A contabilidade e sua verdadeira função

A contabilidade e sua verdadeira função

Luiz Alneir Garcez da Silva

A Contabilidade é a principal ferramenta de auxílio nas tomadas de decisões por parte dos administradores na gestão das empresas, pois os relatórios contábeis viabilizam a análise da situação da empresa e assim podem-se verificar as metas pré-estabelecidas e proporcionar melhores planejamentos e controles futuros. Mas, ainda existe uma grande parte de empresários e administradores que se utiliza da Contabilidade apenas para calcular tributos e preencher declarações e guias. Isso acontece, em grande parte, por culpa do próprio contabilista que não demonstra aos administradores o quão útil pode ser uma Contabilidade bem-executada, com informações corretas e verdadeiras. É preciso mudar essa realidade, conscientizando-se todos os interessados sobre a importância da Contabilidade e, conseqüentemente, dos profissionais da área.

Palavras-chave: contabilidade; contabilista; empresário; administradores; informações; tomada de decisão.

Este artigo tem por objetivo tentar criar uma consciência na sociedade em geral a respeito da importância da Contabilidade na vida das empresas e pessoas. Por se tratar de uma ciência social, influencia na vida das pessoas. Mas ainda existe uma grande resistência em admitir o verdadeiro valor da Contabilidade, principalmente nas empresas de pequeno e médio portes.

A Contabilidade, por meio de seus relatórios, é, sem dúvida alguma, o principal recurso a ser utilizado na análise da situação econômica de uma empresa, e serve como instrumento de avaliação das metas planejadas, além de fornecer suporte ao desenvolvimento de novos objetivos. À classe contábil cabe difundir a importância desta ciência, bem como pelo reconhecimento e valorização da profissão.

1 A CONTABILIDADE E SUA VERDADEIRA FUNÇÃO

A grande dificuldade dos contadores sempre foi fazer com que o empresário entendesse que a Contabilidade tem a função de apresentar as informações necessárias para auxiliá-lo na

Artigos nº 09 - dezembro de 2008 tomada de decisões para o bom andamento da empresa.

Franco e Marra (2007, p. 25) definem que “[...] o objetivo da contabilidade é fornecer informações sobre o estado patrimonial e suas variações em determinado período”.

Essa dificuldade se deve em grande parte ao próprio contabilista, que não se empenha em mostrar ao empresário a real função e utilidade da Contabilidade. Mas o empresário também possui uma parcela de culpa, pois a vê como "um mal necessário", servindo apenas para apurar impostos e preencher guias de recolhimento.

A Contabilidade, na prática, não é somente preencher guias de impostos, declarações acessórias ou mesmo lançar mecanicamente a movimentação financeira de determinada empresa.

Shank e Govindarajan (1997, p. 5) consideram que "[...] a contabilidade existe na administração principalmente para facilitar o desenvolvimento e a implementação da estratégia empresarial".

A Contabilidade, se usada de forma correta e eficiente, é uma ferramenta única e indispensável no processo de tomada de decisões. No decorrer de todo processo na organização, a Contabilidade vai adicionando e criando valor para os gestores e assim passa a gerar informações necessárias para o crescimento, continuidade e obtenção de lucro para a organização.

A Contabilidade bem elaborada e realizada oferece todas as informações necessárias à tomada de decisão na gestão das empresas. Uma empresa sem contabilidade é uma empresa sem memória e sem condições de estabelecer metas e alcançar objetivos. A Contabilidade não pode ser utilizada apenas por ser uma exigência legal e formal, mas sim como a principal ferramenta de auxílio para a tomada de decisões quanto ao futuro das empresas.

Muitas vezes, os contabilistas encontram dificuldades para negociar seus salários ou honorários, pois não conseguem transmitir ao empresário a real importância de sua função.

Com a contínua evolução das mudanças no cenário mundial introduzidas pela globalização e, conseqüentemente, maior velocidade na obtenção das informações, é cada vez mais necessário que o profissional da Contabilidade tome consciência de sua real função nas empresas e junto à sociedade.

O contabilista deverá exercer a parte mais nobre da sua profissão: de contador a consultor.

Deve abandonar a figura do contador que só executa as funções de registro da movimentação contábil para se tornar um novo tipo de profissional de Contabilidade, com ampla habilidade e com mais tempo para aplicar esta ciência como instrumento de gestão.

Na prática, significa deixar de ser apenas o profissional da organização e execução de serviços de registro e escrituração contábil e fiscal para atuar como o orientador em face das mudanças da lei, dos procedimentos para emissão de documentos fiscais, das exigências bancárias de determinados relatórios, das sugestões sobre decisões da vida empresarial, dos requisitos de arquivos e proteção de dados, de estudos tributários e outros.

Artigos nº 09 - dezembro de 2008 Precisa entender a empresa em todos os seus aspectos, desde a compra, passando pela produção chegando até a comercialização dos seus produtos e serviços; ter presença e ciência de todas as etapas de produção/comercialização do negócio. Deve passar de uma postura passiva para uma postura proativa. Olhar para o negócio item a item, em seus mínimos detalhes e peculiaridades. Essa nova realidade passa a se chamar de “Contabilidade de Gestão”, peça fundamental para aumentar a eficiência das empresas em seus negócios.

