes iguais, cada parte com a sua respectiva cor, conforme a figura abaixo (este procedimento é chamado de critério de incidência):

Risco Grande Risco Médio Risco Pequeno

w.cpsol.com.br

(Parte 3 de 5)

Comentários