O novo contador, pela própria natureza das funções que lhe são solicitadas a desempenhar, necessitará de formação bem diferente daquela exigida para o profissional que atua na contabilidade formal, precisando assim de bons conhecimentos matemáticos e estatísticos, pesquisa operacional e técnicas de planejamento.

O principal requisito para que a Contabilidade seja utilizada em sua função verdadeira, que é a de prestar informações para a tomada de decisões, é que esteja atualizada, conciliada e de acordo com as normas e técnicas contábeis. Assim, fornecerá informações para as tomadas de decisões seguras e coerentes.

Essa nova realidade vem ganhando destaque em função da diminuição das margens de lucros provenientes da pressão da concorrência, necessidades permanentes de análise, planejamento, controle, avaliação de desempenho e informações para as tomadas de decisões que necessitam de maior eficiência nos negócios.

Outro aspecto interessante é que o aperfeiçoamento dessas informações, cuja essência visa ao impacto de eventos futuros, realizados mediante análises específicas, ainda não são feitos pelos computadores. Ou seja, os estudos de situações críticas imprescindíveis ao negócio pressupõem a utilização de técnicas apuradas e necessidades específicas da atividade empresarial para as quais a tecnologia da informação oferece ferramentas importantes de suporte na tomada e compilação dos dados, mas que sozinhas não resolvem os problemas, pois quem realmente irá decidir será o profissional da Contabilidade juntamente com o gestor/administrador da empresa.

Portanto, a atividade contábil em tempos modernos ganha em amplitude e cresce simultaneamente em importância e responsabilidade.

O profissional que busca realização e reconhecimento de seu trabalho deve estar consciente de que sua trajetória de atuação é diretamente proporcional ao investimento que faz em buscar amplo aperfeiçoamento para conquistar estabilidade financeira e profissional.

Cabe exclusivamente a nós, contabilistas, a responsabilidade de buscarmos o nosso aperfeiçoamento constantemente, para que possamos aplicar as técnicas e normas contábeis de forma produtiva e útil aos empresários e à sociedade, disseminando assim a verdadeira função de nossa honrosa profissão.

Artigos nº 09 - dezembro de 2008 CONCLUSÃO

A Contabilidade é uma área de grande importância para a sociedade em geral, pois é ela que registra todo o patrimônio das entidades, ou seja, todo o movimento da economia. Ainda existe muito a ser feito para que consigamos conscientizar a todos da real função da Contabilidade e da importância dos profissionais desta área. Já começamos a observar alguns avanços, mas ainda há muito a ser feito.

O órgão regulador da profissão, o Conselho Federal de Contabilidade, juntamente com os

Conselhos Regionais, já fazem um grande trabalho nesse sentido, mas precisamos agora que os contabilistas assumam esse compromisso de valorização da profissão para que possamos, num futuro próximo, alcançar esse objetivo.

CARDOSO, Amilton Fernando; et al. A Gestão Contábil Como Ferramenta de Evidenciação e Divulgação dos Impactos Ambientais Relacionados às Atividades Industriais. IX ENGEMA 2007. Disponível em: http://engema.up.edu.br/arquivos/engema/pdf/PAP0005.pdf. Acessado em 27.10.2008.

FERRARI, Aldo. Contabilidade de Gestão ou Gestão Contábil? Disponível em: http://www.crcro.org.br/crcmx/principal2.aspx?id2=138. Acessado em 27.10.2008.

FRANCO, Hilário; MARRA, Ernesto. Auditoria contábil. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

FREZATTI, Fábio; et. al. Análise do relacionamento entre a Contabilidade Gerencial e o Processo de Planejamento das Organizações Brasileiras. Disponível em: http://74.125.45.132/search?q=cache:W4zqCP9Y7cgJ:w.scielo.br/scielo.php%3Fpid%3DS1415- 65552007000600003%26script%3Dsci_arttext+%2contabilidade+ gere ncial%2&hl=pt- BR&ct=clnk&cd=17&gl=br. Acessado em 18.1.2008.

KOPAK, Simone Cristina. Uma Proposta de Modelo de Gestão Contábil, Aplicável nas Entidades Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs). Disponível em: http://www.congressocfc.org.br/hotsite/trabalhos_1/453.pdf. Acessado em 27.10.2008.

SHANK, J. K., & GOVINDARAJAN, V. A revolução dos custos: como reinventar e redefinir sua estratégia de custos para vencer em mercados crescentemente competitivos. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

ZANLUCA, Julio Cesar. Contabilidade Gerencial – O que é? Como Utilizá-la? Disponível em: http://www.portaldecontabilidade.com.br/tematicas/gestaocontabil.htm. Acessado em 27.10.2008.

Autor: Luiz Alneir Garcez da Silva Contador. CRCRS nº 6.380. Pós-graduado em Computação Aplicada a Atividade Empresarial, pela PUC-CAMPUS Uruguaiana. Pós-graduando em Contabilidade Empresarial e Auditoria, pela UNOPAR.

Comentários